A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A UNIVERSIDADE EM TEMPO DE CHOQUE CULTURAL Luiz Bevilacqua Palestra UERJ – Aula Magna Faculdade de Engenharia 25 de Março de 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A UNIVERSIDADE EM TEMPO DE CHOQUE CULTURAL Luiz Bevilacqua Palestra UERJ – Aula Magna Faculdade de Engenharia 25 de Março de 2010."— Transcrição da apresentação:

1 A UNIVERSIDADE EM TEMPO DE CHOQUE CULTURAL Luiz Bevilacqua Palestra UERJ – Aula Magna Faculdade de Engenharia 25 de Março de 2010

2 AS SEMENTES DA EXPLOSÃO DO CONHECIMENTO Capacidade de observação – Microcosmos – Macrocosmos Telescópios Exploração do espaço Capacidade de calcular – Computação

3 Stunning images of individual carbon atoms in graphene, obtained at the Lawrence Berkeley National Laboratory. Credit: Lynn Yarris CAPACIDADE DE OBSERVAÇÃO DO MICRO- COMO AO MACROCOSMO. These eerie, dark pillar-like structures are actually columns of cool interstellar hydrogen gas and dust that are also incubators for new stars. The pillars protrude from the interior wall of a dark molecular cloud like stalagmites from the floor of a cavern.Credit: Jeff Hester and Paul Scowen (Arizona State University), and NASA/ESA NASAESA

4 Elementos Finitos: malha 3-D de casa de forças de usina hidrelétrica. Programa de Engenharia Civil-COPPE-UFRJ. O número de elementos da malha é de milhões. Population of infected humans (dark line) and infected mosquitoes (light line) employing appropriated health care. Credit: Ana Wise, LNCC,MCT.. CAPACIDADE DE CALCULAR

5 Interdisciplinaridade manifesta-se muito claramente com a possibilidade que se tem hoje de modelar e simular fenômenos dos mais variados tipos Figure 3. Trajectories in the phase space for initial conditions: (a) g 1 = P= 0 and g 2 0 and (b) g 2 =P=0 and g 1 0 Fig. 6. Case C. Projection of the phase space on the plane Pxg 2 (a) and time variation of the mature fish population (b). INTERDISCIPLINARIDADE

6 INTERAÇÃO ENTRE DIFERENTE ÁREAS DO CONHECIMENTO Novas metodologias para enfrentar problemas novos. As janelas entre os vários compartimentos da ciência estão abertas. Esta nova abordagem de tratar temas científicos e tecnológicos chama-se: multi- inter- or trans-disciplinar. Biologia, medicina, ecologia, economia, arqueologia associadas com outras disciplinas como física, química, e matemática. MODELS

7 A REPLICAÇÃO QUE É FREQUENTE EM FENÔMENIOS NATURAIS IMPLICA NUM COMPROMISSO ENTRE GEOMETRIA E PROPRIEDADES FÍSICAS?

8 A EMERGÊNCIA DE UMA NOVA CIÊNCIA E UMA NOVA TECNOLOGIA

9 INTERDISCIPLINARIDADE VS. SUPERFICIALIDADE POÇOS DISCIPLINARES TUNEL INTER- DISCIPLINAR NOVOS POÇOS

10 …. But the spread, both in width and depth, of the multifarious branches of knowledge during the last hundred odd years has confronted us with a queer dilemma. We feel clearly that we are only now beginning to acquire reliable material for welding together the sum-total of what is known into a whole; but, on the other hand, it has become next to impossible for a single mind fully to command more than a small specialized portion of it. I can see no other escape from this dilemma (lest our true aim be lost for ever) than that some of us should venture to embark on a synthesis of facts and theories, albeit with second-hand and incomplete knowledge of some of them, and at the risk of making fools of themselves. So much for my apologize E. SHRODINGER A propósito da interdisciplinaridade

11 PALESTRA DO PROFESSOR ALAOR CHAVES INTERDISICIPLINARIDADE

12 Mais do que a era do conhecimento vivemos hoje tempos de um avanços científicos e tecnológicos incontroláveis O passado tende a penetrar o futuro fazendo explodir o presente. Tecnicamente uma verdadeira onda de choque. Nós estamos vivendo a era do choque cultural. O CHOQUE CULTURAL ACELERAÇÃO

13 TEMPOS DE ONDA DE CHOQUE CULTURAL O PASSADO COMPRIME-SE EM DIReÇÃO AO FUTURO

14 SURFAR É O MODO CORRETO DE PASSAR POR UMA ONDA DE CHOQUE SURFAR NÃO É UM NOVO ESTILO DE NADAR É PRECISO UMA PRANCHA

15 OS DESAFIOS DA NOVA ERA A ORGANIZAÇÃO TRADICIONAL DA UNIVEERSIDADE ESTÁ ESGOTADA A ORGANIZAÇÃO TRADICIONAL DA UNIVEERSIDADE ESTÁ ESGOTADA NÃO HÁ MUITO TEMPO PARA PENSAR E DECIDIR NÃO HÁ MUITO TEMPO PARA PENSAR E DECIDIR É PRECISO ASSUMIR RISCOS É PRECISO ASSUMIR RISCOS TEM-SE QUE ESTAR PREPARDO PARA RÁPIDAS MUDANÇAS DE RUMO TEM-SE QUE ESTAR PREPARDO PARA RÁPIDAS MUDANÇAS DE RUMO É NECESSÁRIO QUESTIONAR AS VELHAS REGRAS E LUTAR POR NOVOS ESTATUTOS MAIS FLEXÍVEIS E ADEQUADOS À DINÂMICA DO NOSSO TEMPO É NECESSÁRIO QUESTIONAR AS VELHAS REGRAS E LUTAR POR NOVOS ESTATUTOS MAIS FLEXÍVEIS E ADEQUADOS À DINÂMICA DO NOSSO TEMPO É NECESSÁRIO ACHAR UMA PRANCHA ADEQUADA É NECESSÁRIO ACHAR UMA PRANCHA ADEQUADA DE QUALQUER FORMA TEMOS QUE ESTAR PREPARADOS PARA CAIR E LEVANTAR DE QUALQUER FORMA TEMOS QUE ESTAR PREPARADOS PARA CAIR E LEVANTAR

16 Implica em mudanças substanciais, não é apenas uma questão de revisão de curriculo, introduzir ou cancelar um par de disciplinas. O IMPACTO NAS UNIVERSIDADES

17 OS DEPARTAMENTOS DEVEM SER SUPRIMIDOS Os departamentos devem ser dissovidos na Nova Universidade. A organização acadêmica de C&T pode ser elaborada em torno de três Centros Ciências da Natureza e Humanidades: A descoberta Matemática e Computação. A crítica Engenharia e Ciências Sociais Aplicadas: A invenção

18 REORGANIZAR A MATÉRIA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA A organização clássica que divide as chamadas ciências duras em fisica, química biologia, computação, matemática precisa ser revista. A criação de novas disciplinas orientadas segundo novos critérios ajudará a interação entre indivíduos com formações diferentes e estimulará aa pesquisa cooperativa e interdisciplinar.

19 A NOVA ORIENTAÇÃO Para permitir a implemantação da nova ciência as disciplinas devem ser organizadas segundo novos eixos: Estrutura da matéria Do contínuo a partículas elementares Energia Mecânica térmica, eletromagnética, quântica Informação e comunicação Suporte físico, conteúdo da informação, significado

20 A NOVA ORIENTAÇÃO Processos de transformação Sem controle e controle por ações exógenas, cosmologia, geofísica, processo físicos, químicos e bioquímicos Auto controlados, rativos, conscientes, biológicos, vida Coletivos, evolucionários, históricos, civilização, religião, formação das nações, globalização. Representação e simulação Matemática pura, lógica, modelagem matemática e computacional

21 NOVAS ÁREAS Cognição Neirociências, psicologia, comunicação, modelagem matemática Conhecimento racional Intuição, criatividade, memória e atenção Conhecimento transcendental, fé, mitos e crenças. Arte, emoção

22 QUESTÕES DESAFIDORAS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E HUMANIDADES Deus: existência, conceitos, consequências A influência da religião no comportamento humano, ações políticas e atitudes éticas. Biosfera, preservação do planeta terra, riscos e mitigação. A floresta Amazonica como um sistema termodinâmico complexo. Globalização, problemas socio-econômicos, ciência e tecnologia. O papel dos esportes na interação entre as nações.

23 EDUCAR Estimular a criatividade – Mais estudo e menos aula – Pensar Conquistar auto-confiança – Ousar e reduzir a aversão ao risco Tomar decisões e ter iniciativas – Menos queixas e mais soluções

24 MOBILIDADE DE ESTUDANTES E PROFESSORES Intercâmbio de Estudantes: Graduação e Pós-graduação Intercâmbio de Professores: Universidades e Empresas Professores Conferencistas nos temas profissionais Eliminar barreiras entre gradução e pós- graduação, professores, técinos e estudantes: construir uma comunidade

25 Mobilidade profissional: O jovem egresso da Universidade vê-se diante de várias opções de trabalho que não se conformam aos padrões tradicionais. Novas demandas da sociedade versus profissões não regulamentadas: Algumas das novas profissões não são regulamentadas nem se encaixam nas definições clássicas. Especificidade da demanda de mercado versus perfil do profissional: Não é mais possível formar um profissional pronto ou quase pronto para enfrentar os problemas práticos. As empresas são diversificadas, têm seus instrumentos próprios de trabalho. FORMAÇÃO PARA O FUTURO

26 Organização curricular com ênfase nas ciências básicas: O conhecimento gerado a partir de pesquisas no campo das chamadas ciências básicas tem uma taxa de obsolescência muito mais reduzida do que as disciplinas profissionais. Oportunidades de negócios versus perfil do profissional: Historicamente, tem ocorrido um estrangulamento na oferta de empregos e a alternativa de se começar mini-empresas ou negócios individuais torna-se uma possibilidade importante e única em muitas situações FORMAÇÃO PARA O FUTURO

27 Estimular e desenvolver nos estudantes as habilidades de descobrir, inventar e sistematizar, características respectivamente das Ciências Naturais, das Engenharias e das Matemáticas; Individualizar, ainda que parcialmente, o currículo de modo que o aluno possa desenhar sua formação profissionalizante de acordo com sua vocação e suas aspirações. FORMAÇÃO PARA O FUTURO

28 Uma das obrigações da Universidade é traduzir em linguagem acessível ao cidadão com um mínimo de educação os avanços científicos e tecnológicos. Organizar seminários para divulgar esses conhecimentos que se incorporam rápidamente no acervo da sociedade moderna. PROGRAMAS DE DIFUSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

29 Não contar exclusivamente com o suporte do Estado Considerar que os estudantes estão imersos num ambiente cultural dinâmico e diferente daquele que prevaleceu na época dos professores na sua maioria (sala de aula) A indústria tem que ver a universidade dentro de sua missão específica, primariamente como ator responsável pelo avanço do conhecimento A sociedade em geral tem que entender que a Universidade não é uma instituição burocrática destinada a conferir diplomas, mas um lugar adequado para se adquirir conhecimento, competência, e ganhar experiência humana vivendo dentro de uma comunidade com um espectro cutural muito amplo. PARA ALCANÇAR COM ÊXITO SUA MISSÃO É NECESSÁRIO

30 A UNIVERSIDADE PARA O SÉCULO XXI O principal compromisso da Universidade com a sociedade é a recuperação do gosto pelo conhecimento, mostrar as a beleza inerente aos mistérios da natureza ou econdida num objeto matemático. Ela foi fundada com a perspectiva de que o conhecimento não é apenas um dos meios de resposta à demanda de mercado mas sobretudo para o iluminamento do espírito humano. Tudo isso acoplado com a formação de todos os seus membros particularmente dos jovens estudantes.

31 A UNIVERSIDADE PARA O SÉCULO XXI O projeto da Universidade para o século XXI deve ser sustentado pela liberdade de explorar novos caminhos que aproximará a Universidade da sua missão original e universal : descobrir, inventar, pensar criticamente. A educação no seu sentido mais permanente deve encorajar os estudantes a fazer suas próprias escolhas, assumir riscos, aceitar desafios e pensar com criatividade.

32 O AMBIENTE CULTURAL BRASILEIRO Predominância do diploma sobre a competência. As pessoas são mais recompensadas pelo diploma do que pela competência. Falta de auto- confiança e a consequente valorização de produtos estrangeiros em confronto com a produção endógena. Acordos entre pessoas e instituições assentadas sobre suspeitas

33 Desqualificação de cursos profissionalizantes tão importantes no conjunto de instituições de ensino superior. Falta de escala apropriada de salários que remunerem a competência e não o título. Dificuldade de reconhecimento das novas competências profissionais nos respectivos orgãos de regulação. ( Na realidade a autorização para o exercício profissional deveria ser dada pelos orgãos regulatórios) O AMBIENTE CULTURAL BRASILEIRO

34 NOVIDADE ANIMADORAS Aparentemente começam a brotar novas atitudes: crescente auto-confiança, presença na comunidade internacional, capacidade de competir internacionalmente Produção tecnológicamente avançada em vários setores: aeronautico, exploração em águas profundas, biotecnologia, agro-negócios Capacidade de explorar recursos naturais de grande porte Presença crescente na comunidade cietífica internacional Elaboração de uma agenda própria de C&T sem atrelamentos impositivos da agenda dos países desenvolvidos.

35 As revistas de ciências e engenharia que eram muito poucas nos anos 60 saltaram para aproximadamente 250 reconhecidas pelo comitê CAPES/CNPq como tendo alcançado bons padrões editoriais. Destas 250, 27 referem-se a engenharia cerca de 11% do total NOVIDADE ANIMADORAS

36 CRESCIMENTO NA FORMAÇÃO DE DOUTORES

37 CRESCIMENTO DO NÚMERO DE PUBLICAÇÕES

38 OBRIGADO PELA ATENÇÃO

39 After more than 30 years of hard work ABCM is reaching a position to effectively contribute not only with academic issues but also with industrial and educational policies. We should also be present in the discussion about the future of our planet This is a problem that concerns all of us. We should also to foster the appreciation for knowledge.The voracity to consume should be counterbalanced by the joy of learning. We could contribute with several actions as the development of equipments, software and game to be part of the achievements of live or virtual museums. A WORD ABOUT OUR FUTURE

40 Formação para o Futuro Revisão da estrutura de conteúdos: 100 anos de ciência Ênfase na formação básica: menor obsolescência Liberdade de trajetórias: novos perfís profissionais Eliminar barreiras: interdisciplinaridade

41 A Proposta da UFABC Eliminar departamentos Reorganizar o recorte do conhecimento científico Instituir disciplinas com conteúdos abertos sob a coordenação da pro-reitoria de Graduação Maior liberdade na composição do currículo Admissão á Universidade

42 As Trajetórias

43 Flexibilidade e Competição BCT Competição pelos melhores alunos: Engenharias vs. Ciências da Natureza vs. Matemática e Computação Engenharia Ciências da Natureza Matemática e Computação Engenharia Ciências da Natureza Matemática e Computação

44 Flexibilidade e Multiplicidade ENGENHARIA CIÊNCIAS DA NATUREZA MATEMÁTICA COMPUTAÇÃO

45 Alguns Nós Legislação Autonomia Administrativa e Financeira Desvalorização de outras missões do Ensino Superior Universidade, Elitismo, Inclusão e Avaliação. TCU, CGU e futuros XXU A Torre de Marfim e a Extensão

46 Um nó crítico Não se põe vinho novo em vasos velhos Reforma da Infra-estrutura administrativa Outro nó crítico Desvirtuamento da investigação científica e tecnológica

47 Universidade da California Merced - Missão The university UC Merceds unique mission is as a student- centered research university. The campus opened Sept. 5, 2005, alongside Lake Yosemite, and is the first new American research university in the 21st century.unique mission

48 UC Merced Os Centros, Profs&Estudantes Three schools, The School of Engineering, The School of Natural Sciences and The School of Social Sciences, Humanities and Arts, an ever- expanding list of majors, minors and and graduate programs, more than 80 full-time faculty members and dozens of lecturers. The student body numbers more than 1,200 (as of January 2007)The School of EngineeringThe School of Natural SciencesThe School of Social Sciences, Humanities and Artsmajors, minors graduate programs faculty

49 UC Merced Ênfases na pós-graduação Applied Mathematics Atomic and Molecular Science and Engineering Computer and Information Systems Environmental Systems Quantitative and Biology Systems Social and Cognition Sciences

50 UC Merced Tempo para projetar Founding Chancellor Carol Tomlinson-Keasey has returned to teaching after seven years working to open UC Merced, and in January 2007, the UC Board of Regents appointed UC Santa Cruz engineering dean Sung-Mo "Steve" Kang as chancellor. He took office March 1, 2007.Sung-Mo "Steve" Kang

51 UFABC The main commitment of the UFABC toward society is to recover the appreciation for scientific learning, to show the beauty inherent in the mysteries of nature and hidden in a mathematical object. It was founded on the assumption that knowledge is not only a means to response to market demands but above all to the enlightenment of the human spirit.

52 UFABC The project of a university for the XXI century should be sustained by the freedom to explore new paths that will lead the University closer to its original and universal purpose : to discover, to invent and to think critically. The education system should encourage students to make their own choices, to take risks, to accept challenges and to think creatively.

53 UFABC Classical organization that breaks up the so called hard sciences into physics, chemistry, biology, computer science and mathematics should be reviewed. The creation of courses following a new profile would help the interaction of people with different backgrounds and would enforce collaborative and interdisciplinary research.

54 UFABC To foster the implementation of the new science courses are organized along five guide lines inspiring new research fields. Structure of matter Energy Transformation processes Information and communication Representation and simulation (math.) Humanities and applied social sciences

55 UFABC There are no Departments in the UFABC. Three Schools compose the academic organization of the university, namely: School of Natural Sciences and Humanities School of Mathematics, Computation and Cognition School of Engineering and Social Sciences

56 Harvard General Education (May 2007) A Harvard education is a liberal education that is, an education conducted in a spirit of free inquiry undertaken without concern for topical relevance or vocational utility. This kind of learning is not only one of the enrichments of existence; it is one of the achievements of civilization.

57 Harvard General Education (May 2007) Subject Area Descriptions – 1. Aesthetic and Interpretive Understanding – 2. Culture and Belief – 3. Empirical Reasoning – 4. Ethical Reasoning – 5. Science of Living Systems – 6. Science of the Physical Universe – 7. Societies of the World – 8. The United States in the World

58 Harvard General Education (May 2007) We have therefore made an effort not to map these eight subject areas onto departments. We expect that some general education courses will involve collaborative teaching by faculty from different departments or even different divisions and Schools; other courses may be taught from a single disciplinary perspective.

59 Harvard General Education (May 2007) … appoint a separate committee to administer a regular five-year review of all general education requirements and offerings, including the definition of the subject areas and the criteria for courses offered in those areas.

60 Princeton Integrated Science is a revolutionary new introductory science curriculum developed at Princeton, intended for students considering a career in science. By breaking down traditional disciplinary barriers, a series of courses taken in the freshman and sophomore years provides students with first-rate preparation for a major in any of the core scientific disciplines, and in such a way that helps retain the connections to the other disciplines.

61 Princeton The curriculum is founded on the expectation that much of the most important science of the future, though based on the classical disciplines, will lie in areas that span two or more of them. " Any budding researcher needs a foundation in several fields to be able to work on the most important problems confronting scientists today…" David Botstein, director, Lewis-Sigler Institute for Integrative Genomics

62 Princeton The Integrated Science sequence is suitable for any undergrad. considering concentrating in the sciences or engineering at Princeton. The core training is perfect preparation for a very broad range of careers, both within and outside science. The curriculum is especially valuable for students interested in bridging the traditional barriers between the biological and the physical sciences.

63 Globalização O mega-negócio educacional – Satisfazer a demanda! – Emprego e riqueza. – Divisão de competências Nós – Falta de auto-confiança, medo de ousar. – A chancela externa. – Diplomas e cartórios – Ransos dos anos 60/70. – Universidade, ensino superior, autonomia. Os outros – Ensino à distância – Bi-titulação – Como fazer cooperação universidade-empresa. Haverá saída?

64 A Nation at Risk IF AN UNFRIEDLY FOREIGN POWER ATTEMPETED TO IMPOSE ON AMERICA THE MEDIOCRE EDUCATIONAL PERFORMANCE THAT EXISTS TODAY, WE MIGHT HAVE VIEWED IT AS NA ACT OF WAR. An Open Letter to the American People The National Commission on Excellence in Education April 1983.

65 ORIGENS E ARQUITETOS Carta de Angra Comitê para Educação Superior da Academia Brasileira de Ciências Comitê da Estrutura Geral da UFABC Comitê de Detalhamento do projeto pedagógico


Carregar ppt "A UNIVERSIDADE EM TEMPO DE CHOQUE CULTURAL Luiz Bevilacqua Palestra UERJ – Aula Magna Faculdade de Engenharia 25 de Março de 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google