A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Educação em Saúde Luciana Tolstenko Nogueira. EDUCAÇÃO - Conceitos •Educar é humanizar •Educar é o ponto de partida para nossas reflexões •A educação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Educação em Saúde Luciana Tolstenko Nogueira. EDUCAÇÃO - Conceitos •Educar é humanizar •Educar é o ponto de partida para nossas reflexões •A educação."— Transcrição da apresentação:

1 Educação em Saúde Luciana Tolstenko Nogueira

2

3 EDUCAÇÃO - Conceitos •Educar é humanizar •Educar é o ponto de partida para nossas reflexões •A educação é um instrumento de equalização social, portanto de superação da marginalidade •Educar é aprender a sermos humanos

4 EDUCAÇÃO - Conceitos •Educação é a ação exercida pelas gerações adultas sobre as gerações jovens para adaptá-las à vida social •É o conjunto de todos os processos através dos quais a pessoa desenvolve capacidade, atividades, e outras formas de comportamento positivo na sociedade onde vive.

5 EDUCAÇÃO - Conceitos •A prática educacional tem como objetivo central fazer avançar a capacidade de compreender e intervir na realidade para além do estágio presente, gerando autonomia e humanização.

6 EDUCAÇÃO - Conceitos •A educação está atrelada aos processos de ensinar e aprender, assim a educação está associada à atividades de aprendizagem.

7 EDUCAÇÃO - Conceitos •“É um processo vital de troca, baseada nas ações conscientes do educador e pela vontade livre do educando”

8 “Educar não é informar, educar é pensar com seus pensamentos e dos outros como mudar a trajetória da vida.” ( Pereira, 2001)

9 Educação População e ação

10 EDUCAÇÃO EM SAÚDE

11 “Os objetivos da educação em saúde são de desenvolver nas pessoas o senso de responsabilidade pela sua própria saúde e pela saúde da comunidade a qual pertençam e a capacidade de participar da vida comunitária de uma maneira construtiva”. ( Grupo Científico sobre Pesquisa em Educação em Saúde)

12 •Ter ou não estas condições implica em saúde ou adoecimento; •Saúde => “direito de todos” e uma “conquista social”. Condições de vida + acesso ao trabalho + escola + moradia + alimentação. Saúde

13 Educação em Saúde Trabalho dirigido sobre o conhecimento das pessoas

14 AÇÕES EDUCATIVAS •“Práticas de ensino-aprendizagem desenvolvidas junto com a população com a finalidade de debater e promover a tomada de decisão em relação a atitudes e práticas de saúde, através da reflexão crítica de ambos os atores.”

15  Ao realizar uma atividade educativa, devemos considerar:  Para quem se destina a educação;  Conteúdos, objetivos e metodologia;  Participação ativa, crítica e reflexiva dos atores envolvidos no processos educativo.

16  A informação de saúde a ser transmitida à população deve estar alicerçada em bases epidemiológicas sólidas e critérios técnicos consistentes.  As pessoas devem ter acesso fácil, oportuno e compreensível;

17  As informações devem ser transmitidas de maneira adequada, através de sistemas visuais e auditivos que mobilizem a atenção e motivem sua utilização;  Assim como o indivíduo tem direito à informação o cidadão tem o dever de se informar.

18  Trabalho a ser desenvolvido na área de educação em saúde está voltado para a auto-educação;  Exprime a tomada de consciência por parte do indivíduo acerca da importância do processo educativo para sua formação e desenvolvimento.

19 AÇÕES EDUCATIVAS  Funções educativas => 5 atividades:  Estimulativa;  Exercitativa;  Orientadora;  Didática;  Terapêutica.

20 AÇÕES EDUCATIVAS  Profissional de Saúde = defensor-facilitador;  Fazer com que os indivíduos resgatem sua cidadania, colocando-a em evidência na promoção de saúde.

21 Barreiras para uma boa atividade educativa  Falta ou desconhecimento de uma metodologia adequada;  Visão equivocada de profissionais de saúde que se vêem como “donos do saber”.

22 MEIOS DE VEICULAÇÃO  TV, rádio, jornais, revistas, livros, vídeos, cinema, folders, cartazes, teatro, música;  Duas formas de transmissão(Aberta e Fechada);  Projeto / Programa / Atividade  Mensagem a ser trabalhada;

23 MEIOS DE VEICULAÇÃO  Comunicação entre os Órgãos Responsáveis e a População;  Necessidade de um Sistema Simbólico;  O Comunicado deve ser direto e realista;

24 FATORES IMPORTANTES  Público – Alvo;  Peculiaridades e Realidade Social da Região;

25 FATORES IMPORTANTES  Impacto do Conteúdo;  Criatividade e entendimento na Mensagem;

26

27 OBJETIVOS DA DIVULGAÇÃO  O impacto do conteúdo pode ou não modificar a forma de comportamento do receptor;  Orientar o receptor dos benefícios da mensagem;  Conteúdo da mensagem deve levar a reflexão de valores já existentes;

28 Exemplos de Propagação de Ideais de Saúde

29 Áreas de Trabalho 1.Saúde na Escola 2.Educação em Saúde para o Trabalhador 3.Canal Futura - TV do Conhecimento 4.Movimentos Comunitários 5.Humanização do Atendimento 6.DST/AIDS 7.PACS e PSF 8.Telemedicina 9.Comunicação Social, para atividade de suporte aos programas e atividades do órgãos técnicos do Ministério da Saúde e da política de saúde. 10.IEC

30 Facilidades para a Educação em Saúde  Disponibilidade de dados epidemiológicos;  Decisão política de priorizar o Programa;  Poder convocatório do MS em relação a instituições públicas e privadas;  Existência de material produzido;  Potencial para financiamento, inclusive com acordos internacionais existentes.

31 Áreas de Responsabilidade Diretoria de Programas em Educação em Saúde; I – Disseminação de informações de saúde através de meios eletrônicos. II – Projetos de capacitação de pessoal para ações específicas.

32 Educação em Saúde na Escola •Formação de atitudes e valores que levam os alunos a práticas as quais irão conduzir à saúde; •Deve estar presente em todos os aspectos da vida do escolar; •Ser integrada à educação global.

33 Escola •Brasil: grande percentual de crianças e adolescentes frequentando a escola com alguma regularidade; •Depois do âmbito familiar é o principal local p/ o desenvolvimento de ações informativas e educativas em saúde.

34 Papel da Escola •Desenvolver estilos de vida saudáveis, •Condutas de baixo risco •Compreensão de que saúde não é só ausência de doenças –condições adequadas de saneamento –habitação –educação –cultura, lazer, dentre outros.

35 Projetos •MS e MEC: veiculação de conteúdos básicos na área de saúde aos professores e alunos através da TV Escola; •Idéia central: propagar informações de saúde entre os alunos da rede pública de ensino em todo o território nacional, para o desenvolvimento de ações de promoção à saúde

36 Objetivos •Formação de hábitos saudáveis de vida; •Adoção de comportamentos de baixo risco à saúde; •Contribuir para formação de espírito crítico; •Promover, distribuir e veicular material através da TV Escola, dentre outros.

37  Tarefa que depende de profissionais com habilidades e competências para orientar as pessoas:  Promover à saúde;  Evitar riscos à saúde;  Restaurar a saúde;  Prevenir doenças.  Não é de competência exclusiva de uma única categoria = multiprofissional.

38  Desafios:  Orientar as pessoas para a tomada de decisões em suas vidas no sentido da promoção de saúde;  Conseguir que as pessoas possam ter uma melhor qualidade de vida.

39 Como trabalhar com um grupo •O profissional da área de saúde, no processo educativo deverá ter firmeza, segurança e entusiasmo. •Deverá saber que uma população será mais saudável a medida que seu nível de conhecimeto das informações referentes à saúde porventura existentes sejam assimiladas.

40 •Pode-se recorrer ao uso de tarefas que estimulem o potencial individual -Prática de atividades criativas -Desenhos - Dramatização -Cartazes - Esculturas -Certificar-se de que os ouvintes possam aprender sozinhos -Estimular o interesse

41 Como motivar um grupo •Utilizar forças motivadoras •Capacidade de persuadir •Saber definir o problema •Resultado visado •Adequação do conteúdo ao nível da população e dos meios utilizados

42 Motivação •É um processo pessoal interno que determina a direção e a intensidade do comportamento humano. •A aprendizagem só se realiza a partir do desenvolvimento de forças motivadoras.

43 Como motivar um grupo •Analisar a frequencia e os cuidados recebidos em casa •Observar se ocorreu algum bloqueio à comunicação •Estimular o ouvinte a se cuidar e alterar e corrigir os problemas •Avaliar

44 Áreas de Domínio •Domínio cognitivo •Afetivo •Psicomotor

45 Temas Abordados •Hábitos Alimentares •Técnicas de prevenção •Doenças – esclarecer sobre fatores de risco •Meios de promoção de saúde

46 Obrigado!!


Carregar ppt "Educação em Saúde Luciana Tolstenko Nogueira. EDUCAÇÃO - Conceitos •Educar é humanizar •Educar é o ponto de partida para nossas reflexões •A educação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google