A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Superlotação dos Pronto Socorros Adalgisa Borges Nogueira Nomura CREMESP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Superlotação dos Pronto Socorros Adalgisa Borges Nogueira Nomura CREMESP."— Transcrição da apresentação:

1 Superlotação dos Pronto Socorros Adalgisa Borges Nogueira Nomura CREMESP

2 Imprensa 1 Superlotação complica atendimento no Hospital das Clínicas Em São Paulo, o pronto-socorro do Hospital das Clínicas corre o risco de colapso. O número de pacientes ultrapassou em quase um terço a capacidade de atendimento. Não cabe mais ninguém. O pronto-socorro do Hospital das Clínicas vinha recebendo 650 pacientes por dia. Nessa semana, ultrapassou todos os limites: atendeu 900 num único dia. Superlotação no pronto socorro infantil de Linhares 06/05/2008 A direção do pronto socorro de Linhares reconheceu que a procura por atendimento foi maior que a quantidade de médicos. No plantão estavam dois pediatras, três clínicos gerais e um cirurgião. Superlotação faz HC da Federal de Uberlândia interromper atendimento O pronto-socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU) enfrenta mais uma vez o problema da superlotação. Na manhã de ontem, por causa da falta de espaço, a direção do hospital fechou o atendimento do PS para pacientes encaminhados por outras unidades de saúde da cidade e por outros

3 Imprensa 2 Superlotação no Maria Alice sobrecarrega médicos Situação de epidemia de dengue e o período chuvoso têm contribuído para o aumento de pacientes no hospital. A procura de pacientes tem sido grande no Maria Alice Fernandes. Os médicos do Hospital Infantil Maria Alice Fernandes, no conjunto Parque dos Coqueiros, na zona Norte, estão sobrecarregados com o grande número de pacientes que têm procurado a unidade. Segundo a diretora-geral do Maria Alice, Lana Patrícia, os atendimentos praticamente dobraram nos últimos meses em comparação com o mesmo período do ano passado. Superlotação faz HC da Federal de Uberlândia interromper atendimento O pronto-socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU) enfrenta mais uma vez o problema da superlotação. Na manhã de ontem, por causa da falta de espaço, a direção do hospital fechou o atendimento do PS para pacientes encaminhados por outras unidades de saúde da cidade e por outros municípios. Ontem, às 10h35 da manhã, o setor - que conta com 80 leitos - estava com 125 pacientes nas áreas de urgência e emergência. Isso acontece sempre que o pronto-socorro recebe mais de 120 pacientes. Os doentes se amontoavam nos corredores do hospital e as macas ocupavam até mesmo o espaço destinado ao setor de pediatria, dificultando ainda mais o atendimento das crianças internadas.

4 Imprensa 3 Os corredores estão cheios e as salas da administração já foram tomadas pelas macas. Há casos simples e casos de cirurgia. "Tem gente que fica nos corredores aguardando para fazer uma cirurgia. Após ser operado, não encontra um leito disponível para a internação", disse a médica Dos 125 pacientes, cerca de 65 pacientes do PS aguardavam o encaminhamento para o setor de traumatologia. São vítimas de acidentes de trânsito, de trabalho ou domésticos Segundo a direção do hospital, a crise se agravou com a notícia de que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e as Unidades de Atendimento Integrado (UAI) não estão conseguindo atender todos os pacientes que procuram pelo serviço pelo menos 45 pacientes estavam em macas nos corredores do hospital. Segundo ela, são pessoas que precisavam ser encaminhadas para o setor de cirurgia ou enfermaria. A superlotação estaria, inclusive, adiando estes procedimentos.

5 O que é superlotação? É do PS ou do hospital? O aumento do uso do PS: busca de atestados, receitas, medicação, serviços diagnósticos ou de imagem, necessidade de internação;porta do hospital.situações de epidemia Pacientes idosos Pacientes oncológicos terminais Aguardando realização de exames Aguardando resultado de exames Aguardando avaliação de especialista Pacientes em uso de medicação; Pacientes renais crônicos/TRS Maior gravidade, necessidades mais complexas de tratamento

6 Protagonistas da superlotação nos Pronto Socorros Pacientes- Credibilidade e confiança na instituição; envelhecimento da população; falta de acesso para atendimento de saúde. Profissionais da Saúde - Escassez de profissionais;capacidade operacional no limite ou acima;baixa resolubilidade da rede hospitalar;questão salarial Gestores Públicos- questões operacionais da instituição; burocratização da internação;longo tempo para admitir pacientes com indicação de internação;longa espera para realização de exames diagnósticos e espera dos resultados;espera pela vaga de internação ou transferência do paciente;baixa resolubilidade da atenção primária.

7 Impacto da superlotação Aumento de resultados insatisfatórios Atrasos no tratamento Evasão: desistência de pacientes antes de receber tratamento Tempos de espera mais longos Aumento do número de pacientes aguardando internação Retenção de ambulâncias Descontentamento geral

8 Como prevenir a superlotação ? Regionalização/hierarquização de serviços conforme sua complexidade Atenção primária como porta de entrada do sistema Instalações e serviços adequados Organização do fluxo de pacientes Planejamento e uniformidade do cuidado Profissionais adequados e dedicados Manejo das emergências: treinamentos, protocolos Altas e transferências: agilização Equipe multidisciplinar: importância do Serviço Social identificação uma Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua moradia Triagem: classificação de risco

9 Estratégias Processos modernizados: informatização Ferramentas para avaliação da unidade: informação, utilização de indicadores Novas unidades ( AMA/UPA) Unidades de curta permanência (SE) Contratação de mais profissionais Capacitação específica e contextualização do Sistema Regulação/envolvimento das pessoas Pactuação de recursos e Regulação Médica Aumento da capacidade de leitos/otimização dos leitos Visitas resolutivas no Pronto Socorro

10 STATUS - DIA

11 Estratégias Plantão Controlador Interno- contato médico do hospital com Central de Regulação Organização das demais redes temáticas ( ortopedia/oncologia/TRS/Psiquiatria) Leitos de longa permanência/leitos de retaguarda Contra-referência- Compromisso da Central de Regulação no retorno do paciente ao local de origem após avaliação ou estabilização do paciente em condições de continuidade do tratamento. Implementação do atendimento domiciliar (desospitalização)

12 Ministério da Saúde Implementação da rede de Atenção às Urgências e Emergências- RUE A organização da RUE tem a finalidade de articular e integrar todos os equipamentos de saúde objetivando ampliar e qualificar o acesso humanizado e integral aos usuários em situação de urgência/emergência nos serviços de saúde de forma ágil e oportuna.

13 Componentes e Interfaces da RUE Promoção e Prevenção Atenção Básica Força Nacional de Saúde SAMU 192 Sala de Estabilização UPA e outros serviços com funcionamento 24h Portas Hospitalares de Atenção às Urgências Enfermarias de Retaguarda e Unidades de Cuidados Intensivos Inovações tecnológicas nas linhas de cuidado prioritárias Atenção Domiciliar Propostas de Intervenção Núcleos de Prevenção de Acidentes e Violências Salas de Observação e Criação da Força Nacional de Saúde 100 % de Cobertura e Regionalização Criação de Salas de Estabilização em Vazios Assistenciais Ampliação para 1096 unidades Investimento e Qualificação Incentivos com Valores Diferenciados IAM e AVE 100% de Cobertura

14 SAMU 192 UPA 24H HOSPITAL ATENÇÃO DOMICILIAR Acolhimento / classificação risco Promoção e prevenção Informação Qualificação profissional Regulação ATENÇÃO BÁSICA COMPONENTES E INTERFACES DA REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

15

16

17


Carregar ppt "Superlotação dos Pronto Socorros Adalgisa Borges Nogueira Nomura CREMESP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google