A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Radiocomunicação Migração para Tecnologia Digital Entenda a Legislação, Riscos e Oportunidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Radiocomunicação Migração para Tecnologia Digital Entenda a Legislação, Riscos e Oportunidades."— Transcrição da apresentação:

1

2 Radiocomunicação Migração para Tecnologia Digital Entenda a Legislação, Riscos e Oportunidades

3 A transição de uma tecnologia para outra ocorre de modo natural, e geralmente é motivada pela evolução de padrões homologados internacionalmente pelos diversos “players” que definem o mercado de radiocomunicação mundial: governos, fabricantes, UIT – União Internacional de Telecomunicações, entre outros. Uma vez definida na UIT, os governos participantes iniciam um processo de internalização das Recomendações lá aprovadas, que passaram a ser leis em seus respectivos países. Processo de digitalização de sistemas de telecomunicações, é fruto da preocupacão com o melhor aproveitamento do espectro, comum a todas as nações. Dessa forma, os governos participantes da UIT e fabricantes, elegeram que a modulação digital deve ser o padrão doravante, para acomodar mais usuários no mesmo espectro. Dessa forma o usuário deve planejar o melhor momento para migração, aliando Aspectos jurídicos, técnicos e financeiros a sua estratégia de negócio, levando em consideração que quem migrar primeiro garantirá melhores canais. Em regiões de concentração populacional ou grande densidade industrial os canais são muito disputados por entidades privadas e públicas. Saiba mais sobre a IUT. OVERVIEW

4 1-) Até quando posso utilizar rádio analógicos? R: Você pode utilizar em caráter primário até o vencimento das licenças. 2-) O que é operar em caráter primário e secundário? R: Sistemas operando em caráter primário possuem proteção da Anatel contra interferências prejudiciais de terceiros. Sistemas operando em caráter secundário não possuem proteção contra interferencias prejudiciais. 3-) Se um sistema licenciado operando em caráter primário interferir em um sistema em caráter secundário qual será a solução aplicada pela Anatel? Em caso de interferência ou compartilhamento de canal o Sistema operando em caráter secundário, devem ser desativado imediatamente. DÚVIDAS FREQUENTES

5 4-) Tenho um sistema operando em caráter secundário em uma região rural, longe de centros urbanos e minha licença analógica vence em Devo migrar urgentemente? R: Não. Devem ter mais urgência aqueles que utilizam sistemas em grandes centros ou em regiões rurais com atividade agroindustrial predominante. 5-) Estou adquirindo um sistema novo na capital de SP, qual faixa de frequencia devo escolher e que tipo de rádio devo escolher? R: A melhor faixa de frequencia atualmente para grandes centros é a de 380 mhz. Para sistemas novos é altamente recommendável adquirir tudo em modo digital. Obs.: Em todos os casos deve ser feito uma análise global da situação levando-se em conta expectativas do cliente, parque instalado ou a instalar, Frequencias licenciadas ou a licenciar. Não existe regra fixa, cada caso é único. DÚVIDAS FREQUENTES

6 ANATEL – LEI GERAL DE TELECOMUNICAÇÕES, N.9.472/97 RESOLUÇÃO 617 ANATEL RESOLUÇÃO 242 ANATEL RESOLUÇÃO 568 ANATEL RESOLUÇÃO 561 ANATEL RESOLUÇÃO 558 ANATEL RESOLUÇÃO 557 ANATEL RESOLUÇÃO 556 ANATEL RESOLUÇÃO 605 ANATEL RESOLUÇÃO 303 ANATEL LEGISLAÇÃO BÁSICA

7 Este documento foi elaborado pela Aerbras e sua reprodução total ou parcial está sujeita a prévia autorização dos titulares do direito autoral. ADRIANO REIS – PRESIDENTE CÉSAR MUSSA – DIRETOR ADMINISTRATIVO HOMERO ANDRADE – DIRETOR TÉCNICO DANE AVANZI – DIRETOR JURÍDICO EDUARDO ANTÃO – DIRETOR DE TECNOLOGIA VALDEMAR GALANO – CONSELHEIRO FISCAL AERBRAS GESTÃO 2013/2015


Carregar ppt "Radiocomunicação Migração para Tecnologia Digital Entenda a Legislação, Riscos e Oportunidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google