A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema de Planejamento de Colheita iLab Sistemas Especialistas Treinamento Conceitos & Funcionalidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema de Planejamento de Colheita iLab Sistemas Especialistas Treinamento Conceitos & Funcionalidades."— Transcrição da apresentação:

1 Sistema de Planejamento de Colheita iLab Sistemas Especialistas Treinamento Conceitos & Funcionalidades

2 Roteiro do Treinamento Objetivo do sistema Objetivo do sistema Elementos básicos Elementos básicos Modelos parametrizados Modelos parametrizados Função de pesquisa Função de pesquisa Definição de restrições Definição de restrições Simulação e programação Simulação e programação Análises de resultados Análises de resultados

3 Objetivo do Sistema Elaboração da programação de colheita ideal das áreas de cultivo da empresa para o período completo da safra. Distribuição geográficaDistribuição geográfica Características varietaisCaracterísticas varietais Capacidades logísticasCapacidades logísticas Estratégias de colheitaEstratégias de colheita Otimizador Programação de Colheita

4 Períodos Define a unidade de tempo para especificação da colheita de uma área. Opções: MensalMensal QuinzenalQuinzenal Determina a estrutura das informações: Períodos de programaçãoPeríodos de programação Curvas de maturaçãoCurvas de maturação Parâmetros industriais/econômicosParâmetros industriais/econômicos Definição de restriçõesDefinição de restrições

5 Fazendas Define a principal unidade administrativa para programação de colheita. Características: Especificação de contratoEspecificação de contrato Determinação de custos incidentesDeterminação de custos incidentes Subdivisão em Blocos e TalhõesSubdivisão em Blocos e Talhões Composição : BlocosBlocos TalhõesTalhões

6 Blocos Define a principal unidade de programação operacional da colheita. Área homogênea : FazendaFazenda VariedadeVariedade CategoriaCategoria Programação : Período de cortePeríodo de corte Unidade industrialUnidade industrial + Critérios operacionais para agrupamento de talhões Elementos básicos para formulação das Restrições de Colheita

7 Fornecedores Parcela da programação referente à entrega de cana-de-açúcar diretamente na indústria, sem alocação logística de corte/transporte para a empresa. Tratamentos possíveis: Cadastramento de Fazendas/BlocosCadastramento de Fazendas/Blocos Definição de cotas mensais de entregaDefinição de cotas mensais de entrega Cotas por Período/Unidade Industrial: Toneladas programadasToneladas programadas Índices médios : Pol, Fibra, Pureza,...Índices médios : Pol, Fibra, Pureza,...

8 Unidades Definição das unidades industriais disponíveis para processamento da cana-de-açúcar. Determina a estrutura das informações: Logística de distribuiçãoLogística de distribuição Cotas de fornecedoresCotas de fornecedores Modelo de projeção industrialModelo de projeção industrial Modelo de projeção econômicaModelo de projeção econômica Definição de restriçõesDefinição de restrições Modelos multi-planta

9 Logística Recurso que possibilita a programação ideal de colheita associada à distribuição dos blocos entre as unidade industriais. Parâmetros para manipulação: Fazendas/BlocosFazendas/Blocos Distâncias para unidadesDistâncias para unidades Controles de distribuiçãoControles de distribuição Especificação das possíveis unidades industriais de destino dos blocos de colheita Otimização de Custos/Rendimento Agro-Industrial

10 Variedades As variedades de cana-de-açúcar determinam o comportamento projetado para a safra. Variedade RB, SP, IACRB, SP, IAC Categoria Cana PlantaCana Planta Cana AnoCana Ano Cana SocaCana Soca Cana BisCana Bis } Espécie Período de CortePeríodo de Corte Intervalo Meses Intervalo Idade Curvas MaturaçãoCurvas Maturação Pol % Cana Fibra % Cana Pureza % Cana A.R. % Cana

11 Maturação Curvas de Pol, Fibra, Pureza e A.R. associadas às variedades/categorias de corte, projetando o comportamento para toda a safra. Opções: Pré-colheitaPré-colheita Pós-colheitaPós-colheita Base para projeção: AgrícolaAgrícola IndustrialIndustrial EconômicaEconômica Manipulação: HistóricoHistórico ProjeçãoProjeção DeslocamentosDeslocamentos TransferênciaTransferência

12 Análises Projetam alterações nas curvas de maturação originais, identificando comportamentos locais nos blocos/talhões analisados. Opções: Pré-colheitaPré-colheita Pós-colheitaPós-colheita Aplicações: Pré-análisesPré-análises MaturadoresMaturadores Ensaios & ExperimentosEnsaios & Experimentos

13 Modelo Industrial Utilizando a quantidade de cana-de-açúcar colhida, e as correspondentes curvas de maturação, projeta o rendimento e a produção industrial de cada unidade. Dados de Entrada: ToneladasToneladas Pol % CanaPol % Cana Fibra % CanaFibra % Cana Pureza % CanaPureza % Cana A.R. % CanaA.R. % Cana Dados de Saída: AçúcarAçúcar ÁlcoolÁlcool Mel FinalMel Final EficiênciasEficiências RendimentosRendimentos FórmulasParametrizadas

14 Modelo Econômico Utilizando dados referentes à matéria-prima, à projeção industrial, e índices econômicos, calcula o resultado econômico da empresa em termos de receitas/custos. Dados de Entrada: Cana-de-açúcarCana-de-açúcar Açúcar & ÁlcoolAçúcar & Álcool ContratosContratos Preços produtosPreços produtos Custos padrãoCustos padrão Dados de Saída: ReceitaReceita Custo AgrícolaCusto Agrícola Custo IndústriaCusto Indústria Custos GeraisCustos Gerais Margem LucroMargem Lucro FórmulasParametrizadas

15 Função de Pesquisa Recurso de busca de fazenda/blocos/talhões baseados na especificação de critérios básicos de seleção. Aplicações: Elaboração de restriçõesElaboração de restrições Exportação de planilhasExportação de planilhas Análise de desempenhoAnálise de desempenho Visões de programaçãoVisões de programação Critérios: PropriedadesPropriedades CaracterísticasCaracterísticas ProgramaçãoProgramação RestriçõesRestrições

16 Restrição Varietal Restrição para definição do intervalo de idades e períodos indicados para colheita de cada uma das variedades/categorias existentes. Exemplos de aplicação: Estratégias de Cana Planta/Ano/Soca/BisEstratégias de Cana Planta/Ano/Soca/Bis Controle de florescimento & isoporizaçãoControle de florescimento & isoporização Estrutura: Espécie : Idade Mín/Máx & Período Mín/Máx

17 Restrição de Intervalo Restrição para definição do intervalo de períodos para corte de um conjunto de blocos. Exemplos de aplicação: Áreas de aplicação de maturadoresÁreas de aplicação de maturadores Regiões de difícil acessoRegiões de difícil acesso Contratos de fornecimento de canaContratos de fornecimento de cana Programação de reforma de talhõesProgramação de reforma de talhões Áreas sob efeito de geadaÁreas sob efeito de geada Estrutura: Bloco : Período Mínimo a Período Máximo

18 Restrição de Ambiente Restrição para definição da programação de um conjunto de blocos em função de uma capacidade mínima/máxima por período. Exemplos de aplicação: Capacidade de moagemCapacidade de moagem Programação de frentes de corteProgramação de frentes de corte Distribuição de áreas de aplicação de vinhaçaDistribuição de áreas de aplicação de vinhaça Programação de áreas de colhedeirasProgramação de áreas de colhedeiras Estrutura: Blocos : Capacidade Mínima/Máxima por Período

19 Restrição de Meta Restrição para definição da programação de um conjunto de blocos em função de uma capacidade mínima/máxima total. Exemplos de aplicação: Cumprimento de contratos de parceriaCumprimento de contratos de parceria Contratos de produção de açúcar/álcoolContratos de produção de açúcar/álcool Gerenciamento de fluxo de caixaGerenciamento de fluxo de caixa Geração de energia/bagaçoGeração de energia/bagaço Estrutura: Blocos : Capacidade Mínima/Máxima Total

20 Restrição de Grupo Restrição estabelecendo que um determinado conjunto de blocos deve ser programado para corte no mesmo período de colheita. Exemplos de aplicação: Fazendas com diversas variedades plantadasFazendas com diversas variedades plantadas Regiões distantes colhidas numa única operaçãoRegiões distantes colhidas numa única operação Homogeneização de áreasHomogeneização de áreas Estrutura: Blocos : Período Único de Colheita

21 Restrição Seqüencial Definição dos conjuntos de blocos que devem ser programados seqüencialmente no detalhamento do planejamento semanal e diário. Exemplos de aplicação: Operacionalização da programaçãoOperacionalização da programação Detalhamento semanal e diárioDetalhamento semanal e diário Definição por frentes de corteDefinição por frentes de corte Estrutura: Blocos : Lista de Blocos para Ordenação Diária

22 Restrição de Região Restrição estabelecendo que um determinado conjunto de blocos possui um comportamento médio único em termos de maturação. Exemplos de aplicação: Concentra programação em período próximosConcentra programação em período próximos Encaminhamentos de frentes de corteEncaminhamentos de frentes de corte Regiões geográficas com características própriasRegiões geográficas com características próprias Critérios operacionais específicosCritérios operacionais específicos Estrutura: Blocos : Índices de Maturação Iguais (média)

23 Restrição de Reagrupamento Restrição que define quais blocos devem ser programados para apenas um determinado período de corte na safra, sem subdivisão da área. Exemplos de aplicação: Considera o bloco indivisívelConsidera o bloco indivisível Agrupa a programação no período predominanteAgrupa a programação no período predominante Permite filtro em função de quantidade fracionadaPermite filtro em função de quantidade fracionada Estrutura: Blocos : Lista de blocos para reagrupamento

24 Restrição de Cenário Restrição que possibilita aplicar fatores percentuais diferenciados para produtividade ou maturação simulando cenários para projeção de safra. Exemplos de aplicação: Simulação de cenários com estimativas diferentesSimulação de cenários com estimativas diferentes Variação de maturação em função de climaVariação de maturação em função de clima Comportamentos diferenciados por regiãoComportamentos diferenciados por região Estrutura: Blocos : Fatores Aplicados por Período

25 Simulação Procedimento de definição do período ideal de colheita de cada bloco, considerando critérios e restrições modeladas. Otimizador: Variável objetivo do procedimento de geração da programação de colheita. Pol % CanaPol % Cana A.T.R.A.T.R. ProduçãoProdução ReceitaReceita LucroLucro Restrições: AtivaçãoAtivação PrioridadePrioridadeCenários: EstimativaEstimativa MaturaçãoMaturação

26 Simulação Rotina de geração que seleciona o menor valor de diferença entre o ponto projetado e o ponto máximo da curva. Algoritmo Gradiente: Aplicação: Busca do valor otimizado para a safra completaBusca do valor otimizado para a safra completa

27 Simulação Rotina de geração que seleciona o maior valor possível para os períodos em ordenação sequencial. Algoritmo Sequencial: Aplicação: Busca de um melhor valor para o início da safraBusca de um melhor valor para o início da safra

28 Simulação Rotina de geração que utiliza uma programação anterior como base para sequenciar os blocos em uma nova simulação. Algoritmo Continuidade: Aplicação: Mantém a programação anterior, apenas atualizando a posição de áreas já colhidas.Mantém a programação anterior, apenas atualizando a posição de áreas já colhidas.

29 Programação Operacional Apresentação do resultado da simulação onde são listados os blocos selecionados para corte em cada um dos períodos. Programação de Colheita: BlocosBlocos Estimativa toneladasEstimativa toneladas Estimativa maturaçãoEstimativa maturação Logística de distribuiçãoLogística de distribuição Composição de talhõesComposição de talhões Visão: CompletaCompleta /Unidade/Unidade /Restrição/Restrição

30 Programação de Produção Apresentação do resultado da simulação onde são projetados os valores médios e totais referentes aos índices agrícolas, industriais e econômicos. Projeção de Safra: Média/TotalMédia/Total Índices AgrícolasÍndices Agrícolas Fatores IndustriaisFatores Industriais Indicativos EconômicosIndicativos Econômicos Parâmetros CustomizadosParâmetros Customizados Visão: CompletaCompleta /Unidade/Unidade /Restrição/Restrição

31 Programação Varietal Apresentação do resultado da simulação onde são totalizados os valores de programação em termos da distribuição de variedades por período da safra. Distribuição Varietal: Variedades por PeríodoVariedades por Período Períodos por VariedadePeríodos por Variedade Idades por VariedadeIdades por Variedade Visão: CompletaCompleta /Unidade/Unidade /Restrição/Restrição

32 Programação Semanal Permite detalhar a programação dos períodos para as próximas semanas e dias considerando cotas por frentes de corte e critérios de ordenação para otimização operacional. Distribuição Varietal: Restrição seqüêncialRestrição seqüêncial Projeção de índices de maturaçãoProjeção de índices de maturação Ordenação orientadaOrdenação orientada Alterações manuaisAlterações manuais Visão: SemanaSemana DiasDias /Frente/Frente

33 Análise de Tolerância Funcionalidade de avaliação da qualidade da programação em termos do atendimento ou não das restrições configuradas. Análise de Restrições: VarietalVarietal IntervalosIntervalos AmbientesAmbientes MetasMetas GruposGrupos Avaliações: FactibilidadeFactibilidade PrioridadePrioridade InterferênciaInterferência

34 Análise de Aderência Funcionalidade de comparação entre duas simulações diferentes de safra. Análise de Blocos: Grau de coincidência do período de corte de blocosGrau de coincidência do período de corte de blocos Análise de Espécies: Grau de coincidência do período de corte de variedade/categoriaGrau de coincidência do período de corte de variedade/categoria Análise de Produção: Comparativo de índices agrícolas, industriais e econômicos médios/totais da safraComparativo de índices agrícolas, industriais e econômicos médios/totais da safra

35 Análise de Desempenho Funcionalidade de comparação entre valores projetados na programação e o resultado real obtido para períodos passados. Base de Comparação: Dados reais de produção referentes a períodos de safra já finalizadosDados reais de produção referentes a períodos de safra já finalizadosAnálises: AgrícolaAgrícola IndustrialIndustrial EconômicaEconômica

36 Integração Plantio-Colheita Funcionalidade que possibilita, a partir de uma simulação de plantio, projetar uma safra futura em detalhes com o planejamento de colheita. Operação: Selecionar um ano projetado com reforma e plantioSelecionar um ano projetado com reforma e plantioColheita: Cadastrar base de estudoCadastrar base de estudo Exportar safra selecionadaExportar safra selecionada Importação de dadosImportação de dados Pré-estimativa de safraPré-estimativa de safra iCol iPlan


Carregar ppt "Sistema de Planejamento de Colheita iLab Sistemas Especialistas Treinamento Conceitos & Funcionalidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google