A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.4 - FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA 3.5 - PRINCÍPIOS APLICADOS PELA AUDITORIA PÚBLICA 3.6 CONCEITOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.4 - FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA 3.5 - PRINCÍPIOS APLICADOS PELA AUDITORIA PÚBLICA 3.6 CONCEITOS."— Transcrição da apresentação:

1 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA PRINCÍPIOS APLICADOS PELA AUDITORIA PÚBLICA 3.6 CONCEITOS APLICADOS À AUDITORIA PÚBLICA

2 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA a) Finalidade Primordial – (FONTE, ORIGEM, PRINCÍPIO) b) Finalidade Básica –(FUNDAMENTAL, BASILAR) c) Finalidade Precípua –(PRINCIPAL, ESSENCIAL)

3 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA a) Finalidade Primordial A auditoria pública visa agregar valor à gestão pública, contribuindo para o gerenciamento da ação governamental. Tem ainda por finalidade garantir resultados operacionais na gerência do interesse público.

4 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA b) Finalidade Básica A finalidade básica da auditoria pública, considerando o contexto de sua atuação sobre a gestão de recursos públicos, pode ser resumida da seguinte forma: –Avaliar a ação governamental; –Avaliar a gestão dos administradores públicos federais; e –Avaliar a aplicação de recursos públicos por entidades de direitos privados.

5 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA c) Finalidade Precípua Comprovar a legalidade e legitimidade dos atos e fatos administrativos executados pelos responsáveis devidamente investidos para tal, e avaliar os resultados alcançados, quanto aos aspectos de economicidade, eficiência, eficácia, efetividade e qualidade da gestão orçamentária, financeira, patrimonial, operacional, contábil e finalística dos órgãos e entidades da administração pública, em todas as suas esferas de governo e níveis de poder.

6 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.5.1) Princípios Constitucionais da Administração Pública Aplicados às Atividades de Auditoria Pública –L EGALIDADE –I MPESSOALIDADE –M ORALIDADE –P UBLICIDADE –E FICIÊNCIA

7 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.5.2) Princípios Gerais de Auditoria a) Princípio do Planejamento dos Trabalhos b) Princípio da Evidência dos Fatos c) Princípio da Documentação dos Trabalhos d) Princípio da Confidencialidade

8 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.5.3) Princípios Específicos de Auditoria Pública –a)Princípio da Hierarquização –b) Princípio da Atuação nos Resultados –c) Princípio da Identificação de Causas –d) Princípio da Agregação de Valor

9 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.6 CONCEITOS APLICADOS À AUDITORIA PÚBLICA INDÍCIOS RISCOS ESCOPOS MÉTODOS PROCEDIMENTOS TÉCNICAS EVIDÊNCIAS

10 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA Indício é um conjunto de dados e informações sobre o desempenho da gestão pública, normalmente obtidos na fase de planejamento ou pré- auditoria. Os indícios constituem-se em referenciais para o planejamento gerencial dos trabalhos de auditoria subsidiando preliminarmente a composição dos exames de campo. Esses, podem ser obtidos por meio de denúncias, que se referem a fatos negativos ou situações críticas que chegam ao conhecimento da Unidade de Controle reconhecidas após despacho e determinações do dirigente máximo dessa Unidade; e de indicativos/indicadores (contábeis, operacionais, de pessoal, patriomoniais, de gestão, etc.. que são informações ou dados que revelam e evidenciam situações desejáveis ou não, sempre importantes no trabalho auditorial, na execução dos atos e fatos administrativos contabilizados nos sistemas corporativos.

11 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA Risco é o grau de incerteza inevitável de que a atitude do auditor, o procedimento operacional ou a classe de transações selecionada, incorrerá em algum tipo de erro inerente aos mecanismos de controle interno auditados.

12 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA Escopo representa, na terminologia auditorial, a operacionalização dos objetivos de cada exame programado, O QUE, QUANDO E QUANTO ? ) deve ser examinado. O escopo de um trabalho deve ser estabelecido por critérios técnicos, visando a identificar o melhor ponto de controle. Considera-se o melhor ponto de controle aquele que, uma vez examinado, maximiza o resultado de uma auditoria e/ou minimiza os custos do trabalho. A determinação do escopo é um processo presente em todas as fases dos trabalhos de auditoria. Para a determinação do escopo de um trabalho deve-se levar em consideração, fundamentalmente, seu grau de coerência. O escopo para ser consistente deve guardar compatibilidade com os objetivos da auditoria programada. A identificação da coerência na determinação do escopo, depende da análise dos seus elementos estruturais, que são: abrangência, oportunidade, extensão e profundidade.

13 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA –Métodos de Auditoria são as formas sistematizadas aplicados às técnicas e procedimentos, nas quais são selecionados os itens para exame. Os métodos de seleção de itens, aplicados à Auditoria Pública são a prova seletiva, os testes substantivos e de observância e o amostral. Os métodos são utilizados com finalidades diferentes, apesar de todos eles se limitarem à conferência de apenas parte dos componentes de um universo de informações. –A aplicação de prova seletiva pressupõe aprofundado conhecimento das situações a auditar. A aplicação de testes pressupõe razoável conhecimento das situações, e a aplicação de amostragem pressupõe pouco conhecimento –Eventualmente, as operações nos quais se tem conhecimento do tamanho da população e se pretende utilizar os instrumentos de controle aplica-se as técnicas e os procedimentos na totalidade, ou seja, em 100% (cem por cento) do universo.

14 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA Procedimentos e Técnicas constituem-se em investigações técnicas que, tomadas em conjunto, permitem a formação fundamentada da opinião do auditor. Procedimento de auditoria é o conjunto de verificações e averiguações previstas num programa de auditoria, que permite obter evidências ou provas suficientes e adequadas para analisar as informações necessárias à formulação e fundamentação da opinião por parte do auditor. Trata-se ainda, do mandamento operacional efetivo, são as ações necessárias para atingir os objetivos nas normas auditoriais. Também chamado de comando, o Procedimento representa a essência do ato de auditar, definindo o ponto de controle sobre o qual se deve atuar.

15 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA o fundamental é descrever o que se deve fazer, ou seja, como deve ser o exame. Esse exame abrange testes de observância e testes substantivos: a)testes de observância: visam à obtenção de razoável segurança de que os procedimentos de controle interno estabelecidos pela Administração estão em efetivo funcionamento e cumprimento. b) testes substantivos: visam à obtenção de evidências quanto à suficiência, exatidão e validação dos dados produzidos pelos sistemas contábil e administrativos da entidade, dividindo-se em testes de transações e saldos e procedimentos de revisão analítica

16 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA –Técnica de Auditoria é o conjunto de processos e ferramentas operacionais de que se serve o controle para a obtenção de evidências, as quais devem ser suficientes, adequadas, relevantes e úteis para conclusão dos trabalhos. –As técnicas de auditoria pública destinam-se a estabelecer que os controles prescritos estão em operação; –medir a extensão de uma condição (desejável ou indesejável) detectada; –detectar a existência de uma condição (desejável ou indesejável) com indícios; –confirmar que determinada condição desejável ocorreu; –confirmar que nenhuma condição indesejável ocorreu; –descobrir como funcionam os processos gerenciais e quais seus resultados operacionais.

17 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA TECNICAS –Indagação Escrita ou Oral - –Análise Documental - –Conferência de Cálculos - –Confirmação Externa – –Exame dos Registros – –Correlação das Informações Obtidas - –Inspeção Física – –Observação das Atividades e Condições –Corte das Operações ou Cut-Off - –Rastreamento - –Teste laboratorial – –Montagem de Cenários Alternativos -

18 UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA Evidência refere-se à informação, ou ao conjunto de informações, utilizada para fundamentar os resultados de um trabalho de auditoria ou fiscalização. A obtenção e análise da evidência é um processo contínuo incluindo a reunião, análise, interpretação e documentação de dados factuais com o objetivo de fundamentar os posicionamentos de uma equipe de auditoria e fiscalização.

19 EVIDÊNCIAS PROCEDIMENTOS CICLO DOS CONCEITOS AUDITORIAS INDÍCIOS (POR QUÊ?) ESCOPOS (O QUÊ ? E QUANDO ?) TÉCNICAS RISCOS Planejamento, Execução e Relatório MÉTODOS (COMO?)


Carregar ppt "UNIDADE III - A AUDITORIA PÚBLICA 3.4 - FINALIDADES DA AUDITORIA PÚBLICA OU DA GESTÃO PÚBLICA 3.5 - PRINCÍPIOS APLICADOS PELA AUDITORIA PÚBLICA 3.6 CONCEITOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google