A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURVA IS EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •No modelo simples, considerava-se o investimento como exogenamente determinado. •Agora, ao introduzirmos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURVA IS EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •No modelo simples, considerava-se o investimento como exogenamente determinado. •Agora, ao introduzirmos."— Transcrição da apresentação:

1 CURVA IS EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •No modelo simples, considerava-se o investimento como exogenamente determinado. •Agora, ao introduzirmos a taxa de juros, passamos a definir endogenamente o investimento conforme oscila a taxa de juros. •Reduções na taxa de juros levam a elevações no investimento e, conseqüentemente, na renda

2 EFEITO DA REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS

3 EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •Combinando-se os gráficos anteriores obtemos a curva IS, que é o conjunto dos pares de renda e taxa de juros que equilibram o mercado de bens.

4 EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •Para deduzir a curva IS, podemos recorrer também à igualdade entre poupança e investimento. •A poupança como resíduo do consumo é, no modelo keynesiano, função da renda disponível. •Assim, reduções nas taxas de juros que levem à ampliação do investimento devem ser acompanhadas por um crescimento da renda que provoque o aumento necessário na poupança para manter o equilíbrio. •Qualquer ponto sobre a curva IS representa o equilíbrio no mercado do produto

5 INCLINAÇÃO DA CURVA IS A inclinação da curva IS depende essencialmente de dois fatores: •a sensibilidade do investimento em relação à taxa de juros; •a propensão marginal a consumir (ou o multiplicador de gastos).  Quanto maior a elasticidade do investimento em relação à taxa de juros, mais horizontal será a curva IS, isto é, menor sua inclinação.  Quanto maior o multiplicador, maior será o impacto sobre a renda de variações nas taxas de juros, ou seja, menor será a inclinação da IS (mais horizontal).

6 FATORES DE DESLOCAMENTO DA CURVA IS •A posição da curva IS, depende do volume de gastos autônomos, nos quais se incluem o consumo e o investimento autônomos, e os elementos da política fiscal, com destaque para os gastos públicos. •Quanto maior a despesa autônoma, mais para a direita se localizará a curva IS. •O montante do deslocamento será dado pelo multiplicador vezes a variação na despesa. •Ou seja, dado o nível da taxa de juros, o deslocamento da demanda (renda) será determinado como no modelo keynesiano simples.

7 CURVA LM: EQUILÍBRIO NO MERCADO MONETÁRIO •Consideramos que existam dois tipos de ativos na economia, nos quais os indivíduos alocam sua riqueza: moeda e títulos. •A característica do primeiro é possuir liquidez absoluta, mas que não rendem qualquer juro •Já os títulos rendem juros, mas possuem uma liquidez inferior à da moeda. •Tradicionalmente, como formulado por Hicks (1937), consideramos apenas o mercado monetário.

8 MERCADO MONETÁRIO •O BC possui instrumentos para controlar a oferta de moeda; assim, consideraremos a oferta da moeda como uma variável determinada exogenamente, por decisão da autoridade monetária. •Demanda de moeda: são apresentadas duas razões para a coletividade demandar (reter) moeda: motivo transação e motivo portfólio.  Motivo Transação: a demanda de moeda é diretamente relacionada ao nível de renda da economia. Quanto maior o nível de produto maior será o volume de transações e, portanto, maior será a quantidade de moeda requerida (demandada) para realizá-las. Dessa forma, a demanda de moeda aumenta conforme aumenta a renda.  Motivo portfólio: o indivíduo, ao tomar a decisão de como alocar sua riqueza, compara o diferencial de rentabilidade entre os diferentes ativos.

9 MERCADO MONETÁRIO •Desconsiderando a existência de inflação, o retorno real da moeda é zero, enquanto o dos títulos é a taxa de juros que estes rendem. •Dessa forma, a taxa de juros corresponde ao custo de oportunidade de reter moeda. •A demanda moeda diminui conforme aumenta a taxa de juros. •A demanda de moeda é como a de um bem normal qualquer: varia inversamente com o preço e diretamente com a renda.

10 DEMANDA POR MOEDA Para dado nível de renda, podemos representar a demanda de moeda como no gráfico abaixo, em que a demanda de moeda varia inversamente com a taxa de juros.

11 EQUILÍBRIO NO MERCADO MONETÁRIO •Ocorre quando a demanda de moeda iguala a oferta de moeda. •A oferta de moeda pode ser considerada constante (dada). •Dada uma oferta de moeda, a demanda, combinando os motivos transação e os portfólio, deve igualar-se à oferta, no equilíbrio:

12 EQUILÍBRIO NO MERCADO MONETÁRIO Como a demanda de moeda responde positivamente à renda e negativamente à taxa de juros, elevações na renda devem ser acompanhadas por aumentos nas taxas de juros, de modo a compensar o impacto expansivo sobre a demanda de moeda decorrente do maior nível de renda

13 Plotando os pares (Y, r) que equilibram o mercado monetário, obtemos a curva LM abaixo:

14 POSIÇÃO DA CURVA LM A posição da curva LM é dada pela oferta real de moeda. Como o nível de preços é constante, esta é afetada basicamente pela política monetária.

15 EQUILÍBRIO SIMULTÂNEO NO MERCADO DE BENS E DE ATIVOS Para determinarmos o nível de renda e de taxa de juros que equilibram simultaneamente os mercados de bens e de ativos, basta juntarmos a IS e a LM, conforme o gráfico abaixo:

16 REGRA DE AJUSTAMENTO NO MERCADO DE BENS Sempre que houver desequilíbrios no mercado de bens, o ajuste se dará via quantidades, alterando o nível de produto (renda), como descrito no gráfico abaixo.

17 REGRA DE AJUSTAMENTO NO MERCADO DE ATIVOS Desequilíbrios no mercado monetário são corrigidos com variações nas taxas de juros. Quando há excesso de oferta a taxa de juros diminui e quando há excesso de demanda a taxa de juros se eleva.

18 IMPACTO DE POLÍTICAS ECONÔMICAS NO MODELO IS - LM  A curva IS é traçada considerando uma dada política fiscal e a curva LM para uma a oferta de moeda  Alterações no ponto de equilíbrio da economia (taxas de juros e níveis de renda) decorrem de deslocamentos quer da curva IS quer da LM ou de ambas  Estas mudanças são provocadas principalmente por medidas de política econômica

19 ALTERAÇÕES NA CURVA IS Além de políticas econômicas, outros fatores podem levar a deslocamentos na curva IS: •mudanças no investimento autônomo em decorrência de modificações na eficiência marginal do capital •modificações no consumo autônomo: se, por exemplo, considerarmos a variável riqueza como um fator explicativo do consumo, alterações do nível de preços podem afetar a IS ao modificar o estoque de riqueza real

20 ALTERAÇÕES NA CURVA LM Seus deslocamentos decorrem de modificações na oferta real de moeda, que pode se dar por alterações ou no estoque nominal de moeda ou no nível de preços.

21 EFEITOS DE UMA POLÍTICA MONETÁRIA EXPANSIONISTA •Deslocará a curva LM para a direita •Resultado final: queda na taxa de juros e expansão na renda

22 MECANISMO DE TRANSMISSÃO DA POLÍTICA MONETÁRIA •A mudança na oferta de moeda deve gerar um desequilíbrio de portfólio de modo a alterar taxa de juros •A mudança na taxa de juros deve impactar no investimento e com isso na demanda agregada

23 CONDIÇÕES QUE REVELAM A EFICÁCIA DA POLÍTICA MONETÁRIA •O primeiro fator a afetar é a elasticidade da demanda de moeda em relação à taxa de juros. –Quanto maior a elasticidade da demanda de moeda em relação à taxa de juros, menor será a eficácia política monetária •O segundo condicionante da eficácia da política monetária é a elasticidade do investimento em relação à taxa de juros –Se a elasticidade for baixa, a ampliação de moeda pode gerar uma pequena variação no investimento A eficácia da política monetária será tanto maior quanto maior a inclinação da LM e menor a inclinação da IS

24 ARMADILHA DA LIQUIDEZ •A POLÍTICA MONETÁRIA É TOTALMENTE INEFICAZ •A DEMANDA DE MOEDA É INFINITAMENTE ELÁSTICA EM RELAÇÃO À TAXA DE JUROS •NESSE CASO, A LM SERÁ TOTALMENTE HORIZONTAL E A POLÍTICA MONETÁRIA NÃO TERÁ EFEITO ALGUM SOBRE A RENDA.

25 CASO CLÁSSICO:A CURVA LM É VERTICAL A DEMANDA DE MOEDA INDEPENDE DA TAXA DE JUROS, ISTO É, A ELASTICIDADE DA DEMANDA DE MOEDA EM RELAÇÃO À TAXA DE JUROS É ZERO.

26 IMPACTO DE UMA POLÍTICA FISCAL EXPANSIONISTA I mpacto inicial da variação do gasto público: deslocamento da curva IS. A magnitude desse deslocamento é dada pelo incremento do gasto vezes o multiplicador. Impacto final desta política sobre a economia: aumento da renda e da taxa de juros

27 ELEMENTOS QUE DETERMINAM O GRAU DE EFICÁCIA DA POLÍTICA FISCAL •Tamanho do multiplicador: determinará de quanto se deslocará a IS • Elasticidade da demanda de moeda em relação à taxa de juros - quanto maior a sensibilidade da demanda de moeda à taxa de juros, maior será o impacto da política fiscal •Elasticidade do investimento em relação aos juros - quanto maior for a sensibilidade no investimento em relação à taxa de juros, menor será o efeito da política fiscal sobre a renda

28 EFICÁCIA DA POLÍTICA FISCAL NUMA SITUAÇÃO DE ARMADILHA DE LIQUIDEZ No situação em que a demanda de moeda é infinitamente elástica em relação à taxa de juros (LM horizontal), o efeito da política fiscal é semelhante ao do modelo keynesiano, uma vez que a taxa de juros não se altera em resposta ao deslocamento da IS, não havendo, portanto, redução do investimento. É o caso de máxima eficácia da política fiscal, com o efeito multiplicador funcionando plenamente

29 CASO CLÁSSICO Com a LM vertical, temos o caso oposto em que a política fiscal é totalmente ineficaz. O maior gasto público não leva a qualquer alteração da renda, apenas gerando uma variação na taxa de juros, que provoca uma redução no investimento privado de magnitude semelhante à variação no gasto público. Temos apenas a substituição de gastos privados por gastos públicos, o chamado crowding-out ou efeito deslocamento

30 COMBINAÇÃO DE POLÍTICAS MONETÁRIA E FISCAL E COMPOSIÇÃO DO PRODUTO

31

32 CONCLUSÕES •No Modelo IS/LM, tanto a política monetária como a política fiscal podem afetar o nível de renda •Apesar de ambas influírem no nível de renda, elas possuem efeitos opostos sobre a taxa de juros •tentar obter aumento da renda por intermédio da política fiscal considerando aumento dos gastos públicos, terá como efeito uma redução do investimento privado em decorrência do aumento da taxa de juros •Considerando uma política fiscal expansionista, na forma de uma redução dos impostos, teremos aumento da renda e da taxa de juros, mas agora o crescimento da renda se dará em função da ampliação do consumo com redução do investimento •No caso da utilização da política monetária, a expansão da renda se faz devido à queda da taxa de juros e à ampliação do investimento


Carregar ppt "CURVA IS EQUILÍBRIO NO MERCADO DE BENS E SERVIÇOS •No modelo simples, considerava-se o investimento como exogenamente determinado. •Agora, ao introduzirmos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google