A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL GESTÃO EMPRESARIAL

2 CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL GESTÃO EMPRESARIAL

3 GESTÃO EMPRESARIAL CONCEITOS DE PLANEJAMENTO

4 GESTÃO EMPRESARIAL PLANO DE AULA

5 INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO Planejar envolve um modo de pensar. Um salutar modo de pensar envolve indagações. Indagações envolvem questionamentos sobre o que fazer, como, quando, para quem, por que, por quem e onde. Toda atividade de planejamento nas empresas, deverá resultar de decisões presentes, tomadas a partir do exame de impacto das mesmas no futuro. Tem como propósito o desenvolvimento de processos, técnicas e atitudes administrativas, proporcionando situação viável de avaliar as implicações futuras de decisões presentes em função dos objetivos empresariais. Antecede à decisão e à ação, pois é um processo de estabelecimento de um estado futuro desejado delineado pelos meios de torná-lo realidade. É complexo devido a sua própria natureza de ser um processo contínuo de pensamento sobre o futuro, através de determinação de estados futuros e avaliação de cursos de ação alternativos.

6 CONCEITOS DO PLANEJAMENTO Ferramenta para administrar as relações com o futuro. Definir objetivos ou resultados a serem alcançados. Definir meios para possibilitar a realização de resultados desejados. Interferir na realidade para passar de uma situação conhecida a uma outra desejada, num intervalo de tempo definido. Imaginar e trabalhar para construir uma situação nova, que não resultaria da simples evolução dos acontecimentos presentes Definir um objetivo, avaliar as alternativas para realizá-lo e escolher um curso específico de ação. Planejar é também uma questão de atitude. É o resultado de atitudes favoráveis à mudança.

7 PRINCIPAIS ASPECTOS 1. O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes (Drucker). 2. O planejamento não é um ato isolado. Deve ser visualizado com um processo composto de ações inter-relacionadas e interdependentes que visam ao alcance de objetivos previamente estabelecidos. 3. O processo de planejamento é muito mais importante que seu resultado final.

8 PROCESSO DE PLANEJAMENTO Fonte: Introdução a Administração, Maximiano. Aquisição dos dados de entrada. Processamento dos dados de entrada. Preparação de um plano.

9 PROCESSO DE PLANEJAMENTO Informações sobre o presente, passado ou futuro do ambiente externo e dos sistemas internos da organização. Mostram necessidades, ameaças, oportunidades ou situação com a qual teremos que lidar. Exemplos Encomendas feitas por clientes. Mudanças na legislação, na conjuntura social e econômica. Inovações tecnológicas Perspectiva de escassez ou esgotamento de fonte de matéria-prima. Um problema a ser resolvido. Perspectiva de fechamento ou abertura de um grande concorrente. AQUISIÇÃO DOS DADOS DE ENTRADA

10 PROCESSO DE PLANEJAMENTO PROCESSAMENTO DOS DADOS DE ENTRADA Transformar informação para produzir novas informações e decisões. É o coração do processo de planejamento. Os dados de entrada são transformados por meio de Interpretação do significado das informações.informações Identificação de alternativas para lidar com as necessidades, ameaças, oportunidades ou situações previsíveis do futuro. Avaliação das alternativas e escolha de um curso de ação ou objetivo.

11 PROCESSO DE PLANEJAMENTO PREPARAÇÃO DE PLANOS É o resultado do processo de planejamento. O processo de definir objetivos, chama-se Planejamento Estratégico. Componentes de um plano Objetivos. Definição de meios para realizar os objetivos. Previsão dos meios ou instrumentos de controle.

12 GESTÃO EMPRESARIAL PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO

13 PRINCÍPIOS GERAIS DO PLANEJAMENTO a.Contribuição aos objetivos Deve sempre visar aos objetivos máximos da empresa. (Hierarquizar os objetivos) b.Precedência do planejamento Função administrativa que vem antes das outras (organização, direção e controle). O que e como vai ser feito, aparece no início do processo administrativo.

14 PRINCÍPIOS GERAIS DO PLANEJAMENTO c.Maiores influência e abrangência O planejamento pode provocar uma série de modificações nas características e atividades da empresa. Planejamento Provoca Modificações em PessoasTecnologiaSistemas

15 i.Pessoas Necessidades de treinamentos; substituições; transferências; funções; avaliações etc. ii.Tecnologia Evolução dos conhecimento; novas maneiras de fazer o trabalho etc. iii.Sistemas Responsabilidades estabelecidas; nos níveis de autoridade; descentralização; comunicações; procedimentos; instruções etc. PRINCÍPIOS GERAIS DO PLANEJAMENTO

16 EFETIVIDADE Manter-se no mercado; Apresentar resultados globais positivos ao longo do tempo (permanentemente). PRINCÍPIOS GERAIS DO PLANEJAMENTO d.Maior eficiência, eficácia e efetividade Deve procurar maximizar os resultados e minimizar as deficiências apresentadas pelas empresas. EFICIÊNCIA Fazer as coisas de maneira adequada; Resolver problemas; Salvaguardar os recursos aplicados; Cumprir com seu dever; Reduzir custos. Fazer as coisas certas; Produzir alternativas produtivas; Maximizar a utilização de recursos; Obter resultados; e Aumentar o lucro. EFICÁCIA = +

17 EFICIÊNCIA + EFICÁCIA = EFETIVIDADE Para que a empresa seja efetiva, é necessário que ela, também, seja eficiente e eficaz. Considera-se que o executivo com forte atuação estratégica procura, basicamente, a efetividade. Isto porque a eficiência é considerada obrigação e a eficácia é o bom senso administrativo mínimo. PRINCÍPIOS GERAIS DO PLANEJAMENTO

18 PRINCÍPIOS ESPECÍFICOS DO PLANEJAMENTO a.Planejamento participativo b.Planejamento coordenado c.Planejamento integrado d.Planejamento permanente

19 PRINCÍPIOS ESPECÍFICOS DO PLANEJAMENTO a.Planejamento participativo O principal benefício do planejamento não é seu resultado final, mas o processo desenvolvido. Não simplesmente elaborá-lo, mas facilitar o processo de elaboração e realizá-lo através das áreas pertinentes ao processo. b.Planejamento coordenado Os aspectos envolvidos devem ser projetados de forma que atuem interdependentemente. Não haverá planejamento eficiente, se o planejamento for feito de maneira independente de qualquer outra parte ou aspecto da empresa.

20 PRINCÍPIOS ESPECÍFICOS DO PLANEJAMENTO c.Planejamento integrado Integração entre os planejamentos dos vários escalões. Normalmente os objetivos são determinados de cima para baixo e os meios para alcançá-los, de baixo para cima. d.Planejamento permanente Exigido pela própria turbulência do ambiente empresarial. O plano perde seu valor e utilidade com o tempo.

21 PROCESSO DE PLANEJAMENTO NÍVEIS E TIPOS DE PLANEJAMENTO

22 TIPONÍVEL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICOEstratégico Planejamento Mercadológico Planejamento Financeiro Planejamento de Produção Planejamento de Recursos Humanos Planejamento OrganizacionalTático Plano de preços e produtos Plano de despesasPlano de capacidade de produção Plano de recrutamento e seleção Plano diretor de sistemas Operacional Plano de promoçãoPlano de investimento Plano de controle da qualidade Plano de treinamento Plano de estrutura organizacional Plano de vendasPlano de comprasPlano de estoquesPlano de cargos e salários Plano de rotinas administrativas Plano de distribuição Plano de fluxo de caixa Plano de utilização de mão-de-obra Plano de promoções Plano de informações gerenciais Plano de pesquisas de mercado Plano orçamentário Plano de expedição de produtos Plano de capacitação interna Plano de comunicações PROCESSO DE PLANEJAMENTO

23 FILOSOFIAS DO PLANEJAMENTO a.Filosofia da satisfação b.Filosofia da otimização c.Filosofia da adaptação

24 FILOSOFIAS DO PLANEJAMENTO a.Filosofia da satisfação Designa os esforços para se alcançar um mínimo de satisfação, mas não necessariamente para excedê- lo. O nível que decide a satisfação é o que o tomador de decisões, está disposto a fixar e, frequentemente, é o mínimo necessário. O planejador que segue essa filosofia acaba não se afastando muito das práticas correntes da empresa. A preocupação básica dessa filosofia está no aspecto financeiro. Empresas com preocupação maior com a sobrevivência. Vantagem: pouco tempo (processo de planejar), pouco custo e menor capacidade técnica.

25 FILOSOFIAS DO PLANEJAMENTO b.Filosofia da otimização O planejamento não é feito apenas para realizar algo suficientemente bem, mas para fazê-lo tão bem quanto possível. Técnicas matemáticas e estatísticas; modelos de simulação; pesquisa operacional. Objetivos formulados em termos quantitativos (escala monetária). Os objetivos não quantificáveis, costumam ser ignorados. Amplamente divulgada, com o desenvolvimento da informática e TI. Cuidado com a resistência ativa ou passiva por falta de motivação.

26 FILOSOFIAS DO PLANEJAMENTO c.Filosofia da adaptação O principal valor não está nos planos elaborados, mas no processo de elaboração deles. Supõe que a maior parte da necessidade atual de planejamento decorre da falta de eficácia administrativa e de controles. Os profissionais das empresas são os responsáveis pela maioria das confusões que o planejamento tenta eliminar ou evitar. O conhecimento do futuro pode ser classificado em três tipos: certeza, incerteza e ignorância. Essa filosofia é também denominada como inovativa ou homeostase e procura equilíbrio interno e externo da empresa após ocorrência de uma mudança.

27 FILOSOFIAS DO PLANEJAMENTO Essa filosofia é também denominada como inovativa ou homeostase e procura equilíbrio interno e externo da empresa após ocorrência de uma mudança. A empresa deve responder, adequadamente, às mudanças externas, pois são elas as principais responsáveis por seus problemas internos.

28 PARTES DO PLANEJAMENTO a.Planejamento dos fins estado futuro desejado. Visão, missão, propósitos, objetivos, desafios e metas. b.Planejamento dos meios Caminhos para a empresa chegar ao estado futuro desejado. c.Planejamento organizacional Esquematização dos requisitos organizacionais para poder realizar os meios propostos. d.Planejamento dos recursos Dimensionamento de recursos. e.Planejamento da implantação e do controle atividade de planejar o acompanhamento da implantação.

29 METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO ESTRATÉGICA

30 MUDANÇAS DO TIPO DE PLANEJAMENTO TRADICIONALESTRATÉGICO CentralizadorParticipativo Passado e presentePassado – Presente- Futuro Atitude reativaAtitude proativa AmeaçasOportunidades Prepara o FuturoConstrói o Futuro Espera AcontecerFaz Acontecer IntramurosSistêmico RígidoFlexível EstáticoDinâmico EficienteEficaz e Eficiente QuantitativoQuantitativo e Qualitativo

31 CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL GESTÃO EMPRESARIAL

32 GESTÃO EMPRESARIAL CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

33 GESTÃO EMPRESARIAL PLANO DE AULA

34 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES O QUE É QUALIDADE ? DEPENDE DE QUEM JULGA (empresário, operário, consumidor ) DEPENDE DA NATUREZA DO JULGAMENTO (produto, serviço, utilidade, preço, prazo) A QUALIDADE DEVE ATENDER AOS REQUISITOS DO CLIENTE E SATISFAZER SUAS NECESSIDADES

35 Qualidade baseada no PRODUTO Qualidade baseada na PRODUÇÃO Qualidade baseada no CLIENTE A Qualidade é vista como as características contidas em cada produto, ou seja, nos seus ingredientes. A qualidade de um produto se encontra no atendimento às especificações. A Qualidade consiste na capacidade de satisfazer as necessidades, os desejos e expectativas do cliente. OS DIFERENTES CONCEITOS DA QUALIDADE CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

36 Relatos históricos citam casos de produtos que se destacaram por sua qualidade superior (vinhos, armas, tecidos, joias, etc.) A partir daí a qualidade se intensificou e começou a ser mais exigida nas obras arquitetônicas e civis (pirâmides, aquedutos, monumentos, estradas, etc.) CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Coleta de alimentos e inspeção pelos próprios consumidores

37 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Assim a qualidade tinha um conceito de solidez e durabilidade Padrão de qualidade nos tempos antigos

38 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Padrão de qualidade nos tempos antigos Código de Hamurabi (2150 a.c) "Se um construtor ergue uma casa para alguém e seu trabalho não for sólido e a casa desabar e matar o morador, o construtor será morto". Fenícios Inspetores amputavam a mão do fabricante do produto (defeituoso) que não estivesse dentro das especificações governamentais.

39 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES 1. Era Artesanal (até meados do séc. XVIII) O artesão se envolve em todas as etapas da produção, da compra dos materiais e insumos até o acabamento e entrega do produto ao cliente. O ARTESÃO É O ÚNICO RESPONSÁVEL PELA QUALIDADE.

40 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade na Idade Média A qualidade era centrada no artesão (pedreiros, marceneiros, tecelões, ourives). A mesma pessoa adquiria a matéria prima, projetava e fabricava o produto e também era responsável pela qualidade; Corporações de artesãos, onde a criança era entregue ao mestre e aprendia a profissão; Qualidade focada no produto (acabamento, durabilidade, matéria prima); A qualidade perdurou assim até o século XVIII.

41 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES 2. Era Industrial ( ) Meados sec. XVIII até fins do sec. XIX A divisão do trabalho, devido a produção seriada da indústria, cria o inspetor da qualidade no final da linha de produção. O INSPETOR É O RESPONSÁVEL PELA QUALIDADE.

42 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade na revolução Industrial Complexidade de processos produtivos e da tecnologia aumentavam em grandes proporções; Novos e maiores mercados foram abertos; Aumento do volume de produção; Surgimento das linhas produtivas; Aparecimento do inspetor e do departamento de controle da qualidade.

43 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade na revolução Industrial A qualidade continua focada no produto, porém, agora é definida pelo empresário; O inspetor assume o controle da qualidade; O trabalhador pouco tem responsabilidade pela qualidade; Responsabilidade única e exclusiva do inspetor (se o produto sai da fábrica sem qualidade a culpa é do inspetor).

44 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade na revolução Industrial Enorme quantidade de peças defeituosas; Inspeção 100%; Formação de um exercito de inspetores; A QUALIDADE ASSIM PERDUROU ATÉ O FIM DO SÉCULO XIX. Consequências:

45 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES 3. Era da Informação ( ) sec. XX... O profissional é treinado e informado para produzir e garantir a qualidade do que faz. Autocontrole CADA UM É INSPETOR DA QUALIDADE DO SEU PRÓPRIO TRABALHO.

46 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no século XX Surge o controle estatístico dos processo (por volta de 1924); Eliminação da inspeção 100%; Enfoque corretivo; Surgimento dos primeiros grandes pensadores da qualidade; Grande aplicação durante a segunda guerra mundial; Surge os primeiros engenheiros de controle da qualidade; Qualidade ainda focada no produto.

47 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

48 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no século XX Deming vai para o Japão do pós - guerra (início dos anos 50) Foi seguido por Juran Ishikawa defende o envolvimento de todos no processo de obtenção da qualidade (início dos anos 70)

49 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no século XX Deming vai para o Japão do pós - guerra (início dos anos 50). Foi seguido por Juran; Início de uma mudança profunda nos conceitos de qualidade; Ganham intensidade os estudos sobre os custos gerados sobre a má qualidade; Surgem os círculos de controle da qualidade; Envolvimento das esferas administrativas; Qualidade ainda focada no produto.

50 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no século XX Como nasceu a família de normas ISO? Nasceu de normas militares, antes da ISO várias normas foram criadas, dentre elas podemos citar: Normas Militares Americanas - MIL STD. - Padronização. MIL-Q Foi a primeira norma de Especificações de Sistema da Qualidade. MIL-I Requisitos de um Sistema da Qualidade. AQAP (Allied Quality Assurance) OTAN - Garantia da Qualidade. DEF.STAN (Defense Standard) Reino Unido - Normas das Forças Armadas Sobre Sistemas da Qualidade. BS-5750 (British Standard) ISO SEU SIGNIFICADO E SUA FUNÇÃO A sigla ISO" foi originada da palavra isonomia, sinônimo de igualdade, cujo objetivo é a padronização do gerenciamento do sistema da qualidade visando a sua unificação de forma universal.

51 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no século XX Quando Nasceu a primeira NORMA ISO? A primeira norma ISO 9000:1987 baseou-se nesta ultima, BS-5750 (British Standard) norma de origem Britânica. Esta norma ficou conhecida como norma de gestão, uma vez que não apenas especificava como se produzir, mas também como gerenciar o processo de produção. Em O Comitê Técnico ISO TC 176 elabora normas sobre Qualidade. Com a globalização na década de 1980, aumentou a necessidade de normas internacionais, principalmente a partir da criação da União Européia. Em São aprovadas as Normas ISO NBR ISO Tradução literal do texto original.

52 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no início do século XXI ADEQUAÇÃO À NECESSIDADE LATENTE Significa a satisfação das necessidades do cliente antes que estes estejam conscientes delas. Permite que por um determinado período de tempo ter um preço mais alto com lucratividade melhor. Ex. SMARTPHONE 5

53 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES A qualidade no início do século XXI Empresas com foco na qualidade para? SE MANTER NO MERCADO!

54 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

55 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

56 CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

57 CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL GESTÃO EMPRESARIAL

58 GESTÃO EMPRESARIAL PLANO DE AULA

59 GESTÃO EMPRESARIAL HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINSTRAÇÃO

60 HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO fonte: Chiavenato, Idalberto: Introd. à TGA, pg. 2 ÉpocaAutores Eventos 4000 aCEgípcios planejamento, organização, controle (Construção da Pirâmide) 2600 aCEgípcios descentralização (Logística militar) 1800 aCHamurabi controle escrito 600 aCNabucodonosor controle produção, incentivo salarial administração como habilidade pessoal Sócrates (470 a.C a.C.); Platão (429 a.C a.C.); Aristóteles (384 a.C a.C.): a administração como habilidade pessoal; 175 aCCato (Roma) descrição de funções 1436 Arsenal Veneza contabilidade de custos 1437 Maquiavel política da administração (O Príncipe) Francis Bacon ( ): princípio da prevalência do principal sobre o acessório; Descartes ( ): método cartesiano; fonte: Chiavenato, Idalberto: Introd. à TGA, pg. 2 Primórdios da Administração

61 HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO RESUMO HISTÓRICO DA ADMINISTRAÇÃO GERAL BLOCOCENÁRIOS TEORIAS/PRINCIPAIS PERSONAGENS ENFASEPRINCIPAL ENFOQUE MECANICISTA 1900 – INICIO DA INDUSTRIALIZAÇÃO. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL.. INVENÇÃO DA MÁQUINA A VAPOR. ESTABILIDADE. POUCA MUDANÇA. PREVISIBILIDADE. REGULARIDADE E CERTEZA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA – F. W. TAYLOR, FRANK B. GILBRETH. TAREFAS. RACIONALIZAÇÃO DO TRABALHO NO NÍVEL OPERACIONAL TEORIA DA BUROCRACIA – MAX WEBER ESTRUTURA. ORGANIZAÇÃO FORMAL BUROCRÁTICA.. RACIONALIDADE ORGANIZACIONAL TEORIA CLÁSSICA - JULES HENRI FAYOL TAREFAS. ORGANIZAÇÃO FORMAL.. PRINCÍPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO.. FUNÇÃO DO ADMINISTRADOR (POCCC) OU (PODC) SEGUNDO A ABORDAGEM NEOCLÁSSICA (PETER DRUCKER)

62 HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO

63 HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO RESUMO HISTÓRICO DA ADMINISTRAÇÃO GERAL BLOCOCENÁRIOS TEORIAS/PRINCIPAIS PERSONAGENS ENFASEPRINCIPAL ENFOQUE HUMANÍSTICO 1930 – DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL. AUMENTO DA MUDANÇA. FIM DA PREVISIBILIDADE. NECESSIDADE DE INOVAÇÃO TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS – ELTON MAYO E LEWIN PESSOAS. ORGANIZAÇÃO INFORMAL.. MOTIVAÇÃO, LIDERANÇA, COMUNICAÇÕES E DINÂMICA DE GRUPO TEORIA DAS DECISÕES (ESTRUTURALISTA)- HERBERT ALEXANDER SIMON ESTRUTURA AMBIENTE. ANÁLISE INTRA-ORGANIZACIONAL E ANÁLISE AMBIENTAL.. ABORDAGEM DO SISTEMA ABERTO TEORIA DOS SISTEMAS – LUDWIG VON BERTALANFFY, KAST E ROSENZWEIG. AMBIENTE. EMPRESA COMO SISTEMAS ABERTOS QUE INFLUENCIAM E SOFRE INFLUÊNCIA DO MUNDO AO SEU REDOR TEORIA DOS SISTEMAS, ABORDAGEM SOCIOTÉCNICOS - EMERY E TRIST PESSOAS. RECONHECENDO QUE O SER HUMANO É INTELIGENTE E TEM A CAPACIDADE DE AMPLIAR SUA INTELIGÊNCIA.

64 HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO RESUMO HISTÓRICO DA ADMINISTRAÇÃO GERAL BLOCOCENÁRIOS TEORIAS/PRINCIPAIS PERSONAGENS ENFASEPRINCIPAL ENFOQUE CONTINGÊNCIAL APÓS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. GLOBALIZAÇÃO. ÊNFASE NOS SERVIÇOS. ACELERAÇÃO DA MUDANÇA. IMPREVISIBILIDADE. INSTABILIDADE E INCERTEZA TEORIA NEOCLÁSSICA - NEWMAN, PETER DRUCKER. ESTRUTURA. ORGANIZAÇÃO FORMAL.. PRINCÍPIOS GERAIS DA ADMINISTRAÇÃO.. FUNÇÃO DO ADMINISTRADOR (PODCA) – TEORIA COMPORTAMENTAL (BEHAVIORISTA) – HERBERT SIMON, MCGREGOR. PESSOAS. ESTILOS DE ADMINISTRAÇÃO.. TEORIA DAS DECISÕES. INTEGRAÇÃO DOS OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS E INDIVIDUAIS TEORIA DO DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL – BENNIS. ET. AL. PESSOAS. MUDANÇA ORGANIZACIONAL PLANEJADA.. ABORDAGEM DE SISTEMA ABERTO TEORIA DA CONTINGÊNCIA – CHANDLER, WOODWARD, LAURENCE E LORSCH. TECNOLOGIA AMBIENTE. ADMINISTRAÇÃO DA TECNOLOGIA (IMPERATIVO TECNOLÓGICO).

65 GESTÃO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

66 ADMINISTRAÇÃO Origem Ad, administrar para,tendência, Minister, subordinação ou obediência. Tarefa Interpretar os Objetivos Organizacionais e Transformá-los em Ação Empresarial através de: PLANEJAMENTO ORGANIZAÇÃO DIREÇÃO CONTROLE. FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

67 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO O QUE É ADMINISTRAÇÃO ? RECURSOS Pessoas; Informação; Conhecimento; Espaço; Tempo; Dinheiro; Instalação. OBJETIVOS Resultados esperados do Sistema DECISÕES Planejamento, Organização, Direção, Execução e Controle (Maximiano, 2000)

68 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PROCESSO ADMINISTRATIVO PLANEJAMENTOORGANIZAÇÃODIREÇÃOCONTROLE Estabelecer objetivos e missão; Examinar as alternativas; Determinar as necessidades de recursos; Criar estratégias para o alcance dos objetivos. Desenhar cargos e tarefas específicas; Criar estrutura organizacional; Definir posi-ções de staff; Coordenar as atividades de trabalho; Estabelecer políticas e procedimentos; Definir e alocar recursos. Conduzir e motivar os empregados na realização das metas; Estabelecer comunicação com os trabalhadores; Apresentar solução dos conflitos; Gerenciar mudanças. Medir o desempenho; Estabelecer comparação do desempenho com os padrões; Tomar as ações necessárias para melhorias do desempenho.

69 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO interpretar os objetivos propostos pela organização e transformá-los em ação organizacional, por meio do planejamento, organização, direção e controle de todos os esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da organização, a fim de alcançar os objetivos da maneira mais adequada. (Chiavenato, 2000) ADMINISTRAR É...

70 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO NÍVEIS DA ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICO Alta administração (Diretoria) Estabelece os objetivos, política e estratégias organizacionais. TÁTICO Média administração (Gerência) Implementação das tarefas administrativas, coordenação e solução de conflitos. OPERACIONAL Supervisão e execução – tarefas Coordenação e execução das tarefas de todo pessoal operacional

71 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO AS TRÊS HABILIDADES DO ADMINISTRADOR TÉCNICAS HUMANAS CONCEITUAIS Capacidade de utilizar conhecimentos, métodos, técnicas e equipamentos para o desempenho de tarefas específicas. Capacidade e facilidade para lidar com pessoas, comunicar, compreender suas atitudes e motivações e liderar equipes de trabalho. Capacidade de compreender a complexidade da organização como um todo e o ajustamento do comportamento de suas partes.

72 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO NÍVEIS X HABILIDADES NÍVEIS X HABILIDADES

73 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO AS COMPETÊNCIAS DURÁVÉIS DO ADMINISTRADOR AS COMPETÊNCIAS DURÁVÉIS DO ADMINISTRADOR Perspectiva (Saber Fazer) Atitude (Saber Fazer Acontecer) Habilidades Conceituais Habilidades Humanas Habilidades Técnicas + = Sucesso Profissional Conhecimento (Saber)

74 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO A gestão empresarial evoluiu, ao longo do século XX, em quatro eras empresariais marcantes, a seguir descritas: LINHA DE TEMPO

75 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO PASSADO Clássica Funcional ( ) UNID. APOIO UNID. APOIO UNID. NEGÓ- CIOS UNID. NEGÓ- CIOS UNID. NEGÓ- CIOS Unidades Estratégicas de Negócios ( ) Negócios ( ) PASSADO... Empreendedora ( ) Celular/Negócios ( ) (Teamworks) PRESENTE/FUTURO Virtual Interativa - ( ) (Rede) EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO

76 FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Características da Gestão Holística Fim da estrutura de Cargos

77 APLICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO HOLÍSTICA EM UM FAST FOOD

78 Empresa Virtual Total Comercial EDI Distribuidores EDI Grandes Redes Supermercados Pequenos Mercados Lojistas

79 Compras EDI Fornecedores Estoque Consignado na Virtual Total Pedido de Compra

80 Financeiro Banco da Virtual Total Banco do Fornecedor Fornecedores Clientes Depósito em cc

81 Contabilidade Acionistas FábricaComercial Receita Federal

82 Fábrica Comercial EDI Distribuidores EDI Grandes Redes Supermercados Pequenos Mercados Lojistas

83 RH Banco da Virtual Total Funcionários Depósito em cc Treinamento Virtual Gestão do Conhecimento


Carregar ppt "CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO CONTEXTO HISTÓRICO DA QUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES HISTÓRIA DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google