A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Lane Primo Senac/CE 15º CIABED Fortaleza 2009 15º CIABED Fortaleza 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Lane Primo Senac/CE 15º CIABED Fortaleza 2009 15º CIABED Fortaleza 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Lane Primo Senac/CE 15º CIABED Fortaleza º CIABED Fortaleza 2009

2

3 3 AvaliaçãoAvaliação ato de reflexão Tanto na modalidade presencial, quanto a distância. Interatividadeproporcionada pela tecnologia pode facilitar o contato com o estudante aumenta a qualidade da Quando comparada com outros meios nas primeiras gerações de EAD (menos dinâmicos). Mas que por outro lado exige uma atenção maior do tutor para os mínimos detalhes.

4 Discutir a 4 Relação da prática Tecnologia Senac Ceará nos cursos da pós-graduação a distância do Senac Ceará que aconteceram no período de março/2005 a outubro/2008. Foram observadas 7 turmas: Educação Ambiental - 3 Educação a Distância - 3 Gestão Educacional - 1 da avaliação

5 inquietudes Observação das inquietudes do corpo docente 5 Quais? desafio de avaliar O desafio de avaliar a distância de forma justa insegurança de levantar critérios e indicadores A insegurança de levantar critérios e indicadores que pudessem ser observados incerteza de poder promover A incerteza de poder promover o desenvolvimento do estudante

6 Uma pesquisa aplicada cujos resultados... 6 pretendem Contribuir para a melhoria da prática docente de todo processo E gerar conhecimento para a EAD

7

8 ... que norteiam o trabalho tratam... 8 das Concepções de Avaliação na EAD da Comunicação dos Resultados da Avaliação da Avaliação Formativa... e, na observação da prática, provocam as questões para as discussões.

9 9 Concepções de Avaliação na EAD

10 Chermann e Bonini Diagnóstica A avaliação melhora o processo quando se dá nas três amplitudes 10 Formativa Somativa Realizada durante o processo. São aplicadas estratégias de recuperação com vistas a evoluir na aprendizagem. Para verificar o perfil de entrada do estudante no curso O que ele sabe a partir de conhecimentos ou experiências anteriores Para aferir tudo o que foi desenvolvido ao longo do curso. No geral expressa através de nota ou conceito.

11 Os AVAs evoluíram bastante desde seu surgimento (recursos para ampliar a interatividade, maior capacidade para armazenar os documentos das atividades, infor m ações e o rastreio do percurso do estudante) Chermann e Bonini todas as formas de avaliação O sucesso do projeto de EAD está na previsão, no plano pedagógico, da aplicação de todas as formas de avaliação dentro do processo. 11 Mas até que ponto os tutores estão preparados para usar tais registros com vistas a avaliar o estudante nas três amplitudes? ?

12 Palloff e Pratt As formas de avaliação ocorrem ao longo do curso de modo mais amplo, envolvem os desempenhos: Do estudante, inclui a auto- avaliação; Do curso e da qualidade do ensino; Da tecnologia utilizada; Dos aspectos funcionais e amigáveis da interação com o estudante; Da utilidade do programa no âmbito da instituição. 12

13 Conhecer alguma coisa de como os estudantes experimentam a aprendizagem ajuda a construir conexões convincentes entre o que queremos que façam e seus interesses e expectativas. Palloff e Pratt No contexto geral, o progresso do estudante e do curso são analisados por meio da: Avaliação formativa Avaliação final ou de reação. 13 Mas será que os tutores, técnicos especialistas em suas áreas, possuem preparo para verificar nas atividades o processo de raciocínio do estudante? ?

14 Para isso o processo contínuo de avaliação se constrói no planejamento das aulas e deve ser acompanhado do início ao fim. Harasim et al interações Nos cursos online, a avaliação deve ser parte do processo de ensino- aprendizagem, estar inserida nas atividades de aula e nas interações entre estudantes e destes com os professores 14 O que significa acompanhar do início ao fim? ?

15 Uma comunicação formativa capta as reações dos estudantes por meio das questões sobre o sentido e o alcance do que foi colocado pelo professor, os pedidos de explicação sobre as apreciações e notas também. HadjiHadji O ato de avaliar sempre tem uma dimensão de comunicação. Ao colocar suas expectativas e o modo de julgar, o professor manda um recado para o estudante. 15 Como os tutores podem iniciar e manter um diálogo dentro do processo formativo utilizando as ferramentas do ambiente? ?

16 16 A Avaliação Formativa

17 Este tipo de avaliação enfrenta muitos obstáculos à medida em que exige o reconhecimento das diferenças e o combate às desigualdades. A função reguladora faz com que estudantes e professores ajustem suas estratégias e dispositivos. De um lado reforça de modo positivo as competências desenvolvidas De outro, permite ao estudante analisar situações de maneira a identificar e proceder às correções para eventuais erros nas atividades. 17 O que mudar na prática docente para lidar com ritmos e tempos individuais de aprendizagem? ?Pacheco*Pacheco* * apud Ribeiro

18 Em casos complexos ou situações ambíguas, é conveniente o uso de instrumentos (provas, relatórios, portfólio, diários, projetos, entre outros), para garantir representações mais acuradas e confiáveis. A escola está mudando em favor de uma pedagogia da diferenciação que leva a uma avaliação caracterizada pela observação formativa a serviço da regulação das aprendizagens. 18 Perrenoud*Perrenoud* * 1999

19 É importante que o professor saiba determinar, interpretar e memorizar os momentos significativos que ajudam a montar um quadro do estudante. Um portfólio e um diário facilitam esse registro. Para acompanhar a progressão das atividades, é preciso fazer balanços periódicos das aquisições dos estudantes. Os balanços orientam as decisões e contribuem para as estratégias de ensino-aprendizagem. 19 De que forma o professor pode usar os registros do ambiente para realizar uma avaliação formativa? ?Perrenoud**Perrenoud** ** 2000

20 20 Então, o que observar em uma avaliação formativa?

21 Trata-se de uma rica fonte de material de avaliação que poderá ser muito bem explorada de acordo com as características e situação de cada estudante. As fontes de dados são diversas: O desempenho nas tarefas e os exercícios A qualidade: das mensagens trocadas da participação na discussão online A busca de comentários espontâneos que: estejam relacionados aos objetivos e às experiências de aprendizagem. 21 Palloff e Pratt

22 Em um AVA a avaliação de um estudante é feita ao observar: O nível de participação nas discussões do curso O desempenho das tarefas e das avaliações formais A qualidade dos trabalhos A frequência de participação nas equipes As pesquisas sobre a satisfação A condução nas discussões e conferências com os demais colegas O progresso nas tarefas 22 Chermann e Bonini

23 Diálogo Trabalhos Participação Tecnologia Das colocações feitas, pode-se relacionar como aspectos relevantes a serem observados: 23 Dá para avaliar o grau de reflexão dos estudantes sobre o tema proposto, as sugestões de como trabalhar melhor online, o nível de interação do grupo, a geração de novas ideias, as trocas de experiências e o crescimento. Dá para avaliar os comentários dos colegas, a auto-avaliação do desempenho, da participação, a relevância do trabalho para o estudante. Dá para avaliar a experiência e o nível de dificuldade encontrada pelo estudante. Dá para avaliar o nível de colaboração, de cooperação, a qualidade e a frequência.

24 O trabalho em grupo, impulsionado pela interatividade, é um dos grandes avanços para a inteligência coletiva 24 E como comunicar os resultados da avaliação para promover o desenvolvimento dos estudantes? ? Também é possível intervir nas dúvidas ou conflitos dos grupos. As discussões compartilham informações e experiências, além de estimular o pensamento e a reflexão. Ao analisar um diálogo coletivo pode-se verificar a compreensão dos materiais, a motivação dos discentes, o envolvimento das equipes e os comportamentos.

25 25 A Comunicação dos Resultados da Avaliação

26 Para Ribeiro, as provas e situações- problema devem ser formuladas de acordo com alguns critérios: Representatividade Significação Clareza 26 Será que estes critérios também se aplicam aos retornos a serem dados aos estudantes? ? O estudante cria relações com a realidade O estudante atribui sentido ao que aprende O estudante compreende o que é proposto

27 27 Qual a relação entre os conceitos e as questões?

28

29 29 Sobre o Estudo

30 30 A metodologia Uma pesquisa do tipo exploratória e descritiva que utilizou uma abordagem indutiva como método A base da forma científica foi observação e a análise documental Os passos da investigação 1.Levantamento dos dados das turmas 2.Análise dos relatórios de final de curso com ênfase nas considerações dos tutores para a avaliação e acompanhamento no tocante aos recursos do ambiente. 3.Levantamento bibliográfico para a fundamentação teórica 4.Análise do material coletado 5.Elaboração das considerações.

31 31 O público observado 7 turmas (2005 a 2008) 126 estudantes dos cursos de pós-graduação, sendo: Os cursos foram conduzidos por 4 tutoras, mestres em suas áreas de atuação. Destas, 2 tinham experiência anterior na tutoria, 1 como monitora e 1 só como estudante em cursos a distância. CursoTurmasEstudantes Gestão Educacional122 Educação a Distância357 Educação Ambiental347 Total7126 Elas foram aprovadas em processo seletivo e passaram por capacitação para atuar no curso e no uso as ferramentas do ambiente. Considerando que a turma de 2007 apresentou os TCCs em 2008

32 32 A Tecnologia de Apoio Nas turmas de 2005 (1 de EAD e 1 de EA) foram utilizados: Aulanet MSN Correio eletrônico Nas turmas a partir de 2006: Moodle (versões vigentes no ano de início dos cursos) Ferramentas de comunicação do próprio ambiente Devido a ineficiência das ferramentas nativas do AVA foi necessário usar aplicativos externos.

33 33 A Tecnologia de Apoio para o acompanhamento Sistema Gerenciador de Notas cuja base de dados encontra-se nos servidores do Senac Nacional, acesso realizado pela internet para registro das notas: dos módulos da avaliação parcial do trabalho de conclusão de curso O tutor possui a senha de acesso do módulo A coordenação possui senha para verificar a situação geral

34 34 Visão da tutoria por módulo Visão da tutoria por módulo

35 35 Visão da coordenação situação geral

36 36 A Tecnologia de Apoio para o acompanhamento das tarefas As notas das tarefas foram lançadas pelas tutoras nos próprios ambientes (Aulanet e Moodle) Foi necessário Uso de planilha eletrônica AulanetAulanetMoodleMoodle Uso das ferramentas: Nota Relatório de Atividades Planilha eletrônica com algumas informações adicionais Apesar da ferramenta ser eficiente, outras informações ajudavam no acompanhamento.

37 37 Relatório de Atividades do Moodle

38 38 Retorno da tutoria (visão do estudante) Retorno da tutoria (visão do estudante)

39 39 Exportado do Moodle com a inclusão de dados complementares Vantagens: Permitir ao tutor acesso a informação de outros módulos Permitir ao tutor acesso a informação de outros módulos Gerar relatórios individualizados em PDF pelo uso dos filtros Gerar relatórios individualizados em PDF pelo uso dos filtrosVantagens: Permitir ao tutor acesso a informação de outros módulos Permitir ao tutor acesso a informação de outros módulos Gerar relatórios individualizados em PDF pelo uso dos filtros Gerar relatórios individualizados em PDF pelo uso dos filtros

40 40 A organização dos cursos e o acompanhamento A organização dos cursos e o acompanhamento Carga horária – 360 horas/aula Modalidade a distância 3 (três) momentos presenciais: Aula inaugural Avaliação parcial Apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso A organização curricular dividida em módulos, unidades temáticas ou blocos temáticos, dependendo do curso. O planejamento prevê atividades semanais disponibilizadas no ambiente virtual, no modelo de competênicas. O estilo de avaliação adotado era o formativo ao longo do processo e somativo para o fechamento dos módulos. A nota mínima de aprovação é 7 (sete) A nota mínima para aprovação é 7 (sete)

41 41 A organização dos cursos e o acompanhamento A organização dos cursos e o acompanhamento Na semana de ambientação foram realizadas sondagens para verificar as experiências dos estudantes quanto: Ao estudo a distância O desenvolvimento de trabalhos acadêmicos O domínio da tecnologia Outras informações No Aulanet foi usado o correio eletrônico e as informações foram tabuladas em uma planilha eletrônica. No Aulanet foi usado o correio eletrônico e as informações foram tabuladas em uma planilha eletrônica. No Moodle foram utilizadas as ferramentas Questionário e Pesquisa No Moodle foram utilizadas as ferramentas Questionário e Pesquisa No Aulanet foi usado o correio eletrônico e as informações foram tabuladas em uma planilha eletrônica. No Aulanet foi usado o correio eletrônico e as informações foram tabuladas em uma planilha eletrônica. No Moodle foram utilizadas as ferramentas Questionário e Pesquisa No Moodle foram utilizadas as ferramentas Questionário e Pesquisa O objetivo era o de ajudar as tutoras no acompanhamento ao longo do curso

42

43 A sondagem inicial apontou que a maior parte dos estudantes realizava cursos a distância pela primeira vez. Só os de EAD possuíam mais de uma experiência na modalidade. 43 Esse resultado indicou para a tutoria a necessidade de aumentar a orientação sobre o uso do ambiente à medida que as tarefas eram disponibilizadas

44 No caso do Aulanet, foram relacionadas as seguintes dificuldades: Ambiente pouco amigável Muitas janelas e links que geravam desorientação, quebra da leitura e do encadeamento das ideias Falhas nas ferramentas de comunicação 44 Diante disso as tutoras pouco utilizaram a avaliação diagnóstica porque a operação do ambiente foi desfavorável. Foi necessário utilizar outros aplicativos para a comunicação com o estudante. Diante disso as tutoras pouco utilizaram a avaliação diagnóstica porque a operação do ambiente foi desfavorável. Foi necessário utilizar outros aplicativos para a comunicação com o estudante. Estes fatores determinaram a mudança do AVA para o Moodle Estes fatores determinaram a mudança do AVA para o Moodle

45 O Moodle apresentou melhorias a cada nova versão no aspecto comunicação o que permitiu desenvolver ao longo das turmas um acompanhamento formativo de maneira mais efetiva. 45 Todavia constatou-se que as tutoras das áreas mais técnicas apresentavam a tendência à avaliação somativa, assim como retornos mais sucintos. Indica a necessidade de re-orientação e acompanhamento mais próximo da coordenação para os devidos alinhamentos Indica a necessidade de re-orientação e acompanhamento mais próximo da coordenação para os devidos alinhamentos

46 O Moodle também possui várias formas de acompanhamento como relatórios e visualização de notas. Apesar disso, as tutoras mostraram dificuldades na interpretação dos registros do ambiente. 46 Requer a discussão e estudo de metodologias de acompanhamento de maneira que a tutoria possa aprimorar a leitura dos dados para transformá-los em informação. Assim como compreender o processo de raciocínio do estudante a partir da análise das produções.

47 Quanto aos retornos, constatou-se que as tutoras: Tinham dúvidas quanto a melhor maneira de dar o retorno ao estudante; Duas limitaram-se a atribuir a pontuação nos fóruns, sem incluir comentários; Duas enviaram os retornos individuais pela ferramenta Mensagem; Uma criou um espaço com a ferramenta Tarefa para organizar as devoluções. 47 Ao observar o conteúdo dos retornos nas duas últimas opções constatou-se que os aspectos representatividade, significação e clareza consolidaram o processo formativo. Isso fez com que eles mantivessem um diálogo mais ativo com as tutoras. As evidências do progresso foram sentidas nas participações posteriores, nas atividades, no trabalho de conclusão de curso e também nas interações presenciais. A atividade comentada agregou valor ao desenvolvimento do estudante.

48

49 Este trabalho visou: Refletir a avaliação no universo da EAD e sua relação com as ferramentas disponíveis nos ambientes virtuais. Provocar o estudo de novas metodologias e estratégias que favoreçam a formação de tutores e de estudantes para uma educação a distância de qualidade. 49

50 as reflexões o referencial teórico Apesar de não ter respondido a todos os questionamentos, as reflexões e o referencial teórico foram importantes para buscar adaptações de maneira que possam garantir o processo formativo no acompanhamento dos estudantes na entidade. 50 O estudo permitiu...

51 da mediação... e, também, sensibilizar para o papel mais efetivo da mediação O estudo permitiu constatar... leitura e interpretação... a necessidade de desenvolver a tutoria para a leitura e interpretação dos registros do ambiente processo formativo... a percepção de como as ferramentas do ambiente podem ajudar no processo formativo Implica na melhoria dos cursos de capacitação que devem ir além do uso da ferramenta para saber usar os indicadores para análise e tomada de decisão quanto ao que precisa ser modificado... por meio das ferramentas de comunicação aliado a estratégias pedagógicas para promover o diálogo.

52 52 O estudo permitiu constatar que ainda será necessário usar programas auxiliares como planilhas eletrônicas No entanto, o uso é benéfico porque permite ao educador outros olhares e adaptações para que atendam ao projeto político pedagógico da instituição.

53 53 Por fim melhorias ainda são necessárias nos ambientes virtuais para que as ferramentas permitam aos tutores o acompanhamento mais qualitativo, que ajudem a avaliar melhor e de maneira mais amigável o desenvolvimento das competências dos estudantes.

54 CHERMANN, Maurício; BONINI, Luci Mendes (colab.). Educação a distância: novas tecnologias em ambientes de aprendizagem pela internet. Universidade Braz Cubas. São Paulo: 2001[?], p EDUWEB – Aulanet Página de Apresentação. (nd). Disp. em:. Acesso em 15/05/09. HADJI, C. (2001). Avaliação desmistificada. Trad. Patrícia C. Ramos. Porto Alegre, RS: Artmed Editora. p.109. HARASIM, Linda. TELES, Lúcio. TUROFF, Murray. HILTZ, Starr Roxxanne. Redes de Aprendizagem: um guia para ensino e aprendizagem online. Título original: Learning Networks: a Field Guide to Teaching and Learning Online. Trad. Ibraíma Dafonte Tavares. São Paulo: Editora Senac São Paulo. 2005, p MOODLE, software livre – Página oficial. Disp. em:. Acesso em 15/05/09. PALLOFF, R. M.; PRATT, K. (2002). Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço. Trad. Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, p PERRENOUD, P. (1999). Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens. Entre duas lógicas. Trad. Patrícia Chitoni Barros. Porto Alegre: Artes Médicas, p ______, Phillippe. 10 Novas competências para ensinar; trad. Patrícia Chitoni Barros. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000, p RIBEIRO, Victoria Maria Brandt. SENAC. DN. O planejamento e a avaliação. Livro 3. Rio de Janeiro: Senac, 2000, p.15, 38, 54, 122, 54

55

56


Carregar ppt "Lane Primo Senac/CE 15º CIABED Fortaleza 2009 15º CIABED Fortaleza 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google