A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Apresentação da CAF Reunião com Dirigentes, Colaboradores e NPQ Angra do Heroísmo, 31 de Março de 2006 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Apresentação da CAF Reunião com Dirigentes, Colaboradores e NPQ Angra do Heroísmo, 31 de Março de 2006 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo."— Transcrição da apresentação:

1 Apresentação da CAF Reunião com Dirigentes, Colaboradores e NPQ Angra do Heroísmo, 31 de Março de 2006 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo Direcção Regional de Organização e Administração Pública

2 Resumo da Apresentação •Sobre a CAF e Enquadramento (3 diapositivos) •Estrutura da CAF (7 diapositivos) –Os 9 critérios (1) –Aplicação Prática da Ferramenta (2) –Pontuação dos Exemplos, Subcritérios e Critérios (2) –Pontos Fortes e Áreas de Melhoria –A CAF e a melhoria Contínua (1) •O Processo de Auto-Avaliação (AA) (3 diapositivos) •Estratégia de implementação da CAF nos Serviços da Administração Pública Regional (2 diapositivos)

3 Sobre a CAF 1.O que quer dizer a sigla CAF ou ECA? Common Assessment Framework Estrutura Comum de (Auto) Avaliação 2. O que é a CAF? É um modelo ou ferramenta de Auto-Avaliação 3. Qual o seu lema? “Melhorar as organizações públicas através da Auto-Avaliação”

4 Sobre a CAF 4. Quais os seus Objectivos Gerais? a)Apreender as características essenciais das organizações públicas; b)Servir como instrumento para os gestores públicos que queiram melhorar o desempenho dos organismos que dirigem; c)Servir de “ponte entre os vários modelos utilizados na gestão da qualidade pelas administrações públicas da UE; d)Facilitar a utilização do benchmarking entre organizações públicas.

5 Enquadramento e outros modelos de (Auto)Avaliação Modelo EFQM - European Foundation for Quality Management • CAF – Common Assessment Framework Modelo Speyer – Academia Speyer “Modelo(s)”/Normas ISO – International Standardization Organization

6 Estrutura da CAF 1. Liderança 2. Planeamento e Estratégia 3. Gestão das Pessoas 4. Parcerias e Recursos 5. Gestão dos Processos e da Mudança 6. Resultados orientados para os cidadãos/clientes 7. Resultados relativos às pessoas 8. Impacto na Sociedade 9. Resultados de Desempenho- Chave Critérios de MeiosCritérios de Resultados Cada critério é composto por vários subcritérios que, por sua vez, são compostos por vários exemplos.

7 Aplicação Prática desta Estrutura Cada Exemplo 1 ou + Iniciativas Cada Iniciativa 1 ou + Evidências Critérios de Meios:

8 Aplicação Prática desta Estrutura Critérios de Resultados: Cada Exemplo 1 ou + Resultados Cada Resultado 1 ou + Evidências

9 Pontuação dos Exemplos, Subcritérios e Critérios Exemplos, Subcritérios e Critérios de Meios: 0. Ausência de evidências ou apenas evidência duma iniciativa sem expressão. 1. Iniciativa planeada. 2. Iniciativa planeada e implementada. 3. Iniciativa planeada, implementada e avaliada. 4. Iniciativa planeada, implementada, avaliada e revista com base em dados retirados de acções de benchmarking e ajustada em conformidade. 5. Iniciativa planeada, implementada, avaliada e revista com base em dados retirados de acções de benchmarking e completamente ajustada e integrada na organização.

10 Pontuação dos Exemplos, Subcritérios e Critérios Exemplos, Subcritérios e Critérios de Resultados: 0. Não há resultados. 1. Os resultados-chave estão avaliados e demonstram uma tendência estável ou negativa. 2. Os resultados demonstram um progresso modesto. 3. Os resultados demonstram um progresso considerável. 4. São alcançados resultados excelentes e são feitas comparações com os resultados obtidos dentro da organização (benchmarking interno). 5. São alcançados resultados excelentes e são feitas comparações com os resultados obtidos dentro da organização e com os resultados obtidos por outras organizações (benchmarking interno e externo).

11 Pontos Fortes e Áreas de Melhoria Pontos FortesÁreas de Melhoria

12 CAF e a melhoria contínua CAF Auto-Diagnóstico do Serviço Plano de Melhorias visa Deve dar origem visa Acção Medição Aplicação semestral ou anual.

13 Processo de Auto-Avaliação (AA) 1. Apresentação da CAF aos dirigentes de topo 2. Apresentação da CAF a todo o Serviço. Reunião Geral de Colaboradores

14 Processo de Auto-Avaliação (AA) 3. Auto – Avaliação 1ª Reunião da Equipa de Auto-Avaliação (AA) Objectivos: Explicação mais aprofundada da CAF aos elementos da Equipa AA; determinar as tarefas para a equipa e para cada elemento. 2ª Reunião da Equipa AA Objectivos: Esclarecimento das últimas dúvidas; preparação da 3ª Reunião 3ª Reunião da Equipa AA Objectivos: Preenchimento das Grelhas de AA; Pontuação dos critérios e sub critérios.

15 Processo de Auto-Avaliação (AA) 4. Elaboração do Relatório da Auto - Avaliação 5. Elaboração do Plano de Acção (contem acções de curto, médio e longo prazo)

16 Estratégia de implementação da CAF nos Serviços da Administração Pública Regional Coordenação Geral Vice-Presidência por intermédio da DROAP Coordenação Departamental Núcleos de Promoção da Qualidade Implementação Equipas de Auto-Avaliação

17 Núcleo da Vice-Presidência e Equipas AA da DROAP NPQ da Vice-Presidência Dr.ª Ana Laranjeira (DROAP) Eng.º André Oliveira (SREA) Dr.ª Ana Teresa Meneses (DROT) Dr. Antero Rolo (IAR) Dr.ª Ema Silva (DREPA) Dr.ª Sara Nóia (DRAE) Equipas AA (2) da DROAP CEFAPA Dr.ª Cristina Sousa Dr.ª Paula Moreira Nélia Ávila DEM, DEAF, DFP, DAJE, DAOT Dr. António Meneses Dr.ª Carla Oliveira Dr.ª Fernanda Fantasia Dr. Fernando Rui Silva Dr.ª Mariana Brás

18 Instrumentos de apoio disponíveis Ferramenta “Estrutura Comum de Avaliação – CAF” Manual de Apoio à implementação “A CAF na Administração Pública Regional - Manual de Apoio” Endereços electrónicos Página electrónica da Vice-Presidência


Carregar ppt "Apresentação da CAF Reunião com Dirigentes, Colaboradores e NPQ Angra do Heroísmo, 31 de Março de 2006 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Vice-Presidência do Governo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google