A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COLUNA Cláudio Baisch – R3 Orientador: Felipe Hardt.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COLUNA Cláudio Baisch – R3 Orientador: Felipe Hardt."— Transcrição da apresentação:

1 COLUNA Cláudio Baisch – R3 Orientador: Felipe Hardt

2 DOR LOMBAR

3 EXAMES DE IMAGEM – RED FLAGS: 1.Sintomas neurológicos 2.Usuário de drogas EV 3.Imunossuprimidos 4.Dor noturna 5.Trauma 6.Dor não mecânica ou sintomas constitucionais - tumor? infecção? processo inflamatório? 7.Não melhora com tratamento clínico em 3-6 semanas

4 Causas de dor lombar podem ser divididas quanto a posição da coluna no momento da lesão: neutra, em extensão, em flexão Em posição neutra: causas músculo-ligamentares Em extensão: espondilólise/espondilolistese Em flexão: hérnia discal

5 POSIÇÃO NEUTRA CAUSAS MÚSCULO-LIGAMENTARES

6 CAUSAS MÚSCULO-LIGAMENTARES: 1.Mais de 70% dos casos 2. Sem história de trauma Geralmente uma dor que está progressivamente pior e mais frequente 3. Sobrecarga mecânica / desbalanço muscular TRATAMENTO: conservador, core training RETORNO: desconforto leve no esporte

7 DESBALANÇO MUSCULAR:

8 COLUNA EM EXTENSÃO ESPONDILÓLISE

9 ESPONDILÓLISE / ESPONDILOLISTESE

10 ESPONDILÓLISE: fratura de estresse, com ou sem defeito congênito prévio, da pars interarticularis.

11 ESPONDILÓLISE Adolescentes Ginastas, futebol americano (lineman), mergulhadores Cerca de 50% dos atletas da ginástica olímpica dos EUA com este dx (1996)

12

13 Offensive Linemen

14 ESPONDILOLISTESE GERALMENTE EM L5

15

16 DIAGNÓSTICO Assintomático até dor lombar crônica e insidiosa, progredindo em semanas, piora com extensão e melhora com flexão Sintomas neurológicos (radiculopatia de L5) não são comuns mas podem existir Rx, cintilo, TC e RNM

17 TRATAMENTO ASSINTOMÁTICOS (achado de exame): acompanhar com imagem anual até a maturidade esquelética. Sem restrições de exercícios físicos. SINTOMÁTICOS: Objetivo: consolidar a fratura Se não for possível: retornar ao esporte sem dor e sem progressão da listese

18 Órtese anti-lordótica A dor sumiu: vai desmamando 1h/d a cada semana. Começa core training + fisio. Retornando à atividades específicas conforme a dor permitir. TC com 4 meses Retorno pleno ao esporte: 6-9 meses 4-6 semanas??

19 TRATAMENTO Sucesso do tratamento clínico: 75-83% CIRURGIA: 1.Falha do tratamento clínico após 6 meses (dor ou progressão da listese) 2.Espondilolistese grau 3 (>50%) 3.Atletas com artrodese em 1 nível podem voltar a esportes de colisão Adolescentes, em fase de crescimento... Postergar um pouco a cirurgia

20 COLUNA EM FLEXÃO HÉRNIA DISCAL

21 Núcleo pulposo: 88% água – absorve 75% das cargas de compressão Anel fibroso: fibras cocêntricas

22 PROTUSÃO DISCAL Hérnia protusa As cargas vão causando fissuras no anel fibroso: DOR !! Pois ele é inervado em sua porção posterior Por estas fissuras que o nucleo pulposo poderá herniar

23 HÉRNIA DISCAL Hérnia extrusa

24

25 HÉRNIA DE DISCO Dor discogênica - piora com a flexão da coluna. Lombalgia com irradiação para a região póstero-inferior da coxa e Lasegue +. Unilateral na maioria dos casos. Exame neurológico das raízes.

26 Reflexos L4: Reflexo Patelar S1: Reflexo Aquileu Motor L3: Flexão do Quadril L4:Extensão Joelho + Flexão Dorsal do tornozelo L5: Extensão do Halux S1: Flexão Plantar do Halux

27 TRATAMENTO FASE AGUDA Repouso na posição mais confortável por dias Analgesicos comuns AINEs opióide infiltração epidural (corticóide, anestésico, opióide) Diprospan ou celestone IM APÓS 1.Fisioterapia e core training 2.Postura e gesto esportivo

28 CIRURGIA 1.Dor recorrente e incapacitante 2.Déficit neurológico persistente ou progressivo 3.Disfunção esfincteriana URGÊNCIA !! 4.Sd. Cauda equina URGÊNCIA !! SD. CAUDA EQUINA: radiculopatia (motora, sensitiva e reflexos) de L4 em diante, bilateral, com anestesia em sela e disfunção esfincteriana

29 ESTRESSE ROTACIONAL + AXIAL

30 DEGENERAÇÃO DISCAL

31 FATORES DE RISCO: Idade Hiperlordose com mov. extremos de extensão/flexão (ginastas) Cargas axiais pesadas (levantadores de peso) Cargas de rotação + compressão (futebol americano)

32 Dor discogênica X Artrose facetária DISCO: piora com flexão FACETA: piora com extensão Mas geralmente é difícil diferenciá-las Normalmente coexistem Injetar anestésico no nervo da faceta e avaliar

33 CERVICALGIA

34 CERVICALGIA COM IRRADIAÇÃO PARA OS MMSS 1.Sd.miofasciais 2.Dor facetária 3.Compressão radicular Respeita um dermátomo? Piora com a hiperextensão? Pgs provocam dor + irradiação? ENMG Exames de imagem

35

36 C5 1.Força: deltóide ou bíceps 2.Reflexo do bíceps 3.Sensibilidade: face lateral do braço

37 C6 1.Força: bíceps e extensores do punho 2.Reflexo do braquiorradial 3.Sensibilidade: Face lateral do punho e polegar

38 C7 1.Força: tríceps, flexores do punho e extensores dos dedos 2.Reflexo: triciptal 3.Sensibilidade: 2º e 3º dedos

39 C8 1.Força: interósseos 2.Sensibilidade: 5º dedo e punho medial

40 T1 1.Força: interósseos 2.Sensibilidade: braço medial

41


Carregar ppt "COLUNA Cláudio Baisch – R3 Orientador: Felipe Hardt."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google