A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMO AVALIAR ATRAVÉS DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Prof. Dra. Mônica de Ávila Todaro Salto 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMO AVALIAR ATRAVÉS DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Prof. Dra. Mônica de Ávila Todaro Salto 2012."— Transcrição da apresentação:

1

2 COMO AVALIAR ATRAVÉS DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Prof. Dra. Mônica de Ávila Todaro Salto 2012

3 2 O que significa avaliar? Avaliar significa emitir um juízo de valor. Avaliar exige optar por critérios claros. Avaliar = mensurar.

4 AVALIAÇÃO ESCOLAR É O ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO E TRANSFORMAÇÃO DOS ALUNOS, INSERIDO NO PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

5 4 Aspectos psicológicos Disposição de acolher X julgamento prévio Constatação X expectativa (alta ou baixa) Construtivo X destrutivo (punição) Auto eficácia (alunos e professores) Auto estima (gosta de mim ou não) Vínculo (professor – aluno) Maturidade (tomada de decisão)

6 OS NOVE JEITOS MAIS COMUNS DE AVALIAR

7 INSTRUMENTOS PROVAS OBJETIVAS PROVAS DISSERTATIVAS SEMINÁRIOS TRABALHO EM GRUPO DEBATE RELATÓRIO OBSERVAÇÃO CONSELHO DE CLASSE PORTFÓLIO

8 Buscando nas Diretrizes Curriculares Nacionais no que concerne como concepção de avaliação: A avaliação é parte integrante do processo de formação, uma vez que possibilita diagnosticar lacunas a serem superadas, aferir os resultados alcançados considerando as competências a serem constituídas e identificar mudanças de percurso eventualmente necessárias.

9 Para Jussara Hoffmann, a avaliação é a reflexão transformada em ação, não podendo ser estática nem ter caráter apenas classificatório.

10 Baseado nas contribuições de Cipriano Carlos Luckesi em Avaliação da aprendizagem escolar : uma opção de vida : Hoje, nas escolas brasileiras, públicas ou privadas nos diversos níveis, praticamos exames e provas escolares ao invés de AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM. Historicamente, passamos a denominar a prática escolar de aferição de aprendizagem de avaliação da aprendizagem escolar, mas continuamos a praticar exames.

11 Os exames escolares, através de prova tem por objetivo julgar, classificar, aprovar ou reprovar o estudante em sua trajetória nas séries escolares e: São seletivos: Na medida que excluímos quem não sabe no contexto dos parâmetros considerados aceitáveis pelas próprias provas; São pontuais: a medida que o estudante deve saber responder as questões aqui e agora, no momento das provas, dos testes; Consequentemente são estáticos: enquanto classificam o estudante num determinado nível de aprendizagem, considerando este nível como definitivo.

12 A avaliação da aprendizagem: Tem por objetivo diagnosticar a situação de aprendizagem do Educando, tendo em vista subsidiar a tomada de decisões para a melhoria de sua qualidade; É inclusiva: na medida em que não seleciona os educandos melhores dos piores, mas sim subsidia a busca de meios pelos quais todos possam aprender aquilo que necessário para seu próprio desenvolvimento; Decorrente do fato de se inclusiva é amorosa, na medida em que acolhe o educando como é, para verificar o que pode ser feito para o seu crescimento; É diagnostica e processual, ao admitir que, aqui e agora, este educando não possui um determinado conhecimento ou habilidade mais depois poderá apresentar conhecimento esperado. É dinâmica, ou seja, não classifica o educando em um determinado nível de aprendizagem, mas diagnostica a situação para melhora-la a partir de novas decisões pedagógicas.

13 Postura Pedagógica da Prática da Avaliação da Aprendizagem Tendo em vista encontrar caminhos de soluções mais adequadas e mais satisfatórias, exige do educador: - Compromisso com a profissão; - Formação adequada e consistente; - Comprometimento permanente; - Atenção plena e cuidados em todas as intervenções; - Clareza no relacionamento com os alunos.

14 O ATO DE AVALIAR Processo de diálogo com a realidade de sala de aula, objetivando refletir e posicionar-se sobre o que nessa realidade acontece. Um ato de auto análise e de auto-conhecimento tanto do professor quanto do aluno: o professor precisa conhecer-se; saber de suas escolhas; reconhecer seus preconceitos e falhas; saber da importância de suas decisões na vida dos alunos.

15 14 O ERRO Fonte de informação para o professor Sinal de uma estruturação em construção Deve direcionar a atuação do professor

16 15 Algumas sugestões aos professores: 1. Conheça a matéria a ser ensinada. 2. Questione as suas concepções prévias sobre o ensino, a aprendizagem e avaliação. 3. Valorize o conhecimento prévio de cada aluno. 4. Proponha situações problemas, para que o aluno possa construir seu próprio conhecimento. 5. Questione a redução da avaliação a uma mera pontuação dos estudantes, convertendo-a em um instrumento de aprendizagem. 6. Diversifique os instrumentos.

17 16 O aspecto devolutivo também é importantíssimo!

18 Revisão do currículo mínimo obrigatório Prática de justiça na avaliação Resultados voltam para as práticas curriculares Relação entre Currículo e Avaliação

19 Informação (não) é conhecimento Memória (não) é inteligência Tecnologia (não) é pedagogia ALGUNS MITOS

20 ENEM (exemplo) COMPETÊNCIAS DO SUJEITO I Domínio de Linguagens II Construção de Conceitos III Resolução de Problemas IV Argumentação Consistente V Intervenção / Criatividade Competências de Área conforme Diretrizes do Ensino Médio 1 = 45 Habilidades

21 Ideias principais do processo ensino-aprendizagem O aluno como protagonista das suas aprendizagens. O professor como maestro ou mediador e não como detentor do saber. Aponta um projeto pedagógico essencialmente baseado na ação.

22 Implicações na avaliação - Se o aluno é protagonista então deve ser mais envolvido na sua própria avaliação. - Se o projeto pedagógico radica na ação então deve haver maior diversidade de situações e de instrumentos de avaliação. - Olhar a avaliação nas suas várias funções de forma integrada. - Envolver o aluno num trabalho de metacognição.

23 Só é possível avaliar competências se a prática pedagógica for coerente! A ideia de avaliação de competências está subjacente em diferentes níveis interdependentes: - educacional (se em termos de acesso - quantidade ou qualidade – desenvolvimento da cidadania); - curricular (objetivos, desempenho dos docentes, estratégias de ensino, materiais didáticos e as próprias formas de avaliação da aprendizagem); - de aprendizagem (conteúdos, capacidades, habilidades e competências).

24 Sugestão de leitura LUCKESI, C.C. Avaliação da Aprendizagem Escolar. São Paulo: Cortez,


Carregar ppt "COMO AVALIAR ATRAVÉS DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Prof. Dra. Mônica de Ávila Todaro Salto 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google