A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

“As tecnologias não são boas, nem más, e muito menos neutras”.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "“As tecnologias não são boas, nem más, e muito menos neutras”."— Transcrição da apresentação:

1 “As tecnologias não são boas, nem más, e muito menos neutras”.

2 Internet na escola: situações problema Zulmira Medeiros Pedagoga CONHECENDO E COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS II ENCONTRO DE FORMAÇÃO COM ESPECIALISTAS EM EDUCAÇÃO BÁSICA SEE/MG Minicurso:

3 Programação Apresentação / Tempestade de ideias Exposição dialogada Conversa em pequenos grupos Socialização Avaliação / Encerramento

4 Apresentação Nome / Área / Escola / Cidade O que você gostaria de adicionar à internet – algo que vc ainda não pode fazer e gostaria que fosse possível. O que você deletaria, dentre os vários recursos disponíveis na internet?

5 Vamos pensar juntos: É possível / É preciso inserir o uso da internet na prática docente? Que papel a internet pode / deve ter no meio educacional? A relação do aluno com a escola muda a partir do uso da internet?

6 Internet – Possibilidades Pedagógicas Pesquisas / Enciclopédias / Sites de busca Pesquisas / Enciclopédias / Sites de busca InformaçãoInformaçãoComunicaçãoComunicação Simuladores online Física, Geografia, etc. Simuladores online Física, Geografia, etc. Vídeos / Filmes / Animações Imagens / Fotos / Lugares / Objetos Redes Sociais Facebook Grupos de Redes Sociais Facebook Grupos de Produção e Publicação Blogs, Twitter Produção e Publicação Blogs, Twitter Softwares online Ex.: Mapas Conceituais Google maps Softwares online Ex.: Mapas Conceituais Google maps

7 Listas de discussão / Grupos de / Fóruns on-line Ampliar a comunicação de sala de aula. Registrar orientações dadas pelo professor e contribuições enviadas pelos alunos. Possibilitar o envio e recebimento de arquivos. Pelo – Enviar e receber mensagens e arquivos do grupo. Na página do grupo –Ver a lista de associados e respectivos s. –Ver todas as mensagens anteriores. –Disponibilizar arquivos para o grupo. –Baixar arquivos. –Disponibilizar álbuns de fotos.

8 Blogs Registrar / Divulgar Compartilhar Escrever / Refletir Organizar Colaborar Divertir Aproximar professores e alunos Expandir o espaço escolar e a própria aula

9 Blogs com produções de alunos (blogs da professora Andréa)

10 Blogs com produções de alunos (blogs do professor Paulo)

11 Publicar o trabalho dos alunos na Internet torna a aprendizagem mais significativa, pois permite que a produção seja vista e apreciada por muitas pessoas de fora do espaço escolar. A avaliação dos alunos da 8ª série pela professora de Português Marli Fiorentin vai contemplar a participação deles no blog criado por ela. Marli leciona no Colégio Estadual Pe. Colbachini, em Nova Bassano (RS) e está trabalhando a relação entre a obra Vidas Secas, de Graciliano Ramos, e a falta de chuva no Estado. arede.especiais&id_especial=185

12 Sites para criação de blogs

13 Textos Sete motivos para um professor criar um blog na_bd.asp?codtexto=636 A Utilização Do Blog Na Educação utilizaccedilatildeo-do-blog-na- educaccedilatildeo/pagina1.html

14 Softwares / Sites Educacionais

15

16 Facebook Ferramenta de relacionamento / entretenimento / rede social Criado em fevereiro de 2004 (estudantes da Universidade de Harvard)

17 Na opinião de quem usa... comunicação rápida com amigos e parentes forma de encontrar pessoas que estavam distantes chance de novos relacionamentos com pessoas diferentes e com pessoas de suas áreas de interesse para entender um pouco do comportamento humano, em especial dos jovens olhar os álbuns de fotos dos amigos compartilhar experiências através dos grupos e páginas

18 Aplicações Pedagógicas Aliar conteúdo X interação – páginas e grupos temáticos Trabalhar o senso crítico - avaliar o que é pertinente ou não, o que convém ou não Inclusão digital - mais uma forma, apesar de limitada, de integrar tecnologia e educação Restrição Termos de aceite do facebook: abertura de uma conta só com 13 anos ou mais – e mesmo assim com políticas diferenciadas para quem tem menos de 18 anos.

19 Youtube Serviço on-line de vídeos – Visualizar – Enviar / Baixar – Exibir em seu blog Criado em fevereiro de 2005 Variedade de recurso pedagógico e tecnológico Construção conhecimento através da análise da ação, reflexão e ação - criar e elaborar vídeos para colocar no site. Aplicações Pedagógicas

20

21 Restrição Acesso gratuito aos vídeos Necessidade de autorização dos pais para a publicação de vídeos com imagens das crianças. A questão da exposição dos alunos na web vale para os demais recursos, como blog, facebook, etc. No grupo, o risco é menor por ser uma comunidade fechada.

22 Vamos pensar juntos: É possível / É preciso inserir o uso da internet na prática docente? Que papel a internet pode / deve ter no meio educacional? A relação do aluno com a escola muda a partir do uso da internet?

23 Relações com as tecnologias Reprodução Comparação Substituição Articulação (Pierre Lévy, 1999)

24 Dados de pesquisa realizada com Jovens Brasileiros

25 Hábitos de navegação 80% Tem os Sites de Relacionamento como um dos preferidos 72% Tem os Comunicadores Instantâneos como preferidos 47% Fica em média mais de 4 horas conectados por dia (Pais 33%) 49% Aprendeu a usar a Internet Sozinho 32% Aprendeu entre 5 e 9 anos de idade 80% Se considera muito mais habilidoso do que os pais 55% Aprendeu a usar entre 10 e 15 anos 79% Tem amigos virtuais sendo que 37% tem mais de 20

26 Limites de navegação 65% Usam pelo computador no próprio quarto 55% Acham que usa tempo demais 87% Dizem que os pais não colocam limites para a navegação 22% Afirmou que “Eu ficaria perdido sem a Internet e não imagino a vida sem ela” 26% Afirmou que “A Internet é meu principal meio de diversão e comunicação” 48% Se aborrecem quando os pais monitoram a navegação

27 Situações Problema Informações não confiáveis Roubos / Furtos Excesso de uso Superexposição Plágio Uso indevido da informação Bullying Pedofilia...

28 Marco Civil da Internet Projeto de lei que institui princípios, garantias, direitos e deveres para quem usa a rede no país. – Direitos do cidadão frente aos provedores – Neutralidade na rede – Privacidade na web – Responsabilização pelo conteúdo – Logs ou registros de acessos – Data centers fora do Brasil O debate sobre o Marco Civil é interessante para mostrar que é possível desenvolver direitos e deveres no ambiente online e este tem sido um espaço de grande conviência de crianças e adolescentes.

29 Em sala de aula... Com o apoio de casos, quadrinhos, vídeos, animações, dados de pesquisas, reportagens… o professor pode promover debates e/ou discutir temas como os crimes de internet, informações falsas, privacidade e o risco de postar fotos íntimas.

30 Cuidados também para o Professor

31

32

33

34

35

36

37 Sites visitados segura-na-escola/ segura-na-escola/ cartilhas/saferdicas.pdf (histórias em quadrinhos) cartilhas/saferdicas.pdf evitar-plgio-em-trabalhos?type=powerpoint evitar-plgio-em-trabalhos?type=powerpoint

38 Caso 1 Ana Carolina e Larissa são muito amigas. Elas estão no 7º ano e estudam juntas desde o 4º. A amizade é tão grande que elas compartilham segredos, alegrias, inseguranças e tudo que é tão natural da idade delas. Larissa sabe até a senha de Ana Carolina no facebook. Só que na semana passada, inexplicavelmente, as duas tiveram uma discussão por causa de um garoto da escola e ficaram muito chateadas uma com a outra. Ao chegar em casa, Larissa entrou no facebook com o usuário e senha de Ana Carolina e lá fez postagens bem mal educadas no mural dos colegas (e todos pensaram que era a Ana que tinha escrito tudo aquilo!). Gorete é a coordenadora de turno na escola onde as meninas estudam e ontem foi surpreendida com a visita inesperada dos pais de Ana Carolina. A menina está trancada no quarto faz 3 dias e não quer sair pra ir à escola. Os pais sabem que a escola não pode ser responsabilizada, mas precisam de ajuda para lidar com a situação. Além disso, os professores têm comentado que a turma em que as meninas estudam está muito agitada porque os alunos ficam cochichando o tempo todo e o assunto é sempre o mesmo: “Você viu o que a Carol postou no face?”

39 Caso 2 Correio Metropolitano de BH, 04/04/2009 – Belo Horizonte, MG. Acesso à informação não é garantia de saber A Escola Trinta e um de Março, após passar por uma exaustiva discussão junto à comunidade sobre a aquisição de conhecimentos dos alunos mediada pelas novas tecnologias da informação, decidiu proibir o uso da internet para a realização das pesquisas escolares. Maria da Luz Coimbra O professor Airton Peres da Silveira, que leciona a disciplina Biologia para o segundo ano do ensino médio, na Escola Trinta e Um de Março, localizada na região sul da capital mineira, pela primeira vez, passou por uma situação polêmica, envolvendo toda a comunidade. Visando esclarecer aos seus alunos sobre os efeitos maléficos do uso de substâncias entorpecentes e alucinógenas, o professor dividiu a turma em pequenos grupos e foi dado a cada um o nome de uma droga, a qual deveria ser pesquisada sua característica e ressaltados os efeitos prejudiciais ao usuário da mesma. A data do trabalho foi marcada e cada grupo deveria, além de entregar a pesquisa escrita, divulgá-lo no site da escola, disponibilizando as informações para a comunidade em geral. O grupo que pesquisou sobre a maconha, entregou o trabalho em tempo hábil e aparentemente não deixava a desejar quanto ao visual e a organização do mesmo. Confiando no teor informativo, do trabalho, o professor permitiu a sua publicação antes da correção. Nos dias que se seguiram, a escola recebeu várias visitas e ligações telefônicas dos familiares de seus alunos, reclamando sobre as informações contidas no trabalho divulgado no site da escola e fazendo severas críticas ao professor por ter permitido tal publicação. O professor, ao ser informado, procurou imediatamente ler o referido trabalho e constatou que, ao invés do texto dissertar sobre os efeitos danosos da droga, tratava-se de uma apologia à mesma, defendendo a liberação do uso e propagando-a, a fim de conseguir aumento no número de usuários. O professor suspeitou que o texto, devido ao seu conteúdo e pela consistência, não teria sido escrito e nem lido pelos componentes do grupo. Embora não tenha sido comprovado, tudo indicava que se tratava de trechos e ilustrações “copiados” e “colados” de um ou de vários sites. Ao chamar o grupo para fazer as observações cabíveis, os alunos que assinaram pela autoria do trabalho, argumentaram contra a suspeita do professor, gerando a grande confusão. A Direção, tentando amenizar o caso, convocou uma reunião extraordinária do Colegiado para avaliar a situação e decidir sobre o uso da internet nos trabalhos de pesquisa. Na reunião, além dos membros representantes do Colegiado, estavam presentes outros professores, pais e alunos interessados em apresentar seus pontos de vista. O Colegiado, mesmo contrariando as opiniões divergentes de educadores e alunos, porém convencido de que a internet pouco contribuía para a aquisição do conhecimento dos alunos, decidiu proibir o uso da mesma para a realização de pesquisas escolares. Ainda não sabemos se, com a proibição, a escola atingiu o objetivo almejado ou intensificou o conflito. Com tal imposição não estará ela “nadando contra a corrente” quando a tendência é o uso da web para facilitar o acesso à informação?

40 Perguntas A partir do caso apresentado, conversem sobre as seguintes questões: No lugar de Gorete, que atitudes você tomaria diante das famílias? O que você acha que a escola pode fazer para solucionar essa situação com as duas alunas e com a turma? E o que a escola pode fazer para ajudar a evitar casos como esse? A partir da história em quadrinhos, conversem sobre as seguintes questões: Você acha que esse tipo de coisas acontece apenas com crianças e adolescentes? Quais as possíveis causas de situações como essa? As famílias e a escola estão preparadas para lidar com esse tipo de situação? E o que a escola pode fazer para ajudar a evitar casos assim? A partir do caso apresentado, conversem sobre as seguintes questões: Se você fosse o professor Airton, que atitudes tomaria para resolver essa situação? Como evitar que os alunos copiem conteúdos da internet para os trabalhos escolares? Você acha que a escola agiu corretamente definindo pela proibição do uso da internet? Que outras alternativas você acha que a escola teria? (histórias em quadrinhos)

41 Avaliação O que você achou deste minicurso? 

42 Internet na escola: situações problema Zulmira Medeiros Pedagoga CONHECENDO E COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS II ENCONTRO DE FORMAÇÃO COM ESPECIALISTAS EM EDUCAÇÃO BÁSICA SEE/MG Minicurso:


Carregar ppt "“As tecnologias não são boas, nem más, e muito menos neutras”."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google