A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação Acir Meirelles cisec.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação Acir Meirelles cisec."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação Acir Meirelles cisec

2 1994, entrei para a função pública 2006, salários congelados 2008, fim da estabilidade 2011, diminuíram o meu salário Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

3 Vou me reformar aos 65 anos? Vou me reformar? Futuro E se eu ficar doente? E se as exigências do trabalho aumentarem? ? ? ? ? ? ? ? ? Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

4 O que eu controlo? As minhas qualificações Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

5 3 mentiras e 2 meias-verdades sobre o trabalho em Portugal Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

6 O custo do trabalho é muito alto em Portugal O SALÁRIO MÉDIO EM PORTUGAL CORRESPONDE APENAS A 44,9% DO SALÁRIO MÉDIO DA ZONA EURO Portugal tinha, no ano passado, custos laborais de 12,1 euros por hora trabalhada. A média da zona euro era de 27,6 euros por hora trabalhada. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

7

8 Os portugueses trabalham pouco Portugal é o país europeu onde mais se trabalha. Os portugueses, em média, passam quase nove horas por dia a trabalhar. Portugal ocupa o terceiro lugar no ‘ranking' dos países da OCDE. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

9 A legislação do trabalho é muito rígida Portugal (22%) é o terceiro país da União Europeia, depois da Polónia (26,5%) e da Espanha (25,4%), que apresenta a mais alta taxa de trabalhadores contratados a prazo (Eurostat) A média de trabalhadores com contratos a prazo (com mais de 15 anos) na União Europeia é de 13,5% Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

10 Os portugueses são pouco produtivos O ranking mundial da competitividade do World Economic Fórum mostra que, num conjunto de 142 países, Portugal, em 2011, subiu uma posição face ao ano anterior, e encontra-se agora no 45.º lugar. No quadro dos 27 países da União Europeia, Portugal ocupa atualmente o 18.º lugar, com a Grécia na última posição, em termos de competitividade global. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

11 Comparação produtividade / custo do trabalho, 2010 ComparaçãoProdutividadeCusto do trabalho Portugal/EU76,5%45,4% Portugal/Alemanha72,6%31,4% Portugal/Espanha70,2%47,5% EUROSTAT Os portugueses são pouco produtivos, mas… Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

12 Os portugueses são pouco qualificados Até o 3.º ciclo80,70% Secundário11,05% Superior8,26% Qualificação da população ativa nos Açores, Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

13 Os portugueses são pouco qualificados, mas… O NIVEL DE ESCOLARIDADE DOS PATRÕES PORTUGUESES TEM DIMINUÍDO, ENQUANTO O DOS TRABALHADORES TEM AUMENTADO Fonte: Comissão do Livro Branco das Relações Laborais e INE, A Península Ibérica em Números AnosInferior ao secundárioSecundárioSuperior Patrões200379,6%12,4%8,1% ,0%10,0%9,0% Trabalhadores200371,0%15,7%13,3% ,0%16,0%18,0% Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

14 Fonte: 2003: Comissão do Livro Branco das Relações Laborais e INE, A Península Ibérica em Números Inferior ao secundárioSecundárioSuperior PatrõesUE28%45%27% Espanha50%22%28% Portugal81%10%9% TrabalhadoresUE21%50%29% Espanha40%24%37% Portugal65%16%18% Evolução do nível de escolaridade dos Patrões e dos Trabalhadores na UE, Espanha e Portugal, Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

15 As novas regras do jogo Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

16 Férias, pontes e feriados - Possibilidade das empresas poderem dar três dias de férias extra aos seus funcionários, por assiduidade. Os dias de férias são aumentados de 22 para 25 dias. - As empresas podem encerrar, dentro de certas regras e períodos específicos, para férias dos trabalhadores. - A majoração nos dias de férias associada a assiduidade, ou outros critérios, vai ser reduzida em três dias. Na maioria dos casos passa de 25 para 22 dias de férias. - Em dias de ‘ponte', a empresa pode encerrar e descontar esse dia nas férias dos trabalhadores. - Vão ser cortados quatro feriados. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

17 Banco de horas - Por negociação coletiva, é possível instituir bancos de horas, que permitem trabalhar até mais quatro horas por dia, até 200 por ano. - O tempo a mais de trabalho deve ser compensado depois em dinheiro ou descanso (ou ambos). - Esta figura não pode ser introduzida diretamente por negociação individual. - Vai passar a ser possível negociar a aplicação do banco de horas diretamente com o trabalhador. Nestes casos, será possível trabalhar mais duas horas por dia, com o limite de 150 horas por ano. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

18 Horas extraordinárias - Horas extraordinárias em dia útil: pagamento de mais 50% na primeira hora extra e 75% nas seguintes. - Horas extraordinárias em dia de descanso semanal ou feriado: acréscimo de 100%. - Há direito a descanso compensatório de 25% das horas trabalhadas. O valor pago pelas horas extraordinárias vai ser cortado para metade. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

19 Despedimento - O despedimento por extinção de posto de trabalho tem de seguir os critérios de seleção impostos na lei, relacionados sobretudo com antiguidade. - O despedimento por inadaptação só é possível se tiverem sido introduzidas novas tecnologias ou outras modificações no posto de trabalho. - Em ambos os casos a empresa tem de tentar integrar o trabalhador noutro posto. - O critério para o despedimento por extinção do posto de trabalho, quando está em causa a escolha de um trabalhador entre vários, é definido pelo patrão, desde que não seja discriminatório. - O despedimento por inadaptação passa a ser possível mesmo sem a introdução de novas tecnologias ou mudanças no posto de trabalho. Contudo, o trabalhador que for avisado da quebra de produtividade ou qualidade tem 30 dias para melhorar e ainda o direito a formação. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

20 Indemnizações por despedimento - As compensações por despedimento legal são de 30 dias por cada ano de serviço, para quem já tem contratos definitivos anteriores a Novembro de Nos contratos a termo, há direito a três ou dois dias de retribuição por mês de contrato, consoante este não exceda, ou seja superior, a seis meses. A partir de 1 de Novembro deste ano todos os contratos passam a estar sujeitos a uma indemnização de acordo com a média europeia, que, diz a ‘troika', fica entre 8 e 12 dias. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

21 Subsídio de desemprego - O valor máximo do subsídio de desemprego corresponde a 1.257,66€. - O montante da prestação mantém-se estável durante todo o período de atribuição. - A duração do apoio depende da idade e do período de descontos: o prazo mínimo é de nove meses e o máximo ultrapassa três anos. - É exigido um período mínimo de 15 meses de contribuições. - Só os trabalhadores por conta de outrem têm acesso ao apoio. - O valor máximo do subsídio passapara 1.048,05€ euros. - A prestação cai 10% ao fim de seis meses. - Os prazos de atribuição são encurtados, e, no máximo, não irá além de 26 meses. - O tempo de descontos necessário para ter acesso ao apoio cai para 12 meses. - Os trabalhadores independentes e os gestores também terão acesso ao apoio em certas condições. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

22 Algumas definições Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

23 Trabalho Grego - ponéin (de pónos - esforço, fadiga, peso, necessidade) e ergázestai (de érgon - obra, eficiência). Latim – vocábulo tripalium, verbo tripaliare. labor (trabalho, fadiga, cansaço), facere (fazer, executar) e fabricare (fazer com artifício). Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

24 Emprego Relação contratual de trabalho, onde o trabalhador oferece a sua força de trabalho, por um prazo determinado e em troca de um salário. Este salário, por sua vez, é pago pelo possuidor dos meios de produção. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

25 Trabalho Ato ou efeito de trabalhar; Conjunto das atividades humanas, manuais ou intelectuais, que visam a produtividade; Esforço humano aplicado à produção de riqueza; Ocupação; Obra executada ou a executar. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação Emprego Ato ou efeito de empregar; Função; Cargo; Ocupação.

26 Mercado de trabalho O mercado de trabalho envolve aqueles que procuram emprego e aqueles que oferecem emprego, onde se transaciona para determinar os preços e as quantidades de um determinado bem, o trabalho. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

27 Tendência do mercado de trabalho P ressões por contínua e acelerada readaptação da força de trabalho, seja ela operacional, técnica ou executiva. Empregos tradicionais, da maneira como nós os conhecemos, com horário e local de trabalho fixos, descrição de cargo precisa e relação direta entre chefias e empregados, são cada vez mais consideradas pouco flexíveis para realizar o trabalho requerido. Algumas empresas do futuro serão mesmo sem empregados, mas não deixarão de ter trabalho. O trabalho passará, cada vez mais, a ser realizado por profissionais sem emprego, embora não desempregados, aptos a oferecer instantaneamente o conhecimento e habilidades necessárias e durante o tempo em que estas forem requeridas pelas organizações. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

28 Tendência do mercado de trabalho Remuneração flexível: Se o tipo de emprego e o cargo determinam o nível salarial, a tendência é cada vez mais para que seja a produtividade e os lucros da empresa a definirem quanto um trabalhador deverá ganhar. Diminuição das hierarquias: As empresas estão a diminuir o número de chefias intermédias, apostando em profissionais mais autónomos e que saibam trabalhar em grupo, sem precisar de um controlo permanente. Diminuição dos empregos fixos: As empresas estão optando, sempre que possível, por contratar trabalhadores que irão desenvolver um determinado projeto por um determinado prazo. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

29 Empregabilidade A capacidade de uma pessoa se manter empregada ou de tornar a conseguir emprego. Ou seja, os conhecimentos, habilidade e capacidade individuais que nos permitem ingressar e permanecer no mercado de trabalho. Empregabilidade, portanto, pode ser definida como o ato de nos mantermos atualizados e em constante aprimoramento, prontos para responder às necessidades colocadas pelo mundo do trabalho. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

30 Fonte: EUROSTAT Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação A empregabilidade não faz milagres…

31 Empregabilidade O que eu tenho feito para manter o meu grau de empregabilidade? Tenho me mantido atualizado? O meu grau de qualificação será suficiente? Será necessário aprender algo novo: uma outra língua ou um programa informático diferente? Estarei preparado para as necessidades atuais e futuras da minha profissão? Estarei preparado para enfrentar novos desafios? Se eu for despedido quais são as minhas hipóteses de conseguir um novo emprego? Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

32 Qualificações Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

33 EscolaridadeQualificaçãoEmprego Até o 3.º ciclo80,70%48,5% Secundário11,05%64,4% Superior8,26%80,9% Qualificação da população ativa e taxa de emprego nos Açores, Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

34 Fonte: INE Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

35 Escolaridade anos ou menos 527,00€580,00€ Secundário799,00€861,00€ Superior1.399,00€1.625,00€ Fonte: INE Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

36 Atenção A elevada competitividade no mercado de trabalho conduz a um cenário em que as habilitações são, cada vez mais, um elemento eliminatório nas candidaturas. Mas o reconhecimento de habilitações vai passar cada vez mais pelas competências adquiridas através da experiência de vida e trabalho acumulado em paralelo com a formação complementar que vamos tendo. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

37 Dicas e “truques” Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

38 Ambição e determinação Para conseguir alcançar objetivos é imprescindível, acima de tudo, vontade de o fazer. Nem tudo funciona à primeira como nós queremos, até porque qualquer investimento que façamos os resultados geralmente só aprecem a médio e a longo prazo. A verdade é que um bom profissional não “baixa os braços” ao primeiro não. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

39 Rotina e planeamento Procurar trabalho não é uma atividade esporádica ou um hobby. É uma prática diária e que tem que ser planeada. Pesquise e prepare-se antes de “sair em campo” Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

40 Boa apresentação A primeira impressão é sempre a mais marcante e, por isso, é essencial uma boa imagem profissional. Tenha em conta o que é esperado a alguém com o seu perfil e saiba vestir-se e apresentar-se de acordo com o “papel” a desempenhar. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

41 Aprendizagem contínua Este é o elemento chave e fulcral da “sobrevivência” no mercado laboral. O trabalhador do conhecimento terá ao longo da sua vida que se gerir a si próprio e enfrentar várias mudanças ao longo da sua carreira. Lembre-se, a sua carreira de trabalho será muitooo longa. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

42 Know-How Possuir bons conhecimentos técnicos na sua área profissional é imprescindível para marcar a diferença perante outros candidatos. Mantenha-se informado: vá a seminários, conferências, leia revistas e livros técnicos. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

43 Línguas Qualquer profissional deverá ter consciência das vantagens do conhecimento de uma língua estrangeira. Ainda mais, nos dias de hoje, quando vivemos num mundo globalizado em que diferentes países e culturas estão cada vez mais próximos e interligados. O domínio de 3 ou 4 línguas constituirá um requisito mínimo no sentido de facilitar a mobilidade e a comunicação num espaço multicultural. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

44 Desenvolver os pontos fortes Será imprescindível por um lado conhecer aquilo em que somos bons ou onde melhor desempenhamos e por outro potenciar ao máximo essas valências no sentido de ser o melhor naquilo que faz e acrescentar valor ao seu trabalho. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

45 Empatia É uma das competência da Inteligência Emocional. Implica saber compreender diferentes pontos de vista e trabalhar em equipa. A imagem do trabalhador totalmente isolado do resto da estrutura está cada vez mais desajustada às empresas do século XXI. É essencial saber integrar-se numa equipa e ter facilidade no relacionamento interpessoal, para garantir os melhores níveis de produtividade, eficiência e criatividade. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

46 Flexibilidade e autonomia O ritmo e a competitividade do mercado de trabalho, obriga a estarmos permanentemente preparados para a mudança. Saber decidir com rapidez, estar aberto a novas ideias e modos de trabalho, ter facilidade em assumir funções fora das suas tarefas habituais (Job Rotation). Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

47 Networking Com o aumento da competitividade e exigência do mercado, é cada vez mais importante saber “quem conhece quem”, e “quem o conhece a si”. Uma boa rede de contactos e relacionamentos é essencial para uma carreira de sucesso. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

48 WWW Cada vez mais as empresas vivem num ambiente tecnológico, integrando a sua atividade no mundo da web. O estar familiarizado com o mundo online é essencial não só como nova forma de trabalhar, mas também como a empresa o vê. Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

49 Perfecionismo Colaboradores dedicados, responsáveis e diligentes são a mais - valia de qualquer empresa, é, por isso, um requisito cada vez mais apreciado no perfil profissional num candidato Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

50 Primeiros passos Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação

51 Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação


Carregar ppt "Seminário Na selva sem GPS: qualificações para um mercado de trabalho em transformação Acir Meirelles cisec."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google