A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LINGUAGENS 1. Grupo de Consultores Carla Carvalho - Artes Maria Luiza Feres do Amaral - Artes Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti – Coordenação da Área Rosângela.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LINGUAGENS 1. Grupo de Consultores Carla Carvalho - Artes Maria Luiza Feres do Amaral - Artes Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti – Coordenação da Área Rosângela."— Transcrição da apresentação:

1 LINGUAGENS 1

2 Grupo de Consultores Carla Carvalho - Artes Maria Luiza Feres do Amaral - Artes Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti – Coordenação da Área Rosângela Pedralli – Línguas Santiago Pich – Educação Física Viviane Maria Heberle - Línguas 2

3 Grupo de Produção e Fórum Estadual O Grupo de Produção constituiu-se inicialmente de 63 colegas vinculados aos componentes curriculares da Área de Linguagens. Posteriormente esse grupo mesclou-se com colegas das demais áreas envolvidas no processo, compondo uma média de sessenta participantes. O Fórum contou com a participação de cerca de oitocentos colegas de todo o Estado. 3

4 Interações recorrentes ao longo do processo No Grupo de Produção, vários colegas mantiveram-se em recorrentes interações por ou presencialmente conosco, coordenadores, encaminhando trechos mais longos para o documento e analisando com mais vagar sugestões de alterações e acréscimos. Agradecendo a todos os oitocentos colegas envolvidos, pedimos sua licença para destacar este grupo menor cujo envolvimento com o texto foi recorrente e intenso – em menor ou em maior grau – ao longo do processo. 4

5 Adelmo Pradeiczuk Andrei Jan Hoffmann Uller Beatriz Favaretto Celio Antonio Sardagna Claudia Renate Ferreira Daniela Radel Bortoli Patrzykot Darli de Amorim Zunino Georgia Dos Passos Hilário Giovana Bianca Darolt Hillesheim Isaac Ferreira João Derli de Souza Santos Josânia Aparecida Jacovas Joseni Terezinha Frainer Katia Cristina Schuhmann Zilio Leticia Lopes Mara Paulina Wolff de Arruda Maria Letícia Naime Muza Marisa Fermino Mirialva Antonia Bernardi Bedin Mirian Terezinha Bolsi Renato Menezes Rosangela Kirst da Silveira Sali Hadres Sindia Rech Tatiana Parraga Da Silva Viviane Aparecida Dal Pizzol 5

6 Números de participação docente e encaminhamentos dados 6

7 Mensagens recebidas (até 13/07): 1.Postagens no Fórum geral do estado: Postagens no Fórum de Produção: 98 3.Contribuições para o texto: s recebidos: 49 Encaminhamentos dados a esse material: 1.A cada nova etapa, todas as mensagens foram copiadas e separadas por componente. 2.Em seguida, foram encaminhadas a cada um dos consultores para análise e, quando possível, incorporação ao texto. 3.Cada movimento desses gerou nova versão do texto a ser trabalhada com o Grupo de Produção no encontro presencial seguinte. 7

8 O percurso do trabalho realizado 8

9 Passo I – Alinhamento epistemológico 9

10 Passo II – Escrita sobre concepções de sujeito e de linguagem Síntese Sujeito: compreendido como situado na história e na cultura, constituído nas relações intersubjetivas estabelecidas por meio das diferentes linguagens. Linguagens: Compreendidas como instrumentos psicológicos de mediação simbólica, que facultam a instituição de relações intersubjetivas e a organização do pensamento. Obs.: Esta seção foi incorporada ao texto da Atualização da PC/SC em capítulo geral das Áreas. 10

11 Passo III – Escrita sobre compreensões consensuais acerca dos eixos que requerem a atualização Síntese Formação humana integral: foco no papel organizador da cognição desempenhado pelas linguagens nessa formação dos sujeitos nas relações com os outros. Diversidade: foco no papel das linguagens na compreensão da singularidade dos sujeitos em sua inserção social, histórica e cultural e na formação para o respeito a essa condição. Percurso formativo: foco no papel das linguagens na transformação de vivências e experiências em conhecimentos dos zero aos dezessete anos de idade. Obs.: Esta seção também foi incorporada ao texto da Atualização da PC/SC em capítulo geral das Áreas. 11

12 Passo IV - Registro das primeiras impressões em cada um dos componentes curriculares Escrita de um texto inicial, reunindo compreensões consensuais no Grupo de Produção acerca das grandes questões a serem objeto de reiteração e de atualização em cada componente. Nesta etapa, o texto constituiu-se de três subseções: uma para Artes, outra para Línguas, outra para Educação Física. 12

13 Passo V – Depreensão de conceitos articuladores dos componentes curriculares – os conceitos da área Retomada dos textos produzidos para cada componente e depreensão dos conceitos científicos que emergiam como convergentes nas compreensões alinhavadas no processo de textualização por componente. Análise recorrente dos conceitos científicos depreendidos e vários retornos a esses conceitos na busca de torná-los mais precisos e de submetê-los ao olhar avaliativo de todos, contemplando sugestões de alteração. A imagem que representa o resultado final a seguir constitui a décima versão do conjunto de conceitos. 13

14 14

15 Passo VI – Retomada dos textos por componentes, na busca de um texto da Área Produção de um texto explicitando a compreensão do grupo acerca dos significados de cada conceito no âmbito da Área. Retomada dos textos produzidos em cada componente e reorganização desses textos em torno dos conceitos da Área: busca por um documento de fato por Área e não mais por componentes separados. 15

16 Organização Final do Documento da Área O documento, hoje na Versão 9, a ser apresentada no próximo encontro presencial, consta deste sumário: Considerações Iniciais 1 Conceitos científicos articuladores da Área de Linguagens 2 As linguagens na formação integral do sujeito: inter-relações no ensino e na aprendizagem nas Artes, nas Línguas e na Educação Física 16

17 2.1 Vida: cultura e história – conceitos tomados na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens 2.2 Axiologia/ideologia: ética/estética – conceitos tomados na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens 2.3 Semiose: sociointeração e representações de mundos – conceitos tomados na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens 17

18 2.4 Contexto sociointeracional: conceito tomado na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens 2.5 Textualidade: conceito tomado na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens 2.6 Forma/função: conceitos tomados na articulação dos componentes curriculares da área de Linguagens Considerações Finais 18

19 Breve síntese dos eixos do documento 19

20 Vida, cultura e história nos componentes da área Enfoque na concepção das Artes, das Línguas e da Educação Física como campos cultural e historicamente delineados a partir da atividade humana sobre o meio nas relações dos sujeitos uns com os outros. Destaque à importância de compreensão dessa dimensão dos diferentes componentes no ensino e na aprendizagem, de modo a educar para a apropriação de novos conhecimentos que se caracterizem pela ampliação das possibilidades de encontro com o outro por meio das linguagens artísticas, da cultura corporal do movimento e de novos saberes sobre a própria língua tanto quanto sobre outras línguas. 20

21 Axiologia e ideologia nos componentes da área Ênfase às valorações atribuídas às diferentes linguagens das Artes, tanto quanto ao movimento humano culturalmente situado e aos usos sociais das línguas como instituidores das relações intersubjetivas. Olhar para as implicações sociais, políticas, culturais, econômicas, ambientais e afins dessas valorações, na busca de que, no ensino e na aprendizagem, desvelem-se ideologias e se ampliem as formas de compreender o mundo e os outros por meio dessas diferentes linguagens. 21

22 Semiose: sociointeração e representações de mundo nos componentes da área Consideração de que todas as linguagens têm em comum sua constituição por meio de signos, verbais ou não verbais. Destaque às funções às quais esses signos se prestam: quer nas Artes, quer nas Línguas, quer na Educação Física, os signos atuam como instrumentos psicológicos de mediação simbólica, por meio dos quais as relações humanas se tornam possíveis, assim como por meio dos quais se constituem as representações de mundo dos sujeitos, em um movimento que vai da intersubjetividade para a intrassubjetividade. 22

23 Contexto sociointeracional nos componentes da área Compreensão de que as diferentes linguagens têm lugar em contextos sociointeracionais específicos, que norteiam a forma como os signos se materializam, quer nas composições das imagens, quer nos acordes musicais, quer nas palavras, quer nos gestos, nos sinais, nos movimentos... Sempre estarão implicadas questões como: quem são os interlocutores, em que espaços socioculturais eles se encontram por meio dessas linguagens, em que tempo histórico isso se dá, para que razões e a partir de quais representações de mundo isso acontece. Essas são questões fundamentais na educação em linguagens, na busca por ampliar os repertórios de conhecimentos dos(as) estudantes. 23

24 Textualidade nos componentes da área Compreendida em sentido amplo, a textualidade constitui a materialização dos signos nos diferentes contextos sociointeracionais. Os interlocutores se encontram uns com os outros por meio das artes plásticas, da música, do teatro, da dança, dos jogos, das lutas, das brincadeiras, dos esportes, da palavra em uso social e afins, sempre por meio de textos, nos quais existe uma coerência interna, assim como elementos de coesão entre os signos, de modo a produzir sentidos entre tais interlocutores no âmbito do contexto sociointeracional em que se inserem. 24

25 Forma/função nos componentes da Área Os signos implicam a articulação entre forma e função, articulação que ganha contornos diferentes nas Artes, na Educação Física e nas Línguas e que só existe porque os sujeitos se encontram uns com os outros, produzindo cultura na história humana. Na área de Linguagens, a atenção às relações entre forma e função é especialmente importante, porque, no ensino e na aprendizagem nessa área, é importante contribuir para que os(as) estudantes monitorem as formas como usam as linguagens, na busca de sua autonomia em relação à heteronomia do(a) professor(a). Tais relações, porém, não podem ser tomadas em si e por si mesma, porque só fazem sentido em nome da sociointeração, no bojo da qual se dá a ampliação das representações de mundo dos sujeitos. 25

26 A sequência do trabalho 26

27 1. O documento, na Versão 9, será submetido a trabalho final do Grupo de Produção no encontro presencial de julho. 2. O desafio é a redução do volume de texto, hoje excedendo o previsto para a versão final. 3. Fica no horizonte o propósito de conquistar uma maior articulação, mais efetivamente harmoniosa, entre os componentes, porém esse movimento é desafio de futuro. 27


Carregar ppt "LINGUAGENS 1. Grupo de Consultores Carla Carvalho - Artes Maria Luiza Feres do Amaral - Artes Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti – Coordenação da Área Rosângela."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google