A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Desafios globais diante da escassez de RHS e a epidemia de VIH/SIDA Norbert Dreesch, Assessor técnico, Informação e Governança dos Recursos Humanos em.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Desafios globais diante da escassez de RHS e a epidemia de VIH/SIDA Norbert Dreesch, Assessor técnico, Informação e Governança dos Recursos Humanos em."— Transcrição da apresentação:

1 Desafios globais diante da escassez de RHS e a epidemia de VIH/SIDA Norbert Dreesch, Assessor técnico, Informação e Governança dos Recursos Humanos em Saúde HRH/HSS/OMS, Genebra III Congresso da CPLP sobre VIH/Sida e Infecções de Transmissão Sexual Lisboa, de março de 2010 III Congresso da CPLP sobre VIH/Sida e Infecções de Transmissão Sexual Lisboa, de março de 2010

2 2 Para começar: um lembrete sobre a dimensão global de crise de RHS Fonte: OMS (2006). O `Informe sobre a Saúde no Mundo` 2006 â Trabalhando em Conjunto para Saúde. Genebra, Organização Mundial da Saúde Falta: Falta: Falta: Falta: Falta: Congruência alta entre os países em crise de RHS e com alta incidência do VIH particularmente na África

3 3 Crescente numero de pessoas recebendo terapia antiretroviral por região, implicações para os RHS

4 4 Quadros de pessoalFTE *Funções principais Enfoque de delegação de funções Médicos 1.5 Iniciação de ART dos casos complicados, gestão de casos complicados e supervisão de enfermeiras Enfermeiras 6.0 Iniciação de ART dos casos comuns e seguimento de casos sem complicações, monitoramento da aderência, orientação e apoio. Técnicos laboratoriais 1.0 Ajudar/realizar testes laboratoriais, inclusive o teste do VIH, medição de CD4. Técnicos de farmácia 0.7 Reabastecer ART e outros medicamentos Pessoal Administrativo 0.5 Administração no âmbito distrital Enfoque atual Médicos 2.0 Iniciação de ART e gestão de casos, supervisão de enfermeiras Enfermeiras 4.0 Seguimento de ART, monitoração de aderência, a orientação e apoio. Técnicos laboratoriais 1.0 Ajudar/realizar testes laboratoriais, inclusive o teste do VIH, medição de CD4. Técnicos de farmácia 0.7 Reabastecer ART e outros medicamentos Pessoal Administrativo 0.5 Administração no âmbito distrital Modelos requeridos por pacientes por SIDA (em equivalentes de tempo integral)

5 5 Total de Recursos Humanos necessários para alcançar acesso universal à TARV Enfoque de delegação de funções Enfoque actual

6 6 Pessoal de saúde necessário para ART: situação atual e projeção das necessidades

7 7 McCoy et al. de Recursos Humanos para o 2008 da Saúde 6 :16 doi: / Aumento percentual de médicos necessário para atingir cobertura total do tratamento das pessoas com VIH em 10 anos (exemplo de países)

8 8 Impacto de infeção pelo VIH/SIDA no quadro de pessoal 1. Taxas de Perda de Pessoal devido ao VIH/SIDA, Zambia, 2005 Quadros Número atual trabalhando Número que saiu nos últimos 12 mesesTaxa de perda Médicos23730% Parteiras501836% Enfermeiras421433% Oficiais clínicos10220% Técnicos laboratoriais19421% Outro30930% Voluntários31826% Total % Fonte: Kinoti S. e Tawfik L. O Impact da `infecção pelo VIH/SIDA` na Força de Trabalho de Saúde nos Países em Desenvolvimento. Papel de referência preparado para o `Informe sobre a Saúde no Mundo` 2006

9 9 Impacto de infeção pelo VIH/SIDA no quadro de pessoal 2. África do Sul: Pacientes e pessoal de saúde VIH seropositivos, 2002 % Fonte: O. Shisana, Â ent PercetPercet PercetPercet

10 10 Um lembrete: Metas concorrentes exigem recursos humanos para a saúde: ODMs diretamente relacionadas à saúde Reduzir mortalidade infantil Reduzir em dois terços a taxa de mortalidade entre crianças menores de 5 anos Melhorar saúde materna Reduzir até três quartos a razão de mortalidade materna Combate à infeção pelo VIH/SIDA, malária e outras doenças Deter e começar reverter a propagação de infeção pelo VIH/SIDA Deter e começar reverter a incidência de malária e outras doenças graves Assegurar a sustentabilidade ambiental Reduzir pela metade a proporção da população sem acesso sustentável à água potável

11 11 Nem todos os parceiros globais de desenvolvimento comparte com a mesma visão de desenvolvimento de RHS (múlti, bilateral), embora existam sinais de estabelecimento de consenso entre a GHI (iniciativas globais de saúde) (Declaração de Paris, 2005) A maioria dos países em crise de HIV e RHS são muito endividados, pobres e com fraca perspetiva econômica Reduções do gasto público em serviços Com frequência, os limites do gasto do setor público são aplicadas na saúde Dificuldade de considerar o fator do crescimento da população e o aumento na demanda de serviços (ex. VIH,TB) nos planos de desenvolvimento de RHS Capacidade de absorção limitada nos diversos níveis administrativos para acomodar com frequência os enfoques cambiantes de desenvolvimento de sistemas de saúde (CSP, descentralização, objetivos prioritários de certas doenças, OMDs, etc.) Parâmetros dos s istemas de saúde e desenvolvimento de RHS

12 12 RHS: questões com que os países estão se defrontando: 1 Números e habilidades inadequados de profissionais de saúde afetam a qualidade de desempenho, a capacidade de prestar os serviços às populações pobres e desfavorecidas Treinamento inapropriado ou inadequado, com currículos que não são conforme as necessidades Acesso precário à informação e aos recursos de conhecimento Distribuição desigual de trabalhadores em níveis diferentes de prestação de serviço, desde os técnicos dos programas nacionais até os serviços de saúde

13 13 Moral e motivação baixa; falta de apoio de supervisão, condições inseguras no local de trabalho Políticas e práticas deficientes para o desenvolvimento de recursos humanos (deficientes políticas de carreira, retenção, condições de trabalho e remuneração) Falta de integração de serviços com o setor privado Alta atrição dos profissionais de saúde devidos a várias razões incluindo migração Falta de coordenação entre doadores externos e políticas nacionais sobre o desenvolvimento dos RHS RHS: as questões com que os países estão se defrontando: 2

14 14 Êxodo rural, moral baixa e capacidade de retenção deficiente causadas pelo alto volume de trabalho devido ao VIH Dificuldade de contar em TTE (FTE) as contribuições dos ambulatórios privados, NGOs, empregadores, pesquisadores e setor público no fluxo de atenção de VIH/ART Problemas dos sistemas de informação de RHS: falta de precisão de cifras de pessoal em níveis globais, tanto pública como privada Falta de planos de desenvolvimento de RHS ajustados à necessidade de aumentar em larga escala a atenção aos pacientes com VIH Desafios específicos relacionados ao VIH/SIDA e RHS com que os países estão se defrontando: 1

15 15 Os desafios: Acesso universal inclui TARV - intervenção de mão-de-obra intensiva Na maioria dos países, não há nenhuma maneira rápida de criar sistemas de tratamento de TARV que não sejam através do enfoque do tipo IMAI Unidade básicas de tratamento central, tarefas, TTE (FTE) e necessidades de formação têm que ser definidas para diferentes meios e condições nacionais O grau de necessidades de delegação de tarefas deve ser decidida no contexto de cada país Regras e regulamentações sobre a prática profissional têm que ser ajustadas caso a caso Demanda por TARV é alta, capacidade de prestar o serviço é baixa: Demanda cumulativa Necessidades de atenção crónicas O sucesso pode criar uma receita para o fracasso: aumento de cobertura precisará ser acompanhado por aumento na velocidade em números adicionais de criação de pessoal capacitado em TARV até toda a demanda ser satisfeita Mas: alguns países são afetados severamente por perdas de pessoal e ausências decorrentes de infeção pelo VIH/SIDA

16 16 A necessidade por mudança no paradigma em assistência ao VIH/SIDA e no planejamento / gestão de RHS Questões de recursos humanos devem ir mais além das estratégias convencionais de produzir e treinar mais números de profissionais da saúde na modalidade convencional ou reorientar o treinamento; Mudança de direção ou redução no fluxo de profissionais da saúde para outros países, setor privado e ONG, e para áreas com melhores recursos; Introdução e produção de novos quadros de recursos humanos para suplementar e apoiar os profissionais da saúde; Usar o quadro existente de recursos humanos com moderação e melhorar seu desempenho mediante a administração inovadora e incentivos; Introduzir medidas de controle para reduzir as perdas e ineficiências Estabelecer parcerias público-privadas mutuamente benéficas; Realinhar ou revisar os âmbitos (escopos) das profissões e de suas práticas.

17 17 Enfoques para criar trabalhadores de saúde substitutos enfrentar a crise devida ao VIH/SIDA (apud Dovlo, D.) Substituição indireta ou delegação de tarefas para um profissional existente mas de profissão diferente (de médicos para enfermeiras ou farmacêuticos); Substituição direta ou delegação de tarefas de profissionais para um trabalhador de saúde com menor formação dentro da mesma esfera ou escopo de prática (usando assistentes de farmacêuticos, médicos ou enfermagem em lugar dos escassos farmacêuticos, médicos e enfermeiras profissionais); Delegando das tarefas não técnicas a um quadro com menor formação (ou leigo) para aliviar o volume de trabalho dos profissionais desmotivados; uso de diferentes tipos de trabalhadores comunitários de saúde (TCS) para apoiar o trabalhos das enfermeiras (por exemplo, auxiliares administrativos, conselheiros leigos, auxiliares de tratamento/DOT, cuidadoras, etc..) Delegação de habilidades intra-quadro ou delegação tarefas a quadros de formação da mesma profissão (especialista médico para clínico geral). Todas essas variações de substituição/delegação estão cada vez mais sendo instituídas/usadas nos países com menos recursos para enfrentar a escassez de recursos humanos mais caros e o deficit de experts.

18 18 Integração de planejamento RHS para problemas de saúde prioritários

19 19 Questões de pesquisa e de decisão política Como os países com uma alta prevalência de infeção pelo VIH tem adaptado o plano de RHS para melhor abordar a crise de RHS e os desafios enfrentados pela epidemia? Como a atrição de força de trabalho está sendo enfrentada nesses meios? Neste momento não sabemos quais planos nacionais de saúde têm uma resposta integrada a VIH e RHS. Isso não significa necessariamente que não há nenhum, embora a maioria das iniciativas globais seja em favor deste enfoque, não necessariamente no desenvolvimento de métodos e na sua execução Apesar do compromisso global com os CSP e o pronunciamentos de governos de apoio a planos de desenvolvimento de recursos humanos programaticamente integrados, a realidade indica que é uma tarefa bastante complexa para executar devido à natureza da doença e a necessidade de mecanismos especiais de financiamento. Oxalá o progresso surgirá durante os próximos anos na adaptação dos ciclos de planejamento e na harmonização dos conteúdos


Carregar ppt "Desafios globais diante da escassez de RHS e a epidemia de VIH/SIDA Norbert Dreesch, Assessor técnico, Informação e Governança dos Recursos Humanos em."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google