A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AUTORAS: CAMPOS, A. F.; BELTRAME, J.; Madureira, D. L. INSTITUIÇÃO: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AUTORAS: CAMPOS, A. F.; BELTRAME, J.; Madureira, D. L. INSTITUIÇÃO: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo"— Transcrição da apresentação:

1 AUTORAS: CAMPOS, A. F.; BELTRAME, J.; Madureira, D. L. INSTITUIÇÃO: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO A estenose laríngea pode ser causada por traumas e geralmente associados com intubação orotraqueal, em muitos casos o uso prolongado leva a intervenção cirúrgica para colocação de uma traqueostomia que é o procedimento cirúrgico em que, através da colocação de uma cânula na traquéia, se estabelece uma comunicação direta entre ela e o meio externo. OBJETIVOOBJETIVO O objetivo deste estudo é relatar intervenção fonoaudiológica em um lactente com estenose laríngea e traqueostomia. RELATO DO CASORELATO DO CASO Estudo de caso retrospectivo por meio do levantamento de prontuário de um lactente nascido e internado no Hospital Central da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo com diagnóstico de RNPT extremo, muitíssimo baixo peso, evoluindo com apnéia, crises convulsivas, pneumonia, hipertensão pulmonar, laringite pós extubação, estenose subglótica e paralisia de prega vocal esquerda. Após 170 dias de alimentação por sonda, sendo realizadas intervenções fonoaudiológicas como Estimulação da Sucção Não Nutritiva (ESNN) e Nutritiva (ESN), o paciente teve alta hospitalar com alimentação exclusiva por via oral. Após 30 dias da alta hospitalar, o paciente foi reinternado por bronquiolite, insuficiência respiratória aguda e pneumonia, necessitando de ventilação mecânica invasiva e via alternativa de alimentação, passando por processo cirúrgico para colocação de traqueostomia após 27 dias de internação. Após estabilidade clínica foram retomados os estímulos fonoaudiológicos para tentativa de transição para dieta por via oral. Lactente recebeu alta hospitalar com dieta mista (via oral e via alternativa) por meio de mamadeira com bico ortodôntico e papa de frutas ofertado na colher. DISCUSSÃODISCUSSÃO A estenose laríngea em um recém nascido pode causar perdas muito significativas no processo da transição alimentar, pois a respiração é uma atividade fundamental e está diretamente ligada a alimentação. Esse relato mostra a importância da intervenção fonoaudiológica em casos como esse, conseguindo assim resultados positivos e uma alimentação que poderá garantir nutrição e prazer. CONCLUSÃOCONCLUSÃO A intervenção fonoaudiológica precoce e acompanhamento de lactentes com estenose laríngea são de extrema importância para reabilitação e introdução da alimentação por via oral segura. BIBLIOGRAFIABIBLIOGRAFIA 1) Ximenes Filho JA, Nakanishi M, Montovani JC. Estenose Laríngea em Crianças. Arq Otorrinolaringol, 2002;6(1). 2) Fraga et al. Traqueostomia Pediátrica: relato de uma série de casos. Revista da AMRIGS, Porto Alegre.2008;52(1): ) Costa CN et al. Efetividade da intervenção fonoaudiológica no tempo de alta hospitalar do recém-nascido pré-termo. Rev. CEFAC [online]. 2007; (9):1: ) Garzi RP, Cerruti VQ, Ferreira VJA. A importância da respiração no processo de alimentação do recém-nascido prematuro: relato de caso. Rev CEFAC. 2003; 5(1): ) Evangelista D, Oliveira A. Transição alimentar em recém-nascidos com displasia broncopulmonar. Rev. CEFAC [online]. 2009; 11(1): Reintrodução de Dieta via oral em lactente com estenose laríngea e traqueostomia


Carregar ppt "AUTORAS: CAMPOS, A. F.; BELTRAME, J.; Madureira, D. L. INSTITUIÇÃO: Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google