A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Hilmar de Moraes Secretaria de Previdência Complementar Departamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Hilmar de Moraes Secretaria de Previdência Complementar Departamento."— Transcrição da apresentação:

1 Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Hilmar de Moraes Secretaria de Previdência Complementar Departamento de Análise de Investimentos

2 O Meio é a Mensagem

3 Aldeia Global

4 Padronizações

5 Volatilidade

6 Concentração

7 Custos adicionais

8 Ética Visão – Missão – Valores Corporativos Ética Visão – Missão – Valores Corporativos

9 Fome Desemprego Pobreza Fome Desemprego Pobreza

10 Visão de Curto Prazo

11 Executivo Dificuldade em Fazer Executivo Dificuldade em Fazer

12 Ganância Avareza Egoísmo Vaidade Ganância Avareza Egoísmo Vaidade

13 Transferência de renda da classe média para as Elites

14 Subjugação dos sentidos e panacéia

15 Uma civilização democrática só se salvará se fizer da linguagem da imagem uma provocação à reflexão crítica, não um convite à hipnose. Umberto Eco Uma civilização democrática só se salvará se fizer da linguagem da imagem uma provocação à reflexão crítica, não um convite à hipnose. Umberto Eco

16 FUNDOS DE PENSÃO INVESTIMENTOS RESPONSÁVEIS 1.Horizonte Temporal – Longo Prazo 2.Irreversibilidade do Investimento 3.Direitos de Propriedade 4.Liquidez = Mercado Secundário Transferência de Direitos Proprietários 5.Riscos Estruturais e Conjunturais 1.Horizonte Temporal – Longo Prazo 2.Irreversibilidade do Investimento 3.Direitos de Propriedade 4.Liquidez = Mercado Secundário Transferência de Direitos Proprietários 5.Riscos Estruturais e Conjunturais

17 COMPROMISSO ATUARIAL 1.Taxa Mínima Atuarial 2.Nível de Tolerância ao Risco 1.Taxa Mínima Atuarial 2.Nível de Tolerância ao Risco

18 COMPROMISSO ATUARIAL

19

20 ALOCAÇÃO DE ATIVOS 1.Cenário Macro-econômico 2.Seleção de Setores e suas Condições Competitivas 1.Cenário Macro-econômico 2.Seleção de Setores e suas Condições Competitivas

21 GESTÃO DE RISCOS Ponto ótimo na curva de Risco/Retorno Estratégia de Formação de Preço ótimo nos Investimentos e nos Desinvestimentos. Metodologia Quantitativa de Gestão de Riscos = Desvio Padrão da Curva de Compromissos com a Curva de Retornos dos Investimentos Ponto ótimo na curva de Risco/Retorno Estratégia de Formação de Preço ótimo nos Investimentos e nos Desinvestimentos. Metodologia Quantitativa de Gestão de Riscos = Desvio Padrão da Curva de Compromissos com a Curva de Retornos dos Investimentos

22 GESTÃO DE RISCOS Riscos: Sistêmico / De Crédito / De Mercado / Do Negócio / Operacional / Concentração Operacional / A Segregação de Funções / Conflito de Interesses e os Riscos Administrativos – Forma de Participação da EFPC no Investimento Falta de Liquidez = Risco de Crédito é preponderante Risco de Inadimplência: 1) Fluxo de Caixa 2) Obrigações Financeiras Riscos: Sistêmico / De Crédito / De Mercado / Do Negócio / Operacional / Concentração Operacional / A Segregação de Funções / Conflito de Interesses e os Riscos Administrativos – Forma de Participação da EFPC no Investimento Falta de Liquidez = Risco de Crédito é preponderante Risco de Inadimplência: 1) Fluxo de Caixa 2) Obrigações Financeiras

23 A Cadeia de Valor Os Recursos da Organização e a Capacidade Competitiva A Estratégia e as Vantagens Competitivas Avaliar o Fluxo de Caixa / Alavancagem Financeira / Nível de Endividamento / Riscos do Projeto e da Indústria: Tecnológico, Legal e Insumos. A Cadeia de Valor Os Recursos da Organização e a Capacidade Competitiva A Estratégia e as Vantagens Competitivas Avaliar o Fluxo de Caixa / Alavancagem Financeira / Nível de Endividamento / Riscos do Projeto e da Indústria: Tecnológico, Legal e Insumos. OS EMPREENDIMENTOS

24 VALORES CORPORATIVOS E OS FATORES EXTERNOS VALORES CORPORATIVOS E OS FATORES EXTERNOS Ambição Pessoal, Filosofia de Negócio, Princípios Éticos dos Executivos e a Cultura Corporativa. As Relações Sociais, Políticas, Legais e com a Comunidade. Ambição Pessoal, Filosofia de Negócio, Princípios Éticos dos Executivos e a Cultura Corporativa. As Relações Sociais, Políticas, Legais e com a Comunidade.

25 VALORES CORPORATIVOS E OS FATORES EXTERNOS VALORES CORPORATIVOS E OS FATORES EXTERNOS Ameaças do Mercado, os Desafios da Concorrência, a Atratividade do setor e as Oportunidades. A Ética entre os Proprietários, Empregados, Clientes, Fornecedores, a Comunidade e o Público em Geral e sua Integração com o Meio Ambiente. Ameaças do Mercado, os Desafios da Concorrência, a Atratividade do setor e as Oportunidades. A Ética entre os Proprietários, Empregados, Clientes, Fornecedores, a Comunidade e o Público em Geral e sua Integração com o Meio Ambiente.

26 AVALIAÇÃO HISTÓRICA DOS AGENTES ENVOLVIDOS Lisura dos Relatórios e Análises em Confronto com os resultados apresentados, tanto do ponto de vista de Negócio quanto da Qualidade dos procedimentos administrativos constantes de Estatuto ou Contrato que disciplinam a forma de participação e controle pelo investidor. COORDENADOR DO LANÇAMENTO RESPONSÁVEIS PELO PROSPECTO ANALISTAS DE INVESTIMENTO CONSULTORES ASSESSORES JURÍDICOS INCORPORADORES / CONSTRUTORES GESTORES DE ATIVOS COORDENADOR DO LANÇAMENTO RESPONSÁVEIS PELO PROSPECTO ANALISTAS DE INVESTIMENTO CONSULTORES ASSESSORES JURÍDICOS INCORPORADORES / CONSTRUTORES GESTORES DE ATIVOS

27 Os investimentos onde os valores corporativos e a ética empresarial forem consistentes, podem ser classificados como Investimentos Socialmente Responsáveis Minimizar as chances de perdas advindas da quebra da ética empresarial, evitando surpresas desagradáveis com futuras demandas e perda de rentabilidade Os investimentos onde os valores corporativos e a ética empresarial forem consistentes, podem ser classificados como Investimentos Socialmente Responsáveis Minimizar as chances de perdas advindas da quebra da ética empresarial, evitando surpresas desagradáveis com futuras demandas e perda de rentabilidade INVESTIMENTO SOCIALMENTE RESPONSÁVEL

28 Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Hilmar de Moraes Secretaria de Previdência Complementar Departamento de Análise de Investimentos


Carregar ppt "Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Políticas de Investimentos Uma Visão Holística Hilmar de Moraes Secretaria de Previdência Complementar Departamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google