A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Quando e como tratar as estenoses de carótidas em assintomáticos? Jorge Pinto Ribeiro Chefe do Serviço de Cardiologia, Hospital Moinhos de Vento; Chefe.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Quando e como tratar as estenoses de carótidas em assintomáticos? Jorge Pinto Ribeiro Chefe do Serviço de Cardiologia, Hospital Moinhos de Vento; Chefe."— Transcrição da apresentação:

1 Quando e como tratar as estenoses de carótidas em assintomáticos? Jorge Pinto Ribeiro Chefe do Serviço de Cardiologia, Hospital Moinhos de Vento; Chefe da Unidade de Métodos Não-invasivos, Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Professor Adjunto da Faculdade de Medicina - UFRGS

2 Patrocínio a congressos:Abbott, Aventis, Bayer, Boehringer Ingelheimer, Bristol-Myers Squibb, Microport, Novartis, Pfizer, Sankyo, Schering Plough, Servier Finaciamento de Pesquisa: Abbott, Aventis, Boehringer Ingelheimer, Bristol-Myers-Squibb, Cordis, Servier Palestrante: Abbott, Bayer, Bristol-Myers-Squibb, Sanofi-Aventis, Servier Conselho Consultivo:Abbott, Bristol-Myers-Squibb, Servier Preparo de Textos: Abbott, Bayer, Bristol-Myers-Squibb, Novartis, Servier Potencial Conflito de Interesse

3 Estenose de Carótida Assintomática Estudos de base populacional: –> 65 anos: 5% homens; 7% mulheres Após IAM ou com doença vascular periférica –20-30 % Derdeyn. Stroke 2007;38[part 2]:715-20

4 Estenose de Carótida Assintomática

5 Clínico X Endarterectomia

6 Endarterectomia em Assintomáticos Veterans, ACAS, ACST: –5.223 pacientes, 3,3 anos de acompanhamento –Risco de AVE e morte com a cirurgia = 2,9 % em 30 dias –Redução de AVE e morte = 31% –NNT em 2 anos = 17 –Benefício somente para homens mais jovens –Não associado com a gravidade da estenose Bates et al. J Am Coll Cardiol 2007;49:

7 Clínico x Stent Em Falta

8 Endarterectomia X Stent

9 Cochrane Morte e AVE Coward et al. Stroke 2005;36: Favorece StentFavorece Endarterectomia StentEndarterectomia Razão de chances

10 Cochrane Lesão em Nervo Craniano Coward et al. Stroke 2005;36: Favorece StentFavorece Endarterectomia StentEndarterectomia Razão de chances

11 Cochrane Morte, AVE, IAM Coward et al. Stroke 2005;36: Favorece StentFavorece Endarterectomia StentEndarterectomia Razão de chances

12 SAPPHIRE 334 pacientes Risco para endarterectomia Sintomático + 50% estenose Assintomático (70%) + 80% estenose Filtro de proteção Acompanhamento = 1 ano Desfechos: morte, AVE, IAM Yadav et al. N Engl J Med 2004;351: Dias Livre de Eventos(%) Endarterectomia Stent

13 Utilização de Intervenções Terapêuticas Hungenholtz, 1991 Anos Uso Clínico

14 Utilização de Stents Anos Uso Clínico Leicester CAVATAS Kentucky Wallstent SAPPHIRE

15 SPACE pacientes Sintomáticos Filtro de proteção Acompanhamento = 30 dias Desfechos: morte, AVE SPACE Collaborative Group. Lancet 2006;351: AVE 6,34 % 6,84 % P=0.09 Não inferioridade Dias Livre de Eventos Endarterectomia Stent

16 EVA 3S 527 pacientes Sintomáticos > 60 % estenose Filtro de proteção 87% Acompanhamento = 6 meses Desfechos: morte, AVE Mas et al. N Engl J Med 2006;355: Stent11,7 % Endarterectomia 6,1 % P 0,02

17 Utilização de Stents Anos Uso Clínico Leicester CAVATAS Kentucky Wallstent SAPPHIRE SPACE EVA-3S

18 ICCS-SPREAD Consenso Cremonesi et al. Stroke 2006;37: Alto risco para endarterectomia: –Paralisia contralateral no nervo laringeo- Disfunção ventricular grave –Radioterapia no pescoço- Necessidade de CRM em 6 semanas –Reestenose de endarterectomia- IAM > 24 h < 4 semanas –Anatomia desfavorável - Angina instável –Oclusão contralateral de carótida - Doença pulmonar grave –Lesões sequenciais- > 80 anos

19 ACCF/SCAI/SVMB/SIR/ASITN Consenso Bates et al. J Am Coll Cardiol 2007;49: Endarterectomia em assintomáticos: –Lesão de % com risco < 3 % –40-75 anos, espectativa de vida > 5 anos

20 ACCF/SCAI/SVMB/SIR/ASITN Consenso Bates et al. J Am Coll Cardiol 2007;49: Stent em assintomáticos –Alternativa em pacientes com alto risco cirúrgico –Usar proteção distal –> 80 % de estenose –Considerar se CRM pode ser postergada em 5 semanas

21 Quando e como tratar as estenoses de carótidas em assintomáticos? Jorge Pinto Ribeiro Chefe do Serviço de Cardiologia, Hospital Moinhos de Vento; Chefe da Unidade de Métodos Não-invasivos, Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Professor Adjunto da Faculdade de Medicina - UFRGS


Carregar ppt "Quando e como tratar as estenoses de carótidas em assintomáticos? Jorge Pinto Ribeiro Chefe do Serviço de Cardiologia, Hospital Moinhos de Vento; Chefe."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google