A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sonia Maria I. Justo Paulo Roberto Takada LENDO CIÊNCIAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO EQUIPE DE CIÊNCIAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sonia Maria I. Justo Paulo Roberto Takada LENDO CIÊNCIAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO EQUIPE DE CIÊNCIAS."— Transcrição da apresentação:

1 Sonia Maria I. Justo Paulo Roberto Takada LENDO CIÊNCIAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO EQUIPE DE CIÊNCIAS

2 The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore (2011) Disponível em:

3 Esta oficina tem como foco a discussão da leitura e dos reconhecimentos dos enunciados dos conhecimentos científicos escolares trabalhados na disciplina de Ciências em diferentes linguagens, como: textos, imagens, figuras, vídeos, animação, histórias em quadrinhos, tirinhas, músicas, entre outros. Leitura é minha relação com a realidade natural, é uma reação diante das situações... Bom leitor, o estudante continuará, fora da escola, a buscar informações necessárias à vida de um cidadão. Introdução

4 É preciso investigar em diferentes situações didáticas os conceitos elaborados pelos alunos e como eles estão construindo o conhecimento. Só assim se consegue avançar na aprendizagem e nas leituras. É preciso preparar os alunos antes de apresentar uma leitura, criar situações problema que gerem dúvidas instigantes sobre o tema a estudar. Ensinar Ciências através da leitura de textos expositivos demanda limitar os assuntos, recortar conteúdos, e abordar a ideia central para que a turma compreenda o objeto de estudo. A analogia é uma ferramenta para comunicar, para fazer pensar, imaginar algo novo, desconhecido, mas tem que explicar que um análogo não é um igual, que na analogia utilizamos apenas um aspecto para comparar objetos. FiguraFigura

5 O livro didático simplifica muito o texto científico, banaliza os conceitos e torna o assunto pouco interessante. Para promover o conhecimento o professor deve desenvolver discussões com eles e aprofundar os conceitos. É imprescindível o contato com diferentes fontes de leitura em Ciências. Leitura é um conteúdo a ensinar também em Ciências e quanto mais o texto apresenta uma visão interpretativa do conhecimento, melhor. É importante que tenha caráter histórico, que dê margem a discussões, que desenvolva ideias e que apresente situações para pensar e buscar referências. Gráfico e ilustrações não podem ser decorativos.

6

7 Fonte: Ciência Hoje - Disponível em: Obra do senso artístico da pesquisadora Charlotta Funaya, integrante do EMBL* - que coloriu as imagens originais, em preto e branco - corte horizontal na cauda de espermatozóides de rato. (* European Molecular Biology Laboratory EMBL)

8 Quebra Cabeça Textual Pré - Teste: Investigar as pré-concepções dos alunos antes da atividade através de questões. Pós - Teste: Investigar a aprendizagem após a atividade, para verificar se houve superação do conhecimento.

9 Pré Teste: Qual gás inspiramos? Como o gás inspirado entra nos pulmões? Qual é a estrutura do pulmão responsável pela absorção de oxigênio? Qual gás sai dos pulmões na expiração?

10 Algo realmente interessante ocorre nos pulmões. Esses órgãos possuem o papel fundamental de extrair oxigênio (O 2 ) do ar para que possamos respirar. Eles são feitos de um tecido esponjoso, com pequenos sacos em seu interior, chamados de alvéolos pulmonares;

11 A parede externa dos alvéolos é circundada por vasos sanguíneos muito finos, os vasos capilares. Quando respiramos, o oxigênio contido no ar difunde através das paredes dos alvéolos, atingindo os vasos capilares e sendo então transportado pelo sangue para todas as partes do corpo;

12 De forma semelhante, porém, em sentido oposto, o gás carbônico (CO 2 ) é expelido dos nossos pulmões. Para facilitar o processo de absorção de O 2 ;

13

14 A palavra surfactante é a contração da expressão em inglês surface active agents (agentes de atividade superficial) e é empregada devido à capacidade das moléculas de fosfolipídios de reduzir a tensão interfacial das paredes dos alvéolos para valores baixos, facilitando a difusão O 2 ;

15 Durante o ciclo respiratório, os fosfolipídios adsorvem nas paredes internas dos alvéolos, formando uma monocamada. Além de evitar que as paredes dos alvéolos grudem, o que impediria a passagem de ar, a monocamada aumenta a permeabilidade das moléculas de O 2.

16 O efeito da tensão superficial tem sua origem no desbalanceamento das forças de atração entre as moléculas e produz uma força que atua no plano da superfície.

17 Distribuição de forças nas moléculas de água. Note a diferença entre as forças que atuam nas moléculas próximas à superfície e naquelas localizadas mais abaixo. O efeito da tensão superficial tem sua origem no desbalanceamento das forças de atração entre as moléculas e produz uma força que atua no plano da superfície.

18 A força resultante que atua sobre as moléculas de H 2 O aponta para o interior do líquido e recebe o nome de pressão interna. As componentes tangenciais a essa força fazem que a superfície da água comporte-se como uma membrana elástica que tende a se contrair, ocupando a menor área possível. Para um mesmo volume, a esfera é o sólido com a menor área superficial, e é por isso que as gotas tendem a ser esféricas.

19 Considerações finais Se nosso corpo não produzir a quantidade necessária de surfactante pulmonar, teremos problemas para respirar. Essa doença é conhecida por Síndrome do Desconforto Respiratório (SDR), que afeta principalmente bebês prematuros e, em muitos casos, é fatal.

20 Pós –Teste: Porque a tensão superficial é importante no processo respiratório?

21 Artigo: A Química do Corpo Humano: Tensão Superficial nos Pulmões. Revista: Química Nova na Escola (Química e Sociedade) n. 16, novembro de 2002.

22 PARTE I

23 ...mas...pensar a disciplina de Ciências a partir da leitura, a partir do enunciado...pra quem?......quem é o sujeito desta aprendizagem?...

24 A Criança Anos Iniciais é o sujeito de sua aprendizagem; desde os primeiros anos de desenvolvimento convive diariamente em um ambiente rodeado de fenômenos como sujeito de sua aprendizagem Manifestações naturais observáveis Mediados não somente pelas denominações como calor, frio, poluição, animal, vegetal, água entre outras

25 crianças, jovens e adultos Anos Finais conteúdos disciplinares na escola precisam ser trabalhados: a) de modo contextualizado, com relações interdisciplinares; b) contribuir para a formação crítica; c) compreender a produção científica, a reflexão filosófica, a criação artística, nos contextos em que elas se constituem. currículo disciplinar escola lugar de socialização do conhecimento

26 ....e o Conhecimento Científico Escolar.... CIÊNCIAS... ANOS INICIAIS E ANOS FINAIS...

27 ...espera-se que o aluno tenha aprendido sobre...

28 Conteúdos – Anos Iniciais Conteúdos Estruturantes Noções de astronomia; A matéria e suas transformações; A energia e suas conversões; O corpo humano e seus sistemas; A organização dos seres vivos no ambiente. Ensino Fundamental de nove anos : Orientações Pedagógicas para os anos iniciais

29 Conteúdos– Abordagens – Anos Iniciais Conteúdo: Sistema Solar Noções de astronomia Conteúdo: Planeta Terra A matéria e suas transformações Conteúdo: Fontes de Energia A energia e suas conversões Conteúdo: Corpo Humano O corpo humano e seus sistemas Conteúdo: Seres Vivos e Meio Ambiente A organização dos seres vivos no ambiente.

30 ... e possa continuar a aprender, na perspectiva da DCE de Ciências...

31 Anos Finais - Conteúdos Estruturantes Conteúdos Estruturantes Astronomia; Matéria; Sistemas Biológicos; Energia Biodiversidade DCE de Ciências

32 Conteúdos Estruturantes & Conteúdos Básicos Universo; Sistema Solar; Movimentos terrestres; Astros; Movimentos celestes; Origem e evolução do Universo; Gravitação Universal Astronomia Constituição da matéria; Propriedades da matéria Matéria Níveis de organização; Célula; Morfologia e fisiologia dos seres vivos; Mecanismos de herança genética. Sistemas Biológicos Formas de energia; Conversão de energia; Transmissão de energia; Conservação da energia. Energia Organização dos seres vivos; Ecossistemas; Evolução dos seres vivos; Origem da vida; Sistemática; Evolução dos seres vivos; Interações ecológicas. Biodiversidade

33 Ensino de Ciências – Disciplina: Conteúdos: Noções de Astronomia; A Matéria e suas transformações; A Energia e suas conversões; O Corpo Humano e seus sistemas; A Organização dos Seres Vivos no ambiente. Conteúdos Estruturantes: Astronomia; Matéria; Energia; Sistemas Biológicos; Biodiversidade. Anos Iniciais Anos Finais

34 PARTE II

35 ...mas e a leitura e o enunciado...

36 ...veja bem...preste atenção... Fonte:

37 ...o que você viu nestas imagens?... Atividade 1: Escreva o que estas imagens representaram para você.

38 Seja qual for a natureza da linguagem [...] um leitor só estabelece efetivo processo de leitura no momento em que se insere um diálogo. (Pivovar, 2007 )

39 Disponível em: Vídeo 1Vídeo 2

40 ...Shadow Art... Disponível em:

41 ...que relações você fez com o Ensino de Ciências?...

42 Sugestão...Shadow Art & Astronomia....

43 ...mas......o que seria o enunciado?......uma pergunta?......uma questão?...um problema?...

44 Os enunciados caracterizam um tipo especial de manifestação discursiva, na qual um material físico transforma-se num material ideológico, que evoca um conhecimento de referência, fruto de uma experiência dialógica com gêneros primários* (Pivovar,2007) * gêneros primários: espontâneos, produzidos nas situações corriqueiras de comunicação. Predomínio da oralidade.

45 Disponível:

46 ...O que este recorte de vídeo diz para você?......Será que diz a mesma coisa para o seu colega?... Atividade 2: Em grupos de três pessoas, discutam o que cada um viu e façam uma lista dos pontos em comum.

47 ...aquecimento global... Disponível:

48 Leitura e Enunciado O que muda quando lemos um enunciado? O que significa entender um enunciado? Pensar num enunciado a partir da perspectiva da criança? Enunciado vai além de um enunciado de problema/questão Enunciado: No texto – tanto pronto quando produzido; Na figura/ imagem; No vídeo/filme/animação; Na história/Tirinha; Na literatura/contos/poesias/poemas...com ilustrações e sem ilustrações;

49 ...alguns exemplos...

50 Disponível : Disponível:

51 Disponível em: https://www.facebook.com/photo.php?fbid= &set=a &type=3 Disponível : Disponível:

52 Disponível em:

53 Uma, Lava outra, Lava uma, Lava outra, Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma. Depois de brincar no chão de areia a tarde inteira Antes de comer, beber, lamber, pegar na mamadeira, Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma Lava outra, [mão] Lava uma. A doença vai embora junto com a sujeira Verme, bactéria manda embora embaixo da torneira Água uma, Água outra, Água uma [mão], Água outra, Água uma Na segunda, terça, quarta, quinta e sexta-feira Na beira da pia, tanque, bica, bacia, banheira Lava uma [mão] [mão] [mão] [mão] Água uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma, [mão] Lava outra, lava uma. Lavar As Mãos - Arnaldo Antunes Disponível em: Disponível em:

54 Uma, Lava outra, Lava uma, Lava outra, Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma. Depois de brincar no chão de areia a tarde inteira Antes de comer, beber, lamber, pegar na mamadeira, Lava uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma Lava outra, [mão] Lava uma. A doença vai embora junto com a sujeira Verme, bactéria manda embora embaixo da torneira Água uma, Água outra, Água uma [mão], Água outra, Água uma Na segunda, terça, quarta, quinta e sexta-feira Na beira da pia, tanque, bica, bacia, banheira Lava uma [mão] [mão] [mão] [mão] Água uma, [mão] Lava outra, [mão] Lava uma, [mão] Lava outra, lava uma. Lavar As Mãos - Arnaldo Antunes Disponível em: Disponível em: Disponível em:

55 ...mas e os textos?

56 ...Antes da leitura explorar textos e imagens... Promova uma exploração das páginas antes de ler o texto As palavras grafadas no texto em cores diferentes fornecem pistas sobre o tema tratado. DESTAQUE Funciona como uma amarração entre os recursos. TEXTO As legendas contextualizam o local de produção. FOTOS Pedem a participação ativa do aluno, incentivando a ampliação de conhecimentos. ATIVIDADES Recurso bastante presente nos textos científicos, apresenta dados numéricos para comprovar uma ideia ou fazer uma comparação. TABELA Disponível em :

57 Principal Função da LEITURA EM CIÊNCIAS Aprender o CONTEÚDO CIENTÍFICO como é produzido Para CRITICÁ-LO e fazer ESCOLHAS Disponível em :

58 Gêneros explorados em Ciências Instrucionais JornalísticosExpositivos Disponível em :

59 Disponível em: TEXTOS INSTRUCIONAIS Típico das experiências práticas caracteriza-se por uma sequência de instruções que se mal interpretadas, podem levar a conclusões incorretas. Investigar as imagens que geralmente acompanhem o texto escrito, completando seu sentido, auxilia na compreensão do conteúdo. Disponível em :

60 TEXTOS EXPOSITIVOS Característico dos artigos científicos, também aparece nos livros didáticos. É um texto, sem espaços para várias interpretações. Baseado em comprovações obtidas por meio de experiências, o autor deixa claro o caminho que fez para chegar a conclusão, comprovando ou refutando uma hipótese inicial. O livro didático tem a vantagem de simplificar o discurso cientifico. Disponível em :

61 s/amazonia/index.html TEXTOS JORNALÍSTICOS content/uploads/2010/04/revista-meio- ambiente-mar101.jpg admin/imagens/lojacarosamigos/Thu mbs/TN_capa148.jpg r/blog2/wp-content/gallery/capas- revista-saude/Fitoterapia.jpg img/educacao1.jpg SKoLKRo/SyVi0Z0GzMI/AAAAAAA AAEg/88T2GsA4NSU/s400/ciencia hoje.jpg Ao aproximar o conteúdo escolar dos fatos cotidianos, reportagens de jornais e revistas (sobretudo as de divulgação científica) possibilitam discussões sobre saúde, alimentação, meio ambiente e tecnologia. tem linguagem mais simples e permitem que assuntos controversos entre cientistas sejam discutidos pelos alunos. Disponível em :

62 Disponível em : "Texto", na escola, recobre todas as manifestações concretas de produções verbais orais e escritas, abrindo-se generosamente também às produções pictóricas. (Pivovar,2007)

63 ...para planejar Utilize a seguinte estrutura: 1.Escolha do tema (Enunciado). 2.Proposta do Problema. 3.Levantamento de Hipóteses. 4.Encaminhamento Metodológico( Estratégia Pedagógica). 5.Resultados Esperados. 2. Planejar: 1.Que leituras, que enunciados são possíveis trabalhar neste momento com estes materiais? 2.Que diálogo o enunciado que você escolheu pode estabelecer com os conteúdo que você está trabalhando? 3. Utilize neste exercício de planejamento os materiais a seguir:

64 Entrevista Ana Maria Espinoza: É essencial ensinar a ler textos de Ciências. (disponível em: Conhecer Textos Expositivos e Instrucionais para Questionar – Lorena Verli. (http://revistaescola.abril.com.br/ciencias/pratica-pedagogica/conhecer-questionar-textos-expositivos-instrucionais shtml Textos de Apoio:

65 Imagens, vídeos e áudios:

66 Disponível em: & propaganda... Disponível em:

67 ...decoração... Disponível em:

68 Disponível em:

69 FrasesDoCalvin Se cortarmos as árvores, onde os animais irão viver? As pessoas gostariam se os animais derrubassem suas casas para plantar novas árvores? (disponível em: https://twitter.com/#!/FrasesDoCalvin) As árvores - Arnaldo Antunes – Um Som Lançamento: 2002 As árvores são fáceis de achar/ Ficam plantadas no chão/ Mamam do sol pelas folhas E pela terra/ Também bebem água/ Cantam no vento/ E recebem a chuva de galhos abertos /Há as que dão frutas/E as que dão frutos/As de copa larga/E as que habitam esquilos /As que chovem depois da chuva/As cabeludas, as mais jovens mudas As árvores ficam paradas/Uma a uma enfileiradas/Na alameda /Crescem pra cima como as pessoas/ Mas nunca se deitam/ O céu aceitam/ Crescem como as pessoas Mas não são soltas nos passos/ São maiores, mas/Ocupam menos espaço Árvore da vida/Árvore querida/Perdão pelo coração/Que eu desenhei em você/Com o nome do meu amor. (disponível em: twitter & música...

70 Fonte: árvores do município de Iranduba - Foto:Antonio Lima –Divulgação Disponível em:

71 & lâminas permanentes...

72 ...animação... Rio, O Filme (105 min., 2011, EUA, Animação, Fox Film) Disponível em:

73 ...vinheta de abertura de seriado... Disponível em :

74 PARANÁ. Diretrizes Curriculares da Educação Básica Curitiba: SEED/DEB – PR, PARANÁ. Ensino fundamental de nove anos : orientações pedagógicas para os anos iniciais -Curitiba, PR : Secretaria de Estado da Educação, Pivovar, Altair. Escola e Histórias em Quadrinhos: O Agon Discursivo. Curitiba, 2007 (Tese de Doutorado) Universidade Federal do Paraná. Referências:


Carregar ppt "Sonia Maria I. Justo Paulo Roberto Takada LENDO CIÊNCIAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO EQUIPE DE CIÊNCIAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google