A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

15 de Jun. 2004 Formação de Formadores - da Concepção à Avaliação de Projectos de Formação Contínua Avaliação na Formação Contínua Centro de Formação das.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "15 de Jun. 2004 Formação de Formadores - da Concepção à Avaliação de Projectos de Formação Contínua Avaliação na Formação Contínua Centro de Formação das."— Transcrição da apresentação:

1 15 de Jun Formação de Formadores - da Concepção à Avaliação de Projectos de Formação Contínua Avaliação na Formação Contínua Centro de Formação das Escolas do Concelho de Ílhavo Ana Maria Caiado

2 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Formação de Professores É reconhecido por todos que o professor é uma componente fulcral do sistema educativo. O acto educativo é, em última instância, realizado pelo professor. A sua boa preparação profissional é, pois, essencial para o sucesso educativo. É indispensável melhorar a pertinência e a qualidade da formação inicial de raiz e em serviço dos professores. CRSE, 1987

3 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Dos normativos legais à realidade Em 1936 o Decreto-Lei n.º 27084/36 de 14 de Outubro estabelece que: os professores têm por obrigação fazer o seu aperfeiçoamento contínuo sob pena de processo disciplinar....

4 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Dos normativos legais à realidade E em 1973 a Base XXVI da Lei n.º 5/73 de 25 de Julho, estabelecia que: a formação permanente dos agentes educativos constitui obrigação para o Estado (...) e deverá ser suficientemente diversificada, de modo a assegurar a actualização dos conhecimentos e o aperfeiçoamento da preparação pedagógica e a favorecer a promoção e mobilidade profissionais.

5 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Dos normativos legais à realidade Em 1986 a Lei de Bases do Sistema Educativo LBSE, Lei n.º de 14 de Outubro, no seu artigo 2º, ponto 1, afirma que: todos os portugueses têm direito à educação e à cultura nos termos da Constituição da República.

6 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Dos normativos legais à realidade É com a promulgação do Regime Jurídico da Formação Contínua RJFC, Decreto-Lei n.º 249/92 de 09 de Novembro, que se tenta passar das palavras e das intenções aos actos.

7 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Avaliação A avaliação no seio da actividade de aprendizagem e de produção é, portanto, uma necessidade, tanto para o formador como para os formandos. Aquilo que se faz deve ser avaliado, tendo-se em atenção não só o produto final mas também a sua via de formação. Bartolomeis, 1999

8 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua O que é avaliar? Avaliar é elaborar um juízo de valor, qualitativo ou quantitativo, sobre uma acção. Mas a interpretação da definição de avaliação varia de autor para autor.

9 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação serve não apenas para determinar o grau de êxito dos objectivos, mas também para fornecer informações que ajudem a tomar decisões, isto é, deve iluminar o próprio processo. (Carlinda Leite et al, 2001)

10 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação corresponde a discrepâncias entre a realidade observada e um ideal. (in Estrela e Nóvoa, org., 1993)

11 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação O interesse social da avaliação associa-se à mudança e à necessidade e possibilidade de escolher entre alternativas. (Hamilton, 1977)

12 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação Em rigor, deve entender-se que avaliar com intenção formativa não é o mesmo que medir ou qualificar, nem muito menos corrigir. Avaliar não é tão pouco classificar, nem examinar, nem aplicar testes. (Méndez, 2001)

13 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação como sistema fechado reproduz o sistema de valores que instaurou o controlo. (De Ketele, 1991) Em educação avaliamos para conhecer. (Méndez, 2001)

14 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação inclui o controlo na medida em que este é tomado como verificação ou medida de distâncias, discrepâncias, desvios, conformidade ou coerência. (in Estrela e Nóvoa, org., 1993)

15 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação O modelo de avaliação tradicional consiste na aplicação de provas objectivas para classificar, seleccionar e distribuir segundo os resultados em diferentes níveis. (Méndez, 2001)

16 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação Nem tudo o que se aprende e avaliável e nem tudo o que o professor avalia e realmente o mais valioso. (Mendez, 2001)

17 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação costuma confundir-se com o acto intencional e artificialmente produzido – o exame. (Mendez, 2001)

18 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação Nas tendências actuais da avaliação a preocupação centra-se na forma como o aluno aprende, sem descurar a qualidade do que aprende. (Méndez, 2001)

19 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Definições de avaliação A avaliação é uma actividade ética, uma vez que os julgamentos feitos afectam a vida das pessoas. (Coomer, 1985)

20 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Importância da avaliação A avaliação é, de facto, uma necessidade e, por isso mesmo, uma realidade omnipresente no dia-a- dia daqueles que, em circunstâncias diversas, assumem papéis e responsabilidades que são inerentes à própria condição de seres humanos que interagem em projectos e programas de índole sociocultural.

21 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Funções da avaliação A avaliação tem várias funções das quais se podem salientar as seguintes: –Indicar os resultados; –Identificar os problemas decorrentes das práticas pedagógicas; –Diagnosticar as necessidades dos formandos; –Sugerir as necessidades dos formandos; –Sugerir novos métodos e técnicas pedagógicas ou recursos didácticos; –Predizer os resultados e facilitar uma orientação; –Motivar os formandos e os formadores para a consecução dos objectivos; –Orientar os esforços dos formandos na definição dum trajecto pessoal de aprendizagem.

22 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Metodologias É recomendável recorrer a metodologias diversificadas, não esquecendo os três princípios que se entrecruzam e se completam: –O princípio da relação processo/ produto; –O princípio da importância dos pensamentos, crenças e atitudes dos formadores e dos formandos; –O principio da influência do contexto.

23 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Para quê avaliar? Avalia-se para que haja acção. O Homem vive avaliando tudo o que observa. E o formando é conduzido para agir bem para que possa ter um "bom" resultado da avaliação. A avaliação da formação permite verificar o grau de qualidade dessa mesma formação e assim regular todo o processo formativo.

24 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Para quê avaliar? Pode-se considerar que a avaliação tem três etapas fundamentais, que de tão complementares, são indissociáveis: –Recolha de informação; –Tratamento e interpretação da informação; –Reflexão sobre os resultados;

25 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Para quê avaliar? Estas etapas conduzem às suas três finalidades principais: –Informativa; –Valorativa; –Interventiva.

26 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua O que se avalia? Toda a acção dos formandos. Podem-se avaliar várias componentes do processo de formação: as condições físicas das instalações, a coordenação do curso, as qualidades do formador, o interesse dos temas, os métodos pedagógicos utilizados, os auxiliares pedagógicos utilizados, entre outros.

27 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua O que se avalia? É extremamente útil recolher informações sobre as condições em que decorre a formação e avaliar o grau de satisfação dos participantes, mas é imprescindível analisar os progressos efectuados pelo formando.

28 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua O que se avalia? Experiência do formando Menor que a esperada A esperada Melhor que a esperada Insatisfeito Satisfeito Encantado PercepçãoResultado Ao avaliar o grau de satisfação dos formandos podemos verificar o grau de qualidade da formação.

29 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Como avaliar? Os três tipos de avaliação –Diagnóstica, –Formativa –Sumativa são complementares e permitem, de modos diferentes, obter informação de conteúdo.

30 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Avaliação diagnóstica Este tipo de avaliação é essencial na selecção de candidatos a formação. A avaliação diagnóstica pode ser feita utilizando testes diagnósticos que não são alvo de classificação. Na prática este tipo de avaliação não é frequente nem possível a nível da formação contínua de professores, embora se devam definir pré-requisitos para frequência de determinados tipos de temas/ conteúdos de formação.

31 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Avaliação formativa A avaliação formativa é um procedimento de diagnóstico sistemático de uma situação geral e/ ou particular, a fim de clarificar a fundamentar o tipo de intervenção mais adequada no decorrer de um determinado processo de interacção, isto é, visa a retroalimentação de todo o tipo de processo de formação. A avaliação formativa permite identificar situações de aprendizagem mal conseguidas e informa sobre medidas correctivas a tomar.

32 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Avaliação sumativa A avaliação sumativa consiste numa apreciação globalizante que, em dado momento e em função de determinados critérios, se faz de determinado objecto de avaliação. Assim, a avaliação sumativa procede a um balanço das aprendizagens e competências adquiridas no final de um módulo ou acção de formação.

33 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Dificuldades da avaliação Uma das grandes dificuldades da avaliação é a falta de tempo para avaliar e para saber avaliar. Outra grande dificuldade da avaliação é o seu carácter ambíguo e subjectivo.

34 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Como melhorar a avaliação? Torná-la mais explicita, concisa e democrática. Definir o peso na avaliação final dos conteúdos curriculares e dos conteúdos comportamentais. Desenvolver a auto-avaliação e a hetero-avaliação. A utilizar de escalas de avaliação suficientemente abrangentes mas sintéticas.

35 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Consequências da avaliação Podem elencar-se as seguintes consequências de um processo avaliativo: –Homogeneização de comportamentos e promoção de conhecimentos. –Um formando estuda para que a sua avaliação seja satisfatória. Assim, a avaliação provoca o movimento e o pensamento dos formandos, desenvolvendo as relações entre os formandos e com o saber instituído.

36 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Consequências da avaliação –Os objectivos do ensino poderão ser alterados pelas avaliações efectuadas. –Diferenciação dos formandos desde aqueles que nada fazem até aqueles tudo sabem. –Quando se pergunta por uma avaliação apenas se está interessado no resultado final. Perde-se o conhecimento da acção que conduziu aquele resultado. Assim, a avaliação não espelha o desempenho do formando.

37 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua A realidade nos CFAE Foram analisados alguns exemplos de métodos de avaliação da formação de diferentes CFAE: –CFECI –CFPA –CFCF –CFAECO –CFAECES

38 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua A realidade nos CFAE Relativamente à avaliação: –Existem algumas diferenças, que são consequência da autonomia dos Centros de Formação. –Os vários CFAE fazem a avaliação das suas acções, tanto pelos formadores como pelos formandos. –Nem todos os CFAE fazem avaliação intermédia e alguns só o fazem dependendo da modalidade e/ou da duração da acção.

39 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Considerações finais Os professores devem ser autores/ construtores do seu processo de formação e não meros espectadores/ consumidores. A qualidade só pode ser atingida através da avaliação da formação, para que possa ser restruturada e reorganizada. O importante é que a formação contínua seja vista de uma forma integrada, integradora, articulada e indutora de práticas reflexivas na perspectiva da aprendizagem permanente.

40 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua Meus Cont ctos Posso ser contactada pelos seguintes correios electrónicos:

41 15 de Jun Avaliação na Formação Contínua FIM


Carregar ppt "15 de Jun. 2004 Formação de Formadores - da Concepção à Avaliação de Projectos de Formação Contínua Avaliação na Formação Contínua Centro de Formação das."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google