A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Tratamento e Disposição Final.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Tratamento e Disposição Final."— Transcrição da apresentação:

1 Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Tratamento e Disposição Final

2

3 INCINERAÇÃO

4 Tratamento Incineração É um processo de queima do lixo em unidades especialmente projetadas, denominadas incineradores.Objetivo: Efetuar a queima total, controlada, do lixo em temperatura de 800 a °C, transformando-o em material inerte, diminuindo, assim, seu peso e volume.

5 Uso muito restrito, para lixo especiais como o lixo hospitalar. Não é mais aconselhável para lixo urbano. Tratamento Incineração

6 Queimados ou atacados por ácidos Liberam subprodutos tóxicos de alta periculosidade para a saúde dos seres vivos. Lixo urbano (resina, plásticos, pilhas, etc)

7 Incineradores modernos: Equipamentos moderno de controle da poluição do ar e dos líquidos Custo elevado de implantação e manutenção Tratamento Não garantem segurança absoluta Inviabiliza o seu uso em muitos países. Especialmente aqueles em desenvolvimento Cinza demasiadamente tóxica

8 Podem lançar no ar partículas tóxicas como os furanos e dioxinas Tratamento Doenças: Alteração do sistema imunológico(facilidade de adquirir doenças); Dores de cabeça, tumores, irritabilidade, alteração de memória; Alterações nos fetos e abortos; Diabetes, aumento do colesterol, esterilização, atrofia testicular;e Câncer no fígado, no timo, na medula óssea, na tireóide, na mama e linfático.

9 Desvantagens da Incineração de Resíduos Custo elevado de instalação e operação; Exigências de mão-de-obra qualificada; Presença de materiais nos resíduos que geram compostos tóxicos e corrosivos.

10 Vantagens da Incineração de Resíduos Redução drástica de massa e volume a ser descartado; Recuperação de energia; Redução do impacto ambiental; Esterilização dos resíduos.

11 Caracterização completa de um resíduo visando sua incineração engloba a determinação de: Poder calorífico inferior (PCI): Indica a quantidade de energia útil que pode ser liberada durante a queima do resíduo. Quanto maior o PCI, maior serão as potências liberadas no interior do incinerador e maiores as temperaturas atingidas.

12 Caracterização completa de um resíduo visando sua incineração engloba a determinação de: Análise imediata: Determina teores de água, cinza e material volátil do resíduo O teor de cinza determina o montante de material a ser descartado em aterros, após a incineração do resíduo.

13 Caracterização completa de um resíduo visando sua incineração engloba a determinação de: Análise elementar: Determina teores de carbono, hidrogênio e nitrogênio. Possibilita avaliar a quantidade de ar necessária para realizar a combustão completa do resíduo.

14 Caracterização completa de um resíduo visando sua incineração engloba a determinação de: Teores de elementos tóxicos: Determina teores de mercúrio, chumbo, cromo, níquel, cloro, enxofre, etc. Não somente nas cinzas dos resíduos, pode-se estimar o potencial de geração e formação de compostos tóxicos e dimensionar adequadamente o sistema de limpeza de gases da unidade.

15 Processo de incineração e geração de poluentes. Processo de incineração ideal Deve gerar apenas 3 produtos: dióxido de carbono(CO 2 ), água e cinzas. dióxido de carbono(CO2) e água cinza Combustão completa do material orgânico Presença de materiais não combustíveis

16 Processo de incineração e geração de poluentes. Em geral apresenta cinco pontos de geração de poluentes: Cinzas de fundo; Cinzas volantes; Água de limpeza dos gases; Lama do tratamento das águas; Gases.

17 Na incineração ao prevenir a poluição de um meio físico (ar, água e solo), sempre se estará transferindo esta poluição para outro, ou seja, ao limpar os gases para prevenir a poluição atmosférica, estar-se-á gerando efluentes líquidos e sólidos que, se não controlados, provocam a poluição das águas e solo.

18 Resíduos Sólidos Tratamento e Disposição Final Pirolise

19 Tratamento Processo de decomposição física e química da matéria orgânica em alta temperatura (100 a 1.600°C), em ausência de oxigênio, ou seja, é a queima da resíduo. Objetivo: Redução de volume do lixo orgânico e colocá-lo em forma utilizável de energia. De acordo com as Características operacionais, podem gerar: Óleos e gases combustíveis, carvão, alcatrão carbono quase puro. Pirólise

20 Tratamento Classificação da pirólise segundo as características do processo: Sistemas da alta temperatura Sistemas convencionais produção de combustíveis gasosos produção de combustíveis líquidos

21 Tratamento Processo de reação endotérmica Reduzindo a perda de calor, é possível obter o fracionamento das substâncias sólidas presentes no lixo AlimentaçãosecagemvolatilizaçãoOxidação Fusão Zona pirolítica Esquema da Pirólise do lixo urbano

22 Tratamento Pirólise Reator Pirolítico

23 Tratamento Do ponto de vista energético e ecológico os sistemas de pirólise apresentam acentuada vantagem sobre os demais sistemas de tratamento. É uma tecnologia altamente sofisticada, com custo de implantação e manutenção bastante elevada, o que inviabiliza o seu uso em países em desenvolvimento. Os pontos críticos de limitação: teor de sólidos voláteis presentes no lixo, poder calorífico superior e umidade. Pirólise


Carregar ppt "Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Tratamento e Disposição Final."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google