A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMUNICAÇÃO COM O MERCADO PROF. MAURO PACANOWSKI.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMUNICAÇÃO COM O MERCADO PROF. MAURO PACANOWSKI."— Transcrição da apresentação:

1 COMUNICAÇÃO COM O MERCADO PROF. MAURO PACANOWSKI

2 Estratégia de Marketing Características Qualidade Design Nome da marca Embalagem Tamanhos Serviços Garantias Preço de tabela Descontos Prazo de pagamento Termos de crédito Subsídios Marketing Mix Mercado-alvo Produto Distribuição Preço Composto Promocional Canais Cobertura Sortimentos Localização Estoque Transporte Propaganda Venda pessoal Promoção de venda Publicidade

3 As Grandes Questões de Comunicação de Marketing Proliferação das marcas Concorrência Global, Local, Virtual, Direta, Indireta... Tráfego instantâneo da informação Departamentalização das Comunicações Explosão das alternativas de mídia Crescimento do número das ferramentas de Comunicação Verbas relativamente menores Entropia e Sobrecarga Cognitiva

4 Qual é a sua parcela de renda disponível para comprar nosso produto? O que ele espera da categoria em que nosso produto se enquadra? O que ele espera de nosso produto, especificamente? O que ele tem encontrado no produto concorrente? Que imagem ele tem do nosso produto? E da nossa marca? E do produto concorrente? Como será que andam os conceitos de vida do sr. Target? Planejamento de Marketing versus Planejamento de Comunicação

5 Seus hábitos de consumo dependem mais de sua renda pessoal ou de seu comportamento? Qual é o seu padrão estético? Que linguagem melhor se adapta a sua realidade? Que mensagem fundamental vamos levar até ele? E através de quais meios de comunicação? Quanto tudo isso vai custar Por qual período de tempo? CONTINUAÇÃO - 2

6 Que atividades serão desenvolvidas a cada momento? Como vamos distribuir a verba do cliente por esse período? Como vamos controlar essas despesas? Como vamos checar a eficiência da nossa comunicação? Onde fica a igreja mais próxima para gente rezar para que tudo corra bem? CONTINUAÇÃO - 3

7 Variáveis de Segmentação para o Consumidor Final Demográficas Faixa etária Sexo Religião Faixa de renda Ocupação Nível de instrução Raça Região Área da cidade Clima No de habitantes Concentração (urbana, rural) Geográficas Classe social Estilo de vida Personalidade Psicográficas Taxa de uso Benefício procurado Ocasião da compra Atitude em relação ao produto Comportamentais

8 Seleção de Mercados-Alvo Análise de Atratividade 4 Tamanho do mercado 4 Crescimento 4 Rentabilidade 4 Concorrência Seleção do Mercado-Alvo Atratividade versus Objetivos e recursos da empresa

9 Análise da Concorrência (Porter) Entrantes potenciais Ameaça de novos entrantes Concorrentes na Indústria Rivalidade Clientes Poder de negociação Substitutos Ameaça de produtos ou serviços substitutos Fornecedores Poder de negociação Governo Regulamentação

10 Estratégias de Seleção de Mercado Composto de marketing da empresa Composto de marketing 1 Composto de marketing 2 Composto de marketing 3 Composto de marketing da empresa (a) Marketing indiferenciado (b) Marketing diferenciado (c) Marketing concentrado Mercado (todos os segmentos) Segmento 1 Segmento 2 Segmento 3 Nicho de Mercado

11 Posicionamento da Oferta A Lógica do Posicionamento Busca de Diferenciais Competitivos Bases de Diferenciação do Produto 4 Características do produto 4 Nível de desempenho 4 Durabilidade 4 Confiabilidade 4 Facilidade de conserto 4 Assistência técnica 4 Estilo 4 Design

12 Requisitos de um Posicionamento Eficaz 4 Importância do benefício para o consumidor 4 Distintividade frente ao concorrente 4 Facilidade de comunicação do benefício 4 Visibilidade 4 Dificuldade de cópia pela concorrência 4 Rentabilidade da diferença

13 Estratégias de Posicionamento (I) Posicionamento por Atributo Samsung Vip: o menor celular (II) Posicionamento por Benefício Leite Molico para manter a forma. (IV) Posicionamento por Empatia Nestlé: Nossa vida tem você (III) Posicionamento Demográfico Shampoo Johnson & Johnson para crianças. (V) Posicionamento por Preço / Qualidade Insetisan: um pouco mais caro mas muito melhor

14 Estratégias de Posicionamento (VI) Posicionamento por Usuário do Produto Celular Fizz da Philips: mais fino do que ele, só quem usa. (VII) Posicionamento em Relação à Classe do Produto Smart Club não é cartão de crédito. (VIII) Posicionamento em Relação a um Concorrente Não é uma Brastemp (IX) Posicionamento por endosso de personalidade Relógio Omega: A escolha de Cindy Crawford

15 Estratégias de Posicionamento (X) Posicionamento por Endosso de Especialista: Ex: Creme dental Philips: O mais recomendado pelos dentistas (XI) Posicionamento por Ocasião de Uso Ex: Kelloggs: o cereal para o café da manhã. (XII) Posicionamento por Popularidade Ex: Celular Nokia: O mundo todo só fala nele. (XIII) Posicionamento por País de Origem Ex: Bacalhau da Noruega

16 Processo Evolutivo da Comunicação Consciência Conhecimento Simpatia Preferência Convicção Compra Satisfação

17 Situação 1 de Comunicação 100% do mercado 60% sim 40% não 60% sim 40% não Conhecem Experimentam 60% sim 40% não Gostam

18 Situação 2 de Comunicação 100% do mercado 60% sim 40% não Conhecem Experimentam 60% sim 40% não Gostam 60% não 40% sim

19 Cinco Objetivos Possíveis Informar Persuadir Comparar Reposicionar Lembrar

20 Entendendo os Objetivos ObjetivoResposta esperada InformarIntroduzir um novo conceito ou reforçar imagem existente PersuadirArgumentar, seduzir, envolver CompararNivelar-se com um concorrente LembrarManter a visibilidade ReposicionarAlterar a percepção do público

21 Dicas importantes na hora de Informar Crie expectativa antes de revelar a novidade (técnica chamada teaser) Promova a participação das pessoas no processo Identifique os formadores de opinião Capitalize a comunicação dos pioneiros

22 Como Persuadir? Comece do ponto em que a comunicação vai terminar: no público

23 Teste seu Poder de Sedução Qual o melhor apelo para persuadir determinado público? A que valores esse público é suscetível? De que referências (pessoas ou símbolos) posso me valer para dar credibilidade incontestável à argumentação?

24 Dicas para Melhor Persuadir Ofereça alguma vantagem para os pioneiros Dê uma amostra para o público Use o testemunho de quem já aderiu Faça a convocação final

25 Estratégias de Comparação O líder não se compara, inova. Por isso é que é líder Já o desafiante arrojado tentará ser vinculado ao líder e assim melhorar a sua posição de mercado

26 Tentativas de Comparação GMX Volkswagen (Corsa mais vendido) (Golf produzido no Brasil) PepsiX Coca-cola (Desafio Pepsi) (Refrigereco – Comparação indireta) KuatX Guaraná Antartica (Comparação direta) (Pede para a Coca mostrar a semente) TAMX Varig (Colecione viagens) (Abordagens institucionais)

27 Quando é Preciso Lembrar Quando a marca e o produto já são amplamente conhecidos pelo público Existem ocasiões em que a mera lembrança. Pode trazer grandes benefícios, como datas comemorativas

28 Alguns Exemplos de Lembrança Não esqueça da minha Caloi Apelo específico para Dia das Crianças e Natal Você faz maravilhas com Leite Moça Comercial exibido por volta das 18 horas Você já deu sua raspadinha hoje? Raspadinhas do Rio estimulando um hábito

29 Dicas para a Lembrança Explore a relação totêmica (associação da marca com elementos da natureza) Seja elegante na abordagem, evitando transmitir desespero de causa Dê visibilidade à marca nos pontos de contato com seu público Aproveite ocasiões específicas e antecipe a lembrança

30 Razões para Reposicionar Quando a empresa ou produto entram na fase de declínio Exemplos: Havaianas e Leite de Rosas Desejo de alterar a percepção do público Exemplos: Fiat e Jornal O Dia Mudar ou ampliar o público-alvo do produto Exemplos: Pepsi e Vinólia

31 Dicas para Reposicionar Identificar a percepção do público Definir novo posicionamento a partir das necessidades e desejos Direcionar o apelo para essa resposta Dar continuidade à comunicação

32 Estratégia de Comunicação Sistema de comunicação de marketing Empresa Propaganda Promoções de Vendas Relações Públicas Venda pessoal Revendedores Propaganda Promoções de Vendas Relações Públicas Venda pessoal Clientes Boca - a- boca Público

33 Elementos do Processo de Comunicação Emissor Codificação Mensagem Mídia Decodificação Receptor Ruído FeedbackResposta

34 O que Deveremos Aprender: Como persuadir o consumidor a comprar meu produto/serviço ou a gostar de minha marca; Uma estratégia de comunicação é muito mais do que um comercial bonitinho de revista ou tv;

35 Para ser eficiente é preciso: estabelecer canais de comunicação ao longo de três dimensões: 1. COM O CLIENTE Atrair o cliente significa compreender suas necessidades e permitir que este compreenda aquilo que lhe pode ser oferecido 2. COM A EMPRESA A comunicação eficaz requer Integração Total: 3. COM A EQUIPE A diferença entre sobrepor tijolos e construir uma igreja

36 O COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO PROPAGANDA MARKETING DIRETO TELEMARKETING ASSESSORIA DE IMPRENSA PROMOÇÃO RELAÇÕES PÚBLICAS MERCHANDISING

37 A Propaganda è Seu caráter público sugere que o produto anunciado é padronizado e legítimo; è Efetuada em larga escala, diz algo positivo sobre o tamanho da empresa, sua popularidade e seu sucesso; è Permite que a empresa torne a compra do produto em uma experiência emocional; è Utilizada para construir a empresa e suas marcas; è Permite atingir as massas de compradores espalhados geograficamente por um baixo custo de exposição.

38 Propaganda í DEFINIÇÃO DA VERBA Estágio do ciclo de vida dos produtos Participação de mercado Concorrência e saturação Freqüência da propaganda Diferenciação do produto

39 í MENSAGEM Briefing Geração Avaliação e seleção Execução Propaganda

40 í AVALIAÇÃO Pesquisa de efeito de comunicação Pesquisa do efeito sobre vendas Propaganda

41 Briefing Contrabriefing Apresentação Da Campanha Aprovação Do Cliente Apresentação Das Peças Reunião De Pré-produção Produção Aprovação Da Peça Veiculação Propaganda

42 Definição de Objetivos Objetivos de comunicação Objetivos de vendas Decisões de orçamento Disponibilidade de recursos Porcentagem de vendas Paridade competitiva Objetivo e tarefa Decisões de mensagem Criação da mensagem Avaliação e seleção da mensagem Execução da mensagem Decisões de veiculação Alcance, freqüência, im- pacto Principais tipos de mídia Veículos específicos de mídia Duração da mídia Avaliação da campanha Impacto de comunicação Impacto de vendas

43 fonte Intermeios 1996 PERGUNTA: Para que serve uma agência de propaganda?

44 DIR.DE CONTA SUP. DE ATEND. CONTATO ATENDIMENTO DIR. MÍDIA ATENDIMENTOS MÍDIA DIR. DE CRIAÇÃO DUPLAS REDATOR DIR. DE ARTE ESTÚDIO MONTADORES ARTEFINALISTA FOTÓGRAFO RTVC PRODUÇÃO GRÁFICA TRÁFEGO CRIAÇÃO FINANÇAS CONTABILIDADE PESSOAL ADMINISTRAÇÃO PRESIDÊNCIA AGÊNCIA

45 O que sua Agência não Fará por Você Conhecer melhor que o cliente seu produto/serviço ou mercado Fazer o Plano de Comunicação da empresa Preparar o briefing geral Selecionar/aprovar a melhor alternativa para cada problema/oportunidade Vender as campanhas / soluções para outras áreas da empresa

46 O que sua Agência não Fará por Você ( cont. ) Cuidar da integração e coordenação geral de todo o Plano de Comunicação Gerir da melhor forma a aplicação da verba Pensar em tempo integral nos problemas e oportunidades do anunciante Apontar os erros dela e, principalmente os erros dos cliente Responsabilizar-se pela propaganda que falhar

47 O que é Mídia ??? É o trabalho técnico de definir veículos e estabelecer seu melhor uso para a máxima efetividade do trabalho publicitário O QUE É VEÍCULO??? Por veículo entende-se todo meio,forma ou recurso capaz de levar a mensagem publicitária ao consumidor

48 Indicadores de Mídia GRP - gross rating points (pontos brutos de audiência é a soma da audiência alcançada por uma programação. é utilizado para medir a intensidade ou peso de uma campanha. GRP = quant.de anúncios x audiência (dos mesmos) TARP- target audience rating points CPM - custo por mil - custo por grupo de mil leitores, ouvintes ou telespectadores.parâmetro que permite comparar preços entre diversos veículos para melhor aplicação da verba.

49 A Linha de Produção da Agência: Passos de um Job 1. Briefing junto ao atendimento 2. Discussão interna do briefing 3. Passagem do Pedido de Criação 4. Criação do material (conceitual) 5. Apresentação e aprovação do Atendimento 6. Elaboração de lay out/textos 7. Aprovação com clientes 8. Ajustes/Finalização 9. Escolha das produtoras/Produção 10. Envio/Veiculação

50 Marketing Direto CONCEITO: Ação de venda, atração ou relacionamento estimulado através de : anúncio, folheto cartas, telefone, televisão, obtendo a resposta direta do cliente sem que haja intervenção física de vendedores, varejistas ou representantes

51 Marketing Direto DEFINIÇÃO Marketing direto é um sistema interativo de marketing que utiliza uma ou mais mídias de propaganda a fim de produzir resposta e/ou transação mensuráveis, e em qualquer local

52 Telemarketing Hiperestimula a resposta quando integrado ao composto de comunicação MD: Índice de fechamento por 0800 quatro a seis vezes maiores que pelo correio; Permite a venda por aconselhamento; ex: o especial da semana... MÍDIA IMPRESSA Permite compras de alto valor; ex: Dell Computers/Monex (puro e prata) Fornece localização de revendedores; TV Torna a resposta instantânea uma realidade em um veículo de massa;

53 Assessoria de Imprensa RELACIONAMENTO COM IMPRENSA o Imprensa é um dos canais para comunicar-se com públicos de interesse, funcionando como ferramenta complementar de um processo de marketing. o Qualquer empresa está exposta à mídia. o Opção é: ter controle ou apenas reagir? o Trabalho contínuo de construção de imagem e relacionamentos.

54 Assessoria de Imprensa FUNÇÕES BÁSICAS 1) OBJETIVOS: 1.1. PROMOVER O INTERESSE DA IMPRENSA SOBRE A EMPRESA; 1.2. PROTEGÊ-LA EM SITUAÇÕES NEGATIVAS: I) MINIMIZAR O IMPACTO DA NOTÍCIA; II) EVITAR A PUBLICAÇÃO. 2) CENTRALIZAÇÃO DOS CONTATOS ENTRE A EMPRESA E A IMPRENSA. 3) ABORDAGEM PROATIVA: 3.1. FILTRO DAS SOLICITAÇÕES ESPONTÂNEAS; 3.2. CONDUÇÃO DE SITUAÇÕES DE CRISE.

55 Assessoria de Imprensa CARACTERÍSTICAS 7Inserção em espaços editoriais 7Mídia espontânea 7Gratuidade 7Credibilidade

56 Assessoria de Imprensa SERVIÇOS í Planejamento de comunicação com imprensa. í Apuração, redação e distribuição de notas, pautas e press-releases. í Contatos com jornalistas (proativo e reativo). í Clipagem diária dos jornais para acompanhamento da empresa e concorrência. í Consultoria permanente à empresa sobre assuntos relativos à comunicação com imprensa. í Gerenciamento de crises. í Treinamento de porta-vozes.

57 AÇÃO PROATIVA Assessoria de imprensa identifica temas de interesse para o negócio da empresa. Desenvolve estratégia de abordagem (veículo, editorial, tratamento do fato). Aborda o(s) jornalista(s) buscando promover seu interesse sobre o assunto. Acompanha a produção da reportagem. Mantém contatos com jornalistas-chave para identificar oportunidades e fazer com empresa seja fonte. Dá consultoria à empresa sobre como ocupar mais e melhores espaços na imprensa. Assessoria de Imprensa

58 GERENCIAMENTO DE CRISES è Assessoria identifica temas sensíveis e recomenda ações preventivas. è Elabora posicionamento sobre crises potenciais. è Conduz processo de crise, atendendo os jornalistas, elaborando e distribuindo o posicionamento da empresa e acompanhando desdobramentos. Assessoria de Imprensa

59 Relações Públicas Este item está disponível na pasta da Xerox. Qualquer dúvida, falar com o Professor!

60 As atividades mercadológicas através das quais é oferecido ao consumidor um benefício extra e temporário para incentivá-lo a comprar um produto ou serviço. Conceito Promoção de Vendas

61 Objetivos a) acelerar a rotação / giro de um produto b) redução de estoques c) incentivo para maximizar a venda de um determinado produto d) aumentar a participação de mercado e) desenvolver relações comerciais mais amistosas Promoção de Vendas

62 região clima costumes/hábitos Geográfica Variáveis de Segmentação

63 idade sexo tamanho da família renda profissão religião raça Demográfica Variáveis de Segmentação

64 Os Dez mandamentos da Promoção de Vendas 1. Não tentar executar aquilo que os outros componentes do marketing podem fazer melhor. 2. Ser a melhor alternativa para atingir os objetivos. 3. Obter o máximo efeito pelo menor custo. 4. Estar de acordo com os padrões de comportamento daquele para os quais é destinada e de acordo com a imagem da marca. 5. Atrair atenção e provocar ação de aceitação 6. Ser simples, clara e fácil de entender. 7. Utilizar apelos emocionais e racionais. 8. Ser única, exclusiva. 9. Ser honesta 10. Ser desejada por todos.

65 1. Identificação problema / oportunidade que a promoção resolverá. 2. Definir claramente os objetivos. 3. Definir claramente as metas. 4. Identificar o público-alvo. 5. Desenvolver a idéia da promoção. Planejamento da Promoção

66 6. Delinear área geográfica. 7. Definir canal de distribuição. 8. Definir a comunicação. 9. Definir material promocional. 10.Elaboração da planilha de custo. Planejamento da Promoção

67 obter experimentação incentivar o uso ajuda aumentar freqüência / quantidade de compra buscar fidelidade Para o consumidor: O que a PROMOÇÃO pode fazer

68 reduzir atividade concorrência ajudar no lançamento criar motivação interna/externa escoar estoques melhorar distribuição conquistar esforços adicionais melhorar o relacionamento bilateral (lojista/consumidor) Para o fabricante: O que a PROMOÇÃO pode fazer

69 gerar fidelidade total reverter aversão ao produto suprir necessidades básicas Para o consumidor: O que a PROMOÇÃO não consegue fazer

70 Substituir a propaganda Suprimir erros estratégicos Superar problemas de embalagem e qualidade Substituir treinamento da equipe Para o fabricante: O que a PROMOÇÃO não consegue fazer

71 É o conjunto de atividades promocionais realizadas através de eventos. Estes eventos podem ser de caráter permanente, de longa duração, ou de impacto, de função limitada. Promoção de Imagem

72 Evento Permanente – tem duração pré-fixada, de duração não inferior a 3 anos e com objetivos definidos. Evento de Impacto – tem curta duração, causa impacto imediato, normalmente através de eventos sazonais e ou esporádicos, que acontecem devido a oportunidades detectadas. Conceito

73 Os patrocínios podem ter as seguintes características: -artístico -cultural -social -esportivo

74 -qualidade do público / evento -continuidade -relação custo x benefício -qualidade e capacidade dos locais onde eventos serão realizados -atividades promocionais paralelas (ingressos em cortesia, possibilidade de se utilizar personalidades envolvidas) -capacidade de gerar mídia expontânea -elenco envolvido (atletas / artistas) O que o patrocinador deve avaliar para oferecer o patrocínio.

75 -seriedade do promotor do evento -originalidade / criatividade -importância -estrutura -adequação -abrangência geográfica -assessoria de imprensa -mídia O que o patrocinador deve avaliar para oferecer o patrocínio.

76 Cultura Esporte seriedade energia importância superação emoção congraçamento beleza alegria envolvimento descontração sofisticação juventude identificação vibração valorização vitalidade diversão entretenimento Relação Cultura & Esporte

77 Marketing de Causa Companhias preocupadas em manter relações equilibradas crescem em média quatro vezes mais. 60% das pessoas formam opiniões favoráveis a empresas éticas. 17% das pessoas não comprariam produtos de empresas que agridem o meio ambiente. Boas práticas de relacionamento com empregados aumenta a qualidade e produtividade. Empresas cidadãs são pólo de atração de talentos. CIDADANIA EMPRESARIAL É IMPORTANTE FATOR PARA CONSOLIDAÇÃO DA IMAGEM DA EMPRESA, DE SUAS MARCAS E PRODUTOS.

78 Programa de voluntário faz parte da estratégia da empresa. Conhecer a empresa Criar um comitê de trabalho Aprender com quem já fez Descobrir o que é importante para comunidade Conhecer os interesses do público interno Estabelecer a estratégia de programa Criar um plano de ação Definir formas de avaliação e atualização Marketing de Causa

79 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Valores e transparências Funcionários e público interno Meio ambiente Fornecedores Consumidores e cliente Comunidade Governo e sociedade Marketing de Causa

80 Meios de Comunicação de Massa Cinema Televisão Conceitos Atribuições Evolução Merchandising

81 PESQUISA REALIZADA PELO POPAI (Point of Purchase Advertising Institute) 68% das decisões de compra ocorrem dentro do estabelecimento varejista; Consumidores são fortemente influenciados pelo material promocional no PV; Permanência média de cada pessoa nos supermercados é de 24,9 minutos, com índice de compra de US$ 1,40 p/min;

82 Valor do Merchandising Essa compreensão / Cooperação só pode ser conseguida desde que os esquemas operacionais sejam amparadas em prestação de serviços adequada e bem feita. Bom merchandising assegura que todas as embalagens e produtos estão em bom estado.

83 Aceitação do Merchandising O lojista esta, normalmente, com pouca mão-de-obra, e ansiando sempre por conseguir melhorar a eficiência de seu pessoal. Os fornecedores podem, por meio de forças de vendas devidamente treinadas, transmitir ensinamentos que melhoram a eficiência do pessoal da loja.

84 Aceitação do Merchandising Devido ao grande número de produtos que uma loja estoca, é difícil o lojista ser especialista em tudo. Por isso, elementos especializados podem produzir trabalhos mais adequados. Em certos casos o fornecedor pode colocar nas lojas, gratuitamente ou a baixo custo, equipamentos/refrigeradores/displays ou gôndolas.

85 Em que além dos pontos naturais de exposição, estão disponíveis pontos extras ou promocionais. São pontos ideais para expor produtos que estão implementando alguma ação promocional. Áreas de Oportunidades

86 Em que o consumo de produtos sofre influência de acordo com o poder aquisitivo dos consumidores que freqüentam a loja. Cada bairro têm maior ou menor poder aquisitivo e os produtos expostos devem considerar esse fato, dando-se destaque aos produtos de maior rotação, preferidos por esses consumidores. Divisão por Participação por Poder Aquisitivo

87 Em que o espaço destinado é compatível com a penetração do produto na região e na loja. Divisão por Participação de Vendas por Região

88 Em que a exposição é feita conforme o volume que cada produto tem de participação no mercado, aumentando-se a exposição daqueles que têm maior rotação. Isso evita reposições constantes sem perdas de vendas. É igualmente válido esse critério de exposição que contempla os diversos tamanhos e versões de produtos de uma mesma marca. Divisão por Participação de Mercado

89 Divisão do Espaço por Segmento Em que a loja obedece critério de arrumar a exposição por segmento, agrupando produtos que atingem o mesmo nicho de consumidores.

90 Sugestão pelos Sentidos Este item estará disponível na Xerox. Qualquer dúvida, falar com o professor!

91 Comunicação na Internet 1 A Internet não é mais algo do futuro. Atualmente, e a cada dia mais, ela se consolida como uma poderosa ferramenta de comunicação. Pense nisso ao elaborar o plano de comunicação e marketing de sua empresa. Lembre-se que o número de pessoas que navegam pela rede está aumentando em progressão geométrica, representando um incrível potencial de mídia.

92 Comunicação na Internet 2 Dedique à comunicação na Internet o mesmo cuidado que às outras ferramentas que você utiliza para atingir os seus públicos-alvo. Assim como toda peça, aquilo que for divulgado pela rede também deve refletir a imagem corporativa de sua empresa.

93 Comunicação na Internet 3 Adapte a linguagem das suas mensagens ao veículo Internet. Ao criar um site observe aspectos como o tempo que ele demora para carregar na tela do computador. Caso esse tempo seja muito longo, a pessoa desiste e a sua mensagem acaba não tendo efeito.

94 Comunicação na Internet 4 Seja claro, use texto em corpo grande. Dê opções de idiomas. Faça cliques em terceira dimensão.

95 Comunicação na Internet 5 A tarefa de elaborar a comunicação na Internet a muito deixou de ser prerrogativa da área de informática. Hoje, a iniciativa deve ficar a cargo dos departamentos de marketing e comunicação.

96 Comunicação na Internet 6 O site deve sempre ter um . Dessa forma, aqueles que acessarem a home page terão um canal de comunicação direto. Mas, tome cuidado para não deixar de responder, nem demorar demais, às solicitações via . Lembre que para as pessoas que enviam a mensagem, a Internet é o meio mais prático de comunicação e uma omissão da resposta comprometerá a imagem da sua empresa.

97 7 Utilize o para obter dados e enriquecer seu database. Estimule as mensagens oferecendo brindes, através de sorteio ou por ordem de acesso, mas vinculando a participação ao preenchimento de um breve formulário contendo os dados principais de quem está enviando a mensagem. Comunicação na Internet

98 8 Anuncie seu endereço eletrônico em todas as mídias que você usar, da embalagem dos produtos aos anúncios de televisão. Comunicação na Internet

99 Hora de Crescer A Internet brasileira é uma das que mais se desenvolvem no mundo. Promissora e com metas ousadas, enfrenta seu maior desafio: aumentar a base de usuários. 10 PASSOS PARA UM BOM TEXTO WEB: 1) PERSUASÃO: O texto para a Web é descendente direto da linguagem publicitária, por isso seduzir o leitor é sempre prioridade. 2) OBJETIVIDADE: Vá direto ao ponto. O internauta não tem tempo para navegar em vão, portanto, disponibilizar informações sem rodeios é fundamental.

100 3) NAVEGABILIDADE: O redator para o Web é o guia de turismo do site. Ele deve fisgar o visitante desde a primeira página, e dar-lhe toda a ferramenta para que ele possa navegar pela página da tranqüilidade, jamais o deixando perdido. 4) VISIBILIDADE: Tornar as informações visíveis é tarefa árdua, mas o webwriter deve usar a imaginação para criar uma vitrine bem organizada, apresentando o conteúdo do site. 5) ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO: Para o webwriter, é essencial saber onde se encontram as informações do site que elaborou. O primeiro passo é acompanhar a construção e distribuição da estrutura. Hora de Crescer

101 6) DESIGN: O webdesigner deve ser o melhor amigo de webwritr - e vice-versa. A programação visual deve apoiar em todos os momentos a ação do redator web. 7) CRIATIVIDADE: A melhor definição para webwriting é redação on- line criativa. Deixar o vício (e a necessidade) da rapidez para trás é essencial para quem quer escrever para a Web. 8) ORTOGRAFIA: O público internauta não tolera textos com erros de ortografia. Revise-os mil vezes antes de apresentá-las e volte a passar os olhos esporadicamente no que produziu.

102 9) TECNOLOGIA: Webwriting não é só texto. Como estamos na Web, aspectos como tecnologia podem - e devem - ajudar o redator web. Itens básicos como menus DHTML e Flash são capazes de acender o conteúdo informativo de uma página. 10) LINKS: Utilize-os com parcimônia, sempre que possível após o texto, e nunca esquecendo de explicar o que o internauta vai encontrar na página que você está indicando. Hora de Crescer

103 Perfil do Internauta Brasileiro Renda familiar Fonte: Cade?/ Ibope - Ago/97 41% 27% 10% 3% 19%

104 Perfil do Internauta Brasileiro Assuntos de Interesse Fonte: Cade?/ Ibope - Ago/97

105 Os 10 pontos das Melhores Estratégias: 1) Tenha Conteúdo; 2) Pense em Organização e Navegabilidade; 3) Estude a Performance; 4) Ache as pessoas 5) Torne-as Engajadas (Engage), 6) Retenha-as fazendo-as voltar, 7) Aprenda com elas e 8) Ofereça Valor único 9) Tenha a situação sob Controle; 10) Seja Interativo

106 Conteúdo Concentre-se em disponibilizar o conteúdo relativo do seu negócio.

107 Performance: Sites rápidos são sites de sucesso Conheça sua audiência e qual a velocidade média que eles navegam;

108 O Guia da Catástrofe Ÿ O site ser de baixo impacto criativo Ÿ O site ser tão criativo que demora uma eternidade para baixar; Ÿ O site ser uma transcrição de uma peça de comunicação; Ÿ O site seguir normas extremamente rígidas e formais; Ÿ O site tem recursos altamente pirotécnicos mas nenhum conteúdo; Ÿ A navegação é confusa; Ÿ A atualização proposta não é cumprida; Ÿ Não existe canal de resposta; Ÿ O site está sempre em construção;


Carregar ppt "COMUNICAÇÃO COM O MERCADO PROF. MAURO PACANOWSKI."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google