A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estrutura curricular. Diretrizes Curriculares Nacionais. Joaquim Edson Vieira CEDEM – Centro para Desenvolvimento da Educação Médica. FMUSP – março 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estrutura curricular. Diretrizes Curriculares Nacionais. Joaquim Edson Vieira CEDEM – Centro para Desenvolvimento da Educação Médica. FMUSP – março 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Estrutura curricular. Diretrizes Curriculares Nacionais. Joaquim Edson Vieira CEDEM – Centro para Desenvolvimento da Educação Médica. FMUSP – março 2006

2 Estrutura Curricular. Diretrizes Curriculares Nacionais Objetivos desta apresentação Contexto histórico resulta em Diretrizes. –Flexner vs Integralidade. –Diretrizes em Saúde. Apresentação do Currículo FMUSP como modelo. –Conhecimentos em medicina e Desospitalização. –Currículo Nuclear e sua evolução Investigação na FMUSP sobre Diretrizes. –Alunos de graduação. O Planejamento Curricular... © JEV 2006

3 Relatório Flexner (1910) Regulamentar a diversidade da formação médica. –Hospital equivalente ao laboratório –Dados trancados no paciente para serem investigados. –Estudo do progresso da natureza combinado com terapêutica. –Professores com prática clínica (MODELO) –Associação Escola médica - Hospital. –Retorno à sociedade: melhor prática = maior confiança. Diretrizes Curriculares Nacionais Histórico: modelo Flexneriano. © JEV 2006

4 –Prática ou atitude do médico Recusa em reduzir o paciente ao aparelho biológico. –Reconhece outras necessidades de ações em saúde. »FATORES DE RISCO, MED. BASEADA EVID. –Organização de Serviços Princípio de assimilar necessidade local –Política de Estado Ação em saúde deve corresponder à resolução Diretrizes Curriculares Nacionais Integralidade - definição Pinheiro R, Mattos RA. Os Sentidos da Integralidade © JEV 2006

5 Diretrizes –Aponta perfil do profissional –Valoriza processo de formação Implica: –Projeto Pedagógico institucional –Formação didática e pedagógica Currículo mínimo –Necessidade profissional do/para mercado –Valoriza produto final (formando) Implica: –Disciplinas e conteúdos das áreas –Especialistas Diretrizes Curriculares Nacionais © JEV 2006

6 As Diretrizes prevêem que profissionais da medicina tenham formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano. Diretrizes Curriculares Nacionais © JEV 2006

7 Competências e habilidades gerais: –Atenção à saúde. Promoção, proteção, prevenção, reabilitação. –Individual e coletivo. –Tomada de decisão. Uso, eficácia e custo-efetividade. –Comunicação. –Liderança. –Administração e Gestão. –Educação permanente. Diretrizes Curriculares Nacionais Artigo 4º © JEV 2006

8 I - conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados... II - compreensão dos determinantes sociais, culturais, comportamentais, psicológicos, ecológicos, éticos e legais, nos níveis individual e coletivo, do processo saúde-doença; III - abordagem do processo saúde-doença do indivíduo e da população... determinação, ocorrência e intervenção; IV - compreensão e domínio da propedêutica médica... compreensão ética, psicológica e humanística da relação médico-paciente; V - diagnóstico, prognóstico e conduta terapêutica nas doenças... em todas as fases do ciclo biológico... prevalência, letalidade, potencial de prevenção e importância pedagógica; e VI - promoção da saúde e compreensão dos processos fisiológicos... gestação, nascimento, crescimento e desenvolvimento, envelhecimento e... morte, atividades físicas, desportivas e as relacionadas ao meio social e ambiental. Diretrizes Curriculares Nacionais Artigo 6º - CONTEÚDOS © JEV 2006

9 Estágio curricular obrigatório de treinamento em serviço, em regime de internato, em serviços próprios ou conveniados, e sob supervisão direta dos docentes da própria Escola/Faculdade. A carga horária mínima do estágio curricular deverá atingir 35% (trinta e cinco por cento) da carga horária total do Curso de Graduação. Enfermagem: estágio supervisionado, … participação dos enfermeiros do serviço de saúde... carga horária mínima... 20% do total do Curso. Fisioterapia: supervisão docente... 20% do total do Curso. Fonoaudiologia: idem. Nutrição: ibidem. Psicologia: estágios diferenciados (bacharel, professor, psicólogo) sem determinação de carga horária. –Primeiro, segundo e terceiro níveis de atenção em cada área. Diretrizes Curriculares Nacionais Artigo 7º © JEV 2006

10 Atividades complementares: Monitorias e estágios; programas de iniciação científica; programas de extensão; estudos complementares e cursos realizados em outras áreas afins. Projeto pedagógico: Centrado no aluno como sujeito da aprendizagem e apoiado no professor como facilitador e mediador do processo ensino-aprendizagem... buscar a formação integral e adequada do estudante por meio de uma articulação entre o ensino, a pesquisa e a extensão e assistência. [NO FINAL DO ARTIGO 5º]: sistema regionalizado e hierarquizado de referência e contra-referência e o trabalho em equipe. Diretrizes Curriculares Nacionais Artigos 8º e 9º © JEV 2006

11 I - Ter como eixo curricular as necessidades de saúde dos indivíduos e das populações... II -...participação ativa do aluno na construção do conhecimento e a integração entre os conteúdos... estimular a interação entre o ensino, a pesquisa e a extensão/assistência; III - incluir dimensões éticas e humanísticas...orientados para a cidadania; IV -integração e a interdisciplinaridade... dimensões biológicas, psicológicas, sociais e ambientais; V - inserir o aluno precocemente em atividades práticas VI - utilizar diferentes cenários de ensino-aprendizagem VII -...interação ativa do aluno com usuários e profissionais de saúde desde o início de sua formação... assumindo responsabilidades crescentes... que se consolida na graduação com o internato; e VIII – vincular (integração ensino-serviço) a formação médico- acadêmica às necessidades sociais da saúde, com ênfase no SUS. Diretrizes Curriculares Nacionais Artigo 12 - Estrutura © JEV 2006

12 Reforma Curricular 1998 Faculdade de Medicina da USP Área Nuclear (disciplinas obrigatórias), corresponde(ria), do primeiro ao quarto ano, a 70 a 75% das atividades – 7 períodos da semana. Área Complementar (disciplinas optativas), corresponde(ria) até 30% - 3 períodos semanais. –Áreas verdes. © JEV 2006

13 Reforma Curricular 1998 Faculdade de Medicina da USP Área Nuclear (disciplinas obrigatórias), corresponde(ria), do primeiro ao quarto ano, a 70 a 75% das atividades – 7 períodos da semana. Área Complementar (disciplinas optativas), corresponde(ria) até 30% - 3 períodos semanais. –Áreas verdes. Porque adotar um modelo com disciplinas eletivas? © JEV 2006

14 Quantos anos para obter conhecimentos? Pesquisa com descritor Medicine somente para REVIEW [English] Curso médico padrão com horas. Para cada REVISÃO considerar 2 HORAS de estudo. Pub Med: = artigos. ERIC (philosophy): 9801 artigos. J. Immunol – número de páginas/vol © JEV 2006

15 Quantos anos para manter conhecimentos? Pesquisa com termos descritores na Fisiopatologia da Asma bronchospasm/asthma E inflammatory-asthma/asthma Espasmo: tratamento único, não controla doença = novos espasmos!! Inflamação: tratamento mantido, controla doença = melhor qualidade de vida. © JEV 2006

16 Desospitalização. The ecology of medical care revisited. N Engl J Med, Vol. 344, No. 26 · June 28, ou <1 H.U Hospital © JEV 2006

17 Reforma Curricular Faculdade de Medicina da USP Área Nuclear (disciplinas obrigatórias), corresponde(ria), do primeiro ao quarto ano, a 70 a 75% das atividades – 7 períodos da semana. Área Complementar (disciplinas optativas), corresponde(ria) até 30% - 3 períodos semanais. –Áreas verdes. Porque adotar um modelo com disciplinas eletivas? © JEV 2006

18 Currículo Nuclear Modelos Harden RM Davis M. AMEE Education Guide #5, 2001 © JEV 2006

19 Currículo Nuclear Modelos Modelo adotado na FMUSP © JEV 2006

20 SEGUNDATERÇAQUARTAQUINTASEXTA ANOSEM.MTMTMTMTMT 1 1 BA 2BABBAA 2 1ABAABB 2ABAABB 3 1BABBAA 2BABA 4 1AABB 2BBAA Faculdade de Medicina da USP. Disciplinas optativas 1998 © JEV 2006

21 SEGUNDATERÇAQUARTAQUINTASEXTA ANOSEM.MTMTMTMTMT 1 1 XX 2 X ABBA X 2 1 X ABBA X 2 X ABBA X 3 1 X ABBA X 2 X ABBA X 4 1 X ABBA X 2 X ABBA X Faculdade de Medicina da USP. Disciplinas optativas 2005 © JEV 2006

22 Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA. Currículo em ABP/PBL – Aprendizado Baseado em Problemas © JEV 2006

23 Reforma Curricular – FMUSP Disciplinas obrigatórias © JEV 2006

24 QUADRO – Dificuldades para disciplinas FMUSP 2004 COORDENADORES DE DISCIPLINAS 1 o – 6 o anos falta de espaço físico adequado falta de manequins falta de recursos em relação laboratórios de treinamento prático. falta de salas falta de salas de discussão faltam vídeos didáticos infra-estrutura local e material para realização de várias atividades material cadavérico para dissecções material de consumo / manutenção de instrumental e de equipamento: não existe orçamento tipo de doente internado / programa a ser cumprido / espaço físico no ambulatório inviabiliza aulas utilização de um texto básico adequado Conteúdo vs Processo temos poucos pacientes disponíveis AINDA BEM!! PROBLEMATIZAÇÃO?? Laboratório Habilidades Clínicas © JEV 2006

25 Linhas concêntricas delimitam valores de 25% a 100%. Número de disciplinas que responderam ao questionário. Avaliação do processo – PAC FMUSP Oferta e utilização de Bibliografia © JEV 2006

26 Avaliação do processo – PAC FMUSP 2003 © JEV 2006

27 __________________ TRANSDISCIPLINAR ____ INTERDISCIPLINAR ____ MULTIDISCIPLINAR ____ COMPLEMENTAÇÃO (MI – 4o ano) ____ CONCOMITÂNCIA - CORRELAÇÃO _____ COMPARTILHAR – COOPERAÇÃO (At. Primária – 3 o ano) ____ COORDENAÇÃO TEMPORAL ____ INSERÇÃO DE CONTEÚDOS _____ HARMONIA ENTRE CONTEÚDOS _____ CONSCIENTIZAÇÃO DE CONTEÚDOS( Conteúdos Humanísticos) _____ ISOLAMENTO Integração curricular © JEV 2006

28 Reforma Curricular Faculdade de Medicina da USP Área Nuclear (disciplinas obrigatórias), corresponde(ria), do primeiro ao quarto ano, a 70 a 75% das atividades – 7 períodos da semana. Área Complementar (disciplinas optativas), corresponde(ria) até 30% - 3 períodos semanais. –Áreas verdes. Porque adotar um modelo com disciplinas eletivas? © JEV 2006

29 Atividades Optativas (ou Eletivas) 2 a 4 créditos Pesquisa Científica em Medicina –Iniciação Científica Introdução Profissional à Prática Médica –Estágios em Atividades Assistenciais –Ligas CAOC-DC Introdução ao Ensino Médico –Atividades de Monitoria Disciplinas Optativas Propriamente Ditas. Extensão de Serviços à Comunidade. –Bandeira Científica Boletim Arroba e Vírgula n o 2, novembro/2003 Períodos Protegidos na Grade Horária OU Livres - CAOC © JEV 2006

30 Pesquisa Científica em Medicina Fonte (adaptado): Tomas Yoshio Makiyama © JEV 2006

31 Introdução à Prática Profissional em Medicina - IPPM Disciplinas guarda-chuva. –Cursos oferecidos sem número de matrícula definido (por exemplo MPT - Patologia, MCM - Clínica Médica) que pode ser testado pelo Departamento ou Docente. Ligas de assistência do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz. –Definição pelo atendimento ambulatorial. –Definição de objetivos pedagógicos a serem atingidos ao longo dos anos de Liga. –Plano de trabalho dos acadêmicos. –Docentes Responsáveis e Acesso Universal. © JEV 2006

32 Avaliação do currículo Optativas. Vieira, Bellodi, Marcondes, Martins RBEM 2005, 29: 51 Zero procura (23)Alta procura (13) p Pré-requisitos: Antes do 4 o semestre Depois do 4 o semestre Com pré-requisito Habilidades práticas* A soma não totaliza os grupos (Zero e Alta) porque mais de uma qualificação pode ser escolhida. Teste exato de Fisher. © JEV 2006

33 Como prefere a oferta de disciplinas optativas? © JEV 2006

34 Percentual de oportunidades para cursos em outras áreas da Universidade * Currículo antigoDados de 2001 © JEV 2006 Vieira, Lopes Jr, Basile, Martins RBEM 2003, 27: 96

35 Introdução ao Ensino Médico. Atividades de Monitoria: Percentual de alunos com oportunidades. © JEV 2006 * Currículo antigoDados de 2001

36 Treinamento para o gerenciamento de recursos como tempo e atividades de colaboração com colegas © JEV 2006 * Currículo antigoDados de 2001

37 Percentual de alunos que declaram ter clareza das bases moleculares em medicina © JEV 2006 * Currículo antigoDados de 2001

38 Capacidade para informar e indicar prevenção e promoção da saúde © JEV 2006 * Currículo antigoDados de 2001

39 Você conhece bem o SUS - Sistema Único de Saúde? © JEV 2006 * Currículo antigoDados de 2001

40 Primeiro ano (início em 2004): Um período semanal de atividades, anual (160 horas). Acompanhando atividades dos Agentes Comunitários de Saúde. Realizando visitas domiciliares e o diagnóstico de saúde da comunidade. Terceiro ano (início em 2005): Um período semanal de atividades, semestral (80 horas). Acompanhando atividades da Equipe de Saúde da Família. Planejamento da UBS e do trabalho da ESF. Quinto ano (2007?): Um período semanal de atividades, anual (192 horas). Atendimento como médicos de família em treinamento sob supervisão. SEGUIMENTO DA COMUNIDADE, FAMÍLIAS, PACIENTE. HISTÓRIA SOCIAL DA DOENÇA. Disc. Atenção Primária em Saúde. Distrito de Saúde Escola do Butantã - USP. © JEV 2006

41

42 Docentes devem participar de atividades para desenvolvimento da didática?

43 Residência Médica HCFMUSP Média final das provas Prova 1 – 75 testes e 10 dissertativas Prova 2 – 10 estações (modelo OSCE) Entrevista – 10% nota final USP (2004) EstadualFederalParticular nota (USP 2003) © JEV 2006

44 Planejamento Curricular Uma nova verdade...não triunfa convencendo seus oponentes e sim pelo fato de que estes morrem e uma nova geração cresce em familiaridade com esta nova verdade. »Max Planck [ ] Um currículo deve mostrar o que é significante de ser ensinado. –Prioridades Cultural, Social, Individual, Técnica Presente – Futuro? –Necessidades © JEV 2006

45 Necessidades...da medicina? –O estudo de condições de vida pode revelar maior identidade com grupos sociais à mesma medicina que procura se impor responsabilidades estendidas de promover saúde, humanização e inovação... O resultado: pretensão de ser o interlocutor de demandas ou mesmo o tradutor político de grupamentos pouco organizados. »Vieira, JE RBEM 2003, 27: 153 Currículo deve expor suas intenções: –Diretrizes: humanista, crítico e reflexivo; ético, saúde-doença, promoção, prevenção, recuperação e reabilitação; integralidade da assistência, responsabilidade social e cidadania... Cognitivo, Atitudes e Habilidades. Processos e Experiências. Planejamento Curricular Objetivos © JEV 2006

46 A mais importante função da avaliação é preparar os estudantes para avaliarem a si próprios. Avaliação: –Somativa – como estudantes mudaram... [final] –Formativa – como estudantes estão mudando... [meio] 1.Validade »Atingir a descrição do(s) objetivo(s) 2.Confiabilidade »Atingir a descrição mais precisa (pelo definidor...) 3.Eficiência »Atingir todo o assunto com uma amostra de testes. 4.Freqüência »Atinge proposta de feedback do aprendizado. 5.Humanidade [David Pratt] »O teste deve auxiliar no crescimento do indivíduo. Planejamento Curricular Avaliação © JEV 2006

47 Dificuldade [item difficulty] – quantos respondem corretamente –Média do % melhor desempenho e pior desempenho –Ideal em torno de 85% Discriminação [item discrimination] –Diferença entre % do melhor com o pior desempenho –Ideal em torno de 30% % melhor desempenho% pior desempenhoDificuldadeDiscriminação Planejamento Curricular Avaliação © JEV 2006

48 Princípios: 1.Tempo na tarefa; 2.Motivação; 3.Domínio (mastery); 4.Expectativas; 5.Habilidades de estudo (study skills); 6.Planejamento de temas ou aulas ou assuntos; 7.Ambiente; 8.Meios de aprendizagem ou técnicas; 9.Trabalho cooperativo; 10.Simulações – computadores; 11.Ética institucional – ambiente de trabalho/convívio; 12.Envolvimento social Planejamento Curricular Planejamento © JEV 2006

49 Parcerias peer – Médicos Residentes Recursos –Material »Livros (10 anos) X softwares (2 anos?) –Equipamentos »Aquisição X Manutenção –Facilidades (instalações) »Sala para 90 X sala para grupo com 9 alunos –Pessoas (recursos humanos) –Tempo –Custo Avaliação curricular –O caminho para convencer alguém é expor seu caso de maneira cuidadosa, respeitosa e precisa, com a dúvida de que seja a melhor interpretação. Assim, se obtém parceria. Exponha o mesmo com arrogância e ganhará um oponente [Benjamin Franklin] Planejamento Curricular Destaques © JEV 2006

50 Revisitando o Relatório Flexner 2007 Research Project on the Professional Education of Physicians What teaching and learning practices are employed in the formation of physicians? What evidence is offered that these practices are efficacious? –How do students learn to think like a physician? How do they acquire the analytical knowledge of medicine? How is the knowledge structured in curriculum and instruction? How is this analytical knowledge related to clinical practice? –How do they learn how to act like a physician? How do students learn clinical skills? How does this instruction differ at various points in the students development? –How are professional attributes and abilities acquired? –How is learning assessed? What are examples of promising teaching practices that might improve medical education? How can we illuminate and reconceptualize assumptions about teaching and learning in medicine?

51 Janet Palmer Hafler, Ed.D. Director of Faculty Development Office of Educational Development HARVARD MEDICAL SCHOOL © 2005 JPH Two Main Principles oLearning is enhanced when learners actively participate in setting educational goals oFeedback is necessary for learning a knowledge base characterized by breadth depth flexibility skills in the acquisition and use of knowledge with a commitment to life-long learning sensitivity to the world of the patient Goals: have students acquire Pedagogical conflict: HOW vs WHAT to think


Carregar ppt "Estrutura curricular. Diretrizes Curriculares Nacionais. Joaquim Edson Vieira CEDEM – Centro para Desenvolvimento da Educação Médica. FMUSP – março 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google