A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Atendente de Farmácia Facilitadora: Jurema Prado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Atendente de Farmácia Facilitadora: Jurema Prado."— Transcrição da apresentação:

1 Atendente de Farmácia Facilitadora: Jurema Prado

2 Objetivos: Promover conhecimentos básicos, necessários e essenciais para um Atendente de Farmácia;

3 O que é necessário para um bom atendente? Segurança Simpatia Competência Organização Agilidade Auto-estima Visão de Mercado Inteligência Vigilância ÉTICA

4 História... Sacerdotes; Ervas Medicinais; Frederico II, Imperador da Prússia: farmácia separada oficialmente da medicina, estabeleceu o código de ética profissional, farmácias com profissionais farmacêuticos habilitados.

5 Definições: Farmacologia – do grego pharmacon – é a ciência que estuda como as substâncias químicas interagem com os sistemas biológicos. Droga – do holandês droog - refere-se a qualquer substância com o potencial de prevenir ou curar doenças ou aumentar o bem-estar físico ou mental; em farmacologia, refere-se a qualquer agente químico que altera os processos bioquímicos e fisiológicos de tecidos ou organismos

6 ANVISA Criada pela Lei nº de 26 de janeiro de 1999; Garantir segurança sanitária de produtos e serviços; Atua em todos os setores relacionados a produtos e serviços que possam afetar a saúde.

7 ANVISA Fiscalizar e controlar a qualidade dos laboratórios e medicamentos no mercado; Coordenar a realização dos testes de qualidade; Autorizar registros de medicamentos, inclusive os genéricos; Renovar registro de medicamentos; Receber denúncias e agir sobre as mesmas.

8

9 Patente Registro de um medicamento original por um laboratório – Lei nº 9.279, 14 de maio de 1999; Até 20 anos a propriedade da fórmula é exclusiva de quem a criou; Outro laboratório não pode produzir a fórmula patenteada sem licença.

10 Genéricos O que são? medicamento similar a um produto de referência ou inovador, que se pretende ser com este intercambiável, geralmente produzido após a expiração ou renúncia da proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade, comprovada a sua eficácia, segurança e qualidade, e designado pela DCB ou, na sua ausência, pela DCI;

11 Genéricos

12

13

14 E a qualidade, quem garante? Inspeção Fabricação Estrutura Técnica Higiene Testes de bioequivalência.

15 MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA GENÉRICOS SIMILARES

16 Similares, o que são? aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, preventiva ou diagnóstica, do medicamento de referência registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária, podendo diferir somente em caracteristicas relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipientes e veículos, devendo sempre ser identificado por nome comercial ou marca. ANVISA

17 Similares Já existiam antes dos genéricos; Não são feitos testes de bioequivalência; Só podem ser comercializados com marca.

18 Similares

19

20 Propaganda Resolução – RDC nº 102, 2000 – regulamenta o uso de propagandas para medicamentos; Informações importantes sobre os produtos;

21 Propaganda Fica Proibido: -Mensagens de aprovação ou recomendação por especialistas, ANVISA; -Sugerir que os medicamentos possua características como exemplo: sabor.

22 Até a próxima aula!


Carregar ppt "Atendente de Farmácia Facilitadora: Jurema Prado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google