A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão do Conhecimento Prof° Carmen Lucia Asp de Queiroz Esta apostila foi desenvolvida para ajudar na aprendizagem e desenvolvimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão do Conhecimento Prof° Carmen Lucia Asp de Queiroz Esta apostila foi desenvolvida para ajudar na aprendizagem e desenvolvimento."— Transcrição da apresentação:

1 Gestão do Conhecimento Prof° Carmen Lucia Asp de Queiroz Esta apostila foi desenvolvida para ajudar na aprendizagem e desenvolvimento dos alunos na disciplina Gestão do Conhecimento e da Informação, da Universidade Castelo Branco. Seu conteúdo é uma pesquisa de vários autores, sendo em grande parte, transcrições dos mesmos. Ao final, será apresentada a bibliografia utilizada.

2 2 Unidade 1 – Conceitos básicos: conhecimento e informação. Unidade 2 – Gestão do conhecimento. Unidade 3 – Gestão da informação. Unidade 4 – Tecnologias disponíveis. Unidade 5 – Otimização da tomada de decisão e a gestão do conhecimento. Conteúdo Programático

3 3 Dados x Informação x Conhecimento Dados Informação Conhecimento O conhecimento, diferentemente da informação, está ligado a um contexto, a uma ação. Tradicionalmente, o conhecimento é definido como crença verdadeiramente justificada e a informação como um fluxo de mensagens. É a informação que passada pelos filtros – modelos mentais – possibilita a ampliação do conhecimento. Figura: Relação entre níveis de hierarquia conceitual (de Rehauser & Kremar) Fonte: adaptado de PROBST, Gilbert. Gestão do Conhecimento: os elementos construtivos do sucesso.

4 4 Capital intelectual é um sinônimo de capital humano - Wallman (1995), Vilá (1998), Cañibano et al. (1999), Banco Popular (2000), Indra (2000), Marcinkowska (2000), Sierra e Moreno (2000) e Torres (2000). Capital intelectual é um sinônimo de capital do conhecimento - Sullivan (2000). Capital intelectual são ativos intangíveis e intelectuais - Kaplan e Norton (1997). Capital Intelectual

5 Wal-Mart, a Microsoft e a Toyota X Sears, IBM e a General Motors A Wal-Mart, a Microsoft e a Toyota não se tornaram grandes empresas por serem mais ricas do que a Sears, IBM e a General Motors, ao contrário, elas tinham algo muito mais valioso do que ativos físicos ou financeiros, elas contavam com o capital intelectual. Fonte: STEWART (1998)

6 Capital Intelectual Saatchi & Saatchi Em dezembro de 1994, como resultado da pressão feita pelos principais acionistas, Maurice Saatchi foi demitido de seu cargo de presidente da empresa. Saatchi, uma figura controversa, tinha fundado e administrado a firma. Sua demissão pretendia evitar outra queda brusca no preço das ações da empresa e foi recebida com entusiasmo inicial. Entretanto, as consequências foram fatais. Maurice Saatchi montou rapidamente uma nova empresa, continuou a trabalhar com o nome de Saatchi e recrutou muitos dos funcionários mais criativos da empresa antiga. Devido a essa enorme perda de capital intelectual, a Cordiant, empresa sucessora da Saatchi & Saatchi, perdeu contas de clientes no valor de mais de 50 milhões de libras em uma questão de semanas. O preço das ações da empresa caiu para 1/3 nos 6 meses seguintes. Fonte: PROBST ( 2002)

7 Capital Intelectual VolksWagen X General Motors O perigo de perder conhecimento com a saída de funcionários-chaves de forma alguma está restrito aos segmentos tradicionalmente criativos como propaganda, desenho industrial ou entretenimento. Um caso ilustrativo é a dramática mudança de José Ignácio López, executivo de compras da General Motors para a VolksWagen. Essa mudança foi objeto de um longo debate. A GM inicialmente fêz grandes exigências por danos, alegando que documentos ou arquivo de computador tinham sido transferidos ilegalmente. Entretanto, essa disputa foi encoberta pelo fato de que aqui também a perda de um funcionário-chave foi seguida pela saída de todo um grupo de gerentes altamente qualificado. Ativos intelectuais não-codificados de valor incalculável forma levados nas cabeças dos renegados e foram irremediavelmente perdidos pela GM. Fonte: PROBST ( 2002)

8 Estratégias não valem nada se não tivermos boas pessoas. Em meu modo de pensar, as pessoas devem vir em primeiro lugar. As estratégias vêm depois Fonte: Jack Welch - HSM Capital Intelectual

9 Relação da empresa com o exterior (clientes, fornecedores, etc). A cultura e valores da organização. Conhecimento, capacidade e habilidades que integram a empresa. Componentes Básicos do Capital Intelectual

10 Relação da empresa com o exterior (clientes, fornecedores, etc) Componentes Básicos do Capital Intelectual O ideal é transformar-se em uma empresa que grude no cliente. Todos os dias o cliente estará contando com você, para tornar-se mais eficiente e mais produtivo Fonte: Jack Welch

11 A cultura e valores da organização. Quando uma empresa nasce, seja ela de qualquer segmento ou tamanho, a cultura corporativa evolui naturalmente [...]. À medida que esta mesma empresa cresce, é necessário se certificar que essa cultura está sustentada pelos seus valores e princípios [...]. Em primeiro lugar, é necessário olhar para as pessoas. É preciso que seja criado um ambiente que proporcione prazer no trabalho. Para facilitar este caminho, recomendo dar autonomia, permitir a circulação livre da informação, ter liberdade de comunicação e debate independentemente da hierarquia. Cada vez mais, importa menos o cargo e mais a capacidade de colaborar, convencer, influenciar e organizar uma rede. Fonte: Valérya Carvalho - Consultora associada da Muttare, consultoria de gestão, fundada em 2002 Componentes Básicos do Capital Intelectual

12 Conhecimento, capacidade e habilidades que integram a empresa Componentes Básicos do Capital Intelectual

13 Competências Individuais As habilidades dos indivíduos são vitais para a base da organização. A capacidade de transformar dados em conhecimento e de utilizá-lo em proveito da empresa torna o funcionário um agente primário do conhecimento da empresa. Conhecimento, capacidade e habilidades que integram a empresa Componentes Básicos do Capital Intelectual

14 Competências Organizacionais Processos organizacionais que funcionam bem dependem de interações bem- sucedidas entre muitos participantes. Uma competência organizacional é uma competência de rede. Ela envolve um conjunto de pessoas com as quais o indivíduo se relaciona para realizar seu trabalho e as negociações entre eles realizadas. Conhecimento, capacidade e habilidades que integram a empresa Componentes Básicos do Capital Intelectual

15 Informação x Inteligência Inteligência Competitiva Informação Competitiva Hoje Notícias de ontemAções para o futuro Fonte: Jim Richardson Vice President – Business Development Cipher Systems, LLC

16 Inteligência Competitiva Programa institucional e sistemático para garimpar e analisar a informação sobre atividades dos concorrentes e tendências gerais dos negócios, visando atingir os objetivos e metas da empresa. Fonte: Larry Kahhaner A Inteligência Competitiva é o processo contínuo de monitoramento e análise estratégica dos cenários e conjunturas mercadológicas em que determinada empresa está inserida. Inteligência Competitiva é a atividade de coletar, analisar e aplicar, legal e eticamente, informações relativas às capacidades, vulnerabilidades e intenções dos concorrentes, ao mesmo tempo monitorando o ambiente competitivo em geral. Fonte: Wikipedia

17 A Inteligência Competitiva no Brasil Abertura do mercado em Mercado regulado por uma enorme intervenção governamental. Forte competitividade. Concorrência global. As empresas brasileiras estavam despreparadas

18 Competências Organizacionais O que sabemos fazer? O que precisamos saber fazer?

19 Competências Essenciais Uma empresa será mais capaz de manter seu crescimento e lucratividade em um ambiente competitivo sempre em mudança se ela se considerar uma carteira de competências. Prahalad e Hamel estão preocupados, principalmente, com as habilidades técnicas, que são as competências essenciais e estão, portanto, na raiz da sobrevivência competitiva. Com base nessas competências a empresa desenvolve uma série de produtos essenciais; esses fundamentam a força competitiva dos produtos finais nas áreas individuais de negócio.

20 Trabalho 1 1.O que é Capital Intelectual? 2.Quais são os componentes do capital intelectual? Explique cada um deles. 3.O que é inteligência competitiva? 4.Qual a relação existente entre o Capital Intelectual e a Inteligência Competitiva?

21 Trabalho 2 Com base no texto T3 - A competência essencial de C.K. Prahalad, responda: 1.O que é uma competência essencial? 2.O que o autor quis dizer com não deve olhar para uma empresa só como uma carteira de produtos, e sim como um conjunto de forças, capacidades e habilidades? 3.Por que os japoneses são bons na adoção do conceito de competência essencial? 4.Analise o 6º parágrafo do texto e identifique os elementos construtivos que são abordados pelo autor. 5.Qual é a vantagem de identificar os indivíduos que representam a competência essencial da empresa? 6.Qual a importância de desamprender para, então, aprender?

22 22 NONAKA, I.; TAKEUCHI, H.. Criação do Conhecimento na Empresa – Como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, PROBST, Gilbert. Gestão do Conhecimento: os elementos construtivos do sucesso. Porto Alegre: Bookman, ROSSINI, Alessandro Marco. Administração de Sistemas de Informação e a Gestão do Conhecimento. Cengage Learning, Referências Bibliográficas


Carregar ppt "Gestão do Conhecimento Prof° Carmen Lucia Asp de Queiroz Esta apostila foi desenvolvida para ajudar na aprendizagem e desenvolvimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google