A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos"— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Introdução Temas estudados no capítulo: Principais limitações dos métodos de avaliação e decisões conflitantes que podem ocorrer diante de alternativas mutuamente excludentes Avaliação de projetos com diferentes maturidades e a distribuição dos fluxos de caixa no tempo Decisões de investimento em condições de restrição de capital Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO

2 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.1 Análise Comparativa dos Métodos para um Único Investimento Um investimento será economicamente atrativo se: Apresentar NPV positivo ou, no mínimo, igual a zero Possuir uma IRR superior à taxa mínima requerida Proporcionar um IL maior ou igual a 1,0

3 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.1 Análise Comparativa dos Métodos para um Único Investimento Admitindo o seguinte investimento: PERÍODOS (ANOS) ANO 0 ANO 1 ANO 2 ANO 3 ANO 4 ANO 5 ($ 1.200,00) $ 200,00 $ 400,00 $ 600,00 Ao definir em 15% a taxa periódica de atratividade para o investimento, temos:

4 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.1 Análise Comparativa dos Métodos para um Único Investimento O projeto é classificado como economicamente atraente, pois: Apresenta um NPV positivo (NPV > 0), indicando retorno em excesso em relação ao ganho exigido A IRR supera a taxa de atratividade definida, revelando rentabilidade acima da mínima requerida para o investimento O IL é maior que 1,0, que representa o ponto de corte entre aceitação e rejeição desse método O período de payback deve ser comparado com o limite-padrão estabelecido pela empresa

5 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.1 Análise Comparativa dos Métodos para um Único Investimento Desempenho comparativo: NPV e IRR

6 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.1 Análise Comparativa dos Métodos para um Único Investimento Perfil do NPV e Payback

7 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.2 Extensões ao Perfil dos Métodos do NPV e IRR Investimento de capital Taxas superiores a 15% produzem NPV negativo, desaconselhando o investimento Tomada de capital emprestado A taxa de 15% representa a taxa mínima que deve ser auferida na aplicação de recursos

8 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Em projetos mutuamente excludentes, os métodos NPV e IRR poderão produzir resultados conflitantes para a decisão As razões dessas diferenças são explicadas: Pelas escalas dos investimentos Pelas diferentes contribuições dos fluxos de caixa no tempo

9 BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA INVESTIMENTO INICIAL ($)
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Exemplo ilustrativo Alternativas de investimento com taxa de retorno de 20% no período ALTERNA- TIVAS 20.000,00 ,00 40.000,00 30.000,00 ,00 B 50.000,00 60.000,00 ,00 A T 1 ($) BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA INVESTIMENTO INICIAL ($) 1,267 $ ,10 29,7% B 1,272 $ ,50 35,1% A IL NPV IRR ALTERNATIVAS Aplicando os métodos de análise, temos:

10 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Conflito de decisões em projetos mutuamente excludentes A IRR é expressa em termos relativos (percentual) O NPV mensura a riqueza do projeto em valores absolutos Em investimentos de diferentes escalas, o NPV é superior ao IRR

11 BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA INVESTIMENTO INICIAL ($)
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Análise incremental ALTERNA- TIVAS 20.000,00 ,00 40.000,00 30.000,00 ,00 B 50.000,00 60.000,00 ,00 A T 1 ($) BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA INVESTIMENTO INICIAL ($) ,00 ,00 (10.000,00) (30.000,00) ( ,00) Valores incre-mentais (B-A) NPV incremental: NPV incremental: $ ,60 O NPV incremental define a riqueza adicional acrescida pelo investimento B de maior escala

12 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Interseção de Fischer É a IRR incremental. Revela a taxa de desconto que produz o mesmo NPV para as duas alternativas de investimento A IRR incremental é obtida por meio da seguinte expressão de cálculo: Resolvendo-se: IRR (r) = 27,0% ao período

13 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Para uma taxa de desconto de até 27,0% ao período, o investimento B é preferível a A, apresentando maior riqueza líquida gerada. A partir de 27,0%, o investimento A passa a ser o mais atraente, mantendo essa superioridade até a taxa de 35,1% ao período

14 BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA TAXA INTERNA DE RETORNO
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Seleção de investimentos com mesmo desembolso inicial e diferentes fluxos de caixa no decorrer do tempo $ ,00 $ ,00 $ ,00 $ ,00 $ ,00 E $ ,00 $ ,00 $ ,00 $ ,00 A ANO 4 ($) ANO 3 ($) ANO 2 ($) ANO 1 ($) BENEFÍCIOS ESPERADOS DE CAIXA INVESTI- MENTO ALTERNA- TIVAS Definindo em 15% ao período o retorno exigido do investimento, temos: $ ,70 31,2% E $ ,90 35,1% A NPV TAXA INTERNA DE RETORNO ALTERNA-TIVAS

15 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes No projeto A, os fluxos de caixa comportam-se de maneira decrescente, enquanto que no projeto E, os resultados de caixa são crescentes O método que apresentar fluxos de caixa decrescentes (investimento A) é levado a determinar a maior IRR e menor NPV

16 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.3 Decisões Conflitantes Se os projetos forem mutuamente excludentes... Para uma taxa inferior a 24,0% a.a., torna-se mais interessante o projeto E, com maior NPV Para uma taxa entre 24,0% e 35,1%, a situação inverte-se, devendo-se optar pela alternativa A (maior NPV) A partir de 35,1%, os retornos oferecidos não alcançam a taxa mínima requerida.

17 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.4 Algumas Conclusões Críticas ao método da IRR É expressa em valores percentuais, o que distorce a avaliação de projetos com diferentes níveis de investimento Dificilmente representa as oportunidades de reaplicação dos fluxos intermediários de caixa Não considera o custo de oportunidade definido pela empresa

18 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.4 Algumas Conclusões Considerando os seguintes investimentos com taxa mínima de atratividade de 20% ao período, temos: $ $ $ $ ($ ) D $ $ $ ($ ) C ANO 4 ANO 3 ANO 2 ANO 1 ANO 0 FLUXOS DE CAIXA INVESTI- MENTO 25,4% a.a. 1,108 $ ,45 D 31,8% a.a. 1,215 C IRR IL NPV INVESTI-MENTO

19 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.4 Algumas Conclusões 16.4 Algumas Conclusões Análise dos resultados Pelo método do NPV, os dois investimentos são atraentes, pois produzem o mesmo montante de riqueza Porém, o investimento D exige um desembolso de capital duas vezes maior que C para produzir o mesmo NPV Logo, o investimento C (pelo métodos do IL) é mais atraente pela maior riqueza em relação ao capital aplicado

20 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.4 Algumas Conclusões Considerando-se a hipótese de que o investidor possui $ ,00 e apenas os projetos C e D, podemos representar os valores incrementais:

21 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos 16.4 Algumas Conclusões Os resultados dos métodos de avaliação econômica são: 25,4% a.a. 1,108 $ ,45 D 31,8% a.a. 1,215 C IRR IL NPV PROJETO 20% a.a. 1,00 - 0 - D - C Selecionar o projeto D significa aplicar metade do capital a uma IRR igual a 31,8%, e aplicar a outra metade a uma IRR igual a 20,0%, o que produz um retorno exatamente igual ao mínimo exigido pelo acionista. Assim, a decisão correta é a escolha do projeto D, desprezando o método do IL.

22 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital Em condições onde o capital é limitado por restrições orçamentárias, deve-se: Evitar o uso parcial de recursos para que não haja ociosidade dos fundos programados para investimentos Selecionar um conjunto de alternativas de investimentos que maximize os benefícios econômicos para a empresa

23 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital Em condições onde o capital é limitado por restrições orçamentárias... a utilização do método da IRR não garante necessariamente o atendimento da maximização dos benefícios econômicos As diferentes escalas de investimento determinam uma subavaliação dos retornos da empresa quando mensurados pelo método da IRR O que interessa é o resultado econômico agregado, e não a rentabilidade específica de cada proposta de investimento

24 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital Suponha-se que uma empresa tenha selecionado cinco propostas de investimentos cujas características essenciais são: 10% 16% 20% 30% 40% Valor do Investimento Necessário Valor Presente dos Benefícios   Econômicos Esperados Taxa Interna de Retorno E ($) D ($) C ($) B ($) A ($) ALTERNATIVAS: Se as propostas forem independentes e os recursos ilimitados, todas poderão ser implementadas

25 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital Admitindo-se que a empresa disponha unicamente de $ para investimentos: As combinações ABD, ACE e BCDE são as opções que absorvem todo o orçamento, não restando valores inativos Esses três grupos de investimentos são os que produzem o maior retorno econômico para a empresa O grupo que promove a maximização da riqueza é o que apresenta o maior valor presente líquido total

26 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital GRUPO ABD NPV da Alternativa A : $ – $ = $ NPV da Alternativa B : $ – $ = $ NPV da Alternativa D : $ – $ = $ NPV DO GRUPO ABD :   $

27 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital GRUPO ACE: NPV da Alternativa A : $ – $ = $ NPV da Alternativa C : $ – $ = $ NPV da Alternativa E : $ – $ = $ NPV DO GRUPO ACE :   $

28 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Decisões de Investimento sob Restrição de Capital GRUPO BCDE: NPV da Alternativa B : $ – $ = $ NPV da Alternativa C : $ – $ = $ NPV da Alternativa D : $ – $ = $ NPV da Alternativa E : $ – $ = $ NPV DA GRUPO BCDE : $ Conclui-se que as alternativas A, B e D (maior NPV) é que devem ser implementadas

29 Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos
Finanças Corporativas e Valor – ASSAF NETO Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos Bibliografia ASSAF NETO, Alexandre. Matemática financeira e suas aplicações. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2002. BENNINGA, Simon Z.; Sarig, Oded H. Corporate finance: a valuation approach. New York: McGraw-Hill, 1997. BREALEY, Richard A.; MYERS, Stewart C. Principles of corporate finance. 6. Ed. New York: McGraw-Hill, 2001. BRIGHAM, Eugene F.; GAPENSKI, Louis C.; EHRHARDT, Michael C. Administração Financeira. São Paulo: Atlas, 2001. ROSS, Stephen A.; WESTERFIELD, Randolph W.; JAFFE, Jeffrey F. Administração financeira. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2002 VAN HORNE, James C. Financial management and policy. 12. Ed. New York: Prentice Hall, 2002.


Carregar ppt "Capítulo 16 – Dinâmica dos Métodos de Avaliação de Investimentos"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google