A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VANGUARDAS EUROPEIAS. Objetivos das vanguardas: Reinterpretar realidade Novas visões de mundo Representação da libertação total Não importa a compreensão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VANGUARDAS EUROPEIAS. Objetivos das vanguardas: Reinterpretar realidade Novas visões de mundo Representação da libertação total Não importa a compreensão."— Transcrição da apresentação:

1 VANGUARDAS EUROPEIAS

2 Objetivos das vanguardas: Reinterpretar realidade Novas visões de mundo Representação da libertação total Não importa a compreensão do público

3 AVANT + GARDE GUARDA AVANÇADA

4 CONTEXTO HISTÓRICO MOMENTO CONTURBADO

5 CONTEXTO HISTÓRICO: DISPUTA DE MERCADOS CONSUMIDORES MOVIMENTOS NACIONALISTAS PAN ESLAVISMO (RÚSSIA)

6 CONTEXTO HISTÓRICO: PANGERMANISMO (ALEMANHA) REVANCHISMO (FRANCÊS) NEOCOLONIALISMO

7 Contexto histórico: 28 de junho de 1914 assassinato do rei Ferdinand Francisco e sua esposa em Sarajevo. Eclosão da Primeira Guerra Mundial As vanguardas terão o papel de representação desse conflito. Em 1917 vanguarda social, na Rússia

8 Contexto histórico: Em 1917 vanguarda social, na Rússia. Religião Filosofia moral Euforia técnico-científica não explicam a guerra.

9 Destruição do passado: Movimentos destruidores.. A partir daí surgirão novas artes.

10 Movimentos de vanguarda: Futurismo Cubismo Dadaísmo Surrealismo

11

12

13

14 1922MODERNISMO – VANGUARDAS EUROPEIAS O CAOS E A EFERVESCÊNCIA DO SÉCULO XXHOJE A eletricidade O telégrafo sem fio O Rádio O cinema O automóvel O avião 1922MODERNISMO INÍCIO: SEMANA DE ARTE MODERNAHOJE

15 1922MODERNISMO – VANGUARDAS EUROPEIAS O CAOS E A EFERVESCÊNCIA DO SÉCULO XXHOJE Primeira Grande Guerra Mundial Revolução Russa URSS 1922MODERNISMO INÍCIO: SEMANA DE ARTE MODERNAHOJE

16 1500LITERATURA INFORMATIVA E CATEQUÉTICA1500 VIAJANTES PERO VAZ DE CAMINHA A CARTA PERO DE MAGALHÃES GANDAVO TRATADO DA TERRA DO BRASIL GABRIEL SOARES DE SOUZA TRATADO DESCRITIVO DO BRASIL JESUÍTAS Pe. MANUEL DA NOBREGA DIÁLOGO SOBRE A CONVERSÃO DO GENTIO Pe. JOSÉ DE ANCHIETA POEMA À VIRGEM AUTO DE SÃO LOURENÇO 1601Barroco com Prosopopeia, de Bento Teixeira1601

17 DESCANSE: DESCANSAR NÃO É FICAR PARADO, É MUDAR DE ATIVIDADE.

18 1601BARROCO – PROSOPOPEIA, DE BENTO TEIXEIRA (pérola de superfície imperfeita) 1601 BENTO TEIXEIRA - PROSOPOPEIA GREGÓRIO DE MATOS GUERRA (O Boca do Inferno) À MESMA DONA ÂNGELA (lírico) BUSCANDO A CRISTO (religioso) CIDADE DA BAHIA (crítica social) Padre ANTÔNIO VIEIRA SERMÃO DA SEXAGÉSIMA SERMÃO DE SANTO ANTÔNIO AOS PEIXES SERMÃO DA PRIMEIRA DOMINGA DE QUARESMA HISTÓRIAS DO FUTURO 1768Termina com: Obras Poéticas, de Cláudio Manoel da Costa 1768

19 1922 MODERNISMO – VANGUARDAS EUROPEIAS 1922 Futurismo – marinetti Expressionismo – Julien-Auguste Hervé Cubismo – Pablo Picasso Dadaísmo – Tristan Tzara Surrealismo – Salvador Dali 1922 MODERNISMO INÍCIO: SEMANA DE ARTE MODERNA 1922

20 FUTURISMO – LÂMPADA DE RUA, GIACOMO BALLA 1909

21 1. Nós queremos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e da temeridade. 2. A coragem, a audácia, a rebelião serão elementos essenciais de nossa poesia. 3. A literatura exaltou até hoje a imobilidade pensativa, o êxtase, o sono. Nós queremos exaltar o movimento agressivo, a insônia febril, o passo de corrida, o salto mortal, o bofetão e o soco.

22 1. Nós queremos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e da temeridade. 2. A coragem, a audácia, a rebelião serão elementos essenciais de nossa poesia. 3. A literatura exaltou até hoje a imobilidade pensativa, o êxtase, o sono. Nós queremos exaltar o movimento agressivo, a insônia febril, o passo de corrida, o salto mortal, o bofetão e o soco.

23 FILLIPO MARINETTI

24 4. Nós afirmamos que a magnificência do mundo enriqueceu-se de uma beleza nova: a beleza da velocidade. Um automóvel de corrida com seu cofre enfeitado com tubos grossos, semelhantes a serpentes de hálito explosivo... um automóvel rugidor, que correr sobre a metralha, é mais bonito que a Vitória de Samotrácia. 5. Nós queremos entoar hinos ao homem que segura o volante, cuja haste ideal atravessa a Terra, lançada também numa corrida sobre o circuito da sua órbita. 6. É preciso que o poeta prodigalize com ardor, fausto e munificiência, para aumentar o entusiástico fervor dos elementos primordiais.

25 7. Não há mais beleza, a não ser na luta. Nenhuma obra que não tenha um caráter agressivo pode ser uma obra-prima. A poesia deve ser concebida como um violento assalto contra as forças desconhecidas, para obrigá-las a prostrar-se diante do homem. 8. Nós estamos no promontório extremo dos séculos!... Por que haveríamos de olhar para trás, se queremos arrombar as misteriosas portas do Impossível? O Tempo e o Espaço morreram ontem. Nós já estamos vivendo no absoluto, pois já criamos a eterna velocidade onipresente.

26 1601BARROCO – PROSOPOPEIA, DE BENTO TEIXEIRA (pérola de superfície imperfeita) 1601 BENTO TEIXEIRA - PROSOPOPEIA GREGÓRIO DE MATOS GUERRA (O Boca do Inferno) À MESMA DONA ÂNGELA (lírico) BUSCANDO A CRISTO (religioso) CIDADE DA BAHIA (crítica social) Padre ANTÔNIO VIEIRA SERMÃO DA SEXAGÉSIMA SERMÃO DE SANTO ANTÔNIO AOS PEIXES SERMÃO DA PRIMEIRA DOMINGA DE QUARESMA HISTÓRIAS DO FUTURO 1768Termina com: Obras Poéticas, de Cláudio Manoel da Costa 1768

27 9. Nós queremos glorificar a guerra - única higiene do mundo - o militarismo, o patriotismo, o gesto destruidor dos libertários, as belas ideias pelas quais se morre e o desprezo pela mulher. 10. Nós queremos destruir os museus, as bibliotecas, as academia de toda natureza, e combater o moralismo, o feminismo e toda vileza oportunista e utilitária.

28 11. Nós cantaremos as grandes multidões agitadas pelo trabalho, pelo prazer ou pela sublevação; cantaremos as marés multicores e polifônicas das revoluções nas capitais modernas; cantaremos o vibrante fervor noturno dos arsenais e dos estaleiros incendiados por violentas luas elétricas; as estações esganadas, devoradoras de serpentes que fumam; as oficinas penduradas às nuvens pelos fios contorcidos de suas fumaças; as pontes, semelhantes a ginastas gigantes que cavalgam os rios, faiscantes ao sol com um luzir de facas; os piróscafos aventurosos que farejam o horizonte, as locomotivas de largo peito, que pateiam sobre os trilhos, como enormes cavalos de aço enleados de carros; e o voo rasante dos aviões, cuja hélice freme ao vento, como uma bandeira, e parece aplaudir como uma multidão entusiasta.

29 12. É da Itália, que nós lançamos pelo mundo este nosso manifesto de violência arrebatadora e incendiária, com o qual fundamos hoje o "Futurismo", porque queremos libertar este país de sua fétida gangrena de professores, de arqueólogos, de cicerones e de antiquários. 13. Já é tempo de a Itália deixar de ser um mercado de belchiores. Nós queremos libertá-la dos inúmeros museus que a cobrem toda de inúmeros cemitérios. 14. Museus: cemitérios!... Idênticos, na verdade, pela sinistra promiscuidade de tantos corpos que não se conhecem. Museus: dormitórios públicos em que se descansa para sempre junto a seres odiados ou desconhecidos! Museus: absurdos matadouros de pintores e escultores, que se vão trucidando ferozmente a golpes de cores e linhas, ao longo das paredes disputadas!

30 1836 ROMANTISMO 1ª FASE POESIA-INDIANISTA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 Gonçalves Dias Suspiros poéticos e Saudades A confederação dos tamoios Gonçalves Dias Canção do Exílio Ainda uma vez adeus O Canto do Piaga I Juca Pirama 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

31 1836 ROMANTISMO 1ª FASE POESIA-INDIANISTA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 Casimiro de Abreu (poeta da saudade) Meus oito anos Amor e medo Álvares de Azevedo (poeta da morte ou da dúvida) Se eu morresse amanhã Lembrança de morrer Junqueira Freire (o seminarista) Inspirações do Claustro 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

32 1836 ROMANTISMO 1ª FASE POESIA-INDIANISTA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 Castro Alves: Navio Negreiro Vozes dÁfrica Cachoeira de Paulo Afonso Cruz na Estrada O Adeus de Teresa Fagundes Varela: Cântico do Calvário 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

33 15. Que se vá lá em peregrinação, uma vez por ano, como se vai ao Cemitério no dia de finados... Passe. Que uma vez por ano se deponha uma homenagem de flores diante da Gioconda, concedo Mas não admito que se levem passear, diariamente pelos museus, nossas tristezas, nossa frágil coragem, nossa inquietude doentia, mórbida. Para que se envenenar? Para que apodrecer? 17. E o que mais se pode ver, num velho quadro, senão a fatigante contorção do artista que se esforçou para infringir as insuperáveis barreiras opostas ao desejo de exprimir inteiramente seu sonho?... Admirar um quadro antigo equivale a despejar nossa sensibilidade numa urna funerária, no lugar de projetá-la longe, em violentos jatos de criação e de ação. 18. Vocês querem, pois, desperdiçar todas as suas melhores forças nesta eterna e inútil admiração do passado, da qual vocês só podem sair fatalmente exaustos, diminuídos e pisados?

34 19. Em verdade eu lhes declaro que a frequência diária aos museus, às bibliotecas e às academias (cemitérios de esforços vãos, calvários de sonhos crucificados, registro de arremessos truncados!...) é para os artistas tão prejudicial, quanto a tutela prolongada dos pais para certos jovens ébrios de engenho e de vontade ambiciosa. Para os moribundos, para os enfermos, para os prisioneiros, vá lá:- o admirável passado é, quiçá, um bálsamo para seus males, visto que para eles o porvir está trancado... Mas nós não queremos nada com o passado, nós, jovens e fortes futuristas! 20. E venham, pois, os alegres incendiários de dedos carbonizados! Ei-los! Ei-los!... Vamos! Ateiem fogo às estantes das bibliotecas!... Desviem o curso dos canais, para inundar os museus!... Oh! a alegria de ver boiar à deriva, laceradas e desbotadas sobre aquelas águas, as velhas telas gloriosas!... Empunhem as picaretas, os machados, os martelos e destruam sem piedade as cidades veneradas!

35 1 - Assinale a alternativa que menciona somente movimentos artísticos das Vanguardas Europeias. ( ) a)Barroco, Rococó, Art-nouveau. ( ) b)Expressionismo, Cubismo, Surrealismo. ( ) c)Neoclassicismo, Impressionismo, Romantismo. ( ) d)Pop-art, Dadaísmo, Futurismo. ( ) e)Construtivismo, Concretismo, Naturalismo.

36 1836 ROMANTISMO 1ª FASE POESIA-INDIANISTA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 ALENCARMACEDO BERNARDO GUIMARÃES TAUNAY FRANKLIN TÁVORA MANUEL ANTÔNIO DE ALMEIDA 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

37 1836 ROMANTISMO 1ª FASE POESIA-INDIANISTA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 Alencar indianista: O Guarani – Iracema – Ubirajara Alencar regionalista: O Gaúcho – Til, O Sertanejo e O Tronco do Ipê Alencar histórico: As minas de Prata e A Guerra dos Mascates Alencar citadino: Cinco Minutos, A Viuvinha, Senhora, Sonhos doiro, Luciola 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

38 1836 ROMANTISMO PROSA COM SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES, DE GONÇALVES DE MAGALHÃES 1836 Macedo: A Moreninha e O Moço Loiro Bernardo Guimarães: A escrava Isaura e O seminarista Visconde de Taunay: Inocência e A retirada da Laguna Franklin Távora: O Cabeleira Manuel Antônio de Almeida: Memórias de um sargento de m Ilícias 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881

39 2 - Em 1924, os surrealistas lançaram um manifesto no qual anunciaram a força do inconsciente na criação de novas percepções. Valorizavam a ausência de lógica das experiências psíquicas e oníricas, propondo novas experiências estéticas. Sobre o Surrealismo, é correto afirmar: ( ) a) Acredita que a liberação do psiquismo humano se dá por meio da sacralização da natureza. ( ) b) Baseia-se na razão, negando as oscilações do temperamento humano. ( ) c) Destaca que o fundamental, na arte, é o objeto visível em detrimento do emocionalismo subjetivo do artista. ( ) d) Concede mais valor ao livre jogo da imaginação individual do que à codificação dos ideais da sociedade ou da história. ( ) e) Busca limitar o psiquismo humano e suas manifestações, transfigurando-os em geometria a favor de uma nova ordem

40 O EXPRESSIONISMO NÃO VÊ, TEM VISÕES.

41 Cubismo, ele despreza as formas, reduz tudo, sítios, figuras e casas, esquemas geográficos e cubos.

42 Bofetada no gosto do público Somente nós somos o rosto do nosso tempo. (...) Ordenamos que se respeite o direito dos poetas: 1 - a ampliar o volume do vocabulário com palavras arbitrárias e derivadas; 2 - a odiar sem remissão a língua que existiu antes de nós; 3 - a repelir com horror da própria fronte altaneira a coroa daquela glória barata que fabricastes com as escovas de banho; 4 - a estar fortes sobre o escolho da palavra nós num mar de assobios e de indignações. E se em nossos rabiscos ainda restam rastros do vosso bom sentido e do vosso bom gosto, nestas, todavia, já palpitam, pela primeira vez, as lâmpadas de nossa futura beleza da palavra autônoma. Gilberto Mendonça Teles

43 Dadá é o dilúvio após o que tudo começa. (André Gide) Trsitan Tzara

44 A origem da palavra DADÁ é controversa: Em romeno significa: sim, sim Em francês significa: cavalinho de pau Para o mentor do movimento, Tristan Tzara, significa NADA

45 PARA FAZER UM POEMA DADAÍSTA Pegue num jornal. Pegue numa tesoura. Escolha no jornal um artigo com o comprimento que pretende dar ao seu poema. Recorte o artigo. Em seguida, recorte cuidadosamente as palavras que compõem o artigo e coloque-as num saco. Agite suavemente. Depois, retire os recortes uns a seguir aos outros. Transcreva-os escrupulosamente pela ordem que eles saíram do saco. O poema parecer-se-á consigo. E você será um escritor infinitamente original, de uma encantadora sensibilidade, ainda que incompreendido pelas pessoas vulgares.

46 1881 REALISMO COM MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS, DE MACHADO DE ASSIS 1881 Machado de Assis: Memórias Póstumas de Brás Cubas Dom Casmurro Quincas Borba Esaú e Jacó Memorial de Aires Papéis Avulsos Aluísio de Azevedo: O Cortiço, O Mulato e Casa de Pensão Júlio Ribeiro: A Carne Adolfo caminha: A Normalista e O Bom Crioulo A Normalista e O Bom Crioulo 1893 SIMBOLISMO COM MISSAL E BROQUÉIS, DE CRUZ E SOUSA 1893

47 Até então, estava tentado a considerar os surrealistas, que aparentemente me escolheram para santo padroeiro, como loucos integrais (digamos a 95%, como no que se refere ao álcool absoluto). O jovem espanhol, Salvador Dali, com seus cândidos olhos de fanático e seu inegável domínio técnico, incitou-me a reconsiderar minha opinião. Sigmund Freud

48

49 3 - Assinale a opção em que todos os movimentos artísticos listados, façam parte da Vanguarda Europeia. ( ) a) Simbolismo, Cubismo, Dadaísmo, Expressionismo e Realismo. ( ) b) Realismo, Cubismo, Simbolismo, Impressionismo e Futurismo. ( ) c) Surrealismo, Cubismo, Naturalismo, Expressionismo e Futurismo. ( ) d) Surrealismo, Cubismo, Dadaísmo, Expressionismo e Futurismo. ( ) e) Surrealismo, Romantismo, Realismo, Expressionismo e Futurismo.


Carregar ppt "VANGUARDAS EUROPEIAS. Objetivos das vanguardas: Reinterpretar realidade Novas visões de mundo Representação da libertação total Não importa a compreensão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google