A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DO RECEPTOR DE LEPTINA COMO CANDIDATO A MARCADOR DE AGRESSIVIDADE TUMORAL EM PACIENTES COM CARCINOMA EPIDEMÓIDE DE BOCA E OROFARINGE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DO RECEPTOR DE LEPTINA COMO CANDIDATO A MARCADOR DE AGRESSIVIDADE TUMORAL EM PACIENTES COM CARCINOMA EPIDEMÓIDE DE BOCA E OROFARINGE."— Transcrição da apresentação:

1 AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DO RECEPTOR DE LEPTINA COMO CANDIDATO A MARCADOR DE AGRESSIVIDADE TUMORAL EM PACIENTES COM CARCINOMA EPIDEMÓIDE DE BOCA E OROFARINGE Aluno: Leandro Ucela Alves Orientador: Profa. Dra. Adriana Madeira Alvares da Silva Co-orientador: Profa. Ms. Ana Maria da Cunha Mercante 2009

2 INTRODUÇÃO CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE BOCA E OROFARINGE Representa 90% dos tumores das vias aerodigestivas superiores. Considerado o 6º tipo de câncer mais frequente no mundo. Com média anual de casos e mortes. Forte relação com o etilismo e tabagismo. Atualmente foi descrito relação com o vírus HPV.

3 INTRODUÇÃO LEPTINA (Lep) E RECEPTOR DE LEPTINA (Lepr) A Leptina (Lep) é produzida predominantemente pelo tecido adiposo branco. Sempre atua através de seu receptor (Lepr) A ligação entre a proteína e seu receptor no hipotálamo, sinaliza as condições de reserva de gordura corporal. Por mecanismos de feedback, essa ligação controla a ingestão de alimentos e o peso corporal, estimulando a saciedade

4 INTRODUÇÃO LEPTINA (Lep) E RECEPTOR DE LEPTINA (Lepr) Estão associados também aos processos de: Crescimento e mitogênese Angiogênese Resposta imunológica e inflamatória Reprodução Formação dos tornos musculares Hematopoiese Formação dos ossos Cicatrização

5 INTRODUÇÃO VIAS DE SINALIZAÇÃO DA LEPTINA

6 INTRODUÇÃO LEPTINA E TECIDOS NORMAIS E NEOPLÁSICOS Atua no crescimento, ploriferação e migração das células endoteliais. Estimula genes responsáveis pela promoção da angeogênese, aumentando a vascularização endotelial. Associada a diversas neoplasias como o câncer de mama, colo, fígado e próstota.

7 OBJETIVOS Avaliar a expressão do gene LEPR através da técnica de imunohistoquímica em carcinoma epidermóide de boca e orofaringe. Relacionar a expressão do gene LEPR com a agressividade tumoral medida pelo TNM e histologia. Relacionar a expressão do gene LEPR com a sobrevida global e livre de doença nos pacientes com carcinoma epidermóide de boca e orofaringe.

8 LOCAL DE ESTUDO E PACIENTES O trabalho foi desenvolvido no Laboratório de Biologia Molecular em parceria com o Serviço de Patologia, ambos do Hospital Heliópolis. Foram estudados 85 pacientes com carcinoma epidermóide de boca e orofaringe, sem tratamento prévio, tratados no Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital Heliópolis.

9 EPIDEMIOLOGIA Dados epidemiológicos Casos n% Gênero Masculino 73 85,9% Feminino 12 14,1% Faixa etária (anos) 55 anos 46 54,1% > 55 anos 39 45,9% Tabagismo Não 4 4,7% Sim 81 95,3% Etilismo Não 10 11,8% Sim 75 88,2% Total85100 Dados Epidemiológico dos 85 pacientes diagnosticados com carcinoma epidemóide de boca e orofaringe

10 MATERIAIS E MÉTODOS HISTOLOGIA Pelo método de coloração de hematoxilina-eosina (HE) as lâminas foram analisadas, avaliando suas características histológicas como: Grau de diferenciação Desmoplasia Intensidade de inflamação Invasão vascular linfática Invasão vascular sanguínea Invasão perineural Necrose

11 Foto de lâmina em H&E no aumento de 100 x demonstrando um carcinoma bem diferenciado segundo a sua atipia nuclear e queratinização celular.

12 Foto de lâmina em H&E no aumento de 400 x demonstrando uma desmoplasia leve.

13 Foto de lâmina em H&E no aumento de 100 x mostrando um infiltrado inflamatório moderado.

14 Foto de lâmina em H&E no aumento de 100 x mostrando uma invasão vascular linfática do carcinoma epidermóide.

15 Foto de lâmina em H&E no aumento de 100 x mostrando uma invasão vascular sanguínea do carcinoma epidermóide.

16 Foto de lâmina em H&E no aumento de 400 x mostrando uma invasão perineural

17 MATERIAIS E MÉTODOS IMUNOHISTOQUÍMICA Pelo método de imunohistoquímica (anticorpo anti-Obr) os materiais foram avaliadas segundo a intensidade da marcação, classificadas segundo: Intensidade de marcação. Frequência de células tumorais. A lâmina com os materiais dos pacientes foi confeccionada pela técnica de tissue microarray

18 Foto da lâmina da reação do Lepr, contra-corada com hematoxilina no aumento de 100 x, mostrando uma marcação de leve intensidade (marrom).

19 Foto da lâmina de reação do Lepr, contra-corada com hematoxilina no aumento de 100x, mostrando uma marcação de forte intensidade (marrom).

20 RESULTADOS Marcaçãon% Negativo3136,47% Positivo5463,53% fraco2037,04% forte3462,96% Expressão do anticorpo anti-Lepr (n=85)

21 RESULTADOS Expressão da Lep-R Características clínico-patológicas NegativoPositivo p value n% n% Tamanho do tumor (pT) 0,84 pT113,20%47,40% pT21135,50%1731,50% pT3722,60%1425,90% pT41238,70%1935,20% pT ,70%2138,90% 0,586 pT ,30% 3361,10% Linfonodo acometido 0,156 Ausente929,00%2342,60% Presente2271,00%3157,40% Invasão extracapsular 0,143 Ausente1445,20%2546,30% Presente825,80%611,10% Não avaliável929,00% 2342,60% Grau de diferenciação 0,825 Bem diferenciado1238,70%2546,30% Moderadamente1548,40%2546,30% Pouco diferenciado39,70%47,40% Não avaliável13,20% 00,00% Embolização linfática 0,373 Ausente1135,50%1629,60% Presente2064,50%3870,40% Não avaliável00,00% 0 Categorização do Lep-R: positivo x negativo

22 RESULTADOS Expressão da Lep-R Características clínico-patológicas NegativoPositivo p value n% n% Invasão perineural 0,198 Ausente1341,90%2045,50% Presente1754,80%2454,50% Não avaliável13,20% 00,00% Infiltrado inflamatório peritumoral 0,37 Escasso1135,50%2342,60% Moderado1651,60%2138,90% Intenso39,70%1018,50% Não avaliável13,20% 00,00% Necrose 0,29 Ausente619,40%713,00% Presente2477,40%4787,00% Não avaliável13,20% 00,00% Desmoplasia 0,999 Leve1445,20%2546,30% Moderada1032,30%1833,30% Intensa619,40%1120,40% Não avaliável13,20% 00,00% Categorização do Lep-R: positivo x negativo

23 RESULTADOS Expressão da Lep-R Características clínico-patológicas ForteFraco p value n% n% Tamanho do tumor (pT) 0,58 pT125,90%2 pT21235,30%5 pT3720,60%7 pT41338,20%6 pT ,20%735,00% 0,438 pT ,80% 1365,00% Linfonodo acometido 0,282 Ausente1647,10%735,00% Presente1852,90%1365,00% Invasão extracapsular 0,176 Ausente1372,20%1292,30% Presente527,80%17,70% Não avaliável00,00% 0 Grau de diferenciação 0,43 Bem diferenciado1441,20%1155,00% Moderadamente1852,90%735,00% Pouco diferenciado25,90%210,00% Não avaliável00,00% 0 Embolização linfática 0,4 Ausente1132,40%525,00% Presente2367,60%1575,00% Não avaliável00,00% 0 Categorização do Lep-R: forte x fraco

24 RESULTADOS Expressão da Lep-R Características clínico-patológicas ForteFraco p value n% n% Invasão perineural 0,413 Ausente1852,90%1260,00% Presente1647,10%840,00% Não avaliável00,00% 0 Infiltrado inflamatório peritumoral 0,902 Escasso1441,20%945,00% Moderado1441,20%735,00% Intenso617,60%420,00% Não avaliável00,00% 0 Necrose 0,519 Ausente411,80%3 Presente3088,20%1788,20% Não avaliável00,00% 0 Desmoplasia 0,584 Leve1441,20%1155,00% Moderada1235,30%630,00% Intensa823,50%315,00% Não avaliável00,00% 0 Categorização do Lep-R: forte x fraco

25 Análise da sobrevida global para os pacientes com expressão positiva (verde) e negativa (vermelho) do gene LEP-R, considerando um período de 48 meses (Wilcoxon p = 0,787). RESULTADOS

26 Análise da sobrevida global para os pacientes com expressão positiva fraca (verde) e forte (vermelho) do gene LEP-R, considerando um período de 48 meses (Wilcoxon p = 0,406). RESULTADOS

27 Análise da sobrevida livre de doença para os pacientes com expressão positiva (verde) e negativa (vermelho) do gene LEP-R, considerando um período de 48 meses (Wilcoxon p = 0,617). RESULTADOS

28 Análise da sobrevida livre de doença para os pacientes com expressão positiva forte (verde) e fraca (vermelho) do gene LEP-R, considerando um período de 48 meses (Wilcoxon p = 0,871). RESULTADOS

29 CONSIDERAÇÕES FINAIS Não foi detectado associação entre a expressão do receptor de Leptina e o carcinoma epidermóide de boca e orofaringe. Também não se encontrou associação entre a presença do receptor nas sélulas neoplásicas com a sobrevida global e livre de doença dos pacientes Novos resultados podem ser obtidos se estudos posteriores analisar as margem tumoral. O número de casos também pode influenciar esses resultados.

30 AGRADECIMENTOS


Carregar ppt "AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DO RECEPTOR DE LEPTINA COMO CANDIDATO A MARCADOR DE AGRESSIVIDADE TUMORAL EM PACIENTES COM CARCINOMA EPIDEMÓIDE DE BOCA E OROFARINGE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google