A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Assistência ao RN na sala de parto Jefferson G. Resende Unidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul www.paulomargotto.com.br www.paulomargotto.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Assistência ao RN na sala de parto Jefferson G. Resende Unidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul www.paulomargotto.com.br www.paulomargotto.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 Assistência ao RN na sala de parto Jefferson G. Resende Unidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul 16/4/2008

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19 O que diz o ILCOR? “90% dos RN não requerem qualquer tipo de assistência para iniciar a respiração ao nascer”. “RN que nasce de termo, tem liquido amniótico claro, e está respirando ou chorando e tem bom tônus deve ser secado e mantido aquecido e não requer ressuscitação”. “10% requerem algum tipo de assistência para iniciar a respiração e 1% dos recém-nascidos necessitarão manobras de ressuscitação intensa”. Pediatrics, maio 2006

20 Assistência ao bebê recém-nascido Mapa didático Como a sociedade se organiza para enfrentar o problema O passo-a-passo da assistência As mudanças atuais Propostas para o futuro Debates

21 Assistência ao RN na sala de parto ILCOR Cursos de reanimação neonatal Revalidação Controle

22 Assistência ao RN na sala de parto – o bebê normal Manter com a mãe Permitir a adaptação mãe/filho – observe e aprenda.... Conservar aquecimento Pedir o bebê para cuidar, se necessário Retornar Encaminhar ao ALCON

23 Assistência ao RN na sala de parto – o bebê normal Unidade de calor irradiante Campos aquecidos Fonte de vácuo, O2 e Ar Profissional de saúde treinado

24

25 E os que nascem com asfixia grave? E os prematuros?

26 Entendendo as repercussões cárdio- respiratórias da asfixia no feto e no recém-nascido.....

27 1º minuto feto

28

29 ...o RN levemente asfixiado....

30 ....porém, o RN gravemente asfixiado....

31 ...vai requerer assistência altamente especializada...

32 Para melhorar a asfixia neonatal Promover troca gasosa efetiva: - adequada ventilação - adequada circulação

33 Campos aquecidos Fonte de vácuo, O2 e Ar Termo-umidificador Laringoscópio com lâminas número zero-zero, zero e 1 Unidade de calor irradiante TOT 2.0, 2.5, 3.0, 3.5 e 4.0 Esparadrapo/micropore; bigode preparado Sondas de aspiração traqueal Peça de aspiração de mecônio

34 Peça em “T”(CFR), bolsa auto-inflável ou bolsa gás-inflável (ILCOR) Mascaras faciais adequadas Estetoscópio Relógio com segundos ou cronômetro Seringas Material para cateterismo Filme de PVC Recursos humanos treinados

35

36

37 Assistência ao RN doente, na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

38 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

39 ...aquecimento.... Evitar hipotermia Evitar hipertermia....e a hipotermia pós ressuscitação?

40 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

41 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

42 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT – PIP 30 cmH2O Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

43 Assistência ao RN na sala de parto

44

45

46

47

48

49 FR = entre 30 e 60 cpm

50 Ventilação em carneiros prematuros - Resultados - PIP Mediana do PIP: 39,8 cmH2O (6,1-72,8); PIP < 20 ocorreu em 1,12% das vezes; PIP > 40 ocorreu em 49,15% das vezes. Resende JG et al. Evaluation of peak inspiratory pressure, tidal volume and respiratory rate during ventilation of premature lambs using a self-inflating bag. J Pediatr (Rio J). 2006;82(4):

51 “Pico máximo de pressão obtido com balão auto-inflável com e sem válvula de alívio”, publicado nos anais do II Simpósio Internacional de Reanimação Neonatal, São Paulo-SP, de 17 a 19 de agosto de Ricardo, AM, Zaconeta CAM, Resende JG MarcaLifesaverAmbuFanenOxigelMerlinLaerdal Pressão de abertura segundo fabricante Válvula aberta 60  1,950,6  1,165,2  1,652,1  10,252  9,944  2,7 Válvula fechada 125  0122,5  7,8107  6,3119,5  7,963,4  3,7125  0

52 Ventilação pulmonar mecânica manual FAG PIP PEEP ANVISA

53 CFR Resende, JG. J.Pediat(Rio)1994;70(6)354-8.

54 Neopuff: presente em 48% dos centros de reanimação neonatal na Austrália e Nova Zelândia e 30% em nível mundial O’Donnell et al. J.Paediatr.Child Health (2004)40, O’Donnel et al. Acta Paediatr 2004; 93:

55 Tom Thumb: 98% no Reino Unido

56 Dr. Jefferson G.Resende

57 Ventilação gentil na SP CFR, Neopuff,Tom Thumb PIP 25 a 30 cmH2O (?) PEEP 5 cmH2O FR>40 Sob máscara ou intubado Profissional qualificado

58 Assistência ao RN na sala de parto

59 Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone Transporte cuidadoso à UTI neonatal

60

61

62

63 Adrenalina – 1 ml=1mg Diluindo 1 ml de Adrenalina + 9 ml de AD, teremos que 1 ml=0,1mg, logo, 0,1ml = 0,01mg Dose – 0,01 a 0,03 mg/kg (0.1 a 0.3 ml/kg) a cada 3 a 5 minutos, EV A dose ET será 3X maior, até 0,1 mg/kg Soro Fisiológico Bicarbonato de Sódio – não tem papel na reanimação

64 Adrenalina – 1 ml=1mg Diluindo 1 ml de Adrenalina + 9 ml de AD, teremos que 1 ml=0,1mg, logo, 0,1ml = 0,01mg Dose – 0,01 a 0,03 mg/kg (0.1 a 0.3 ml/kg) a cada 3 a 5 minutos, EV A dose ET será 3X maior, até 0,1 mg/kg Soro Fisiológico Bicarbonato de Sódio – não tem papel na reanimação

65 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone – não tem papel na reanimação Transporte cuidadoso à UTI neonatal

66 Assistência ao RN na sala de parto RN tinto de mecônio fluido RN tinto de mecônio espesso RN tinto de sangue

67 Assistência ao RN na sala de parto Situações especiais: - Hérnia diafragmática - não ventilar sob máscara - intubação endotraqueal imediata, se nnnnnecessitar reanimação. - descompressão gástrica

68 Assistência ao RN na sala de parto Imperfuração de coanas Laringomalácia Estenose de laringe Atresia de esôfago Onfalocele e gastrosquise Meningocele e meningomielocele

69 Assistência ao RN na sala de parto Questões éticas: 10 a 15 minutos se a FC não se sustenta; Prematuridade extrema; Anencefalia; Algumas síndromes genéticas.

70 Assistência ao RN na sala de parto Prematuridade: uso de PEEP; ventilação gentil.

71 Assistência ao RN na sala de parto Pneumotórax Pneumomediastino pneumopericárdio

72 Assistência ao RN na sala de parto Aquecimento Via aérea pérvia Ventilação pulmonar efetiva máscara facial, TOT Massagem cardíaca externa 3:1 Adrenalina 1: Expansão com SF Bicarbonato com acidose metabólica Naloxone – não tem papel na reanimação Transporte cuidadoso à UTI neonatal

73 Assistência ao RN na sala de parto: perspectivas Utilização de FiO2 a 21%; Recomendação do uso da PEEP e PIP controlada; Surfactante na sala de parto; Ventilação e massagem cardíaca concomitante; Resfriamento do pólo cefálico.

74 Novas normas de reanimação neonatal Autor(es): Ruth Guinsburg (SP), Fernanda Branco de Almeida (SP),Realizado por Paulo R. Margotto NOTA: Dr. Paulo R. Margotto Consultem os seguintes artigos:

75 Monografia apresentada como Trabalho de Conclusão do Programa de Residência Médica em Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul / Secretaria de Saúde do Distrito Federal: Pico de pressão obtido com balão auto-inflável com e sem válvula de alívio Autor(es): Ana Marily Soriano Ricardo Neto

76 TESE DE DOUTORADO (Universidade de Brasília) Avaliação da mecânica ventilatória, dos gases arteriais e das lesões pulmonares durante a ventilação pulmonar mecânica manual de carneiros prematuros, comparando dois ventiladores manuais Autor(es): Jefferson Guimarães Resende

77 Reanimação dos recém- nascidos com 21% ou 100% de oxigênio: follow- up de meses Autor(es): Saugstad OD, et al. Apresentação:Marcelle Amorim, Jefferson G. Resende

78 Enfoque atual do nascimento complicado por liquido amniótico meconial Autor(es): Nestor Vain (Argentina). Realizado por Carlos Alberto Zaconeta e Paulo R. Margotto

79 Reanimação Neonatal/2007 Autor(es): Adriana Kawaguchi Fernandes Araújo


Carregar ppt "Assistência ao RN na sala de parto Jefferson G. Resende Unidade de Neonatologia do Hospital Regional da Asa Sul www.paulomargotto.com.br www.paulomargotto.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google