A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTELIGÊNCIA. Parece bastante aceitável que a inteligência seja um pré-requisito para alguém aprender.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTELIGÊNCIA. Parece bastante aceitável que a inteligência seja um pré-requisito para alguém aprender."— Transcrição da apresentação:

1 INTELIGÊNCIA

2 Parece bastante aceitável que a inteligência seja um pré-requisito para alguém aprender.

3 Na conversação corrente, quando se fala em inteligência, as pessoas são capazes de logo identificar do que se está falando. Os cientistas, porém, que procuram definir em termos precisos a exatidão deste conceito, não encontram muita facilidade.

4 ACHAMOS DEFINIÇÕES: Capacidade para aprender; Capacidade para resolver problemas; Capacidade de adaptação a situações novas; Capacidade para ajustar-se ao ambiente; Capacidade para estabelecer relações; Capacidade de compreender e inventar.

5 Certamente a maioria dos assuntos concorda que inteligência seja tudo isso e até mais. A definição Capacidade para aprender deixa bem clara a importância da inteligência como pré-requisito para a aprendizagem

6 A inteligência é a solução de um problema novo para o indivíduo, é a coordenação dos meios para atingir um certo fim, que não é acessível de maneira imediata; enquanto o pensamento é inteligência interiorizada e se apoiando não mais sobre a ação direta, mas sobre um simbolismo, sobre a evocação simbólica pela linguagem, pelas imagens mentais etc. (...)

7 Somos seres pensantes. Pensamos sobre as coisas passadas, projetamos nosso futuro, resolvemos problemas, criamos, sonhamos, fantasiamos, somos até capazes de pensar sobre nós mesmos, isto é, somos capazes de nos tornar objetos da nossa própria investigação.

8 Fazemos ciência, poesia, música, construímos máquinas incríveis, transformamos o mundo em símbolos e códigos, criando a linguagem que nos permite a comunicação e o pensamento. Não há dúvida de que somos uma incrível espécie de seres! Essa capacidade de pensar, da qual somos dotados, sempre foi objeto de curiosidade dos filósofos, dos cientistas e, dentre eles, dos psicólogos.

9 Como pensamos? Como resolvemos os problemas que se nos colocam?

10 Foi a partir de questões assim que se iniciaram investigações científicas para a compreensão da gênese do pensamento humano, ou seja, de como se elabora, como se estrutura esta capacidade. Um dos mais pesquisados aspectos do pensamento foi a inteligência.

11 Gohara Yehia conta no livro Avaliação da inteligência que, em um "simpósio sobre inteligência realizado em 1921, grande número de psicólogos expôs suas opiniões a respeito da natureza da inteligência. Alguns consideravam um indivíduo inteligente na medida em que fosse capaz de um pensamento abstrato; para outros, a inteligência era a capacidade de se adaptar ao ambiente ou a capacidade de se adaptar a situações relativamente novas ou, ainda, a capacidade de aquisição de novos conhecimentos. Houve várias teorias sobre inteligência: as que postulavam a existência de uma inteligência geral, as que postulavam a existência de várias faculdades diferenciadas e as que defendiam a existência de múltiplas aptidões independentes".

12 Os psicólogos dividiram-se em dois grandes blocos, quanto à compreensão desse aspecto do pensamento (cognição) humano: a abordagem da Psicologia diferencial e a abordagem dinâmica.

13 A ABORDAGEM DA PSICOLOGIA DIFERENCIAL A Psicologia diferencial, baseando-se na tradição positivista, acredita que a tarefa da ciência é estudar aquilo que é observável (positivo) e mensurável. Portanto, a inteligência, para ser estudada, deve-se tomar observável. Esta capacidade humana foi, então, decomposta em inúmeros aspectos e manifestações.

14 Nós não observamos diretamente a inteligência, mas podemos medi-la através dos comportamentos humanos, que são expressões da capacidade cognitiva. Assim, "vemos" e medimos a inteligência das pessoas através de sua capacidade de verbalizar ideias, compreender instruções, perceber a organização espacial de um desenho, resolver problemas, adaptar-se a situações novas, comportar-se criativamente frente a uma situação. A inteligência, nesta abordagem, seria um composto de habilidades e poderia ser medida por meio dos conhecidos testes psicológicos de inteligência.

15 QI – QUOCIENTE DE INTELIGÊNCIA PONTOS DE QICLASSIFICAÇÃO 180 EM DIANTEGenial Talentoso Muito Superior Superior Normal Rude Deficiente Mental Leve (Educável) Débil (Deficiente Mental Moderado ) Treinável 25 – 49Deficiente mental Severo (Dependente) Até 24Deficiente mental Profundo (Dependente)

16 A ABORDAGEM DINÂMICA Nesta abordagem dinâmica, a inteligência passa a ser um adjetivo. Inteligente - que qualifica a produção cognitiva e intelectual do homem. Por isso, nesta abordagem, os dados obtidos nos testes não são medidas da inteligência, mas medidas da eficiência intelectual do indivíduo.

17 Cabe ressaltar ainda que os níveis baixos nos testes não implicam pouca inteligência, pois nesta abordagem o indivíduo é visto na sua globalidade.

18 A criança que apresenta dificuldades de verbalizar, de resolver problemas, ou de aprender o que lhe é ensinado deve ser compreendida, não como uma criança deficiente intelectual ou pouco inteligente, mas como uma criança que, provavelmente, vive, naquele momento, dificuldades psicológicas, conflitos relacionados ao seu desenvolvimento, sendo um de seus sintomas um rebaixamento da produção intelectual.

19 Os testes passam a ser instrumentos auxiliares na identificação de dificuldades, as quais são encaradas como sintomas de conflitos; tornam-se instrumentos para iniciar um trabalho de recuperação, e não instrumentos para finalizar um trabalho de classificação. Além disso, nesta abordagem, os testes tornam-se muitas vezes dispensáveis.

20 Todas as expressões do homem são carregadas de elementos psíquicos, decorrentes de sua capacidade cognitiva, afetiva, corporal. E os atos, que são adjetivados como inteligentes, não estão isentos de componentes afetivos, além dos cognitivos.

21 Nesta abordagem dinâmica, supõe-se que o indivíduo, quando está bem do ponto de vista da vida psíquica, conseguindo lidar adequadamente com seus conflitos, tem todas as condições para enfrentar o mundo, realizando atos "inteligentes", ou seja, resolvendo adequadamente problemas que se apresentam, sendo criativo, verbalizando bem suas ideias etc.

22 E aqui é fácil dar um exemplo: quando você tem alguma preocupação ou algum conflito que toma grande parte de seu pensamento, você apresenta maior dificuldade para aprender um conteúdo novo ou resolver problemas ou, mesmo, para expressar seus pensamentos.

23 ASPECTO HISTÓRICO Gostaríamos de enfatizar o aspecto histórico na determinação das capacidades intelectuais do homem.

24 Em cada indivíduo, o aspecto histórico deve estar sempre presente. Para compreendermos a expressão de um ser, seus comportamentos e dificuldades, devemos sempre inseri-lo em sua história pessoal, em sua história social. Em cada indivíduo. O aspecto histórico deve estar sempre presente. Para compreendermos a expressão de um ser, seus comportamentos e dificuldades, devemos sempre inseri-lo em sua história pessoal, em sua história social.


Carregar ppt "INTELIGÊNCIA. Parece bastante aceitável que a inteligência seja um pré-requisito para alguém aprender."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google