A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Como avaliar projetos com investimento de capital sob o ponto de vista econômico – financeiro. Avaliação Econômico – financeira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Como avaliar projetos com investimento de capital sob o ponto de vista econômico – financeiro. Avaliação Econômico – financeira."— Transcrição da apresentação:

1 Como avaliar projetos com investimento de capital sob o ponto de vista econômico – financeiro. Avaliação Econômico – financeira

2 Projetos são empreendimentos temporários que ocorrem em todas as organizações. Nos tempos atuais o mercado consumidor e a competição exigem continuamente das empresas produtos e serviços de melhor qualidade e menor custo. Para atendê-lo as empresas necessitam estar em permanente processo de mudança, seja lançando um novo produto ou melhorando o atual, seja efetuando uma ampliação ou modificação na linha de produção; seja efetuando mudanças administrativas. Todas as mudanças visam tornar a empresa mais competitiva e cada uma é um empreendimento ou projeto. Executar projetos é uma característica de sobrevivência da empresa moderna.

3 Conhecer / aprimorar os conceitos e as técnicas para elaboração da avaliação econômico – financeira de empreendimentos/ projetos. O curso mescla a teoria necessária para compreensão dos tópicos com o enfoque prático decorrente da experiência da realização de avaliações de projetos de diversos portes Objetivos do curso

4 Tipos de projetos Fluxo de um projeto de investimento Conceituação técnica do projeto Elaboração de orçamento de um projeto. Avaliação econômico – financeira. Estudos de casos Conteúdo

5 Tipos de Projetos

6 Novos empreendimentos Expansão de capacidade Modernização Projetos de substituição e manutenção de capacidade (preservação) Projetos de redução de custos Projetos de atendimento à legislação de outros clientes Outros Tipos de Projetos

7 Novos Empreendimentos Trata-se de investimentos em novos negócios, início de novas empresas, novos produtos, entrada no mercado existente como novo concorrente. Pode ser também diversificação de uma empresa existente, aumentando assim o portifólio de negócios desta empresa. Um novo empreendimento pode ser uma fábrica nova, uma empresa nova de software, uma padaria, uma loja, um parque de diversão, etc... É necessário se avaliar o ganho econômico financeiro do projeto, comparar com outras oportunidades e decidir pela mais atrativa.

8 Uma empresa existente quer ampliar seus negócios, ter uma fatia melhor neste mercado, obter economia de escala reduzindo seu custo e como conseqüência obter mais competitividade, com vantagens significativas sobre os concorrentes. Pode ser um aumento de produção na mesma unidade como também investimento em uma nova unidade em outro lugar ou mercado. É necessário se avaliar o ganho econômico financeiro do projeto. Expansão de Capacidade

9 Há necessidade de constante avaliação da capacitação tecnológica utilizada pela empresa, pois os processos/ recursos utilizados a anos podem se tornar obsoletos e não mais serem competitivos. Deve haver ganhos de custo, como aumentos de capacidade, disponibilidade, qualidade e outros, portanto havendo ganho econômico financeiro a ser avaliado. Modernização

10 Projetos de substituição e manutenção de capacidade (preservação) Este tipo de projeto é destinado a preservar a capacidade operacional da planta ou processo utilizado na empresa. Basicamente são projetos destinados a substituir equipamentos no final de sua vida útil, a fim de assegurar que a empresa não tenha perdas de produção. Incluem-se também preservação em prédios e imóveis existentes. Estes projetos não possuem retorno econômico – financeiro, no entanto evitarão perdas que poderão ser causadas pela obsolescência. Manter o negócio.

11 Projetos de redução de custos São projetos caracterizados por trazerem retorno econômico – financeiro, em função de proporcionarem reduções de custos operacionais (redução de consumos, aumento de disponibilidade / eficiência, etc.), não necessariamente impactando em aumento de capacidade.

12 Projetos de atendimento à legislação e clientes No caso de atendimento á legislação são projetos obrigatórios, sem retorno econômico – financeiro (podendo até ter) caracterizando-se pelo fato de atenderem a qualquer tipo de legislação, governamental ou não, que seja obrigatória. No caso de exigências de clientes, quanto a qualidade ou produtos específicos, deve ser feita uma avaliação para quantificar os ganhos econômicos ou estratégicos como por exemplo o risco de perda de mercado e conseqüente perda de receita. Incluem-se neste tipo de projeto, exigências ao cumprimento de normas ambientais e de segurança, nacionais ou internacionais que devem ser observadas.

13 Avaliação Econômico – financeira característica de projeto (1) estratégico x Operacional Projetos estratégicos – investimentos que afetam significativamente as atividades atuais da empresa no médio e longo prazos que impactam o retorno dos acionistas. A análise destes projetos será feita pelo planejamento estratégico da empresa dada a sua importância e grandeza. Projetos operacionais – investimentos para dar continuidade às operações normais da empresa. Estes projetos poderão ser analisados pelas áreas operacionais com suporte do pessoal financeiro (taxas, impostos, critérios, etc.)

14 Avaliação econômico – financeira característica de projeto (2) relacionamento entre projetos Mutuamente exclusivos – quando a realização de um projeto implica no descarte de outra opção, os projetos são mutuamente exclusivos. Ex.: Há duas propostas de construção de uma determinada planta química e apenas uma fábrica a ser construída pois o mercado só tem demanda para uma unidade. Dois projetos também podem ser mutuamente exclusivos por limitação de recursos. Independentes – quando a realização de um projeto não implica na não realização do outro Ex.: uma nova linha de produção x um novo sistema de informações da empresa Sinérgicos – quando a realização de um projeto aumenta o retorno de outro. Ex.: Investimento em uma nova caldeira diminui o custo de energia e permite um maior retorno em uma nova planta eletroquímica.

15 OBS.: A classificação por tipos de investimento representa apenas a primeira triagem para o processo de seleção dos investimentos a serem efetivamente realizados pela empresa. Duas opções de investimento podem ser independentes mas ainda concorrem no limitado volume anual orçado de investimentos da empresa Avaliação econômico – financeira Característica de projeto

16 Exemplo de fluxo de um projeto de investimento

17 Fluxograma Macro do Processo Início Origem/ proposta de projeto Conceito do projeto Avaliação Preliminar Aprovação definitiva Atividades Preliminares Engenharia Básica Engenharia Detalhamento Planejamento Controle de Custos CP CP= CHECK –POINT

18 Fim do Processo Implantação Comissionam / partida Operação Normal Relatório Final Acompanhamento Planejamento Controle de Custos Auto - controle CP PA CP= CHECK –POINT PA= POST-AUDIT Fluxograma Macro do Processo

19 Por que fazemos investimentos? Como vimos anteriormente, existem vários tipos de projeto conforme sua finalidade. O grande apelo para um investimento é que ele seja atrativo do ponto de vista de retorno para quem está investindo. Para isto são necessárias ferramentas que ajudem o investidor a tomar as melhores decisões. O processo de tomada de decisão varia de empresa para empresa, com esta ou aquela ferramenta, este ou aquele critério, mas sempre considerando o melhor retorno sobre o capital investido. Em várias empresas, principalmente grande porte, existe um plano anual de investimentos que são os direcionados de planejamento estratégico da empresas, de como os recursos financeiros devem ser aplicados para se atingir as metas estabelecidas. Mapa estratégico da empresa.

20 Como conceituamos nossos projetos? Temos que justificá-lo de várias formas: Tecnicamente (mercado, ambientais, segurança). Grandeza do investimento. Retorno pretendido. Influências nos processos atuais. Riscos do projeto Avaliação jurídica – patentes!

21 Como conceituamos nossos projetos? Destaque para o que chamamos de engenharia reversa: quando se tem um orçamento limitado a um determinado valor, estuda-se uma forma de desenvolver o projeto dentro desse orçamento. Inovações, novos processos, novas tecnologias com menor custo, novos fornecedores e principalmente quebra de paradigmas.

22 Conceituação Técnica de um Projeto.

23 Conceituação Técnica Definir os objetivos do projeto. Descrever as justificativas técnicas, comerciais e ambientais. Definir o processo macro e recursos aplicáveis. Definir os números macros do projeto( ganhos, custos, ordem de grandeza do investimento, etc.) Verificar influência no processo produtivo atual. Verificar a necessidade de consultas (competências internas, externas, jurídicas, segurança, ambientais, etc.) Elaborar documento de conceituação do projeto, colocando todas as informações técnicas, fontes dos números, quem forneceu, responsável, revisão e data.

24 Avaliação Econômico – Financeira

25 Avaliação Econômico – financeira Conceitos Básicos Fato econômico x fato financeiro Fato econômico – é um fato que gera o reconhecimento de uma despesa ou uma receita independente da movimentação de dinheiro. Ex.: Venda de celulose – gera receita não obrigatoriamente dinheiro. Depreciação gera despesa e não desembolso. Fato financeiro – é o pagamento/ recebimento de uma despesa/ receita e tem impacto direto na caixa. A despesa/ receita pode ser reconhecida em outro momento. Ex.: Investimento em compra de máquina – gera desembolso e não despesa. A despesa vem com desgaste da máquina (depreciação).

26 Avaliação Econômico – financeira Conceitos básicos Valor do dinheiro no tempo A idéia central deste tópico é que um valor monetário de $1.000 hoje é diferente de $1.000 daqui a um ano. É preferível ter dinheiro agora e no futuro. Isto significa que o dinheiro tem um custo representado pela taxa de juros. Juros É o preço do dinheiro por um determinado tempo É a remuneração do capital empregado É o custo pago para se obter a antecipação de consumo. É o prêmio pago pela postergação do consumo

27 Avaliação Econômico – Financeira Conceitos básicos Fluxo de caixa É o conjunto de entradas e saídas de recursos do caixa ao longo do tempo. O fluxo de caixa pode ser representado esquematicamente no diagrama a seguir FC1FC2 FC0FC3 FC4FCn t

28 Avaliação Econômico – Financeira Conceitos básicos 012n012n (FC0) FC1 FC2 FCn Saídas de recursos – negativo Entrada de recursos - positivo Períodos Valores Períodos: dias, meses, anos

29 Avaliação Econômico – Financeira Conceitos básicos Fluxo de caixa descontado Como as quantias pagas e recebidas em datas diversas têm valores diferentes, é necessário conseguir um mecanismo para ajustar todos os valores para uma mesma data de modo a poder compará-los. Este mecanismo é o valor presente de um fluxo de caixa.

30 Avaliação Econômico – Financeira Como Pensar um Projeto 1) Valor do investimento Devem ser estimados valores necessários para investimento. É comum encontrar análises que desconsideram alguns investimentos. Todos precisam ser considerados, inclusive: Terras e infra estrutura, Capital de giro necessário, Peças e material de manutenção de estoque Instalação etc. Cronograma de desembolso também deve ser previsto. Quando for o caso, deve ser considerado o valor de venda dos ativos antigos de forma que o fluxo na data zero seja líquido (investimento total – venda de ativos)

31 Elaboração de um orçamento de investimento para um projeto Orçamento – Levantamento Levantar custos dos equipamentos principais, através de cotações preliminares ou histórico (banco de dados de empresas de engenharia). Levantar custos de materiais significativos, ex.: tubulações, conexões, pequenos equipamentos, etc. Estimar valores de outros objetos de custo como: engenharia, gerenciamento, construção civil, instrumentação, apoios, montagem eletromecânica, custos indiretos, treinamentos, propagandas, etc. Elaborar planilha de orçamentos com todas as considerações (veremos uma planilha de exemplo).

32 Orçamentos – termos utilizados Preço nacional sem impostos. Transporte nacional. ICMS nacional. IPI ISS PIS/COFINS CPMF

33 Orçamento – termos utilizados Preço importado sem impostos. Transporte marítimo / aéreo. Transporte nacional. ICMS – Importado. IPI – importado. II – Imposto de Importação Despesas alfandegárias Imposto de renda

34 Orçamento – Importante! Verificar se as cotações recebidas contêm todos os itens anteriores, quando aplicáveis. No caso de não terem sido consideradas, devem ser estimadas, para fins de orçamento.

35 Orçamento – Valores típicos em relação ao investimento total Engenharia/ gerenciamento : 3 - 7% Equipamentos: 25 – 40% Materiais: 10 – 30% Civil: 5 – 10% Montagem : 20 – 30% Comissionamento / partida : 3 – 7% Indiretos: 2 – 5% Contingências : 5 – 10%

36 Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa (2) Horizonte de Planejamento Um horizonte de análise precisa ser definido. Este horizonte pode ser determinado pela duração real do projeto ou pelo limite pelo qual os erros de previsão podem se tornar demasiadamente grandes.

37 (3) Benefícios e Custos Análise de projetos pressupõe que um investimento inicial gera benefícios futuros. Devem ser pensados todos os ganhos potenciais de um projeto – redução de custos, receitas adicionais, assim como todos os custos que ocorrerão caso o projeto esteja em operação – maior manutenção, maior gasto de energia, etc. Parte-se do princípio que sempre há, pelo menos, duas alternativas a serem estudadas. Uma delas pode ser a manutenção do tatus quão, isto é, não fazer coisa alguma. A elaboração das estimativas é fase de vital importância para a análise de projetos. Erros podem levar a administração a tomar decisões que acarretam prejuízos para a empresa. Cuidado com as fontes de informação! Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

38 com as premissas definidas, parte-se para montagem do fluxo de caixa, que será a base para o cálculo das diversas técnicas financeiras de avaliação de investimento como, valor presente líquido, taxa de avaliação de retorno, índice de liquidez e pay-back. O cronograma de desembolso do investimento, o horizonte de planejamento e o nível de precisão desejada para análise auxiliam na determinação do período de análise – mensal, semestral, anual. Para facilitar o entendimento, usaremos um exemplo para mostrar a montagem de um fluxo de caixa: - Suponhamos uma decisão entre comprar ou produzir internamente um certo produto. - para comprar estima-se uma determinada curva de preços do produto para os próximos anos. O preço deve permanecer constante nos próximos 5 anos, estimado em $2,15 por tonelada. Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

39 Para fazer internamento será necessário comprar um equipamento que tem vida útil de 5 anos e custo de $ ,00. Sabe-se que depois de 3 anos será necessário fazer um investimento especial em manutenção de forma a manter a máquina operando nas mesmas condições. Estima-se que este investimento será da ordem de $ ,00. Prevê-se também um valor residual de aproximadamente 30% do valor de compra. Não há equipamentos atuais a serem substituídos. Uma outra etapa é prever o consumo. Foi informado que o consumo será de toneladas por ano. Para comprar será gasto $ ,00 anualmente. Os custos anuais para produção de t estão descritos abaixo: Mão – de – obra: $ ,00 Manutenção: $ ,00 Energia: $96.000,00 Saída de caixa: ,00 Saída de caixa: ,00 Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

40 Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa Num primeiro momento, vamos desconsiderar os efeitos tributários. Neste caso, não é preciso considerar a depreciação, pois não será estimado o efeito de imposto de renda. A saída de caixa é portanto $ ,00 por ano. Abaixo estão desenhadas as saídas das duas opções, A e B, sendo 15% ao ano a taxa de desconto a ser usada : Projeto A – Fazer internamente: VPLA = $ ,53

41 Projeto B - Comprar VPLB = $ ,85 Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

42 Como estamos tratando de custos, a melhor alternativa é aquela que tiver a menor perda – projeto A portanto. Trabalhamos com 2 fluxos independentes e escolhemos a opção que tem o melhor VLP. Estes projetos são mutuamente exclusivos, poderíamos utilizar um fluxo diferencial – Fluxo Projeto A – Fluxo Projeto B. Se o valor presente líquido for positivo, o projeto A é o melhor, caso contrário B deve ser a opção. Caso zero, os projetos são indiferentes. O fluxo diferencial está representado a seguir. Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

43 Projeto A – projeto B VPLA-B = $ 249,33 O valor presente líquido positivo significa que o projeto A é melhor. Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

44 Alguns pontos merecem destaque na montagem do fluxo de caixa: 1) Depreciação/ vida útil Este item não foi tratado no exemplo, por que, por simplificação, foram desprezados os efeitos tributários. Como já foi dito, depreciação é uma despesa que não afeta caixa. Mas, é preciso considerá-la para determinar o lucro líquido. Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

45 2) imposto de renda e contribuição social Depois de determinar o lucro operacional ( que inclui depreciação) é preciso considerar contribuição social e imposto de renda – nesta ordem. A contribuição social é de 9% do lucro operacional. Depois de calcular a CS, chega-se a um novo lucro sobre o qual será calculado o imposto de renda. Lucro operacional (-) contribuição social (=) Lair (-) imposto de renda (=) lucro líquido Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

46 Algumas empresas tem aspectos tributários especiais que alteram a curva de pagamento de impostos. Estes aspectos devem ser considerados em uma análise de projeto. Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

47 3) Valor residual Se ao final do projeto for prevista a venda do equipamento, este aspecto deve ser destacado gerando um fluxo positivo ao final do projeto. 4) Financiamento Um projeto deve ter sua análise efetuada sem financiamento. O retorno econômico/ financeiro deve ser avaliado sobre seu potencial operacional. Uma exceção pode ser aberta para o caso de um projeto que obtenha um financiamento específico, de modo que este passe a fazer parte do projeto ( grandes projetos tem esta característica). Avaliação econômico – financeira Montagem do fluxo de caixa

48 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimento -Os critérios de avaliação de alternativas de investimento levam em consideração fatores econômicos e financeiros, objetivando sempre escolher alternativas de maior rentabilidade. -A taxa Mínima de atratividade (TMA) é aquela que uma proposta de investimento deve produzir para se tornar atrativa. Esta taxa é subjetiva e espelha a política de investimento da empresa. -TMA = f (custo capital, risco financeiro, Tc) -Para um investimento ser atrativo deve render mais que as oportunidades de investimento perdidas, devido ao projeto escolhido. -A seguir veremos métodos mais comuns e usuais para analisar investimentos:

49 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimento 1) Pay-Back Pay-Back Nominal – é o tempo que o empreendimento demora para zerar o fluxo de caixa. $II = t

50 Matematicamente podemos expressar: II - N FCx = 0 onde N = Pay-Back X=1 No fluxo acima temos pay-back = 2 anos pois: II = 80 e somatório de FC1 e FC2 (50+30) = 80

51 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimento Pay-Back Modificado/ Descontado: É o tempo gasto pelo empreendimento para zerar o fluxo de caixa, levando-se em consideração o custo de oportunidade do capital ( juros). É superior ao pay-back normal pois considera o custo do dinheiro. Matematicamente podemos expressar: II - N FCx = 0 onde N = Pay-Back X = 1 (1+i) x

52 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimento Solução do problema de pay-back Receita anual = $ Custo de Produção = $ (2.000) Depreciação = $( 1.000).(20%) Lucro bruto = $ I.R. (40%) = $ (800) Lucro líquido = $ Caixa: Receita = $5.000 Custo = $(2.000) I.R. = $(800) $

53 Vantagem do Pay-Back / Pay-Back Modificado: Conceito de fácil compreensão e permite avaliação em ambientes de cenários incertos, já que reflete a liquidez do projeto. Desvantagem do Pay-Back / Pay-Back Modificado: Não considera a vida útil do empreendimento, pois despreza os fluxos posteriores ao período do Pay-Back, não expressando o retorno do mesmo.

54 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimento Exemplo de Pay-Back: Suponha o seguinte investimento: Compra de equipamento para a planta de ácido clorídrico: $ mil produção de litros/ano – preço venda = $ 5,0 / litro Custo de produção = $2,0 / litro Depreciação = 20% a. a. Imposto de renda = 40% do lucro Qual o Pay-Back deste empreendimento? Qual o pay-back modificado considerando custo de oportunidade de 10% a.a.?

55 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos PAY-BACK = (600/2.200) = 0,27 Pay- Back = 2 anos e 3,3 meses (0,27 x 12) Pay-Back modificado: – 2.200/1,1 – 2.200/(1,1x1,1) = X – – 1,818 = X = 1,182

56 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Para achar a fração (F) = x F 1,1 x 1,1 x (1 + 0,1. F) (1 + 0,1. F) = 1,5382F 1 = F (1,5382 – 0,1) F = 1/1,4382 = 0,6953 n = Fx12 = 8,34 meses Pay-Back modificado = 2 anos 8,34 meses Nota : no cálculo do Pay-Back não foram considerados os fluxos após a determinação do tempo do retorno

57 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Exercício de Pay-Back Proposto: Um grupo japonês deseja aplicar na África do Sul recursos de ordem de $ mil em exploração de ouro. O investimento é basicamente em maquinaria que tem taxa de depreciação de 10 anos, a produção esperada é de quilos / ano. O preço do quilo do ouro é de US$7.000 / quilo. O custo de produção é de US$1.000 / quilo (não inclui depreciação). O imposto de renda é de 20% Calcular o Pay-Back e o Pay-Back modificado ( i = 10% a.a.)

58 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Pay-Back = 2 anos Pay-Back modificado = 2 anos e 4,2 meses

59 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Exercício Proposto de Valor Presente Líquido e Taxa Interna de Retorno: Uma empresa de celulose deseja modificar o sistema de enfardamento de celulose passando a utilizar celulose no enfardamento ao invés de papel. Os dados gerais deste projeto são: Investimento inicial: US$ mil Custo do papel a ser substituído: US$ 1,2 /t celulose Custo da celulose a ser utilizada no enfardamento : US$ 0,7 /t celulose Suponha para simplificação t/ano de celulose. Vida útil do equipamento 10 anos Desconsiderar efeitos tributários

60 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos 2) Valor Presente Líquido Este método baseia-se no valor do fluxo de caixa descontado/ valor atual do empreendimento, com o uso da taxa mínima de atratividade. Note que a taxa de juros é um dado da análise do projeto e reflete a expectativa mínima de retorno do investidor/ empresa, logo: Se este valor (VPL) for positivo a proposta de investimento é atrativa. Equação Matemática: VPL = N FCx onde o VPL é a icógnita X = 0 (1+i) x

61 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Vantagem do Valor Presente Líquido O VPL é um método bastante difundido e leva a conclusões sempre acertadas. Desvantagem do Valor Presente Líquido Existe limitação quando se comparam alternativas de investimentos com projetos de duração distintas, porém com algumas técnicas, estas limitações são superadas (MMC ou valor residual do projeto de maior duração).

62 Avaliação econômico – financeira Métodos de Análise de Investimentos Exemplo de cálculo de VPL: II = F0 = - $500 F1 = $200 F2 = $200 F3 = $200 F4 = $200 Taxa de desconto = i = 10% por período, assim VPL = - (500/1,1 0 ) + (200/ 1,1 1 ) + ( 200/1,1 2 ) + (200/1,1 3 ) + (200/1,1 4 ) VPL = , , , ,60 VPL = $ 133,95

63 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Cálculo do VPL Pela HP 12c Cfo = (500) Cfj = 200 (g) Nj =4 i = 10% a.a. (f) NPV

64 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos 1) Taxa Interna de Retorno A avaliação de rentabilidade de um investimento pelo método da taxa Interna de Retorno (TIR) é feita obtendo-se a taxa de juros (remuneração do capital) que torna o valor atual do fluxo de caixa nulo, ou ainda, é a determinação da taxa de juros que torna o investimento inicial equivalente ao fluxo de caixa gerado por este investimento. Expressão Matemática: II - N FCx/ (1+TIR) x = 0 onde TIR = Taxa Interna de Retorno X = 1

65 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos 0 = - II + FC1 / (I + i) + FC2/(I + i) FC N /(I + i) n i = Taxa Interna de Retorno (TIR) II t FC1FC2FC3FC N

66 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Desvantagem da Taxa Interna de Retorno: ATIR é um método bastante difundido porém poucos analistas conhecem sua maior limitação: a suposição de que os fluxos de caixa gerados podem ser aplicados sempre a esta taxa, ou ainda o método da TIR supõe que se pode alimentar marginalmente o negócio sem que haja modificação no retorno

67 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Exemplo de Taxa Interna de Retorno: Um grupo japonês deseja aplicar na África do sul recursos de ordem de $ mil em exploração de ouro. O investimento é basicamente em maquinaria que é depreciado em 10 anos, a produção esperada é de quilo/ano. Preço do quilo do ouro é de US$ / quilo. O custo de produção é de US$ / quilo ( não inclui depreciação) O imposto de renda é 20%. Ao final do 5º ano a jazida se esgota por completo. Calcular a TIR deste investimento.

68 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Solução do problema: 41,04% a.a.

69 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Solução do problema: VPL = $ 1.009,34 e TIR = 31,11%

70 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos 2) Comparação entre VPL e TIR Vamos considerar os projetos A e B abaixo: Os resultados de ambos são:

71 Avaliação econômico – financeira Métodos de análise de Investimentos Notem que as taxas de descontos diferentes os projetos podem ter VPLs com vantagem ou desvantagem de um sobre o outro A taxa de desconto apropriada para desconto desses fluxos de caixa é de 12% ao ano. O VPL desse projeto é de $ 53,19 e existe apenas um fluxo de caixa de desembolso na data zero, de %165. Dessa forma, IL é equivalente a : IL = VPL / VP desembolsos = 53,19 / 165 = 0,33224 = 32,24% Isso significa que o projeto deve ser aceito, uma vez que para cada $1 investido, o projeto deverá devolver $1,32. O critério aceita/rejeita, utilizando o índice de lucratividade, é o seguinte: Se IL > 0 aceita projeto Se IL < 0 rejeita projeto

72 Riscos e Retornos esperados Risco No sentido mais básico risco pode ser definido como possibilidades de perda. Os projetos ou investimentos como possibilidades de perda. Os projetos ou investimentos com maiores possibilidades de perda são entendidos como mais arriscados. Os termos risco e incerteza são usados indiferentemente com referência à variabilidade de retornos (VPL, TIR, Pay-back) esperados para um dado projeto. Porém, estes têm significados bem diferentes. A incerteza, conforme definido na estatística, relaciona-se ao conhecimento das probabilidades ou chances de ocorrerem certos resultados. O risco significa a probabilidade de ocorrer um evento desfavorável. Avaliação econômico – financeira

73 Riscos e Retornos esperados Probabilidade É a chance percentual de ocorrer um resultado. A análise de risco/ sensibilidade é possível quando quem analisa determinado projeto pode estimar probabilidades relativas a vários resultados.

74 Avaliação econômico – financeira Riscos e Retornos esperados Análise de sensibilidade Consiste em considerar, inúmeros resultados previstos quando se avalia um projeto, estabelecendo a estes resultados probabilidades. Não se pode ter certeza na ocorrência dos fluxos de caixa previstos. Há várias formas de lidar com esta incerteza, uma delas é a análise de sensibilidade. Análise de sensibilidade é uma técnica de simulação que mede até que ponto os valores esperados de um modelo de decisão serão afetados por variações de dados. No contexto de análise de investimento, a seguinte pergunta é respondida pela análise de sensibilidade:

75 Qual será a mudança de valor presente líquido ou taxa interna de retorno se as previsões da vida útil ou dos fluxos de caixa estiverem imprecisas? É um instrumento que pode ser muito útil pois fornece uma medida das conseqüências de possíveis erros de previsão.

76 Avaliação econômico – financeira Riscos e Retornos esperados Valor esperado de retorno Valor esperado de retorno ( Pay-back, TIR, VPL) é o retorno médio ponderado, em que os pesos usados são as probabilidades dos vários resultados. Embora o valor esperado de retorno possa não acontecer, ele é um indicador de retorno provável se o investimento for repetido sucessivas vezes.

77 Avaliação econômico – financeira Riscos e Retornos esperados Exemplo de sensibilidade e retornos esperados:

78 Avaliação – Lembrete Fluxo de Caixa É o conjunto de saídas e entradas de dinheiro ao longo do tempo. Este registro ocorre no momento em que há movimentação financeira. Portanto, Trabalha-se em regime de movimentação financeira. Portanto, trabalha-se em regime de caixa e despreza-se qualquer receita / despesa que não representem uma efetiva entrada/ saída de recursos no caixa. As receitas e despesas podem ser: ganhos de produtividade, eficiência, redução de custos, custos adicionais diversos, investimentos, etc. O fluxo é uma ferramenta que permite medir se um investimento se mostra interessante, através de verificação de seus ganhos esperados versus outras oportunidades disponíveis para os mesmos recursos. O período de fluxo a ser avaliado depende do tipo de projeto.

79 Avaliação – Lembrete Valor Presente Líquido Resultado do fluxo de caixa descontado, considerando os desembolsos referentes a investimentos, receitas operacionais e despesas operacionais, impostos e outras eventuais despesas financeiras, utilizando taxas de desconto normalmente definidas pela Gerência de Controladoria. O período de tempo a ser utilizado na elaboração do fluxo de caixa, será definido em função da natureza do projeto e sua expectativa de vida útil.

80 Avaliação – Lembrete Taxa Interna de Retorno (TIR). É a taxa de desconto em que o valor do fluxo de caixa do projeto, calculado segundo a descrição anterior, é zerado.


Carregar ppt "Como avaliar projetos com investimento de capital sob o ponto de vista econômico – financeiro. Avaliação Econômico – financeira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google