A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Práticas Integrativas em Oncologia. O termo alternativa significa que a prática é utilizada em substituição às práticas da medicina convencional como,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Práticas Integrativas em Oncologia. O termo alternativa significa que a prática é utilizada em substituição às práticas da medicina convencional como,"— Transcrição da apresentação:

1 Práticas Integrativas em Oncologia

2 O termo alternativa significa que a prática é utilizada em substituição às práticas da medicina convencional como, por exemplo, o uso de preparados de ervas em substituição à quimioterapia para tratar um tumor.

3 Práticas Integrativas em Oncologia O termo complementar significa que a prática é utilizada em associação com a medicina convencional, ou seja, em conjunto com o tratamento médico padrão.

4 Práticas Integrativas em Oncologia Já o termo integrativa significa que a prática associa a terapia médica convencional aos métodos complementares e/ou alternativos, para os quais haja evidências científicas quanto a sua segurança.

5 Práticas Integrativas em Oncologia Para a OMS, a medicina alternativa/complementar é tudo o que não faz parte das tradições de um país e que não está integrado ao sistema de saúde predominante.

6 Práticas Integrativas em Oncologia Trabalho feito no Centro de Medicina Integrativa do Memorial Sloan Kettering, publicado na revista científica Oncologist, revela que 69 a 80% dos pacientes com câncer usam fitoterápicos, suplementos vitamínicos, orientações nutricionais e acupuntura, entre outras. 70% não relatam o uso aos seus médicos – inclusive pelo fato de o tema não ser abordado em suas consultas.

7 Práticas Integrativas em Oncologia Não há dados estatísticos nacionais para o uso de terapias alternativas ou complementares. Uma pesquisa realizada no Hospital do Câncer de São Paulo, com mais de três mil doentes, observou que 48% dos pacientes relataram fazer uso de algum tipo de terapia alternativa.

8 Práticas Integrativas em Oncologia

9 Entre as razões citadas pelos pacientes para o uso de TAC, incluem-se: Tratamento do câncer, Gestão de efeitos colaterais, Melhoria da qualidade de vida e bem-estar, Estimulação do sistema imunológico, Manter a esperança Verhoef MJ, et al., 2008

10 Práticas Integrativas em Oncologia Motivos pelos o tratamento convencional foi recusado: Querer se manter no controle Não querer um estoma ou a perda de uma mama, Não querer lutar mais Aceitar e respeitar tais decisões pode ser um instrumento para manter a porta aberta. Verhoef MJ, Rose MS, White M, Balneaves LG. Declining conventional cancer treatment and using complementary and alternative medicine: a problem or a challenge? Curr Oncol. 2008; 15 suppl 2: s101-6.

11 Práticas Integrativas em Oncologia

12 É importante saber, sobre o uso de TACs pois: Há a possibilidade de efeitos adversos diretos associados ao uso. Efeitos de interação são possíveis, e danos e benefícios podem ser mal atribuídos ao tratamento convencional e, portanto, podem complicar os regimes de tratamento. Os doentes podem atrasar a utilização do tratamento convencional.

13 Práticas Integrativas em Oncologia Finalmente, saber o porquê dos pacientes estarem usando TAC pode fornecer importantes informações sobre crenças, valores, expectativas e esperanças por parte do paciente e irá facilitar a construção de uma relação de confiança que irá melhorar o planejamento dos cuidados centrados no paciente de câncer. Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de medicina natural e práticas complementares PMNPC: resumo executivo. Brasília, DF, 2005.

14 Acupuntura Na teoria da medicina tradicional chinesa a acupuntura regula o fluxo da energia vital através do corpo. Baseia-se na crença de que qi flui através do corpo ao longo de uma rede de caminhos chamados de meridianos. Qi pode afetar a condição de uma pessoa espiritual, emocional, mental e fisicamente.

15 Acupuntura As técnicas mais conhecidas de acupuntura incluem: Eletroacupuntura Acupuntura Ponto Gatilho Laser Acupuntura Acupuntura em Ponto de Injeção Acupuntura por Micro-ondas Acupressão Moxabustão

16 Acupuntura Estudos demonstram que a acupuntura pode provocar respostas físicas em células nervosas, na glândula pituitária e em partes do cérebro. Essas respostas podem fazer com que o corpo libere proteínas, hormônios e substâncias químicas cerebrais que controlam uma série de funções do organismo. National Cancer Institute. Questions and answers about acupuncture. Bethesda, MD, 2013.

17 Acupuntura A acupuntura parece apresentar benefícios no gerenciamento de: Náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia; Dor relacionada ao câncer; Sintomas gerais como fadiga, insônia, diarreia e anorexia; xerostomia induzida por radioterapia; plexopatia braquial decorrente da linfadenectomia axilar para câncer de mama; Sintomas relacionados a tratamentos vasomotores; Retite induzida por radioterapia; Disfagia devido à obstrução carcinomatosa Estudos sugerem ainda que a acupuntura melhora a função imune e é eficaz para o tratamento da mielossupressão induzida por quimioterapia ou radioterapia.

18 Acupuntura e NV Vários tipos de ensaios clínicos utilizando métodos de acupuntura diferentes mostraram redução das náuseas e vômitos causados pela quimioterapia e cirurgia. A acupuntura é, aparentemente, mais eficaz na prevenção de vômitos do que na redução da náusea. National Cancer Institute. Questions and answers about acupuncture. Bethesda, MD, 2013.

19 Acupuntura e NV Estudo italiano com 100 pacientes portadores de tumores sólidos metastáticos que receberam quimioterapia e não tiveram resposta aos antagonistas de receptor 5-HT3, corticosteroides e agentes antidopaminérgicos, estimulou o acuponto P6 por acupressão com um botão durante 8 horas por dia, começando antes da quimioterapia e continuando por pelo menos 3 dias após. Nesse estudo, 68% dos doentes alcançaram o controle da êmese, independentemente do tipo histológico do tumor. Ma, L. Acupuncture as a complementary therapy in chemotherapyinduced nausea and vomiting. Proc (Bayl Univ Med Cent). 2009;

20 Acupuntura e fogachos Estudos têm mostrado que a acupuntura pode ser eficaz no alívio de ondas de calor causadas pela terapia hormonal em mulheres com câncer de mama e em homens com câncer de próstata.

21 Acupuntura e fogachos Em trabalho multicêntrico sueco os fogachos masculinos diminuíram significativamente depois de 12 semanas: Eletroacupuntura : de 7,6, para 4,1 (p = 0,012), Acupuntura tradicional: de 5,7, para 3,4 (p = 0,001). O desconforto causado pelos fogachos diminuiu : Eletroacupuntura de 8,2 para 3,3 (p = 0,003), Acupuntura tradicional de 7,6 para 3,4 (p = 0,001). O efeito durou até 9 meses após o fim do tratamento. Frisk J, Spetz AC, Hjertberg H, Petersson B, Hammar M. Two modes of acupuncture as a treatment for hot flushes in men with prostate cancer: a prospective multicenter study with long-term follow-up. Eur Urol. 2009;

22 Acupuntura e fogachos Em outro estudo sueco com 19 mulheres que completaram 12 semanas de eletroacupuntura, o número médio de ondas de calor/24 h: Início do tratamento: caiu de 9,6 para 4,3 (p < 0,001). Após 12 meses, 14 mulheres com apenas as 12 semanas iniciais tinham um número médio de ondas de calor/24 horas de 4,9. Quatro mulheres relataram pouco ou nenhum efeito durante as 12 semanas de tratamento

23 Acupuntura e xerostomia Estudos no MD Anderson concluíram que tratamentos com acupuntura duas vezes por semana aliviam os sintomas debilitantes da xerostomia entre os pacientes tratados com radiação para câncer de cabeça e pescoço. The University of Texas MD Anderson Cancer Center. Acupuncture eases radiation-induced dry mouth in cancer patients. Houston, TX, 2009.

24 Acupuntura e xerostomia Estudo com um desenho transversal randomizado, com portadores de câncer de cabeça e pescoço, avaliou 145 pacientes com xerostomia, os quais receberam duas sessões de educação de higiene oral e oito de acupuntura. O grupo de acupuntura recebeu sessões semanais com 20 minutos de duração por oito semanas consecutivas. Simcock R, Fallowfield L, Monson K, Solis-Trapala I, Parlour L, Langridge C, et al. ARIX: a randomised trial of acupuncture v oral care sessions in patients with chronic xerostomia following treatment of head and neck cancer. Ann Oncol. 2013; 24(3):

25 Acupuntura e xerostomia As probabilidades de relatar boca seca diminuíram significativamente na proporção de 28% por semana, no início do tratamento e à taxa de 8% por semana na semana 5. Da mesma forma, as chances de relatar os lábios secos e a saliva pegajosa diminuíram nas taxas de 24 e 21% por semana no início do estudo, para apenas 7 e 6% na semana 5, respectivamente.

26 Acupuntura e xerostomia O declínio na probabilidade de relatar a necessidade de goles de líquidos para aliviar a boca seca foi estimado como 18% por semana no início do tratamento e 5% na semana 5. As chances de relatar a necessidade de goles de líquidos para auxiliar na mastigação e deglutição e acordar à noite para beber líquidos declinou de uma taxa de 15% por semana no início do estudo a 4% na semana 5.

27 Acupuntura e linfedema Pouca pesquisa foi publicada sobre acupuntura para linfedema devido em grande parte, à proibição da inserção de agulhas e outras recomendações para proteger o braço afetado, mas estudos realizados no Japão e nos EUA, não têm encontrado infecção e nem outros efeitos secundários na aplicação dessa prática. Um estudo com 29 mulheres que apresentavam de linfedema não registrou nenhuma infecção ou sangramento relacionado aos tratamentos de acupuntura realizados

28 Acupuntura e linfedema Investigações no Memorial Sloan-Kettering mostram que a acupuntura é segura e eficaz para o tratamento do linfedema, podendo reduzi-lo em 30% ou mais. Pacientes apontam melhora de sintomas tais como: diminuição do edema e sensação de peso, diminuição da dor no ombro, aumento da amplitude de movimento e melhora da função do membro afetado. Cassileth BR, Van Zee KJ, Chan Y, Coleton MI, Hudis CA, Cohen S, et al. A safety and efficacy pilot study of acupuncture for the treatment of chronic lymphedema. Acupunct Med. 2011; Matecki AL, Poe CM, Chen J, Bailey L, Tracy, M, Kuan M, et al. Acupuncture safety in patients with lymphedema: a retrospective study. In: San Antonio Breast Cancer Symposium, 32, 2009

29 Complicações Estudo alemão com pacientes que receberam mais de 2,2 milhões de sessões de acupuntura aponta que os efeitos adversos ocorreram em 8,6% dos pacientes. A maioria constituía de eventos menores, como sangramento e hematomas. Complicações mais graves devido à acupuntura, como pneumotórax e lesões da medula espinhal, lesões de nervos periféricos e vasos sanguíneos, são muito raras.

30 Meditação A maioria dos tipos de meditação partilha características comuns, como controle e regulação da respiração e controle sobre os pensamentos e sentimentos que vêm à mente.

31 Meditação Atualmente, a prática de meditação é utilizada rotineiramente como terapia integrativa em centenas de centros médicos, inclusive naqueles associados às mais prestigiadas universidades do mundo, como Harvard e Oxford.

32 Meditação National Institute of Health reconhece formalmente a meditação como uma prática terapêutica que pode ser associada à medicina convencional. Em maio de 2006, o Ministério da Saúde brasileiro baixou uma portaria que incentiva postos de saúde e hospitais públicos a oferecerem a meditação em todo o país.

33 Meditação Vários estudos têm relatado que a meditação aumenta o desempenho em várias tarefas cognitivas de atenção sustentada, flexibilidade cognitiva e controle. Estudos que investigam as modulações corticais e subcorticais demonstram como a meditação tem sido associada a um aumento significativo na espessura cortical pré-frontal, temporal e parietais. Carlson LE, Ursulial Z, Goodey E, Angen M, Speca M. The effects of a mindfulness meditation-based stress reduction program on mood and symptoms of stress in cancer outpatients: 6-month follow-up. Support Care Cancer. 2001;

34 Meditação Tabela: Perfil dos Estados de Humor. Pré intervenção Pós intervenção 6 meses follow-up Variação entre pré e pós intervenção Ansiedade9,15,35,2- 3,8 Depressão13,79,07,8- 4,7 Raiva9,86,45,8- 3,4 Vigor13,816,318,5 2,5 Fadiga11,49,68,0-1,8 Confusão5,63,63,7- 1,9 Fonte: Adaptado de CARLSON, L.E. et al., 2001.

35 Meditação Programas de meditação estão associados com: Melhoria da qualidade do sono Redução do estresse Pequenos efeitos em função imunológica, pressão sanguínea e marcadores tumorais. Reestruturação cognitiva. Melhoria em medidas biológicas (cortisol, citotoxicidade das células NK, interferon gama, IL-4, IL-6 e IL-10. Verhoef MJ, Rose MS, White M, Balneaves LG. Declining conventional cancer treatment and using complementary and alternative medicine: a problem or a challenge? Curr Oncol. 2008

36 FITOTERÁPICOS Estima-se que aproximadamente 40% dos medicamentos disponíveis derivam direta ou indiretamente de fontes naturais: 25% de plantas, 12% de microorganismos 3% de animais. Das 252 drogas consideradas básicas e essenciais pela OMS, 11% são originárias de plantas.

37 FITOTERÁPICOS NO SUS A promoção do acesso aos medicamentos fitoterápicos no SUS teve início em Em 2008, o Governo Federal aprovou o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos o qual tem como objetivo garantir à população o acesso seguro e o uso racional a plantas medicinais e aos fitoterápicos.

38 FITOTERÁPICOS NO SUS Nome popularIndicação Espinheira-santaAuxilia no tratamento de gastrite e úlcera duodenal e sintomas de dispepsias GuacoApresenta ação expectorante e broncodilatadora AlcachofraTratamento dos sintomas do desconforto pós-prandial e de hipercolesterolemia leve a moderada. AroeiraApresenta ação cicatrizante, antiinflamatória e anti- séptica tópica, para uso ginecológico Garra-do-diaboComo adjuvante nos casos de osteoartrite. Apresenta ação anti-inflamatória Isoflavona-de-sojaAuxilia no alívio dos sintomas do climatério PlantagoAuxilia nos casos de obstipação intestinal habitual. Tratamento da síndrome do cólon irritável Unha-de-gatoAuxilia nos casos de artrites e osteoartrite Fonte: BRASIL. Ministério da Saúde. Portal da Saúde., 2012.

39 Aveloz Euphorbia tirucalli L Nomes populares: Graveto-de-cão, figueira-do-diabo, dedo-do- diabo, pau-pelado, cega-olho, árvore-de-são-sebastião, espinho italiano, espinho-de-judeu e espinho-de-Cristo.

40 Aveloz Euphorbia tirucalli L A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, proibiu, através da RE nº 2.917, de 6 de julho de 2011, a distribuição e comercialização do produto AVELOZ porém, no nordeste é vendida a garrafada e o extrato da planta livremente.

41 Aveloz Euphorbia tirucalli L O avelóz foi pesquisado no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa, do hospital Albert Einstein em pacientes com câncer de mama. Na fase pré-clínica – foram demonstrados resultados positivos em diversos tipos de tumores sólidos, porém na fase seguinte, cujo objetivo era testar a atividade do princípio ativo nas células tumorais, o estudo foi suspenso temporariamente por decisão dos pesquisadores.

42 Aveloz Euphorbia tirucalli L Reações adversas e interações O látex pode provocar náuseas e vômitos, conjuntivite e cegueira; se mastigada, a planta provoca irritação das mucosas, queima a boca, língua e esôfago; em contato com a pele, causa irritação, coceira, formação de bolhas. Ingerido em excesso pode ser letal.

43 COGUMELO DO SOL Agaricus blazei Murrill Nomes populares: Cogumelo do sol, cogumelo-da-vida, cogumelo-do-milagre, cogumelo-piedade, cogumelo- medicinal, cogumelo de Deus e Himematsutake.

44 COGUMELO DO SOL Agaricus blazei Murrill Estudos randomizados mostraram que a administração oral de extrato de cogumelo do sol aumenta a atividade das células natural killer e a qualidade de vida de pacientes com câncer ginecológico em tratamento quimioterápico. Medline Plus. Drugs & Supplements.St. Johns wort. Bethesda, MD: U.S. National Library of Medicine, 2012.

45 COGUMELO DO SOL Agaricus blazei Murrill No Japão, estudo em pacientes com câncer submetidos à quimioterapia (carboplatina, etoposido e taxol), observou que a atividade citotóxica de células NK, foi significativamente maior após um período de 6 semanas de uso em comparação com placebo. Efeitos secundários associados à quimioterapia, tais como o apetite, alopecia, estabilidade emocional e fraqueza em geral foram todos melhoradas. Zhou S, Chan E, Pan SQ, Huang M, Lee EJ. Pharmacokinetic interactions of drugs with St Johns wort. J Psychopharmacol. 2004

46 COGUMELO DO SOL Agaricus blazei Murrill Reações adversas e interações Tem sido associado com disfunção hepática em pacientes com câncer. O uso de Agaricus pode elevar o risco de toxicidade hepática, a qual nem sempre é atribuída ao uso do cogumelo, pois muitas vezes seu uso não é relatado ao médico.

47 GINSENG COREANO Panax ginseng C. A. Meyer Nomes populares: Ginseng, panaceia, cinco-folhas, cinco dedos

48 GINSENG COREANO Panax ginseng C. A. Meyer Estudo na Clinica Mayo,, encontrou evidências de que ginseng (2g/dia) administrado por um período de dois meses foi capaz de reduzir a fadiga em pacientes com câncer a partir da 4ª semana. Em 8 semanas, houve melhora significativa na sensação geral de exaustão - sentimentos de estar "cansado," "esgotado", "lento", ou "fatigados" - em comparação com o grupo placebo. National Institutes of Health. Health Info. Herbs at a Glance. Ginger. Bethesda, MD: U.S. National Department of Health and Human Services, 2012.

49 GINSENG COREANO Panax ginseng C. A. Meyer Reações adversas e Interações Atribui-se ao ginseng em preparações que contenham etanol propriedades semelhantes ao do estrogênio o qual deve ser evitado por pacientes com condições hormônio - sensíveis, tais como câncer de mama, útero ou endometriose. Ginseng pode aumentar e/ou diminuir a pressão sanguínea, devendo ser usado com cuidado em portadores de hiper ou hipotensão. O efeito analgésico de opióides pode ser inibido pelo ginseng, o qual também pode interagir com sedativos. Zick SM, Ruffin MT, Lee J, Normolle DP, Siden R, Alrawi S, et al. Phase II trial of encapsulated ginger as a treatment for chemotherapy-induced nausea and vomiting. Support Care Cancer. 2009

50 Graviola A. muricata Nomes populares: Graviola, aguanábano, soursop, araticum-dos - grandes, jaca-do Parapará, Paw Paw e guanabanao.

51 Graviola Estudos in vitro e in vivo demonstraram a morte celular de tumores de pâncreas, fígado e mama, porém não há nenhum estudo em humanos que comprove esses resultados. Ainda que não existam estudos clínicos que atestem sua eficácia, a graviola é amplamente veiculada na internet, muitas vezes com falsas alegações de cura para pacientes com câncer.

52 Graviola Pesquisas mostram que algumas substâncias presentes na graviola, podem promover a degeneração dos neurônios dopaminérgicos, ocasionando uma doença de Parkinson atípica resistente à levodopa. Vários estudos na literatura relatam a frequência incomum com que esse tipo de Parkinson incide em uma ilha do Caribe e a associam ao alto consumo de graviola. A ingestão das sementes, em quantidade ainda não determinada, pode levar ao óbito.

53 Graviola Principais efeitos colaterais: Disfunção pancreática Diabetes Acredita-se que a graviola pode potencializar drogas anti-hipertensivas, antidepressivas e interferir com os inibidores MAO, além de ser um estimulante uterino.

54 CHÁ VERDE Camellia sinensis Nomes populares: Chá verde, chá chinês, chá japonês, banchá e chá-da-índia.

55 CHÁ VERDE Camellia sinensis Ao contrário do que se pensa para ser denominada chá, a bebida precisa ser composta apenas de Camellia sinensis (verde ou fermentado) e água. Bebidas à base de camomila, hortelã, mate, limão, capim-santo, entre outras, são tecnicamente infusões e não chás. Considerado como a segunda bebida mais consumida no mundo, superado somente pela água.

56 CHÁ VERDE Camellia sinensis Estudo publicado pela revista Blood alerta que os polifenois presentes no chá-verde bloqueiam a ação anticancerígena de bortezomibe, um bloqueador de proteassoma,utilizado no tratamento do mieloma múltiplo. A combinação da cafeína presente no chá-verde e da efedrina está associada a numerosos eventos cardiovasculares, como episódios graves de hipertensão arterial, AVC e ataques cardíacos.

57 CHÁ VERDE Camellia sinensis Drogas como dissulfiram, anticoncepcionais orais, terapia de reposição hormonal, ciprofloxacino, norfloxacino, cimetidina, verapamil e fluvoxamina, quando ingeridos com chá-verde, podem aumentar o nível sérico e o tempo de ação da cafeína. Segundo o Instituto Nacional do Câncer americano, as evidências sobre os benefícios potenciais de consumo de chá em relação ao câncer são inconclusivas até o presente momento.

58 Cavalos se recusam a saltar, cães mal comportados se recusam a obedecer a seus donos. Nossos pacientes, espero, possam tomar suas decisões. Verhoef MJ, Rose MS, White M, Balneaves LG. Declining conventional cancer treatment and using complementary and alternative medicine: a problem or a challenge? Curr Oncol. 2008

59 Quem é bom médico? Não é, necessariamente, aquele que cura, nem, muito menos, aquele que sabe. Bom médico é aquele em quem o paciente confia. Walter Benevides

60


Carregar ppt "Práticas Integrativas em Oncologia. O termo alternativa significa que a prática é utilizada em substituição às práticas da medicina convencional como,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google