A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANEMIAS CARENCIAIS. ANEMIA FERROPRIVA Incidência: Incidência: 40% das crianças na Região Sul 40% das crianças na Região Sul 60% das crianças na Região.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANEMIAS CARENCIAIS. ANEMIA FERROPRIVA Incidência: Incidência: 40% das crianças na Região Sul 40% das crianças na Região Sul 60% das crianças na Região."— Transcrição da apresentação:

1 ANEMIAS CARENCIAIS

2 ANEMIA FERROPRIVA Incidência: Incidência: 40% das crianças na Região Sul 40% das crianças na Região Sul 60% das crianças na Região 60% das crianças na Região Nordeste Nordeste

3 METABOLISMO DO FERRO Absorção do ferro: duodeno e região proximal do jejuno, sob a forma ferrosa ou heme Absorção do ferro: duodeno e região proximal do jejuno, sob a forma ferrosa ou heme

4 Etiologia da deficiência do Ferro 1. Aumento da demanda: - Primeiro ano de vida - Primeiro ano de vida - Adolescentes - Adolescentes - Sangramento menstrual - Sangramento menstrual - Gravidez - Gravidez

5 2. Fatores nutricionais 2. Fatores nutricionais Leite materno: 50% Fe absorvido Leite materno: 50% Fe absorvido Leite vaca: 10% Fe absorvido Leite vaca: 10% Fe absorvido

6 2. Fatores nutricionais 2. Fatores nutricionais Fe origem animal: 10 a 30% Fe origem vegetal: Fe origem vegetal: 1 a 7% 1 a 7% Inibem absorção Fe: Inibem absorção Fe: fitatos (trigo), fosfoproteínas (ovos), fibras fitatos (trigo), fosfoproteínas (ovos), fibras

7 3. Doenças intestinais 3. Doenças intestinais Diarréias graves Diarréias graves Doença de Crohn Doença de Crohn Doença celíaca não tratada Doença celíaca não tratada Ressecção intestinal Ressecção intestinal

8 4. Perdas sanguíneas 4. Perdas sanguíneas - Perda no período pré-natal - Perda no período pré-natal - Enteropatia exsudativa: hipersensibilidade ao leite de vaca - Enteropatia exsudativa: hipersensibilidade ao leite de vaca - Lesões anatômicas intestinais: - Lesões anatômicas intestinais: pólipos, divertículo de Meckel, pólipos, divertículo de Meckel, duplicação intestinal, duplicação intestinal, hemangiomas hemangiomas - Verminoses: - Verminoses: Necator americanus, Ancylostoma duodenalis

9 4. Perdas sanguíneas - Menstruação e gravidez - Menstruação e gravidez - Úlcera péptica - Úlcera péptica - Epistaxe - Epistaxe - Hematúria - Hematúria

10 QUADRO CLÍNICO Palidez, astenia Palidez, astenia Irritabilidade, dificuldade de concentração, distúrbios na atenção e percepção, Irritabilidade, dificuldade de concentração, distúrbios na atenção e percepção, atraso no desenvolvimento intelectual, atraso no desenvolvimento intelectual, alteração na função alteração na função cognitiva: SEQUELA cognitiva: SEQUELA

11 QUADRO CLÍNICO Anorexia, geofagia, disfagia, perversão alimentar Anorexia, geofagia, disfagia, perversão alimentar Infecções recorrentes, principalmente em vias aéreas: diminuição linfócitos T; inibição da atividade bactericida dos neutrófilos nos desnutridos Infecções recorrentes, principalmente em vias aéreas: diminuição linfócitos T; inibição da atividade bactericida dos neutrófilos nos desnutridos

12 Exame físico - Palidez pele e mucosas - Palidez pele e mucosas - Atrofia de papilas linguais; Glossite - Atrofia de papilas linguais; Glossite - Queilite - Queilite

13 Exame físico - Coiloníquia (unhas côncavas) - Coiloníquia (unhas côncavas) - Taquicardia; - Taquicardia; - Sopro funcional - Sopro funcional no foco mitral no foco mitral - Insuficiência - Insuficiência cardíaca cardíaca

14 EXAMES LABORATORIAIS Fase I: diminuição níveis de Ferritina: < 12ng/mL Fase I: diminuição níveis de Ferritina: < 12ng/mL Fase II: diminuição do Ferro sérico: 400mcg/dL, diminuição da saturação da transferrina: 400mcg/dL, diminuição da saturação da transferrina: < 10% Fase III: anemia hipocrômica microcítica e elevação da protoporfirina eritrocitária livre: > 70mcg/dL Fase III: anemia hipocrômica microcítica e elevação da protoporfirina eritrocitária livre: > 70mcg/dL

15 ANEMIA FERROPRIVA Alterações do esfregaço sangüíneo: microcitose, hipocromia, anisopoiquilocitose Alterações do esfregaço sangüíneo: microcitose, hipocromia, anisopoiquilocitose

16 ANEMIA FERROPRIVA Hb < 11g/ld, VCM < 80µ3, HbCM < 26pg Reticulócitos: normais ou diminuídos RDW: aumentado (VR: 11,5 a 14,5%) (intensidade anisocitose)

17 PROFILAXIA PROFILAXIA Leite materno após 6 meses: Fe 1mg/kg/dia Leite materno até 4 meses: fórmula infantil fortificada (FIF: 12mg Fe como sulfato ferroso/litro) até 12 meses Lactentes de termo não amamentados: FIF após 3 meses, até 12 meses; nos pré-termo iniciar FIF com 1 mês de idade. Lactentes baixo peso mesmo amamentados: Fe 2mg/kg/dia início 1mês, até 12 meses

18 TRATAMENTO I - Orientação alimentar: - Leite materno exclusivo nos primeiros 6 meses - Leite materno exclusivo nos primeiros 6 meses - Carnes, vísceras, peixes, - Carnes, vísceras, peixes, feijão, frutas cítricas feijão, frutas cítricas - Evitar: chá, café(tanino), - Evitar: chá, café(tanino), ovos e leite concomitante com refeições principais

19 TRATAMENTO II – Terapia medicamentosa: Sulfato ferroso Sulfato ferroso 5mg/kg/dia Fe elementar ÷ 3 doses 30min antes refeições: 4 a 6 m * 5mg/kg/dia Fe elementar ÷ 3 doses 30min antes refeições: 4 a 6 m * Evitar transfusões sanguíneas

20 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL Talassemias Talassemias Anemias das Inflamações crônicas: infecções, colagenoses, neoplasias, nefropatias Anemias das Inflamações crônicas: infecções, colagenoses, neoplasias, nefropatias Hipotireoidismo Hipotireoidismo Intoxicação crônica pelo chumbo Intoxicação crônica pelo chumbo Anemia sideroblástica Anemia sideroblástica

21 ANEMIAS MEGALOBLÁSTICAS Anemias macrocíticas causadas por distúrbios na síntese do DNA ocasionadas por deficiência de ácido fólico ou vitamina B12

22 DEFICIÊNCIA DE ÁCIDO FÓLICO Causas mais comuns: Causas mais comuns: - Prematuridade - Anemias hemolíticas - Diarréia crônica grave

23 DEFICIÊNCIA DE ÁCIDO FÓLICO - Dieta pobre ou insuficiente (cereais, frutas, vegetais, carne); leite cabra - Linfomas, leucemias, mielodisplasias - Drogas: metotrexato, anticonvulsivantes trimetoprim, pirimetamina, sulfonas

24 DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO - Quadro clínico: SEMELHANTE AO SEMELHANTE AO DA ANEMIA FERROPRIVA DA ANEMIA FERROPRIVA

25 DIAGNÓSTICO Hemograma: neutrófilos hipersegmentados, anemia macrocítica VCM acima 100µ3, leucopenia, plaquetopenia Hemograma: neutrófilos hipersegmentados, anemia macrocítica VCM acima 100µ3, leucopenia, plaquetopenia

26 DIAGNÓSTICO - Reticulócitos: normais - Medula óssea: hipercelular, hiperplasia eritróide, megaloblastos - Dosagem ácido fólico: < 3ng/ml

27 TRATAMENTO: Orientação alimentar: carne, peixe, vegetais, frutas, cereais Ácido fólico: 2 a 5mg/dia VO

28 ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B12 ETIOLOGIA: ETIOLOGIA: - Nutrição inadequada: vegetarianos - Deficiência materna afetando feto e lactente

29 ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B12 ETIOLOGIA: Deficiência do fator intrínseco por mecanismo auto-imune (Anemia perniciosa), Gastrite, Gastrectomisados Doenças intestinais: D. Crohn, Linfomas Erros inatos do metabolismo

30 DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO QUADRO CLÍNICO: QUADRO CLÍNICO: Fraqueza e cansaço fácil Perda do apetite, náuseas, perda de peso, diarréia ou obstipação, glossite ou úlceras na língua Palidez de pele e mucosas Síndrome neurológica: fraqueza muscular, parestesias, ataxia, demência, depressão, atrofia do nervo óptico.

31 DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO - Hemograma: anemia macrocítica (VCM > 100fl, hipersegmentados, leucopenia e plaquetopenia - Medula óssea: hipercelular, hiperplasia eritróide e megaloblastos - Dosagem vitamina B12: < 100pg/ml

32 TRATAMENTO: TRATAMENTO: Orientação alimentar Orientação alimentar Cobalamina: 15 a 150mcg VO ou IM semanal x 4 a 6 semanas e após mensalmente. após mensalmente.

33 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS ANEMIAS MACROCÍTICAS Síndromes mielodisplásicas Síndromes mielodisplásicas Anemias aplásticas Anemias aplásticas Leucemias Leucemias Hepatopatias Hepatopatias Hipotireoidismo Hipotireoidismo

34 DOENÇA FALCIFORME EPIDEMIOLOGIA DOENÇA FALCIFORME EPIDEMIOLOGIA Doença hereditária mais frequente no Brasil (3500 casos novos/ano): Doença hereditária mais frequente no Brasil (3500 casos novos/ano): Bahia: 1: nascidos vivos Bahia: 1: nascidos vivos Rio Grande do Sul: 1:1000 n. vivos Rio Grande do Sul: 1:1000 n. vivos Ministério da Saúde: 4% da população Ministério da Saúde: 4% da população tem o traço falciforme. tem o traço falciforme.

35 SCREENING NEONATAL (teste do pezinho) SCREENING NEONATAL (teste do pezinho) FA: ausência de d. falciforme FA: ausência de d. falciforme FAS: traço falciforme FAS: traço falciforme FSC: doença SC FSC: doença SC FS: doença SS, S-βtalassemia e SD FS: doença SS, S-βtalassemia e SD

36 MUITO OBRIGADA! MUITO OBRIGADA!


Carregar ppt "ANEMIAS CARENCIAIS. ANEMIA FERROPRIVA Incidência: Incidência: 40% das crianças na Região Sul 40% das crianças na Região Sul 60% das crianças na Região."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google