A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ESCOLHA PROFISSIONAL, DILEMA CONTEMPORÂNEO. A dúvida na hora de escolher uma carreira ou profissão não é mais privilégio de adolescentes às vésperas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ESCOLHA PROFISSIONAL, DILEMA CONTEMPORÂNEO. A dúvida na hora de escolher uma carreira ou profissão não é mais privilégio de adolescentes às vésperas."— Transcrição da apresentação:

1 ESCOLHA PROFISSIONAL, DILEMA CONTEMPORÂNEO

2

3 A dúvida na hora de escolher uma carreira ou profissão não é mais privilégio de adolescentes às vésperas do exame vestibular. Adolescentes que não têm acesso à universidade e adultos em meio de carreira também se questionam e decidem buscar ou mudar o rumo da sua vida profissional. Assim, necessitam de uma orientação sobre que rumos tomar no sentido de tornarem-se melhores profissionais e sentirem-se mais realizados.

4 Por outro lado, jovens e adultos são confrontados, cada vez mais, com a necessidade de responsabilizarem-se pela sua escolha profissional, frente às transformações do mundo do trabalho atual. Deve-se oferecer à população condições de se conhecer melhor e ao mundo do trabalho em constante transformação, para assim poder escolher com maior autonomia.

5 A escolha profissional é um processo para o qual, se procurarmos, encontraremos raízes as mais diversas. Influências como a família, a escola, as relações sociais, os amigos e, ainda, aquelas recebidas dos meios de comunicação, além das reflexões e sínteses pessoais compõem esse processo.

6 Em função da grande expectativa e de toda tensão emocional que envolve o processo da escolha profissional, principalmente quando a via de ingresso se dá pelo vestibular, é que se torna importante o apoio que consiste na disponibilização de meios que busquem a clareza racional e o equilíbrio emocional.

7 A escola se propõe a oferecer conhecimentos técnicos e formação moral; a família pode oferecer apoio, mesmo assim, o sujeito vê-se só, sem caminho, frente ao desafio da escolha indelegável, do desafio à ação.

8 Mesmo que, em última instância, a escolha final seja apenas sua, ele pode encontrar, na Orientação Profissional, ajuda no sentido de desenvolver meios para que suas escolhas sejam gratificantes e compatíveis com a realidade.

9 Além disso, sabemos que o período conhecido por adolescência encerra importantes questões com as quais a pessoa é desafiada e que dizem respeito à passagem de um mundo infantil para o mundo das responsabilidades e da identidade adulta. Ninguém pára de crescer com o fim da adolescência, mesmo sendo um período difícil de precisar quanto a seus limites exatos.

10 Todos aprendemos e nos modificamos até o fim da vida. Essa passagem para o mundo adulto, no entanto é de especial importância para o indivíduo e para a sociedade, povos antigos e as sociedades primitivas possuíam o que chamamos de rituais de passagem, cerimônias nas quais os jovens eram iniciados no mundo adulto.

11 Temos em nossa sociedade correlatos desses rituais: o vestibular, a formatura, o casamento, o sucesso profissional etc. Mas mesmo com a existência desses correlatos, em nossa cultura, nem sempre, para nós, é clara a passagem para o mundo adulto.

12 Nossa sociedade contemporânea, ocidental, exige mais do indivíduo no que se refere a colocar-se enquanto sujeito adulto. Neste outro sentido é que se torna relevante o processo de Orientação Profissional.

13 Outra questão que justifica a existência e a importância de um espaço para escolha profissional é que essa atividade é algo que nos acompanha por toda a vida, mais presente, talvez, que o parceiro escolhido. Uma pessoa satisfeita com seu trabalho, em uma ocupação associada a sua personalidade e a seus anseios, é alguém que tende à realização e a uma capacidade produtiva maior.

14 Nesse sentido, um processo de Orientação Profissional que facilite uma escolha consciente e bem formulada consiste em um primeiro passo à realização profissional. É, portanto, um instrumento que atua no sentido de programação da saúde humana, agindo profilaticamente.

15 Podemos considerar a existência humana nos níveis de macro e micro. Historicamente, temos observado, no primeiro nível, uma contínua complexificação de relatos sociais e trabalhistas, em função dos avanços científicos e tecnológicos incorporados ao cotidiano.

16 Esse movimento maior reflete-se e interage com o nível micro do indivíduo em seu cotidiano. A interação entre esses dois níveis se dá de forma dialética, pois implica influências mútuas.

17 Atualmente, com a globalização da economia, há exigências crescentes no mundo profissional, frente às quais são necessárias posturas flexíveis que respondam às demandas do mercado de trabalho.

18 O ritmo das mudanças pede ao indivíduo uma postura ativa, de participante da realidade, capaz de se posicionar e de exercer escolhas constantemente.

19 Tendo em vista a necessidade de reconhecimento de si com o sujeito de escolha – posição ideal de um ser humano adulto – e importante que se tornem aptos a perceber as possibilidades que a sociedade na qual estão inseridos lhes oferecem quanto à escolha profissional.

20 Visa-se portanto, que aprendam a buscar informações que lhes faltam no conhecimento de si e do meio social, chegando a escolhas profissionais conscientes, tornadas realidade por caminhos viáveis. Outro aspecto relevante é que nenhuma escolha é final ou definitiva: mesmo em um campo profissional específico, situações novas se apresentarão diariamente, exigindo posicionamento, escolha e ação.

21 A Orientação Profissional, além de oferecer condições para a busca de informações sobre carreiras profissionais, tem um papel relevante enquanto espaço para auto- conhecimento, apoio e busca de posicionamento crítico do sujeito frente ao processo de ingresso no mundo profissional, facilitando ainda a troca de experiências entre os envolvidos.

22 APTIDÃO /INTERESSE: Palavra chave na escolha profissional

23 Na hora de pensar em seus interesses e em suas aptidões para a escolha profissional, se ficar em dúvida, dê maior importância aos interesses, pois eles são a mola da vida. E não confunda falta de aptidão com falta de base: muitas vezes você tem aptidão numérica, mas não fixou bem as lições iniciais de matemática, por exemplo.

24 Além de suas aptidões e de seus interesses, qualifique os dados levantados segundo seu temperamento, ou seja, sua forma de agir e de ser. Verifique suas características.

25 Leve em consideração, para finalizar, outras qualidades, muitas delas necessárias para um bom desempenho profissional especifico, pois as profissões requerem aspectos pessoais bem determinados

26 Analise-se quanto à dedicação, tranqüilidade, perseverança, espírito critico, tolerância, paciência, dinamismo, otimismo, entre outros.

27 Seja sincero ao analisar seu desenvolvimento emocional, seu grau de amadurecimento e seu equilíbrio. Aproveite a chance e, com maior sinceridade, verifique aquilo a que você aspira na vida, o que você procura: poder, fama, posição social, dinheiro, realização profissional etc..

28 Esses são elementos importantes para a escolha da profissão, já que indicam metas finais a serem obtidas e que, se não estão claras, trarão frustrações.

29 Com todo esse exercício de auto- conhecimento, não tenha dúvidas, você e qualquer pessoa está sempre em movimento como o próprio mundo. Acredito que, após esse exercício, você já disponha dos principais dados para o seu retrato atual.

30 DANDO O PONTO DE PARTIDA

31 Qual será o meu futuro? O que vou fazer? Que profissão é melhor para mim? Será que eu vou ser feliz?

32 Certamente essas perguntas já surgiram na sua cabeça. Alguma com maior freqüência, outras, duas ou três vezes, levantadas por você mesmo, por seus pais, seu melhor amigo, seus parentes...

33 As respostas a elas, no entanto, ainda não são muito claras. O nosso intuito é ajudá-lo na escolha de uma profissão certa e segura, que lhe permita seguir um caminho mais direto, sem arrependimento. Sabemos o quanto ele é importante para o seu futuro.

34 Sabemos também que as decisões como essas não são fáceis. Acredito, no entanto, que elas se tornem bem mais simples quando as variáveis da questão são devidamente analisadas sem pressa, com firmeza e seriedade.

35 A chave dessa simplicidade é VOCÊ.

36 Conhecendo-se bem, estando certo quanto às suas qualidades, seus interesses, seus pontos fortes e fracos e seus objetivos, o primeiro passo foi dado. O segundo passo consistirá em informar- se sobre as profissões existentes. O terceiro passo será o de juntar você e aquela profissão.

37 Lembre-se de que essa escolha não se faz de um dia para o outro. Ela é talvez como um NAMORO: é preciso procurar, descobrir, conhecer, aprofundar-se, analisar e refletir para que possa chegar a um final feliz.

38 Acontece que a gente não costuma pensar assim e se acomoda achando que está muito cedo para se preocupar com isso. Conclusão: acaba deixando para a última hora e aí as preocupações são tantas outras, que a escolha passa a ser irrelevante, mas as conseqüências assumem e passam a possuir uma relevância que perdurará para o resto da vida. Então, nesse período, será tarde demais.

39 É necessário que haja um certo ROMANCE, um envolvimento efetivo que permita a realização no campo intelectual. Não deixe para escolher em cima da hora, no vestibular, pois, neste momento, você já deve ter certeza do que quer.

40 QUESTIONÁRIO DE AUTO-CONHECIMENTO

41 Ao refletir sobre as questões abaixo, você será capaz de identificar características não pensadas anteriormente e que irão colaborar na identificação de profissões, cujas habilidades e competências são compatíveis com a sua individualidade.

42 I - Identificação da profissão dos pais Profissão do Pai : ______________________________________ Atua na profissão : ( ) Sim ( ) Não É realizado profissionalmente ? ( ) Sim ( ) Não Profissão da Mãe : _____________________________________ Atua na profissão : ( ) Sim ( ) Não É realizada profissionalmente ? ( ) Sim ( ) Não

43 II - Vida Escolar Em quais disciplinas sempre teve mais facilidade ? Porquê ? Em quais disciplinas sempre teve mais dificuldade ? Porquê ? Quais disciplinas sempre lhe despertam maior interesse ? Porquê ? Quais disciplinas poderiam, na sua opinião, serem excluídas da grade curricular ? Já ficou reprovado (a) ou de recuperação final ? Em qual disciplina ? Já teve problemas sérios de ordem pessoal com algum professor ? Qual era a disciplina que esse professor ministrava ? Já teve que freqüentar aula de reforço na escola ou teve professor particular ? Em caso afirmativo, para atender às dificuldades em qual disciplina ?

44 III – Na Intimidade Minhas aptidões são : __________________________________ Meus interesses são : __________________________________ Me considero uma pessoa... ( indique as características com as quais você se identifica )

45 Crítica ( ) Dedicada ( ) Organizada ( ) Persistente ( ) Calma ( ) Comunicativa ( ) Insegura ( ) Paciente ( ) Nervosa ( ) Tímida ( ) Segura ( ) Dinâmica ( ) Omissa ( ) Criativa ( ) Observadora ( )

46 Já pensou em alguma profissão como escolha para sua vida profissional ? Em caso afirmativo, cite a profissão justificando sua escolha. Seus pais sugerem alguma profissão ? Em caso afirmativo, cite a profissão.

47 Recebe influência de alguém para escolher seu futuro curso superior ? Em caso positivo, qual o grau de importância desta pessoa na sua vida ? Qual o curso sugerido por ela ? Baseada em que ela faz esta sugestão ?

48 Enumere as opções abaixo de 1 a 4 de acordo com sua prioridade : Pensando em você enquanto profissional, o que procura? - Realização Profissional ( ) - Status ( ) - Dinheiro ( ) - Aprovação dos Pais ( )

49 ROTEIRO PARA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA A pesquisa bibliográfica irá auxiliar na complementação de dados que possibilitarão uma maior segurança na definição da escolha da profissão. Você deverá pesquisar todos os cursos de seu interesse e em todas as fontes possíveis de pesquisa, tais como : revistas, jornais, internet, etc.

50 Ao fazer a pesquisa, você deverá ficar atento(a) quanto às informações abaixo relacionadas : - O que é o curso ? - Onde é oferecido ? - Qual a grade curricular do mesmo ? - Quantos anos de duração ? - Qual o perfil esperado do aluno ? - Onde trabalhar ? - Como está o mercado de trabalho ? Boa pesquisa !

51 Após esta pesquisa, provavelmente você estará bem próximo da sua escolha, porém, é normal se você ainda estiver em dúvida entre 2 ou mais cursos. Para sanar dúvida ou para confirmar sua decisão, procure profissionais da área para uma boa conversa. Existe o link Roteiro para Entrevista com Profissionais que poderá facilitar na coleta de dados.

52 INFORMAÇÕES IMPORTANTES A orientação profissional não aponta os cursos ideais para cada um; essa é uma decisão que só você pode tomar. Não é dada uma resposta pronta. Costumo dizer que a pessoa entra com uma minhoca ou duas na cabeça e sai com várias. Mas os encontros criam um antídoto contra fantasias, da pessoa que participa da orientação e dos outros que convivem com ela, explica Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional

53 Não adianta cursar Arquitetura ou Design, por exemplo, se você não possui um traço legal na hora de desenhar, ou estudar Filosofia se não está disposto a ficar horas e horas lendo. O próximo passo é buscar informações sobre o curso em que você planeja passar quatro ou cinco anos. Uma dica importante é verificar a qual grande área do conhecimento a graduação pertence: Ciências Humanas, Ciências Biológicas ou Ciências Exatas. Muitos escolhem Engenharia Ambiental imaginando que é um curso da área Biológica, porque trata do meio ambiente. E só descobrem que a graduação está ligada à área de Exatas quando estão dentro do curso, alerta.

54 A carreira As feiras de cursos e profissões organizadas por escolas e universidades são uma boa oportunidade para conhecer a rotina de cada profissão. Além disso, é importante visitar ambientes de trabalho e conversar tanto com quem acabou de entrar no mercado quanto com profissionais mais experientes. O objetivo é conhecer o lado agradável e o lado espinhoso da profissão. Proponho ao aluno fazer entrevistas com profissionais. Ele deve levar uma lista de perguntas. O estudante pode questionar quais foram as piores dificuldades que o profissional encontrou e como enfrentou a situação, exemplifica Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional.

55 O curso Um dos caminhos é visitar feiras. Nesses locais você pode conversar com estudantes e professores, que apresentarão o curso e as possibilidades de atuação profissional. Não se esqueça, porém, de que essas pessoas estarão lá para convencê-lo. Na faculdade, o pessoal está preparado para vender o curso. Isso pode gerar mais fantasia na cabeça do jovem, afirma Flávio Pereira, psicólogo e conselheiro vocacional.

56 Luciana Valore concorda e diz que é importante procurar também outras fontes de informação. Nas feiras, alunos e professores apaixonados pelo curso é que falam sobre a profissão. De preferência, o jovem deve conversar com vários profissionais, com pessoas do meio acadêmico e com quem está no mercado, diz. Outra dica é conhecer as matérias básicas de cada curso e analisar os currículos de várias instituições de ensino, pois a mesma graduação pode ter ênfase diferente de acordo com a universidade. Você também deve visitar os laboratórios e as outras instalações do curso, para verificar como se sente nesses locais.

57 Fique ligado, porque a palavra engenharia já carrega uma série de informações. Para se dar bem em um curso com esse nome, independentemente do termo que o acompanhe (florestal, de alimentos, civil, elétrica, mecânica ou qualquer outro), é preciso ser uma pessoa racional, que goste de lógica e tenha facilidade em cálculo.

58 Segundo Luciana Albanese Valore, professora de Psicologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o estudante também deve conhecer as diferentes opções de continuidade dos estudos após o ensino médio. Além das graduações tradicionais, lembra, existem os cursos superiores de tecnologia, também conhecidos como tecnólogos, que apresentam duração menor, são mais práticos e normalmente estão voltados para áreas específicas de carreiras mais abrangentes.

59 Para uma escolha mais segura, os estudantes devem ainda procurar informações a respeito de cursos de diferentes áreas, não apenas sobre aqueles de que imaginam gostar. Quando você examina cursos de várias áreas, está abrindo o leque para se conhecer. O que é muito direcionado é muito perigoso. Muitas vezes os nossos sonhos de criança são construí­dos por identificações que tivemos ao longo da vida e que não condizem com as nossas habilidades, diz Selena.

60 Na opinião de Luciana, vale a pena sondar vários cursos, mas a amplitude da pesquisa depende da etapa em que o estudante se encontra no processo de escolha. Quando a pessoa não tem nem noção da área que vai seguir, ela tem de fazer uma pesquisa mais ampla, avalia. Segundo levantamento realizado no ano passado pela Divisão de Tecnologia Educacional da Positivo Informática, 23% dos alunos consultados conheciam apenas o curso que haviam escolhido. A pesquisa ouviu estudantes da 7.ª série do ensino fundamental ao 3.º ano do ensino mé­­dio.

61 A escolha da profissão é um processo que deve ser feito ao longo do ensino médio. O jovem deve ter uma postura ativa, buscar informações, conhecer e visitar o profissional no seu ambiente de trabalho, afirma Selena, que coordenou o estudo.

62 sp ste.asp m sp ste.asp m


Carregar ppt "ESCOLHA PROFISSIONAL, DILEMA CONTEMPORÂNEO. A dúvida na hora de escolher uma carreira ou profissão não é mais privilégio de adolescentes às vésperas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google