A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Evaristo Marzabal Neves Apoio didático: Manoela S. Begas (Bolsista PET-GAEA) ESALQ/ USP Depto. de Economia, Administração e Sociologia Setembro 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Evaristo Marzabal Neves Apoio didático: Manoela S. Begas (Bolsista PET-GAEA) ESALQ/ USP Depto. de Economia, Administração e Sociologia Setembro 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Evaristo Marzabal Neves Apoio didático: Manoela S. Begas (Bolsista PET-GAEA) ESALQ/ USP Depto. de Economia, Administração e Sociologia Setembro 2009

2 SINTESE “Como transformar seu ambiente de trabalho” (p. 98 a 102) – Revista Época, n.588, 24/08/09 – Capa: “As 100 melhores empresas para trabalhar: ”, e, do artigo “Melhores métodos de trabalho” de Frederico A. Blaaum – Gazeta de Piracicaba, 02/09/09, p. 2.

3 Introdução : Nas consideradas “melhores empresas para trabalhar” há uma forte disposição e inclinação de estabelecer, em seu ambiente, um clima organizacional saudável. Estimulam a satisfação e motivação, a atitude (envolvimento saudável com o trabalho em si e comprometimento “feliz” com a missão e valores da organização), a formação de times autogerenciáveis (todos são gerentes), job rotation (rotação de trabalho), enriquecimento do trabalho, valorização profissional, espírito de equipe, etc.

4 A Revista Época, de 24 de agosto de 2009, que lista as “100 melhores empresas para trabalhar” (ranqueadas pela pesquisa do Great Place to Work Institute – GPTW), solicitou de consultores de RH, uma listagem de atitudes que permite a manutenção de uma equipe satisfeita, motivada e concentrada nos objetivos e valores da organização e na geração de subsídios no caminho da melhora e valorização de seus profissionais, disseminando e praticando as “melhores práticas” corporativas.

5 Os consultores definiram 12 atitudes São elas: 1.Celebrar as conquistas – toda vez que se fizer um trabalho excepcional, superar expectativas, atingir metas, devem-se celebrar as vitórias, um dos pilares do bom ambiente de trabalho. 2.Comunicação eficiente – a comunicação clara, ágil e eficiente é uma das marcas das 100 melhores empresas para trabalhar. Os bons líderes são próximos das equipes, transmitem informações necessárias para cada um executar seu trabalho.

6 3. Elogie os colegas – poucas pessoas tem o hábito de elogiar um trabalho realizado com qualidade. Por outro lado, a maioria não pensa duas vezes antes de criticar alguma falha. Prefira reconhecer o esforço e a dedicação das pessoas ao seu redor, elogie quando for merecido, reconforte quando surgir alguma falha, e aponte caminhos e soluções quando for possível. Desenvolva a pratica do “elogio-crítica” (Augusto Cury).

7 4. Treinar o respeito – Embora se trate de um principio básico, as pessoas estão se esquecendo de algumas regras de educação. Há pessoas que até se surpreendem quando ouvem alguém pedir licença ou por favor, ou mesmo dizer obrigado por algo. Estamos vivendo um processo de brutalização nas empresas (e na Universidade, também). Ao ser educado você cativará as pessoas e elas passarão a se policiar para agir de maneira parecida. Haverá mais respeito entre todos.

8 5. Criar empatia no ambiente – saber ouvir, agregar as pessoas rumo ao objetivo comum. Para fazer isso, você precisa conhecer as pessoas com quem trabalha, a forma como reagem a diversas situações e como lidar com elas. Só há um jeito de aprender essas coisas: ouvindo as pessoas, observando-as, valorizando-as em suas contribuições. Essas ações ajudam a criar empatia no ambiente de trabalho.

9 6.Evitar as fofocas – só fazer aos outros, aquilo que você quer que os outros façam por você. Fuja dos joguinhos políticos que existe em todas as empresas. Muitos profissionais perdem um tempo precioso envolvidos com fofocas, querendo roubar o lugar de alguém e falando mal das pessoas, do chefe da empresa. Ele se defende dizendo agir dessa maneira por questão de sobrevivência, já que todos fazem o mesmo.

10 7.Aceitar as mudanças – preparar as pessoas para as mudanças, que geralmente criam estresse; não se acomodar. Nas melhores empresas as mudanças são comunicadas com clareza, e as pessoas são mais bem preparadas para elas. 8.Respeitar os limites – concentrar-se no que realmente importa. Procure descansar, fazer uma atividade física, ler jornais e revistas, e, conversar com os amigos. Levar uma vida equilibrada eleva o humor e diminui o estresse. E gente bem-humorada contamina os outros com alegria.

11 9. Criar ilha de excelência – construir ambiente favorável (clima organizacional saudável), começando a tratar subordinados e pares de um modo transparente, aberto. 10.Desenvolver talentos – trocar experiências, orientar, ensinar o colega, trocar conhecimentos e informações. Conhecimento adquirido por um profissional vale muito pouco se ele não é colocado, praticado e compartilhado com os colegas.

12 11. Ajudar os colegas – cada um por si? Errado. Importa saber trabalhar em equipe. Você percebe que a pessoa ao seu lado está atolada de trabalho, mas não faz nada para ajudar. Mesmo que você esteja passando pelo mesmo sufoco, pergunte se pode ajudar de alguma maneira. Muitas vezes, uma simples dica ou uma orientação pode fazer uma grande diferença para o seu colega. Se as pessoas que trabalham na empresa fazem parte de um único time, então você será visto como alguém que sabe trabalhar em equipe. Melhor ainda: passará a contar com a solidariedade da pessoa que ajudou e poderá receber ajuda quando precisar.

13 12.Entender os diferentes – evitar as panelinhas, avaliar os problemas sob outros ângulos, que não apenas os seus. Nós temos a tendência de conviver com as pessoas que tem o mesmo perfil que o nosso. Existe uma atração natural entre profissionais parecidos. O ideal seria você não abandonar aquelas que pensam e agem de forma diferente da sua. Isso pode ajudá-lo a avaliar seus problemas sob outros ângulos, e impedirá a formação de panelinhas.

14 Reflexão final: No passado, as empresas contratavam pessoas que exibiam experiência e sólido conhecimento técnico. Hoje, além do conhecimento e capacidade de aprender continuamente (mudanças advindas com a globalização e pela era digital, onde o mundo não dorme mais), há outro requerimento considerado fundamental: comportamento adequado.

15 Personalidade, postura, engajamento e adesão aos valores da empresa viraram pré-requisitos. Importante: "Hoje, atributos comportamentais têm o mesmo peso que a bagagem técnica na hora de contratar ou promover um funcionário ou técnico" (Suely Agostinho, Diretora de RH da Caterpillar).

16 Para uma Diretora de RH da Bunge Alimentos (que trouxemos à ESALQ em 2008 para uma palestra) enfatizou: Você é ou pode ser contratado inicialmente pelo seu currículo diferenciado, mas sua permanência na empresa depende muito de seu comportamento pessoal e corporativo (ética, disciplina, satisfação e motivação, atitude, envolvimento com o trabalho e comprometimento com os valores da empresa, espírito de equipe etc). Comportamento inadequado, mesmo carregando bom conhecimento técnico, pode ser causa de demissão.

17 Equação do funcionário adequado e ajustado à empresa = Conhecimento + Comportamento, onde Comportamento = temperamento + conduta.

18 OBRIGADO!


Carregar ppt "Evaristo Marzabal Neves Apoio didático: Manoela S. Begas (Bolsista PET-GAEA) ESALQ/ USP Depto. de Economia, Administração e Sociologia Setembro 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google