A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Laura Gomes Lucas Bressan Luana Ng Mariane Lisboa Sabrina Fortunato.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Laura Gomes Lucas Bressan Luana Ng Mariane Lisboa Sabrina Fortunato."— Transcrição da apresentação:

1 Laura Gomes Lucas Bressan Luana Ng Mariane Lisboa Sabrina Fortunato

2 Agenda 1 Contexto; 2 Programa Floripa Ativa; 3 Fases do Programa; 4 Atores Envolvidos; 5 Metodologia; 6 Accountability no Programa; 7 Proposta de apoio – Sistemática de Avaliação; 8 Vídeo.

3 Envelhecer ainda é a única maneira que se descobriu de viver muito tempo. Charles Saint-Beuve

4 Contexto Doenças ligadas ao coração correspondem a mais de 27% dos óbitos no Brasil; Segunda a OMS mais de 30% da população não pratica atividade física; Quando se trata de idosos essa porcentagem aumenta para 56% Medidas simples podem ser tomadas, como programas de incentivo à prática de exercícios regulares

5 Foco Reabilitação Cardiovascular e Metabólica dos Idosos... Secretaria Municipal de Saúde decide desenvolver programas voltados para o cuidado com a terceira idade

6 2- Idoso Ativo 3- Viver Ativo 1- Floripa em Forma

7 Programa Floripa Ativa Floripa em Forma Idoso AtivoViver Ativo

8 Objetivo Geral do Programa Expandir o trabalho realizado com a Reabilitação e a Promoção por meio de Atividade Física no Município de Florianópolis unificando os programas já existentes Objetivos Específicos Diminuir a morbimortalidade decorrente de Doenças e Agravos não transmissíveis no Município; Minimizar os custos decorrentes de morbimortalidade por doenças cardiovasculares e pulmonares na população de Florianópolis; Manter os usuários do sistema de saúde de Florianópolis com capacidade funcional por mais tempo; Fomentar a pesquisa científica na rede pública; Promover a capacitação das ESP e dos profissionais da rede municipal para a prescrição e acompanhamento da prática de exercício físico Avaliar as mudanças de comportamento quanto à adesão ao estilo de vida; Oferecer ao idoso por meio de atividade física um lugar de encontro e socialização; Acompanhar os idosos por meio de aplicação de testes físicos e mentais;

9 Fases do Programa Floripa Ativa Fase A – Floripa em Forma Parte do programa Capital Idoso; Programa de Reabilitação Cardiovascular, Respiratória e Metabólica; Pacientes que apresentam doenças graves cardiovasculares Formado por equipe multidisciplinar; Início em março de 2006 e beneficiando um total de 36 idosos. Fase B – Idoso Ativo Desenvolvido pela Secretaria Municipal da Saúde em parceria com o Núcleo interdisciplinar de Ensino Pesquisa e Assistência Geronto-geriátrica do Hospital Universitário; Prevenção secundária na reabilitação cardíaca, além de desenvolvimento das capacidades físicas ; Objetivo principal é manter a capacidade funcional dos idosos por mais tempo; Início em maio de 2006 com a capacitação de profissionais; julho e agosto de 2009, seis profissionais de educação física concursados foram efetivados e o programa passa por um período de manutenção, processo de ampliação e algumas reformulações.

10 Fase C – Viver Ativo Ações de promoção e prevenção em saúde que visam contribuir para a melhoria e manutenção da capacidade funcional do idoso; Início em 2000 e atende atualmente idosos destinado àqueles idosos que não apresentam comorbidade alguma ou doenças controladas, atendimentos de caráter variável e atendimentos de caráter fixo (Grupos de Vivência; ILPIs; Grupos de Dança; Grupos de Ginástica

11 Atores Envolvidos População idosa de Florianópolis UDESC UFSC Secretaria Municipal da Saúde Secretaria Municipal de Assistência Social Centros de Saúde Centros de Convivência Associação CELESC Clube 6 de Janeiro Ministério da Saúde Capital Idoso

12 Matriz das Partes Interessadas (Stakeholders)

13

14

15

16 Metodologia Tipo de Pesquisa: Exploratória com caráter qualitativo; Dados Coletados: Dados secundários e questionário; Trabalho de Campo: Duas reuniões com a equipe do programa; Período: Agosto a Novembro; Limitações: Disponibilidade de Tempo.

17 Accountability no Programa TRANSPARÊNCIA mais que a obrigação de informar, é o desejo de disponibilizar para as partes interessadas as informações que sejam de seu interesse e não apenas aquelas impostas por disposições de leis ou regulamentos. (IBGC) Acesso às informações do Projeto Floripa Ativa; Mecanismos de divulgação: reuniões e apresentações profissionais da área da saúde; Informações para a população em geral.

18 RESPONSABILIZAÇÃO manter indivíduos e organizações passíveis de serem responsabilizados pelo seu desempenho. (Samuel Paul, 1992); Gestores e os objetivos; Confronto entre o que projetado versus executado; Mecanismos de responsabilização, de sanção e de pressão (Mainwaring, 2003). Accountability no Programa

19 AVALIAÇÃO responsabilização dos agentes públicos está relacionada com as características da avaliação e com as formas de apresentação e divulgação desta e, sobretudo, com a atuação dos atores interessados. (CENEVIVA, FARAH); a única avaliação feita no Projeto é relacionada saúde dos idosos (avaliação físico-funcional); não tem avaliação freqüente e periódica. Accountability no Programa

20 Avaliação SISTEMÁTICA DE AVALIAÇÃO Foco da avaliação: avaliar a relação custo-efetividade do Programa Floripa Ativa; Equipe responsável pela avaliação: externa ao Programa Floripa Ativa, ao menos na primeira versão da avaliação – em seguida, deve-se empoderar os responsáveis pelo programa para utilizar-se da avaliação (elaboração até tomada de decisão); Interessados na avaliação: Prefeitura Municipal de Florianópolis + Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis + Equipe Programa Floripa Ativa; Tipo de avaliação: avaliação formativa (por processos) – anual.

21 Avaliação MEIOS DE VERIFICAÇÃO Perguntas avaliativas: 1. Qual o número de medicamentos utilizados pelos participantes do Programa Floripa Ativa? 2. Qual o número de consultas realizadas pelos participantes do Programa Floripa Ativa? 3. Qual a dosagem de medicamentos utilizados pelos participantes do Programa Floripa Ativa? 4. Qual o valor disponibilizado para exames dos participantes do Programa Floripa Ativa? 5. Qual o valor disponibilizado para internações dos participantes do Programa Floripa Ativa? 6. Qual o número de casos reincidentes dos participantes no Programa Floripa Ativa? 7. Qual o número de eventos cardíacos evitados a partir do Programa Floripa Ativa? 8. O número de profissionais envolvidos é suficiente para atender todos os participantes do Programa Floripa Ativa? 9. Qual a estrutura utilizada pelo Programa Floripa Ativa? 10. (....)

22 Avaliação INDICADORES Indicadores respectivos às perguntas avaliativas: 1.Redução no número de medicamentos utilizados pelos participantes do Programa Floripa Ativa; 2.Redução no número de consultas realizadas pelos participantes do Programa Floripa Ativa; 3.Redução na dosagem de medicamentos utilizados pelos participantes do Programa Floripa Ativa 4.Redução do valor disponibilizado para exames dos participantes do Programa Floripa Ativa; 5.Redução do valor disponibilizado para internações dos participantes do Programa Floripa Ativa; 6.Redução do número de casos reincidentes dos participantes no Programa Floripa Ativa; 7.Número de eventos cardíacos evitados a partir do Programa Floripa Ativa; 8.Número de profissionais X atendimento aos participantes do Programa Floripa Ativa; 9.Nível da estrutura utilizada pelo Programa Floripa Ativa; 10.(...)

23 Avaliação ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Abordagem da avaliação: avaliação quantitativa; Métodos: Observação sistemática não-participante (os eventos presenciados devem ser documentados em um diário de campo, em que são registrados dados referentes às características do programa – estrutura física, profissionais envolvidos, etc) + análise documental (devem ser analisados relatórios médicos, prontuários, relatórios administrativos e econômicos); Sugestões para análise dos dados: Após a tabulação dos dados o avaliador deve retomar os indicadores definidos anteriormente e procurar identificar como as respostas se comportam com relação aos indicadores; A partir da avaliação feita, o avaliador deve indicar quais os pontos críticos e sugerir o que pode ser feito para melhorar ou solucionar os problemas encontrados, formulando o relatório final da avaliação; O relatório deve estar claro, tendo uma linguagem simples e um formato lógico.

24 Avaliação ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Sugestões de apresentação do relatório: Para a apresentação dos resultados da avaliação é interessante apontar dos problemas encontrados e as sugestões a serem implementadas no projeto; Sendo assim, sugere-se uma reunião com os stakeholders do projeto, onde será apresentado o relatório final da avaliação para discussão e definição das prioridades; A equipe que irá fazer as possíveis melhoras, sugeridas na avaliação, deve estar presente nesta reunião, pois assim terão um maior entendimento dos problemas permitindo a participação e aprendizagem do grupo.

25 Vídeo

26 Obrigado pela Atenção!!!!


Carregar ppt "Laura Gomes Lucas Bressan Luana Ng Mariane Lisboa Sabrina Fortunato."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google