A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da UFBA III ENCONTRO DE COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PIBID Brasília, 14 de maio de 2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da UFBA III ENCONTRO DE COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PIBID Brasília, 14 de maio de 2013."— Transcrição da apresentação:

1 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da UFBA III ENCONTRO DE COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PIBID Brasília, 14 de maio de 2013

2 Objetivo Fortalecer a articulação da Universidade Federal da Bahia com a rede de educação básica do Estado, de modo a estabelecer projetos de cooperação que busquem elevar a qualidade do ensino nas escolas da rede pública e a melhorar os cursos de formação de professores, subsidiando o desenvolvimento de políticas públicas e de práticas escolares inovadoras.

3 Trabalho Colaborativo ESTUDANTE SUPERVISORCOORDENADOR Plano de trabalho na escola Relatórios PARCIAL E FINAL Seminário INTERNO Seminário GERAL comunicação de trabalhos em eventos

4 Linha do Tempo Diferentes áreas CONVÊNIO universidade-GOVERNO Física Química Matemátic a Biologia Teatro Dança Música Pedagogia Filosofia Sociologia História Geografia Edc no Campo Ciências Naturais Desenho Letras Educação Física Biologia/Barreiras Química/Barreiras História/Barreiras Geografia/Barreira s Computação Educação Especial Teatro e Educação Linguagens 24 SUB-PROJETOS em 2013

5 63 escolas de Educação Básica (43 estaduais + 19 municipais + 1 federal) Parceria com escolas

6 Evolução quantitativa ESTUDANTES PIBID-UFBA, junho de

7 Evolução quantitativa SUPERVISORES PIBID-UFBA, junho de

8 Uma Concepção de... FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE PROFESSORES 1. Negação 2. Aceitação depreciativa 3. Valorização UNIFICAÇÃO - INTEGRAÇÃO - DIÁLOGO

9 O princípio a ser afirmado é o compromisso da universidade com a escola pública. A partir daí, trata-se de estabelecer mecanismos institucionais de colaboração através dos quais seja construída uma integração efetiva entre formação profissional e prática de ensino Boaventura de Sousa Santos, 2005 Uma Concepção de UNIVERSIDADE

10 Isoladamente, os saberes profissionais do professor não irão dialogar com seus saberes experienciais construídos no cotidiano da docência, irão parecer inúteis. Esses saberes (somados a outros como os saberes disciplinares e curriculares) estão em constante interação e renovação, em movimento. Maurice Tardif, 2002 A construção dos saberes docentes

11 O mundo contemporâneo A Cultura Digital refere-se ao conjunto de valores, símbolos, práticas, comportamentos produzidos no universo das relações sociais produzidas a partir do uso das tecnologias digitais, revelando mudanças nas diversas esferas da atividade humana, como no uso da língua escrita e falada, nos relacionamentos, nas crenças, costumes, códigos, instituições, ferramentas, métodos de trabalho, arte, religião, ciência. Pierre Lévy, 1999

12 & Pressupostos Formar mais... FORMAR MELHOR

13 Diálogo imperativo entre universidade e escola Pressupostos

14 teoria prática

15 Pressupostos Ação CONHECIMENTO TRANS FORM Ação

16 Redes de Colaboração Pressupostos

17 Pesquisa como ATITUDE Pressupostos

18 Formação para a AUTONOMIA Pressupostos

19 Escola é espaço de FORMAÇÃO DOCENTE Pressupostos

20 A ESCOLA é é lócus de formação, ação e experiência docente, criando condições para a efetiva reflexão, pesquisa, crítica e inovação do futuro professor. Local onde os SABERES docentes de caráter plural são continuamente mobilizados, atualizados, reconstruídos a partir da experiência vivida.

21 Uma Concepção de... Trabalho em Rede Ação dinâmica Horizontalidade Interdependencia Colaboração Participação Diálogo

22 A inserção do estudante de licenciatura num conjunto de práticas próprias da profissão docente, realizadas em um espaço concreto de ensino-aprendizagem, para as quais deverá contribuir com sua reflexão crítica, propositiva e teoricamente fundamentada, ao tempo em que vivencia as dimensões científica, técnica, filosófica, política e afetiva de sua formação. Iniciação à Docência é

23 Planejamento estratégico Articulação de grupo INTERDISCIPLINAR n as escola s ; Construção coletiva/plural/autônoma/aberta da proposta ; Acompanhamento crítico-reflexivo-ativo do processo ; Envolvimento da graduação e pós-graduação, produção de pesquisa, publicações e eventos; Vivência das práticas escolares diversificadas e produção de materiais/recursos didáticos, inovação pedagógica e curricular ; Integração do trabalho entre áreas, sujeitos e instituições, com colaboração em rede, com uso das tecnologias da informação e comunicação como estruturantes das relações e produção de saberese.

24 AVALIAÇÃO FORMATIVA PROCESSOS DESEMPENHOIMPACTOS

25 Impactos na universidade Diferentes áreas CONVÊNIO universidade-GOVERNO Projeto unificado Diálogo entre áreas Formulação de uma política de formação na universidade Universidade vai à escola e vice-versa Ampliação da produção e socialização de conhecimento

26 Impactos no sistema de ensino Diferentes áreas CONVÊNIO universidade-GOVERNO Parceria universidade e poder público Micro-redes de escolas Ampliação do interesse pela universidade Articulação dos PIBIDs na Bahia Estadualização do fomento ao PIBID

27 Impactos na formação Diferentes áreas CONVÊNIO universidade-GOVERNO

28 Produção coletiva de material didático Feira realizada no Col é gio Estadual Thales de Azevedo

29 Produção de cultura Crian ç as da Escola Municipal Olga Figueiredo, Produ ç ão de Musical com apoio do PIBID-UFBA M ú sica

30 Mudança de visão de mundo Foi uma experiência muito boa...nos mostrou como ver a arte e até mesmo a vida de outra forma. Muitas vezes não nos damos oportunidade de perceber os pequenos detalhes ou ver que podemos fazer coisas diferentes além de ir ao shopping, show de pagode ou cinema. (Estudante do Colégio Estadual Thales de Azevedo, após espetáculo da São Paulo Compahia de Dança, no TCA)

31 Experiências Internacionais Supervisor da Área de Física faz visita ao Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partícula, Portugal e Escola de Física – CERN, Suiça.

32 XV Encontro Nacional de Ensino de Química - ENEQ, Brasília, julho 2010 Atitude investigativa e produção de conhecimento Livro ALFABETIZAÇÃO PARA A INFÂNCIA, PIBID-UFBA Pedagogia

33 Participação em ações inovadoras na escola Reativação do Laboratório e Feira realizada no Col é gio Estadual Manoel Devoto Jogos interativos Organização de eventos Excursões Estudo do meio Cartilha

34 Uso de tecnologias e interatividade


Carregar ppt "Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da UFBA III ENCONTRO DE COORDENADORES INSTITUCIONAIS DO PIBID Brasília, 14 de maio de 2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google