A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pesquisa-Ação como estratégia para desenvolver grupo de gestantes: a percepção dos participantes. Luiza Akiko Komura Hoga Luciana Magnoni Reberte.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pesquisa-Ação como estratégia para desenvolver grupo de gestantes: a percepção dos participantes. Luiza Akiko Komura Hoga Luciana Magnoni Reberte."— Transcrição da apresentação:

1 Pesquisa-Ação como estratégia para desenvolver grupo de gestantes: a percepção dos participantes. Luiza Akiko Komura Hoga Luciana Magnoni Reberte

2 Introdução A gestação é um momento de diversos e distintos significados. A família e amigos envolvem a gestante compartilhando suas percepções e sua história. A assistência pré-natal inclui o fornecimento de suporte de diversos aspectos e nisso pose-se incluir o grupo de gestantes como dispositivo terapêutico individual e integral das necessidades das gestantes.

3 Introdução Dessa forma, estes grupos são desenvolvidos com o objetivo de complementar o atendimento em consultas, melhorar a adesão a hábitos adequados e diminuir as ansiedades e dúvidas naturais decorrentes do período de gravidez e puerpério. Pensando nisso, a pesquisa-ação constitui estratégia que possibilita a forma de abordagem e favorece a participação ativa dos membros do grupo. Entende-se que as demandas são levantadas espontaneamente a partir dos interesses dos integrantes do grupo, orientando a ação e as tomadas de decisões pelos coordenadores.

4 Introdução Partindo desse principio, a presente pesquisa teve o objetivo de verificar a percepção dos integrantes de um grupo de gestantes relativa a metodologia da pesquisa- ação empregada para desenvolver o grupo.

5 Método O grupo de gestantes foi desenvolvido no Setor de Ambulatório do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo, sob responsabilidade das enfermeiras obstétricas. 8 gestantes e 4 acompanhantes integraram o grupo e a procura pelo grupo é espontânea. A idade variou entre 18 e 39 anos todas casadas ou em união consensual. Todas primigestas. 5 delas não haviam planejado a gravidez e 3 sim. Todas referiram boa aceitação da gravidez

6 Método A primeira sessão elas estavam entre 16 e 30 semanas de gravidez e seus hábitos de lazer incluíam atividades físicas, como hidroginástica e caminhada. Os acompanhantes eram os maridos com idade entre 37 e 43 anos, 1 com nível médio de escolaridade e 3 com nível completo. 1 já tinha um filho e 3 se tornariam pais pela primeira vez.

7 Método As gestantes que faziam pré-natal na Instituição foram convidadas a participar do grupo A metodologia de pesquisa-ação foi utilizada como estratégia para desenvolver grupo. De abordagem exploratória, tem o pressuposto de associar a ação com uma atividade de pesquisa na condução das sessões grupais. Manteve-se a característica exploratória da ação, o senso de ética destinando cuidado com questões pessoais e não imposição de valores e expectativas individuais com respeito as características próprias das pessoas

8 Método Respeito ao tempo necessário para aquisição de confiança do grupo em relação aos coordenadores e ao ritmo individual de cada um Promoção de um ambiente propício visando o acolhimento e atendimento das angustias dos participantes. Desse modo os participantes tiveram oportunidade de sugerir os conteúdos a serem abordados de acordo com suas necessidades

9 Métodos A quantidade de sessões foi decidida nesta ocasião em conjunto com os participantes e decidiram por 9 encontros, que seriam suficientes para abordar os temas elencados O direcionamento das sessões subsequentes foi feito mediante o emprego de um instrumento que era entregue a todos os participantes ao final de cada encontro. No instrumento os participantes registravam suas impressões sobre o conteúdo trabalhado, condução do grupo e percepções relativas aos demais integrantes sobre as técnicas de abordagem corporal empregadas.

10 Métodos Todas as sessões foram gravadas em áudio, para registrar os conteúdos desenvolvidos pelos coordenadores do grupo e os questionamentos dos participantes. Cuidado redobrado foi tomado com o vocabulário usado nas sessões. Preferência foi dada a linguagem popular, sempre que possível. A comunicação verbal adequada se faz necessária para que se adquira a capacidade de entendimento de expressões normalmente usadas.

11 Coleta de dados As percepções sobre a metodologia foram obtidas mediante entrevistas individuais gravadas, e previamente agendadas de acordo com a disponibilidade de cada integrante. No início de cada entrevista os participantes foram convidados a expor suas percepções a respeito da estratégia da pesquisa-ação que havia sido empregada no grupo o qual participaram.

12 Análise das entrevistas Todas entrevistas foram integralmente transcritas A sequencia do processo de analise teve continuidade de forma indutiva e interpretativa A identificação dos principais significados foi realizado em cada paragrafo das entrevista e atribuídos a eles uma determinada decodificação. Este trabalho permitiu desenvolver categorias e reduzir dados, criando um modelo manejável, que se constitui meta final da pesquisa qualitativa.

13 Resultados Conclui-se que o emprego da estratégia da pesquisa-ação proporcionou benefícios ao desenvolvimento do grupo. Os participantes salientaram a motivação em participar do grupo. A abordagem dos integrantes pelos pesquisadores foi enfatizado como sendo um incentivo à participação. A estratégia proporcionou a identificação mútua dos participantes A abordagem do conteúdo, de forma específica e em conformidade com os interesses dos participantes foi proporcionado pela estratégia da pesquisa-ação.

14 Resultados O estímulo à percepção de idéias, sentimentos, questionamentos e demandas individuais por cuidados, de forma espontânea e pelo grupo, foi percebido e valorizado. A troca de experiências entre os participantes foi percebida e avaliada como benéfica e o compartilhamento de sentimentos e vivências proporcionou um aprendizado conjunto. Gestantes desacompanhadas relataram dificuldades relativas a expressão de idéias e sentimentos.

15 Resultados Timidez foi uma fator que de alguma forma prejudicou a participação de algumas pessoas. Alguns participantes expressaram a dificuldade nas sessões que eram causadas pela heterogeneidade dos participantes, muito provavelmente pelo nível de escolaridade quando da colocações não apropriadas em algumas ocasiões. Sugeriram um conteúdo mínimo e um cronograma de atividades

16 Considerações finais Este trabalho tem por finalidade transformar a realidade, quando for considerado necessário ou aumentar o leque de idéias e possibilidades de ação no âmbito da assistência às gestantes e suas famílias. Considera-se que a participação do parceiro, ou outro acompanhante de escolha da gestante, deve ser incentivado, pois facilita o envolvimento da própria gestante e de seu marido no processo, fazendo com que a gravidez se torne um evento significativo para o casal e sua família.

17 Considerações finais Os caminhos inovadores na assistência à saúde é considerado um desafio que merece ser alcançado em prol de uma prática profissional plena, digna e humanizada que constitui direito de todo o cidadão. A superação do modelo hegemônico de atenção à saúde, a quebra de paradigmas, a autocrítica cotidiana da prática diária e a competência e envolvimento com o trabalho é fator preponderante para o êxito de qualquer nova proposta de assistência à saúde.


Carregar ppt "Pesquisa-Ação como estratégia para desenvolver grupo de gestantes: a percepção dos participantes. Luiza Akiko Komura Hoga Luciana Magnoni Reberte."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google