A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. INTRODUÇÃO 1.1. Mulher do silêncio e da escuta (J.P. II)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. INTRODUÇÃO 1.1. Mulher do silêncio e da escuta (J.P. II)"— Transcrição da apresentação:

1

2

3

4 1. INTRODUÇÃO 1.1. Mulher do silêncio e da escuta (J.P. II)

5 “Encontrar Deus em todas as coisas e todas as coisas em Deus”.

6 1.2 A beleza da Mãe de Jesus

7 No final da época moderna, torna-se urgente uma re­cuperação da beleza da verdade e do bem que torne amável a humanidade.

8 1.3 A sociedade de hoje

9 A uma humanidade que descobriu tão intensamente a mundanidade do mundo e procurou emancipar-se, é necessário, mais do que nunca, propor a verdade amável, o bem atraente.

10 2. DOIS TEXTOS BÍBLICOS 2. DOIS TEXTOS BÍBLICOS Lucas 2, Lucas 2,1-12

11 Um anjo apareceu aos pastores e disse-lhes: Não tenhais medo, trago-vos uma boa notícia que será de grande alegria para todo o povo: hoje, na cidade de David, nasceu-vos um Salvador: o Messias, o Senhor Este será para vós o sinal: encontrareis um menino envolto em panos e deitado num presépio.

12 2.2 – S. Paulo 2.2 – S. Paulo

13 Quando se cumpriu o tempo, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher..., para que recebêssemos o ser filhos por adoção (Gál 4, 4- 5).

14 3. SANTA MARIA MÃE DE DEUS 3.1 Missa

15 Celebra o «admirável mistério» (Pj), pelo qual o Pai miseri­cordioso enviou o seu Filho «do Céu ao seio da Santíssima Virgem» a fim de que fosse para nós a «palavra da salvação e o pão da vida» (Co 1).

16 Mas também comemora a fé e a humildade com que Santa Maria O recebeu e O «trouxe em seu ventre» (Pf).

17 Por isso a humilde Virgem de Nazaré é para nós um exemplo. Que «o manifestemos com obras dignas de santidade» e dêmos testemunho d’Ele «por palavras e obras».

18 3.2 Santos Padres e liturgia antiga: S. Agostinho (431)

19 “A Virgem Santa Maria «concebeu em seu espírito, antes de conceber em seu ventre» e assim se exalta a sua fé e a sua obediência e se declara o seu espiritual parentesco com o Filho;

20 3.1.2 S. Bernardo (1153)

21 A Virgem Santa Maria «se é certo que agradou (a Deus) pela sua virgindade, concebeu pela sua humildade».

22 3.2 Prefácio (dos mais antigos de Santa Maria segundo Sacramentário Paduense) Santa Maria alegra-se Porque deu à luz o Redentor, Permanecendo virgem. “Por admirável mistério e inefável sacramento, a Virgem Santa concebeu a Virgem Santa concebeu o vosso Filho Unigénito e trouxe em seu ventre o Senhor do Céu. Sem ter conhecido homem, tornou-se mãe e depois do parto permaneceu virgem. Assim teve esta dupla felicidade: admira-se porque concebeu virgem, alegra-se porque deu à luz o Redentor. (Missal das missas da Virgem santa Maria, p.47)

23 ORAÇÃO FINAL A minha alma glorifica o Senhor; E o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador. Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: De hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações. (...) Lc 1, 46-55

24 Deus na sua bondade: deu-nos o seu Filho único, nascido da Virgem Maria, para que todos nós sejamos seus filhos, vivamos como autênticos e bons filhos, e sejamos, desta maneira, felizes, ditosos, agradecendo todos os dias a Deus.

25 MARIA MÃE DE DEUS E NOSSA MÃE (Poema)

26 Encruzilhada de caminhos Espaço e rota de risco e rumo. Lugar onde habita meu ser Íntimo da vida dos homens.

27 Feliz o santo louco por ti, Revestido de brancas túnicas. Felizes dos que te iluminam Com candeias de estrelas no céu. Feliz o santo louco por ti, Revestido de brancas túnicas. Felizes dos que te iluminam Com candeias de estrelas no céu.

28 De ti nos vêm flores desfolhadas Sabedoria humana nunca esclarecida. Mendigamos a ciência do espírito, A ciência do amor, do Teu amor.

29 Fogo de Deus dos místicos do Espírito Teólogos de profissão nos saberes divinos Mostrai-nos como numa aparição A grandeza d’Aquela que amanhece em mim.

30 Filha de Sião, minha mãe. Trazes em teu ventre os novos filhos Aqueles que Te procuram às escuras, Que são, sem saber, os mais queridos.

31 Ave, habitação da divindade Morada de Seu Filho n’Ela. Ave, ó cheia de graça, Em meu eterno Amanhecer.

32 Eu Te ofereço e te consagro Ó minha Mãe e minha santa rainha Os que vão na minha barca rumo ao sol Os humildes de Iavé sem o saberem.

33 Glória, glória a Ti, ó Mãe de Deus. Quero pegar no Teu menino Senti-lO como se fosse meu E adormecê-lO muito de mansinho. (J. Rocha Monteiro, in Poemas marianos)

34


Carregar ppt "1. INTRODUÇÃO 1.1. Mulher do silêncio e da escuta (J.P. II)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google