A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS COOPERAÇÃO E GOVERNANÇA, novas perspectivas e abordagens. Walter Nunes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS COOPERAÇÃO E GOVERNANÇA, novas perspectivas e abordagens. Walter Nunes."— Transcrição da apresentação:

1 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS COOPERAÇÃO E GOVERNANÇA, novas perspectivas e abordagens. Walter Nunes

2 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Pauta Cooperação, Cooperação, Governança, Governança, Novas perspectivas Novas perspectivas APL- Ceramica vermelha norte Gi APL- Ceramica vermelha norte Gi

3 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Cooperação Experiência de vida, Experiência de vida, Experiência da Cooperação – ASCENO. Experiência da Cooperação – ASCENO.

4 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Experiência de vida, Experiência de vida, Sou Walter Nunes, Engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal de Goiás brasileiro casado tenho dois filhos e há quatro anos convivo com mal de parkson tremo um pouco, mas é tolerável. Nasci no interior, mais precisamente no norte do estado de Goiás em uma fazenda localizada no inicio do maciço CAMBURI, região rica em minérios. Sou um privilegiado tenho curso superior, sou CERAMISTA, e hoje estou aqui dando minha contribuição para o desenvolvimento, para que o país seja mais justo. O Brasil melhorou muito desde o meu nascimento, mas a fila anda e nós precisamos desenvolver e acompanhar a globalização

5 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Associação dos Ceramistas do Norte de Goiás criada em função da crise que se abateu sobre a classe no final da década de 90. Promoveu-se uma reunião da classe em uma churrascaria, às margens da BR 153, km 190, até então éramos ilustres desconhecidos;

6 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS A conquista da boa governança: A boa governança está relacionada com a capacidade gerencial da administração pública, com a capacidade da sociedade de construir canais de participação na gestão estatal e confiança no governo.

7 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS COOPERAÇÃO / GOVERNANÇA Segundo Alcindo Gonçalves Governança é a maneira pela qual o poder é exercido na administração dos recursos sociais e econômicos de um país visando o desenvolvimento, implicando ainda a capacidade dos governos de planejar, formular e implementar políticas e cumprir funções em outras palavras é a forma em que um governo exerce o poder. Governança é um requisito fundamental para um desenvolvimento sustentado, que incorpora ao crescimento econômico equidade social e também direitos humanos e responsabilidade ambiental (Santos, 1997

8 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS 1º- A etapa da concepção do APL, exercida pelo governo federal, etapa, esta a meu ver, exercida em perfeita harmonia com o edital publicado. 2ª Etapa - exercida pelo governo do estado que foi o gestor do APL, neste caso há necessidade de melhorias. 3ª Etapa - é a governança local. Esta governança tem como objetivo primeiro fazer com que as melhorias proposta possa efetivamente ser implementadas. Nesta etapa entra em ação a verdadeira cooperação, onde o tratamento deve ser o mais democrático possível, onde a individualidade e as peculiaridades de cada unidade devem ser respeitadas.

9 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Governança A quem interessa a boa Governança, A quem interessa a boa Governança, A quem interessa o APL. A quem interessa o APL.

10 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS A quem interessa a boa governança. Aos governos federal, Estadual, Municipal e toda a sociedade, principalmente os pequenos e médios empresários beneficiados pela boa governança Por governança em arranjos ou sistemas produtivos locais, APLs, entende-se a capacdade de comando ou coordenação que certos agentes (empresas, instituições, ou mesmo um agente coordenador) exercem sobre as inter-relações produtivas, comerciais, tecnológicas e outras, influenciando decisi­vamente o desenvolvimento do sistema ou arranjo local.

11 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS A quem interessa o APL. Por definição, Arranjo Produtivo Local (APL) é um conjunto de fatores econômicos, políticos e sociais, localizados em um mesmo território, desenvolvendo atividades econômicas correlatas e que apresentam vínculos de produção, interação, cooperação e aprendizagem.

12 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Arranjo Produtivo Local APL da Cerâmica Vermelha: Histórico, Pontos positivos Pontos de melhorias

13 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS A PL da Cerâmica Vermelha. Histórico: O APL cerâmica vermelha foi um presente que o governo do estado ofereceu à única associação organizada de Goiás. Até então não tínhamos idéia do que seria um APL; então começaram-se os trabalhos, fizemos cinco oficinas onde tivemos a oportunidade de fazer uma leitura bem precisa da atual situação da nossa categoria e dos produtos que oferecíamos à venda para a sociedade, que sem opção era obrigada a adquirir produtos não conforme. Uma vez identificados os ponto positivos, pontos negativos e gargalos, orientados por uma equipe fantasticamente especializada, definimos o que queríamos e para onde deveríamos ir.

14 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Pontos positivos O primeiro ponto positivo foi o preparo da equipe que dirigiram os trabalhos nas oficinas. A seguir o espírito de C OOPERAÇÃO dos ceramistas, que participaram de todo o processo, e também a qualidade da equipe contratada para execução das tarefas determinada pela governança.

15 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Pontos de melhorias Independentemente de tratar-se de um planejamento do detalhe para o geral ou do geral para o detalhe, a experiência mostra que quando é elaborado um projeto APL, estabelece-se Metas Físicas e Ações, por etapa, com cronograma de execução e valores estimados, pressupondo-se um conhecimento uniforme e profundo da atividade econômica, o que não ocorre de fato, pois os próprios pequenos e médios mineradores estão buscando o novo, a inovação, e cada etapa amplia o conhecimento, de forma, às vezes, a impor mudanças importantes nas etapas seguintes. Mas mudar o planejado é difícil, demorado, apesar de possível. Propõe-se adotar uma forma mais flexível de planejamento, que possibilite a adoção de novos rumos à medida que o projeto avance.

16 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Novas perspectivas Mudanças: Processo dinâmico entre os beneficiários e os financiadores, Processo dinâmico entre os beneficiários e os financiadores, Divulgação dos resultados obtidos. Divulgação dos resultados obtidos.

17 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Mudanças: Processo deve ser dinâmico entre os beneficiários e os financiadores: Reuniões periódicas (semestrais?) de avaliação e acompanhamento, com representantes das 03 esferas (Federal, Estadual e APLs), trariam maior integração, nivelaria o conhecimento sobre a evolução do projeto e facilitaria as tomadas de decisão, no direcionamento das compres dos órgãos públicos, a comprarem somente produtos conforme. Criação do estencionismo mineral para dar apoio e incentivar os pequenos mineradores a apropriar-se do conhecimento, de novas tecnologias, aproveitarem melhor o bem mineral porque é colheita única. Já seria um bom começo. Divulgação dos resultados obtidos. Incentivar os órgãos públicos a adquirir prioritariamente produto certificados ou conforme.. a norma.

18 5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Obrigado! Walter Nunes de Souza / Rua Tiradentes 77 centro Nova Iguaçu de Goiás


Carregar ppt "5ª CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS COOPERAÇÃO E GOVERNANÇA, novas perspectivas e abordagens. Walter Nunes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google