A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Como desenvolver a avaliação institucional na escola?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Como desenvolver a avaliação institucional na escola?"— Transcrição da apresentação:

1 Como desenvolver a avaliação institucional na escola?

2 IDÉIAS BÁSICAS DO MÓDULO IX - COMO DESENVOVER A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA ESCOLA

3 IMPORTÂNCIA E ABRANGÊNCIA Enfoques dados à avaliação – CONCEPÇÃO Um processo intrínseco à educação; Um processo intrínseco à educação; Processo de construção coletiva; Processo de construção coletiva; Processo que depende do referencial teórico de quem avalia; Processo que depende do referencial teórico de quem avalia; Processo que não se limita ao pedagógico. Processo que não se limita ao pedagógico.

4 PRESSUPOSTOS BÁSICOS Não é só um debate técnico, mas ético e político sobre os meios e os fins da educação; Não é só um debate técnico, mas ético e político sobre os meios e os fins da educação; Depende da visão de totalidade – (história do animal raro do circo); Depende da visão de totalidade – (história do animal raro do circo); É um processo constante de reflexão sobre a prática pedagógica; É um processo constante de reflexão sobre a prática pedagógica; É um processo construtivo, e não só de constatação; É um processo construtivo, e não só de constatação; Pressupõe uma postura de análise de causas e efeitos. Pressupõe uma postura de análise de causas e efeitos. Penso que cumprir a vida seja simplesmente, Compreender a marcha e ir tocando em frente (Música: Tocando em frente, Almir Sater e Renato Teixeira

5 RESULTADOS ESPERADOS Entendimento dos cursistas do essencial processo avaliativo da escola; Entendimento dos cursistas do essencial processo avaliativo da escola; Leitura mais crítica e diferenciada sobre os perigos das avaliações que são feitas em função da competitividade, que é excludente e desumana; Leitura mais crítica e diferenciada sobre os perigos das avaliações que são feitas em função da competitividade, que é excludente e desumana; Adquiram competências para desenvolver o processo avaliativo da escola num enfoque transformador. Adquiram competências para desenvolver o processo avaliativo da escola num enfoque transformador. Avaliar a escola é preciso, mas... Que avaliação ?

6 DIFERENÇA ENTRE : Refere-se à avaliação dos níveis de conhecimentos adquiridos pelos alunos. O avaliado é sempre o aluno e o avaliador é o professor. Funciona em formas de diagnóstico, orientação e registro. Refere-se à avaliação de Instituições, como a escola, e de políticas públicas. Todos que fazem a instituição são avaliados e avaliadores. Funciona em três modalidades: diagnóstica (início do processo), de processo (análise do cotidiano) e de resultados (análise de dados finais). AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

7 Voltada a identificar MÉRITO, isto é, quem sabe mais, desempenha melhor ou tem melhores indicadores; Voltada a identificar MÉRITO, isto é, quem sabe mais, desempenha melhor ou tem melhores indicadores; Tem sido usada para fazer hierarquias ou rankings entre instituições; Tem sido usada para fazer hierarquias ou rankings entre instituições; Usada, também, para credenciamento e recredenciamento de Instituições de ensino superior pelos Conselhos estaduais e nacional de Educação. Usada, também, para credenciamento e recredenciamento de Instituições de ensino superior pelos Conselhos estaduais e nacional de Educação. Mérito e Controle x Transformação e Aperfeiçoamento AVALIAÇÃO MERITOCRÁTICA OU PARA CONTROLE COMPETITIVA

8 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Considera a avaliação institucional como um instrumento para a melhoria da educação; Considera a avaliação institucional como um instrumento para a melhoria da educação; É usada para identificar dificuldades e sucessos; É usada para identificar dificuldades e sucessos; Visa formular ações para a transformação e aperfeiçoamento da escola e do sistema educacional; Visa formular ações para a transformação e aperfeiçoamento da escola e do sistema educacional; Usada para construir a qualidade de uma escola e do sistema. Usada para construir a qualidade de uma escola e do sistema. AVALIAÇÃO PARA TRANSFORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO REFLEXIVA E CONSTRUTIVA

9 A avaliação precisa ser espelho e lâmpada, não apenas espelho. Precisa não apenas refletir a realidade, mas iluminá-la, criando enfoques, perspectivas, mostrando relações, atribuindo significados M. H. Abrams

10 PRINCÍPIOS ADESÃO VOLUNTÁRIA ADESÃO VOLUNTÁRIA AVALIAÇÃO TOTAL E COLETIVA DA ESCOLA AVALIAÇÃO TOTAL E COLETIVA DA ESCOLA RESPEITO À IDENTIDADE DA ESCOLA RESPEITO À IDENTIDADE DA ESCOLA UNIDADE DE LINGUAGEM UNIDADE DE LINGUAGEM COMPETÊNCIA TÉCNICO- METODOLÓGICO COMPETÊNCIA TÉCNICO- METODOLÓGICO

11 PILARES METODÓLOGICOS VISÃO DA TOTALIDADE PARTICIPAÇÃOPLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO Projeto Pedagógico da escola Todos os segmentos envolvidos Conselho escolar e Grupo de Trabalho

12 INSTRUMENTO DE COLETA DE INFORMAÇÕES COLETA DE INFORMAÇÕES

13 DIMENSÃO QUALIDADE DAS RELAÇÕES E DO TRABALHO ESCOLAR CATEGORIAS DE ANÁLISE 1. Relações Escola - comunidade 2. Relações escola-sistema educacional. 3. Relações internas da escola. 4. Qualidade (nível de satisfação) do trabalho pedagógico. 5. Qualidade (nível de satisfação) dos serviços prestados pela escola. 6. Qualidade (nível de satisfação) da gestão escolar. ASPECTOS 1.Relações escola –comunidade Prestação de serviço à comunidade local; Integração da escola com a comunidade local; Integração da escola com outras escolas e universidades; Participação oficial da comunidade nas decisões da escola; Busca de parcerias com instituições, órgãos etc.; Integração da escola com associações de categorias profissionais.

14 INSTRUMENTOS MAIS USADOS...

15 QUESTIONÁRIO As perguntas fechadas são difíceis de ser elaboradas e fáceis de ser apuradas. As perguntas abertas são fáceis de ser elaboradas e difíceis de ser apuradas Não colocar questões de respostas dúbias. As questões deverão ser de conteúdos essenciais e não de conteúdos complementares. É preciso clareza e objetividade nas questões. As respostas poderão ser dadas por escores quantitativos, qualitativos ou menções. As perguntas deverão ter sempre em mente o respondente Não exija identificação nos questionários para dar maior liberdade ao respondente.

16 FÓRUNS DE DEBATES Sem os roteiros, há muita possibilidade de se perder no encaminhamento das discussões Sem os roteiros, há muita possibilidade de se perder no encaminhamento das discussões Os fóruns são ricos para captação de idéias, sentimentos e para estabelecer relações mais reais dos fatos. Os fóruns são ricos para captação de idéias, sentimentos e para estabelecer relações mais reais dos fatos.

17 OBSERVAÇÃO A observação é um instrumento valioso, pois capta elementos de expressão não-verbal que nenhum outro instrumento consegue. A observação é um instrumento valioso, pois capta elementos de expressão não-verbal que nenhum outro instrumento consegue.

18 CRITÉRIOS DE APLICAÇÃO DOS INSTRUMENTOS Quanto ao respondente Quanto ao respondente Quanto aos aplicadores Quanto aos aplicadores Quanto ao momento da aplicação Quanto ao momento da aplicação

19 INTERPRETAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ORGANIZAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS TABELASGRÁFICOS VANTAGENS: Visualização das informações DESVANTAGENS: São dados descontextualizados ORGANIZAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE INFORMAÇÕES QUALITATIVAS AGRUPAMENTO DE DADOS POR CATEGORIAS DE ANÁLISE RELATÓRIOS VANTAGENS: Ricas de relações DESVANTAGENS: difíceis de serem apreendidas e interpretada / influência subjetiva

20 RESULTADOS DA AVALIAÇÃO SELECIONANDO Sucessos (pontos fortes da escola) Dificuldades (que precisam ser trabalhados) ORGANIZANDO AÇÕES Mapa de identificação dos sucessos Mapa de identificação e encaminhamento de dificuldades DIVULGANDO OS RESULTADOS Através de vários meios


Carregar ppt "Como desenvolver a avaliação institucional na escola?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google