A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS Grupo D 30/09/11. 1899 - Charles Wakefield funda CC Wakefield and Company – Lubrificantes para locomotivas e maquinário pesado.

Cópias: 1
NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS Grupo D 30/09/ Charles Wakefield funda CC Wakefield and Company – Lubrificantes para locomotivas e maquinário pesado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS Grupo D 30/09/11. 1899 - Charles Wakefield funda CC Wakefield and Company – Lubrificantes para locomotivas e maquinário pesado."— Transcrição da apresentação:

1 NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS Grupo D 30/09/11

2 Charles Wakefield funda CC Wakefield and Company – Lubrificantes para locomotivas e maquinário pesado Com a invenção dos automóveis e aviões, Wakefield incia o desenvolvimento de lubrificantes especiais para as necessidades das novas máquinas Pioneiro na fabricação de lubrificante Wakefield foi pioneiro em marketing e publicidade 1960 lança o primeiro lubrificante para motores de combustão interna, já com a marca Castrol 1966 a Castrol é comprada pela Burmah Oil 2000 a Burmah Oil é comprada pelo grupo BP

3 Clientela : Grandes montadoras, concessionárias e consumidor final Concorrência: setor dominado por grandes empresas, mas empresas menores regionais representam boa parcela do mercado Econômico: Crescimento 10%a.a em 2010, forte alta em 2011 alavancada pela indústria automobilística Tecnologia: Motores mais potentes exigem mais tecnologia na produção de óleo lubrificante Social: Responsabilidade social alta Político: ANP (Agência Nacional de Petróleo) Jurídico: Problemas ambientais. Regulamentação ANP Físico: Fábrica no RJ, com baixo impacto, pois existe possibilidade de terceirizaçào do envazamento do produto. CARACTERÍSTICA DO AMBIENTE

4 MATRIZ A- Clientela B- Concorrência C- Econômico D- Tecnologia E- Social F- Político G- Jurídico H- Físico Grau de incerteza Impacto Menor Maior Menor Maior A B C D E F G H

5 FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO - Inovação (tecnologia) É um fator crítico de sucesso, pois a inovação tecnológica é de suma importância para que o óleo lubrificante acompanhe as evoluções tecnológica dos motores e as novas necessidade que essa evolução vai trazendo. - Marca (Clientela) Consumidores cada vez mais consciente dos cuidados com o automóvel trás cada vez mais uma procura por produtos de qualidade e marcas de confiância, pois o lubrificante é um ítem muito importante na manutenção do carro que é considerado um dos bens mais importantes de uma pessoa. Além disso outros públicos importantes são o trade e as montadoras que são grandes influenciadores na decisão de compra final dos consumidores. - Concorrência Ser competitivo no setor é uma característica fundamental, principalemtne em um setor onde existem players que trabalham focado no preço e grande investimento em comunicação.

6 MATRIZ SWOT FORÇA Marca reconhecida pela qualidade - Marca Premium. Alto investimento em tecnologia e inovação. Parceria com montadoras importantes no mercado brasileiro – Volkswagen, Ford, Mitsubishi, Land Rover, BMW. AMEAÇAS Inflação imprevisível que pode impactar no preço da matéria prima e baixar as margens do produto ou causar um aumento de preço no produto final. Instabilidade no Oriente Média e economia global, impacta diretamente no preço do petróleo que é materia prima para o óleo lubrificante. O óleo básico (matéria prima) é precificado em dólar que também é influenciado pela economia global. Alto investimento em comunicação dos principais concorrentes pode levar a uma melhoria na percepção de marca da concorrência versus a marca Castrol, fazendo com que ela perca o seu principal diferencial em branding. A agressividade em preço da concorrência pode levar o setor a uma guerra de preço que prejudicaria a todas as empresas no setor. FRAQUEZAS O grupo BP não possui atuação em combustível no Brasil, o que não possibilita distribuição nos postos de gasolina. Baixa distribuição nos pontos de vendas independentes (Super trocas, mecânicas, centro automotivos e auto peças). Investimento em comunicação menor em comparação aos principais concorrentes (Mobil, Shell e Petrobras). Preço mais alto de produto, em um mercado de baixo conhecimento dos diferenciais de produto. OPORTUNIDADES 4 anos seguidos de recordes em vendas de automóveis, sendo que este ano novamente está com um volume de vendas muito alto, garantem um mercado estável de lubrificantes para os próximos cinco anos (manutenção desses carros em circulação). Chegada de novas montadoras asiáticas, traz novas oportunidades de parcerias. Motores mais modernos e o avanço da tecnologia, trazem oportunindades para empresas que investem em lubrificantes de maior qualidade (sintéticos). Esse tipo de produto traz maiores benefícios para os consumidores e também possuem uma rentabilidade muito maior.

7 5 FORÇAS DE PORTER Concorrentes Multinacionais com alto poder de investimento, preço agressivo e grande distribuição Poder de negociação dos fornecedores Poucos fornecedores de óleo básico e pacotes de aditivos no Brasil Poder de negociação dos clientes Montadoras representam grande volume de vendas e pontos de venda que influenciam na compra Ameaça de novos entrantes As principais empresas do setor já atuam no Brasil, portanto os novos entrantes possuem menor poder de investimento e atuação restrita Ameaça de novos entrantes As principais empresas do setor já atuam no Brasil, portanto os novos entrantes possuem menor poder de investimento e atuação restrita Ameaça de Produtos Substitutos A possibilidade é de novos tipos de lubrificante para carros híbridos, porém a longo prazo. Ameaça de Produtos Substitutos A possibilidade é de novos tipos de lubrificante para carros híbridos, porém a longo prazo. Baixo Impacto Alto Impacto

8 ESTRUTURA LÓGICA DO MERCADO COMPLACENTE ESTÁVEL COMPETITIVA TURBULENTA BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS

9 ESTRUTURA LÓGICA DO MERCADO COMPLACENTE ESTÁVEL COMPETITIVA TURBULENTA BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS - Mercado já estabelecido - Baixa lealdade de marca - Players com alto poder de investimento - Demanda liderada pelas montadoras

10 ESTRUTURA LÓGICA DA ESTRATÉGIA PROTETOR EVOLUCIONÁRIO OPERACIONAL PONEIRO BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS

11 ESTRUTURA LÓGICA DA ESTRATÉGIA BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS - Crescimento pelas parcerias (serviços extras) - Ênfase na qualidade e tecnologia - Relacionamento à longo prazo PROTETOR EVOLUCIONÁRIO OPERACIONAL PONEIRO

12 ESTRUTURA LÓGICA CULTURAL GRUPO HIERÁRQUICO RACIONAL EMPREENDEDOR BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS

13 ESTRUTURA LÓGICA CULTURAL BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS - Criatividade para inovar - Menor burocracia - Orientação pró ativa com o ambiente externo - Quebrar paradgmas GRUPO HIERÁRQUICO RACIONAL EMPREENDEDOR

14 ESTRUTURA LÓGICA DA LIDERANÇA COACH TRADICIONALISTA BARÃO DE EMPRESA VISIONÁRIO BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS

15 ESTRUTURA LÓGICA DA LIDERANÇA BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS - Agir com rapidez - Bom enetendimento do setor - Flexível COACH TRADICIONALISTA BARÃO DE EMPRESA VISIONÁRIO - Delegar autoridade para garantir autonomia e critatividade - Habilidade de negociação - Formação de consenso

16 SUBCULTURAS ORGANIZACIONAIS GRUPO HIERÁRQUICO RACIONAL EMPREENDEDOR BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS

17 ESTRUTURA LÓGICA CULTURAL BAIXA INTENSIDADE COMPETITIVA ALTA INTENSIDADE COMPETITIVA INCERTEZA CERTEZA FORÇAS COMPORTAMENTAIS - Objetivo de crescimento - Flexibilidade para decisões rápidas - Prontidão para atender o cliente GRUPO HIERÁRQUICO RACIONAL EMPREENDEDOR

18 MODELO VRIO - Valor Parcecrias com Montadoras - Raridade Conhecimento em tecnologia da lubrificação - Imitabilidade Comunicação para um mercado com baixo nível de conhecimento - Organização Equipes dedicadas ao gerenciamento dos recursos

19 ESTRATÉGIA - Investimento em tecnologia Investir em tecnologia para acompanhar a modernização e exigência dos novos motores - Parceria com montadoras Parcerias com montadoras que são as grandes responsáveis pelo crescimento do mercado e influencia na compra do consumidor - Investimento em Marca Marca com credibilidade é muito importante para que o consumidor considere a Castrol como opção de compra. Além da forte concorrência entre os players do setor.

20 OBRIGADO! Caren Polachini Danilo Okada Ivandro Issufo Lilian Lima Marco Rogerio Silva Thiago Bagatim


Carregar ppt "NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS Grupo D 30/09/11. 1899 - Charles Wakefield funda CC Wakefield and Company – Lubrificantes para locomotivas e maquinário pesado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google