A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULAS 15 e 16 Avaliação de Projetos em sistemas escolares e não escolares Prof a. Dr a. Rita Borges.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULAS 15 e 16 Avaliação de Projetos em sistemas escolares e não escolares Prof a. Dr a. Rita Borges."— Transcrição da apresentação:

1 AULAS 15 e 16 Avaliação de Projetos em sistemas escolares e não escolares Prof a. Dr a. Rita Borges

2 O que você sabe sobre avaliação de projetos na área de educação em sistemas escolares e não escolares ? Observe a imagem a seguir:

3

4 Observe a imagem e veja o quanto ela é interessante!!! Nela a avaliação e colocada como um grande monstro, que provoca medo até no professor! Será que essa é a maneira correta de encarar a avaliação? Ou esta deve ser vista como um processo natural, que faz parte da própria vida, pois é através dela que verificamos aquilo que precisa ser mudado para que possamos atingir os nossos objetivos?

5 Conceito: Avaliar é o ato de diagnosticar uma experiência, tendo em vista reorientá-la para produzir o melhor resultado possível; por isso, não é classificatória nem seletiva, ao contrário, é diagnóstica e inclusiva. O ato de examinar, por outro lado, é classificatório e seletivo e, por isso mesmo, excludente, já que não se destina à construção do melhor resultado possível; tem a ver, sim, com a classificação estática do que é examinado. O ato de avaliar tem seu foco na construção dos melhores resultados possíveis, enquanto o ato de examinar está centrado no julgamento de aprovação ou reprovação. Por suas características e modos de ser, são atos praticamente opostos; no entanto, professores e professoras, em sua prática escolar cotidiana, não fazem essa distinção e, deste modo, praticam exames como se estivessem praticando avaliação Luckesi (2005)

6 Segundo o pensamento do autor, a avaliar e medir não representam a mesma coisa. A avaliação é um processo mais amplo, e que implica diagnóstico e formação de conceitos.

7 Verificamos que, no contexto atual, a avaliação passou a fazer parte da agenda educacional, extrapolando os limites das salas de aula e da relação específica entre professor e estudante.

8 Do ponto de vista histórico, foi a partir da década de 1990, que passamos a dar maior atenção a avaliação, pois se criaram os sistemas avaliativos, e estes se destacaram no Brasil.

9 Avaliação Diagnóstica É aquela que, geralmente, ocorrer no início do processo, tendo como objetivo, o levantamento de dados, para que se trace um perfil da realidade. Já a formativa, ocorre durante todo o processo, pois é preciso avaliar cada momento de trabalho. E por ultimo, a avaliação certificativa, que ocorre ao final do processo, e que possibilita novos começos.

10 A avaliação ocorre em todo o processo de trabalho e é um momento de verificação de aprendizagem, de acertos e erros, para que se atinjam os objetivos propostos.

11 A autoavaliação A autoavaliação é um instrumento poderoso de avaliação educacional, permitindo alcançar objetivos pedagógicos diversos, pois esta se opõe à utilização maciça de testes.

12 Podemos afirmar que alunos que se avaliam precisam perceber o processo e os resultados a atingir, através de um esquema de referência e, o professor deve constituir um guia para o inicio do processo de autoavaliação.

13 Para que a autoavaliação aconteça, é preciso determinar os objetivos de aprendizagem, pois a participação do aluno pode facilitar as tarefas avaliativas, através do preenchimento de fichas para este fim, e pela participação na construção dos próprios instrumentos de avaliação. Isso contribui para que os alunos construam seu conhecimento, levando o aluno, a se responsabilizar por suas próprias atividades e desenvolva do autocontrole.

14 Fica claro que esta perspectiva de avaliação formativa, regula o processo de aprendizagem. Neste caso ao indivíduo que aprende, é permitido se identifique problemas e procure soluções. A participação dos envolvidos pode estender-se, naturalmente, a todas as modalidades de avaliação.

15 Mas.... Qual a influência do gestor no processo de avaliação? Vamos lá? Próxima aula, mas antes assistiremos a um vídeo sobre a temática estudada.


Carregar ppt "AULAS 15 e 16 Avaliação de Projetos em sistemas escolares e não escolares Prof a. Dr a. Rita Borges."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google