A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TECNOLOGIAS DE GESTÃO ORGANIZACIONAL (TGO) Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TECNOLOGIAS DE GESTÃO ORGANIZACIONAL (TGO) Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001."— Transcrição da apresentação:

1 TECNOLOGIAS DE GESTÃO ORGANIZACIONAL (TGO) Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

2 Reengenharia: Começar (Tudo) de Novo Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

3 Reengenharia X Divisão do Trabalho Clientes diferentes; Concorrência acirrada; e Mudanças ditadas em ritmo muito superior a qualquer outra época de nossa história. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

4 Conceito (1) De forma simples, podemos conceituar a reengenharia como o começar de novo de uma organização, criando novos processos que são mais ágeis e capazes de responder às mudanças e aos desejos dos clientes. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

5 Conceito (2) Para Hammer e Champy: Repensar fundamental e a reestruturação radical dos processos empresariais que visam alcançar melhorias drásticas em indicadores críticos e contemporâneos de desempenho, tais como, custos, qualidade, atendimento e velocidade. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

6 Palavras-chaves nos Conceitos de Reengenharia Fundamental (Repensar); Radical (Mudança); Drástica (Melhoria); e Processos (Aperfeiçoamento de). Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

7 Pontos Críticos nos Processos a)Qualidade; b)Custo e eficiência operacional da empresa; c)Serviço e resposta ao cliente; e d)Vantagem competitiva. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

8 O que não é Reengenharia? 1) Downsizing e reestruturação; 2) Reorganização, des-hierarquização, nivelamento; 3) Automação; e 4) Gestão pela qualidade total. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

9 Características dos Processos (1) vários serviços combinados em um; trabalhadores tomam as decisões; etapas do processo são realizadas em uma ordem natural; processos possuem múltiplas versões; trabalho é realizado onde faz mais sentido; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

10 Características dos Processos (2) verificações e controles são reduzidos; reconciliação é minizada; e descentralizar e centralizar. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

11 Personagens Relevantes nos Projetos 1) O líder; 2) O proprietário (owner) do processo; e 3) A equipe. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

12 Integrantes das Equipes a)Integrantes internos; e b)Integrantes externos. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

13 As Equipes e o Conteúdo dos Trabalhos de Reengenharia (1) a) Compreensão dos antigos processos e do cliente, de modo que se reconheça as falhas existentes e se idealize o desempenho desejado do novo processo; b) Criação de um novo processo que rompa com as premissas tradicionais identificadas; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

14 As Equipes e o Conteúdo dos Trabalhos de Reengenharia (2) c) Construção do novo processo, incluindo o desenvolvimento completo de detalhes relativos à nova operação e suas implicações para com os demais aspectos da organização; e d) vendada nova maneira de se trabalhar e viver na organização para todos os níveis operacionais. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

15 Contexto que Envolve a Equipe na Criação e Prosseguimento de um Projeto a)Incerteza; b)Experimentação; e c)Pressão. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

16 Recomendações para as Equipes de Reengenharia a)Falta de atenção; b)Liquidar idéias; c)Ataques pessoais; d)Auto-exclusão de membros da equipe, por não participar da construção da mudança; e e)Compartilhar demais (muita falação). Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

17 Critérios de Seleção de Processos Grau de disfunção; Grau de importância; e Grau de exeqüibilidade. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

18 Processos Candidatos à Reengenharia Desenvolvimento de produto que nada cria de novo; Bilhetes espalhados pelas sala lembrando-as de consertar isso ou aquilo; e Pessoas que gastam algum tempo transferindo dados de um relatório para o computador ou de um terminal para outro. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

19 Fases do Projeto Fase 1 - Posicionamento ou reposicionamento da empresa; Fase 2 - A ação propriamente dita; e Fase 3 - Controle da mudança; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

20 De Fórmula Mágica à Fama de Tecnologia Fracassada Obstáculos à mudança (1, 2) Fatores fundamentais (1, 2) Quando a reengenharia falha? (1 a 5) Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

21 Obstáculos à Mudança (1) a) Um projeto de reengenharia exige sempre uma mudança de ampla magnitude nas empresas; b) Executivos/gestores, em geral, não gostam de associar suas carreiras a erros e falhas; c) Algumas empresas sentem medo de mudar porque temem a precipitação de seus atos; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

22 Obstáculos à Mudança (2) d) Projetos de mudança são rejeitados em função de custos também; e e) A simples procrastinação. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

23 Fatores Fundamentais (1) a)Amplitude; e b)Profundidade. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

24 Fatores Fundamentais (2) 1)Alocar pessoas não capacitadas para o projeto; 2)Avaliar somente o planodo redesenho, sem se importar com o sistema depois que este é implementado; 3)Planejar a mudança, mas para manter o status quo; e 4)Esquecer do fator comunicação durante a jornada. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

25 Quando a Reengenharia Falha? (1) Para Davenport: 1) Barreiras culturais e estruturais; 2) Barreiras comportamentais; e 3) Barreiras educacionais. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

26 Quando a Reengenharia Falha? (2) Para Hammer: 1) Esquecimento que o processo é a principal preocupação em reengenharia; e 2) Pouca disposição para aceitar a idéia de que a reengenharia implica novo tipo de pessoa e, especialmente, novo tipo de gestor. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

27 Quando a Reengenharia Falha? (3) Para Stanton: 1) Dizer que está realizando reengenharia, quando isto não é verdade; 2) Tentar aplicar reengenharia onde ela não cabe; 3) Despender muito tempo analisando o processo a ser reformulado; 4) Tentar realizar a reengenharia sem liderança necessária; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

28 Quando a Reengenharia Falha? (4) Para Stanton (continuação): 5) Ser tímido no projeto; 6) Passar diretamente da fase de elaboração do projeto para a fase de implementação; 7) Levar muito tempo para realizar a reengenharia; Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

29 Quando a Reengenharia Falha? (5) Para Stanton (continuação e final): 8) Restringir a abrangência dos estudos deixando parte da organização fora de seus limites; 9) Adotar um estilo incorreto de implementação; e 10) Deixar de atender às preocupações das pessoas na organização. Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.

30 Reengenharia: Começar (Tudo) de Novo... E PARA TERMINAR: Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.


Carregar ppt "TECNOLOGIAS DE GESTÃO ORGANIZACIONAL (TGO) Fonte: ARAUJO, Luis César G. de. Tecnologias de gestão organizacional. São Paulo: Atlas, 2001."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google