A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E APLICADAS – CCHSA PROJETO DE PRÁTICAS DE FORMAÇÃO – APROVADO EM 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E APLICADAS – CCHSA PROJETO DE PRÁTICAS DE FORMAÇÃO – APROVADO EM 2005."— Transcrição da apresentação:

1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E APLICADAS – CCHSA PROJETO DE PRÁTICAS DE FORMAÇÃO – APROVADO EM 2005 (REELABORADO PARA REOFERECIMENTOS EM 2009) Título - Religião: da capela à favela

2 1.1. Tipo de Atividade: Aulas Expositivas, seminários, oficinas e visitas às comunidades carentes. Aulas Expositivas, seminários, oficinas e visitas às comunidades carentes.

3 4.Objetivos específicos: Desenvolver uma reflexão crítica e sistemática, colaborando com o universitário na formação da sua consciência com relação ao sentido global da existência na sociedade e no mundo, em suas várias dimensões, inclusive com respeito à transcendência. Desenvolver uma reflexão crítica e sistemática, colaborando com o universitário na formação da sua consciência com relação ao sentido global da existência na sociedade e no mundo, em suas várias dimensões, inclusive com respeito à transcendência. Contribuir com uma reflexão de base científica no que se refere a história da religião e ao fenômeno religioso como forma de interpretação da realidade atual. Contribuir com uma reflexão de base científica no que se refere a história da religião e ao fenômeno religioso como forma de interpretação da realidade atual. Fomentar reflexões a cerca da fenomenologia religiosa enquanto experiência intrínseca e profunda da existência humana, em suas perspectivas histórico-pessoal e histórico-social. Fomentar reflexões a cerca da fenomenologia religiosa enquanto experiência intrínseca e profunda da existência humana, em suas perspectivas histórico-pessoal e histórico-social. Estabelecer aproximações entre as religiões cristãs em seus contextos históricos, sociais, filosóficos e pastorais, no Brasil e na América Latina. Estabelecer aproximações entre as religiões cristãs em seus contextos históricos, sociais, filosóficos e pastorais, no Brasil e na América Latina.

4 2. Ementas: Estuda as formas da cultura humana e analisa o fenômeno religioso na modernidade através das interfaces da história, da filosofia e da teologia com as Ciências da Religião. Estuda as formas da cultura humana e analisa o fenômeno religioso na modernidade através das interfaces da história, da filosofia e da teologia com as Ciências da Religião. Interpreta as realidades e busca a reflexão dos significados das religiões e da inserção social, levando os universitários a compreensão do papel das religiões nas relações comunitárias e sociais. Interpreta as realidades e busca a reflexão dos significados das religiões e da inserção social, levando os universitários a compreensão do papel das religiões nas relações comunitárias e sociais.

5 3. Descrição da Prática de Formação: Serão elaborados grupos, plenários e seminários em sala de aula a partir de recursos audio-visuais (data-show, filmes e transparências). Serão realizadas duas visitas a comunidades na RM de Campinas. Os locais serão estratégicos, ou seja, uma comunidade caracterizada pela ocupação de terra (favela ou invasão). Será conhecida uma realidade, suas atividades sociais e religiosas que exercem um trabalho comunitário significativo. Propõe-se fazer a articulação entre a teoria e prática, entre o papel que a doutrina social da Igreja estabelece e os estereótipos criados pela sociedade atual, ou seja, entre o conhecimento e a vivência da fé no mundo contemporâneo Serão elaborados grupos, plenários e seminários em sala de aula a partir de recursos audio-visuais (data-show, filmes e transparências). Serão realizadas duas visitas a comunidades na RM de Campinas. Os locais serão estratégicos, ou seja, uma comunidade caracterizada pela ocupação de terra (favela ou invasão). Será conhecida uma realidade, suas atividades sociais e religiosas que exercem um trabalho comunitário significativo. Propõe-se fazer a articulação entre a teoria e prática, entre o papel que a doutrina social da Igreja estabelece e os estereótipos criados pela sociedade atual, ou seja, entre o conhecimento e a vivência da fé no mundo contemporâneo

6 5.Contribuição para a formação: A PF propicia, através das ciências humanas, um conhecimento integral e uma capacitação aos universitários como pessoas em diálogo com a sociedade, levando-os a perceberem a importância das religiões, suas culturas e doutrinas sociais, principalmente dando ênfase ao papel da fé na secularização. A PF propicia, através das ciências humanas, um conhecimento integral e uma capacitação aos universitários como pessoas em diálogo com a sociedade, levando-os a perceberem a importância das religiões, suas culturas e doutrinas sociais, principalmente dando ênfase ao papel da fé na secularização.

7 6. Metodologia : 6. Metodologia : Parte das práticas constará de conteúdos expositivos, e demais momentos serão utilizados recursos audio-visuais, tais como análises de filmes, documentários e obras. Parte das práticas constará de conteúdos expositivos, e demais momentos serão utilizados recursos audio-visuais, tais como análises de filmes, documentários e obras. Serão elaborados seminários e plenários, o que resultarão em planos e projetos trabalhos sociais após as cisitas aos locais e realidades estudados. Serão elaborados seminários e plenários, o que resultarão em planos e projetos trabalhos sociais após as cisitas aos locais e realidades estudados. O método é o VER – JULGAR – AGIR. O método é o VER – JULGAR – AGIR.

8 7. Conteúdo Programático: 7. Conteúdo Programático: Apresentação. Introdução temática Apresentação. Introdução temática 1. História da Igreja Geral e do Brasil As origens e expansão do Cristianismo no mundo antigo; A Igreja Medieval; As origens e expansão do Cristianismo no mundo antigo; A Igreja Medieval; A Igreja e a Modernidade; A Igreja comoSocietas Perfecta; A Igreja e a Modernidade; A Igreja comoSocietas Perfecta; O Concílio Vaticano II e as mudanças na Igreja. O Concílio Vaticano II e as mudanças na Igreja. A Igreja e a sociedade contemporânea brasileira A Igreja e a sociedade contemporânea brasileira

9 2. A filosofia e a Educação. A construção do conhecimento. 2. A filosofia e a Educação. A construção do conhecimento. A filosofia e a religião. Métodos. A filosofia e a religião. Métodos. A educação e as metodologias. A educação e as metodologias. A metodologia científica. Planos, planejamentos e a elaboração de projetos sociais. A metodologia científica. Planos, planejamentos e a elaboração de projetos sociais.

10 3.Introdução às abordagens sócio-antropológico- pastorais. 3.Introdução às abordagens sócio-antropológico- pastorais. A Religião, a antropologia teológica, as ciências da religião e a transcendência. A Religião, a antropologia teológica, as ciências da religião e a transcendência. A Doutrina Social da Igreja. As relações humanas e a busca do sagrado. A Doutrina Social da Igreja. As relações humanas e a busca do sagrado. Da fenomenologia da religião às ciências humanas. Do patriarcalismo às análises das relações de gênero. As desigualdades sociais e o papel das instituições religiosas. Da fenomenologia da religião às ciências humanas. Do patriarcalismo às análises das relações de gênero. As desigualdades sociais e o papel das instituições religiosas.

11 4. As religiões nas lógicas do espaço e da cidade hoje. Os impactos da fé na cidade. A fé, as doutrinas sociais e a realização humana na conjuntura social e religiosa em Campinas. 4. As religiões nas lógicas do espaço e da cidade hoje. Os impactos da fé na cidade. A fé, as doutrinas sociais e a realização humana na conjuntura social e religiosa em Campinas. Conclusão. Entrega dos trabalhos, propostas e planos. Conclusão. Entrega dos trabalhos, propostas e planos.

12 8. Bibliografias: HISTÓRIA HISTÓRIA Básica Básica KÜNG, Hans. A Igreja Católica. Rio de Janeiro, Objetiva KÜNG, Hans. A Igreja Católica. Rio de Janeiro, Objetiva MARTINA, Giacomo. História da Igreja de Lutero aos nossos dias: a era contemporânea. São Paulo. Loyola MARTINA, Giacomo. História da Igreja de Lutero aos nossos dias: a era contemporânea. São Paulo. Loyola AZZI, Riolando. História da Igreja no Brasil: Ensaio de interpretação a partir do povo. Tomo II/3.2. Terceira época: Petrópolis.Vozes.2008 AZZI, Riolando. História da Igreja no Brasil: Ensaio de interpretação a partir do povo. Tomo II/3.2. Terceira época: Petrópolis.Vozes.2008 Complementar Complementar BEOZZO, José Oscar. A Igreja do Brasil no Concílio Vaticano II: São Paulo. Paulinas.2005 BEOZZO, José Oscar. A Igreja do Brasil no Concílio Vaticano II: São Paulo. Paulinas.2005 LIBÂNIO. J.B. Qual o futuro do cristianismo? S.paulo.Paulus LIBÂNIO. J.B. Qual o futuro do cristianismo? S.paulo.Paulus ZAGHENI, Guido. A Idade Contemporânea: Curso de História da Igreja. São Paulo. Paulus ZAGHENI, Guido. A Idade Contemporânea: Curso de História da Igreja. São Paulo. Paulus.1999.

13 ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA Básica Básica ALVES, R. O enigma da religião. Campinas. Papirus ALVES, R. O enigma da religião. Campinas. Papirus ________. O suspiro dos oprimidos. São Paulo. Paulinas ________. O suspiro dos oprimidos. São Paulo. Paulinas ________;Poesia, profecia, magia. Rio de Janeiro. CEDI – Centro Ecumênico de Documentação e Informação ________;Poesia, profecia, magia. Rio de Janeiro. CEDI – Centro Ecumênico de Documentação e Informação LIBÃNIO, J.B. As lógicas da cidade. O impacto sobre e sob o impacto da fé. Loyola. S.P LIBÃNIO, J.B. As lógicas da cidade. O impacto sobre e sob o impacto da fé. Loyola. S.P ________. Olhando para o futuro. Prospectivas Teológicas e pastorais do Cristianismo na América Latina. Loyola. SP ________. Olhando para o futuro. Prospectivas Teológicas e pastorais do Cristianismo na América Latina. Loyola. SP VV.AA. O humano, lugar do sagrado. São Paulo; Olho D água; VV.AA. O humano, lugar do sagrado. São Paulo; Olho D água; 2001.

14 Complementar BOWKER, John. Para entender as religiões. São Paulo: Ed. Ática, BOWKER, John. Para entender as religiões. São Paulo: Ed. Ática, BOFF, Leonardo. O despertar da águia. O dia-bólico e o sim-bólico na construção da realidade. Petrópolis: Vozes, BOFF, Leonardo. O despertar da águia. O dia-bólico e o sim-bólico na construção da realidade. Petrópolis: Vozes, COMPÊNDIO DE DOUTRINA SOCIAL. Paulus. S.Paulo COMPÊNDIO DE DOUTRINA SOCIAL. Paulus. S.Paulo CHAUI, Marilena. A experiência do Sagrado. In Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1995 CHAUI, Marilena. A experiência do Sagrado. In Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1995 CAMPBELL, Joseph. O poder do mito. São Paulo: Ed. Palas Athena, s/d. CAMPBELL, Joseph. O poder do mito. São Paulo: Ed. Palas Athena, s/d. GOTO, Tommy Akira. O Fenômeno Religioso. A fenomenologia em Paul Tillich. São Paulo. Paulus GOTO, Tommy Akira. O Fenômeno Religioso. A fenomenologia em Paul Tillich. São Paulo. Paulus HELLERN, Victor, NOTAKER, Henry e GAARDER, Jostein. O livro das religiões. São Paulo: Cia. das Letras, HELLERN, Victor, NOTAKER, Henry e GAARDER, Jostein. O livro das religiões. São Paulo: Cia. das Letras, MARTELLI, Stefano. A religião na sociedade pós-moderna. São Paulo: Paulinas, MARTELLI, Stefano. A religião na sociedade pós-moderna. São Paulo: Paulinas, MAY, Rollo; O homem à procura de si mesmo; Petrópolis. Vozes MAY, Rollo; O homem à procura de si mesmo; Petrópolis. Vozes METTE,Norbert. Pedagogia da Religião. Petrópolis. Vozes METTE,Norbert. Pedagogia da Religião. Petrópolis. Vozes SOARES, M. L. Soares. Interfaces da Revelação. Pressupostos para uma teologia do sincretismo religioso no Brasil. São Paulo. Paulinas SOARES, M. L. Soares. Interfaces da Revelação. Pressupostos para uma teologia do sincretismo religioso no Brasil. São Paulo. Paulinas

15 FILOSOFIA E EDUCAÇÃO Básica Básica LIBÂNIO, João Batista Introdução à Vida Intelectual. São Paulo. Loyola LIBÂNIO, João Batista Introdução à Vida Intelectual. São Paulo. Loyola SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 21 ed. rev.e ampl. SP. Cortez SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 21 ed. rev.e ampl. SP. Cortez Complementar Complementar ANASTASIOU, Lea das Graças Camargos – ALVES, Leonir Pessate. Processos de Ensinagem na Universidade. Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Santa Catarina. Univille. ANASTASIOU, Lea das Graças Camargos – ALVES, Leonir Pessate. Processos de Ensinagem na Universidade. Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Santa Catarina. Univille. DEMO, Pedro. Pesquisa, Princípio Científico e Educativo. São Paulo: Cortez DEMO, Pedro. Pesquisa, Princípio Científico e Educativo. São Paulo: Cortez GADOTTI, Moacir. Concepção Dialética da Educação. Um Estudo Introdutório. São Paulo:Cortez: autores associados, GADOTTI, Moacir. Concepção Dialética da Educação. Um Estudo Introdutório. São Paulo:Cortez: autores associados, HERGUETTE, Teresa Maria Frota (org.) Dialética Hoje. Petrópolis. R.J. Vozes, HERGUETTE, Teresa Maria Frota (org.) Dialética Hoje. Petrópolis. R.J. Vozes, Pinto, Álvaro Vieira. Ciência e Resistência. R.S. Paz e Terra Pinto, Álvaro Vieira. Ciência e Resistência. R.S. Paz e Terra JACOBINI, Maria Letícia de Paiva. Metodologia do Trabalho Acadêmico. Campinas. Alínea JACOBINI, Maria Letícia de Paiva. Metodologia do Trabalho Acadêmico. Campinas. Alínea LIBÂNIO, A arte de formar-se. Coleção CES. Loyola. São Paulo LIBÂNIO, A arte de formar-se. Coleção CES. Loyola. São Paulo. 2001

16 Previsão de Avaliação (75% de freqüência e aproveitamento 0 ou 10 – Satisfatório ou Insatisfatório). O critério será o da elaboração de um mini-projeto em grupos, envolvendo os conteúdos teóricos e os da participação nas viagens e nos seminários. Disponibilidade, participação e aproveitamento do trabalho em equipe. Serão avaliados também: a reflexão em sala, a capacidade de conclusão e relação das teorias com a vida concreta. (75% de freqüência e aproveitamento 0 ou 10 – Satisfatório ou Insatisfatório). O critério será o da elaboração de um mini-projeto em grupos, envolvendo os conteúdos teóricos e os da participação nas viagens e nos seminários. Disponibilidade, participação e aproveitamento do trabalho em equipe. Serão avaliados também: a reflexão em sala, a capacidade de conclusão e relação das teorias com a vida concreta.

17 Docentes do CCHSA envolvidos no projeto Profa. IveniseTeresinha Gonzaga Santinon. Profa. IveniseTeresinha Gonzaga Santinon. Prof. Rui Machado Rodrigues Prof. Rui Machado Rodrigues Prof. Jamil Cury Sawaya Prof. Jamil Cury Sawaya


Carregar ppt "PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E APLICADAS – CCHSA PROJETO DE PRÁTICAS DE FORMAÇÃO – APROVADO EM 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google