A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Disciplina: Interação com o Mundo Natural: Ciências da Natureza II- Plano do curso – Créditos: 04, Carga horária: 80h Objetivos, habilidades e competências.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Disciplina: Interação com o Mundo Natural: Ciências da Natureza II- Plano do curso – Créditos: 04, Carga horária: 80h Objetivos, habilidades e competências."— Transcrição da apresentação:

1 Disciplina: Interação com o Mundo Natural: Ciências da Natureza II- Plano do curso – Créditos: 04, Carga horária: 80h Objetivos, habilidades e competências a serem desenvolvidas nos alunos Refletir sobre o ensino de Ciências e sua importância para a formação do cidadão; - Analisar e refletir sobre os conteúdos a serem ensinados, a metodologia e os recursos utilizados no ensino de - Ciências no Ensino Fundamental (séries iniciais) e Educação Infantil; - Analisar e discutir sobre o planejamento e aplicação de situações pedagógicas concretas neste âmbito, focalizando a questão da interdisciplinaridade desenvolver habilidades e competências necessárias para facilitar o aprendizado em Ciências da Natureza, a partir da aplicação do método científico.

2 Ementa As ciências naturais e o método científico: aplicação no Ensino Fundamental (1ª a 4ªsérie) e na Educação Infantil. Proposta metodológica construtivista para o ensino de ciências. Educação científica e interdisciplinaridade. Fundamentos, conteúdos e procedimentos metodológicos de Física, Química,Geociências e Ciências da Vida. Conceitos básicos em Ecologia e Educação Ambiental.

3 Recursos auxiliares Vídeos, análise de artigos, desenvolvimento de jogos, práticas de ensino, desenvolvimento de pesquisas, aulas com data show. Estratégias de ensino e de aprendizagem Desenvolver habilidades relacionadas à investigação. Como ponto de partida, trata-se de identificar questões e problemas a serem resolvidos, estimular a observação, classificação e organização dos fatos e fenômenos à nossa volta.

4 Programa do curso 1. Importância do ensino de ciências nas escolas 1.1. A produção do conhecimento científico Formas de raciocínio A estrutura do conhecimento científico O método científico e o ensino de Ciências 1.2. A formação dos conceitos fundamentais - Aprender a situar-se e a situar os objetos no espaço - Aprender a situar-se e a situar os acontecimentos no tempo 1.3. A formação de atitudes e conceitos - Aprendendo a observar o objeto físico; - Aprendendo a reconhecer o ser vivo; - Aprendendo a descobrir a causa dos fenômenos 1.4. O desenvolvimento de habilidades - Observação, classificação coleta de dados e registro - Construção de gráficos e tabelas - Análise, síntese e aplicação do conhecimento

5 Programa do curso 2. O ensino de Ciências nas escolas e a prática pedagógica Tendências do ensino de ciências 2.2. O ensino de ciências e suas relações com o contexto social 2.3. A criança em início de escolarização e seu cotidiano: natureza dos seres que compõem o ambiente onde estão inseridos A área de Ciências da Natureza e os componentes curriculares: Conceitos, conteúdos e procedimentos metodológicos - Terra, planeta vida: ecossistemas, biodiversidade - Vida: forma e função ( estudo dos seres vivis) - A teia da vida: fotossíntese, equilíbrio ambiental - Alimento: combustível para a vida

6 Biblioteca básica Delizoicov, D., Angotti, J. a. e Pernambuco, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, WEISSMANN, Hilda. Didática das ciências naturais: contribuições e reflexões. Artmed, 1998.

7 Biblioteca complementar CAPRA, FRITJOF. Alfabetização Ecológica. 11 ed. São Paulo: Cultrix, LÉVÉQUE, Christian. A biodiversidade. São Paulo: Universidade do Sagrado Coração, TRIGUEIRO, André. Meio Ambiente no século XXI. 4 ed. Campinas: Armazém do Ipê, DELIZOICOV, D.; Angotti, J.A. Metodologia do Ensino de Ciências. São Paulo: Ed. Cortez, GIORDAN, André; VECCHI, Gérard de. As origens do saber: das concepções dos aprendentes aos conceitos científicos. Porto Alegre: Artes Médicas, GUIMARÃES, M. Educação ambiental- no consenso um embate? 3 ed. Campinas: Papirus, 2000.

8 Critérios de avaliação O processo de avaliação da aprendizagem ocorre em três etapas: 1ª) Avaliação da Aprendizagem 1 - A1 2ª) Avaliação da Aprendizagem 2 - A2 3ª) Avaliação da Aprendizagem 3 - A3 O rendimento do estudante é aferido a partir dos resultados por ele obtidos nas verificações de aprendizagem, sendo expresso por meio de uma escala numérica de (0) zero a (10) dez pontos, média para aprovação 7.0.

9 Disciplina Interação com o Mundo Natural : Ciências da natureza II A importância do ensino das ciências na escola Profª Lucia Helena Amim Novos desafios do educador em Ciências acompanhar as descobertas científicas e tecnológicas, requer profundo conhecimento teórico e metodológico, dedicação para (tentar) se manter atualizado, tais desafios são agravados por deficiências em suas licenciaturas.

10 A realidade da educação brasileira 1- Superlotação nas salas de aula 2- Desvalorização do profissional 3- Defasada estrutura física, metodológica e didática especialmente da rede pública – constituem-se de alunos marcantemente heterogêneos cultural e socialmente 4- Requer do professor de Ciências o uso equilibrado de conceitos 5- Uso de metodologias no ensino fundamental que não promovem a construção do conhecimento. 6- Problemas de natureza familiar 7- Limitado acesso a livros, internet e outras fontes de conhecimento

11 Cabe aos professores Construir possibilidades de mudança, ao estimular atividades que priorizem questões de Ciências, Tecnologia e Sociedade Esta busca que inclui desde a procura por cursos, treinamentos ou leituras, até uma troca constante de informação com colegas considerados mais competentes ou especialistas na área

12 Conforme os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN´s) do Ensino Fundamental, o ensino das ciências naturais articuladas entre si, permite uma abordagem interdisciplinar dos assuntos, pois abrange aspectos da Física, Química, Biologia, aspectos sociais e tecnológicos. Esse ensino necessita de uma sala ambiente (laboratório) que é um importante instrumento motivador para o aluno e o faz participar efetivamente da aula. Nele, o aluno pode desenvolver a criatividade, a curiosidade, a observação, a capacidade de registrar dados, entre outras coisas.

13

14 Aulas expositivas com cópias e uso exclusivo do livro didático formam um aluno desinteressado e de baixa capacidade de reflexão, julgamento e compreensão da realidade de seu meio. É necessário um ensino de Ciências que permita a atividade do aluno em equipe ensinando-o a pensar e a construir seu conhecimento científico desenvolvendo o lado social de sua formação.

15 Quando falamos em trabalho em equipe, logo nos lembramos das formigas e dos gafanhotos, seres tão pequenos, mas que dão um grande exemplo de união, força e auto-gerenciamento. Importância do trabalho em equipe Toda equipe é um grupo, porém... nem todo grupo é uma equipe Grupo é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, em geral se reúnem por afinidades. No entanto, esse grupo não é uma equipe. Pois, equipe é um conjunto de pessoas com objetivos comuns atuando no cumprimento de metas específicas. (Sapateado Liderança e Motivação - NY USA), 7:44min

16 O reconhecimento da prioridade que a educação deve ter é de extrema importância, mas além disto, é necessário dispor de um diagnóstico correto das causas do problema. A má qualidade da educação básica, combinada com as altas taxas de retenção que afetam, sobretudo, os jovens de famílias de baixa renda, parece ser a causa principal do abandono escolar dos adolescentes.

17 Aproximadamente 15% dos jovens nem trabalha, nem estuda, vivendo em uma ociosidade que pode ter graves consequências para sua inserção na sociedade, aumentando a probabilidade de marginalização e de criminalização entre os jovens. Perfil da educação no Brasil Jovens de Maringá invadem escolas fechadas para usar drogas A testemunha que fez o flagrante disse ainda que depois de usar os entorpecentes, os jovens entram em estado de euforia e começam a depredar os estabelecimentos públicos. Jornal Gazeta do Povo- Maringá, 2009.

18 Foi nos anos 60 que os educadores começaram a implementar propostas curriculares que consideravam a importância de colocar as crianças e os jovens em contato com o conhecimento científico. Em nossos dias, a preocupação com a educação em Ciências Naturais é, sem dúvida, uma conseqüência da enorme presença da produção científica no cotidiano de todos nós.

19 A educação em Ciências Naturais é um componente fundamental na formação do cidadão contemporâneo Para John Penick, os professores estão indo rápido demais) 8:56 min


Carregar ppt "Disciplina: Interação com o Mundo Natural: Ciências da Natureza II- Plano do curso – Créditos: 04, Carga horária: 80h Objetivos, habilidades e competências."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google