A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Recuperação Paralela e Avaliação da Aprendizagem em Processo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ORIENTAÇÃO TÉCNICA Recuperação Paralela e Avaliação da Aprendizagem em Processo."— Transcrição da apresentação:

1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Recuperação Paralela e Avaliação da Aprendizagem em Processo

2 PLANO DE TRABALHO DA ESCOLA PLANO DE AULA DO PROFESSOR

3 PLANO DA ESCOLA JUSTIFICATIVA OBJETIVO DIAGNÓSTICO HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS POR TURMA. METODOLOGIA RECURSOS CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO ACOMPANHAMENTO DO GRUPO GESTOR PLANO DE AULA DISCIPLINA OBJETIVO DURAÇÃO HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS POR ALUNO (PLANILHA) METODOLOGIA RECURSOS CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

4 HABILIDADES A SER DESENVOLVIDA POR ALUNO Professor da classe indica o aluno para a recuperação paralela com o diagnóstico das habilidades a ser desenvolvidas pelos alunos. Professor de Recuperação paralela elabora o plano de aula com o objetivo de desenvolver as habilidades elencadas pelo professor da classe. PLANO DE AULA

5 Competências, Habilidades e Conteúdos

6 L. A. Martins Garcia, em artigo publicado no site Educação e Ciência On-line, da Universidade de Brasília, define assim habilidade e competência: Habilidade: "o conceito de habilidade também varia de autor para autor. Em geral, as habilidades são consideradas como algo menos amplo do que as competências. Assim, a competência estaria constituída por várias habilidades. Entretanto, uma habilidade não pertence a determinada competência, uma vez que uma mesma habilidade pode contribuir para competências diferentes. Uma pessoa, por exemplo, que tenha uma boa expressão verbal (considerando que isso seja uma habilidade) pode se utilizar dela para ser um bom professor, um radialista, um advogado, ou mesmo um demagogo. Em cada caso, essa habilidade estará compondo competências diferentes." Competência: "poderíamos dizer que uma competência permite mobilizar conhecimentos a fim de se enfrentar uma determinada situação. Destacamos aqui o termo mobilizar. A competência não é o uso estático de regrinhas aprendidas, mas uma capacidade de lançar mão dos mais variados recursos, de forma criativa e inovadora, no momento e do modo necessário. A competência abarca, portanto, um conjunto de coisas. Perrenoud fala de esquemas, em um sentido muito próprio. Seguindo a concepção piagetiana, o esquema é uma estrutura invariante de uma operação ou de uma ação. Não está, entretanto, condenado a uma repetição idêntica, mas pode sofrer acomodações, dependendo da situação."

7 Conteúdos conceituais/factuais: englobam fatos, conceitos, princípios ("O que se deve saber"). Conteúdos procedimentais: dizem respeito a técnicas e métodos ("O que se deve saber fazer"). Conteúdos atitudinais:: abrangem valores, atitudes e normas ("Como se deve ser").

8 Currículo do Estado de São Paulo

9 É falso afirmar que as orientações visando o ensino para competências não se preocupam com os conteúdos a serem trabalhados. O que se busca é que esses conteúdos sejam relevantes, isto é, que tenham sentido para o sujeito, dentro de seu contexto. Vemos assim uma certa inversão entre o que a escola tradicional fazia, isto é, listava os conteúdos e depois ia buscar uma situação em que, possivelmente, eles pudessem ser aplicados. Muitas vezes inventava-se uma situação tão artificial que se tornava ridícula. A orientação no ensino para competências busca primeiramente estabelecer uma situação complexa a ser abordada e escolhe os conteúdos que precisam ser conhecidos para abordá-la. (Moretto, 2001) V. Moretto é professor, doutorando em Didática pela Universidade Laval de Quebec/Canadá.

10 Cabe observar preliminarmente que as competências não eliminam os conteúdos, pois não é possível desenvolvê-las no vazio. Elas apenas norteiam a seleção de conteúdos para que o professor tenha presente que o que importa na Educação Básica não é a quantidade de informações, mas a capacidade de lidar com elas, através de processos que impliquem sua apropriação e comunicação, e, principalmente, sua produção ou reconstrução, a fim de que sejam transpostas a situações novas. (PCN – Ensino Médio)

11 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA Aprendizagem significativa x aprendizagem mecânica A aprendizagem é o centro da atividade escolar. O professor é o profissional da aprendizagem. Que tipo de cidadão queremos formar? Que tipo de sociedade queremos alcançar? Que tipo de conhecimentos é necessário a essa sociedade?

12 Aprendizagem significativa Capacidade de compreensão do conteúdo. Utilização do conteúdo, quando necessário. Aprendizagem mecânica Capacidade de repetir o que aprendeu. Reprodução sem compreensão.


Carregar ppt "ORIENTAÇÃO TÉCNICA Recuperação Paralela e Avaliação da Aprendizagem em Processo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google