A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processo de Transformação de um Polígono Qualquer em um Triângulo Equilátero de Área Equivalente Centro Universitário Franciscano Curso de Mestrado Profissionalizante.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processo de Transformação de um Polígono Qualquer em um Triângulo Equilátero de Área Equivalente Centro Universitário Franciscano Curso de Mestrado Profissionalizante."— Transcrição da apresentação:

1 Processo de Transformação de um Polígono Qualquer em um Triângulo Equilátero de Área Equivalente Centro Universitário Franciscano Curso de Mestrado Profissionalizante em Ensino de Física e de Matemática FRANCISCANO CENTRO UNIVERSITÁRIO Aluna do Mestrado: Merielen Fátima Caramori 2008

2 OBJETIVO Demonstrar a equivalência entre as áreas de um polígono irregular e um triângulo equilátero.

3 Esta atividade foi apresentada no Seminário Integrado como parte das Reflexões da Docência, no Mestrado Profissionalizante em Ensino de Física e de Matemática. CONTEXTO DA ATIVIDADE

4 Essa atividade foi desenvolvida seguindo uma sequência de passos para mostrar a transformação de um pentágono irregular num triângulo equilátero de área equivalente. DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE

5 Equivalencia entre cualquier polígono regular o irregular y um triângulo equilátero As construções realizadas para o debate seguem as idéias do texto de Antoni Pinyol Fontova : Equivalencia entre cualquier polígono regular o irregular y um triângulo equilátero Revista UNO Revista de Didática de las Matemáticas nº44,2007. As construções realizadas serviram de inspiração para o debate sobre as relações geométricas entre duas figuras planas e a discussão sobre a quadratura de figuras planas.

6 Primeiro Passo: Transformar um pentágono irregular num triângulo qualquer.

7 ABCDE Considera-se um pentágono irregular ABCDE qualquer, como mostrado na figura 1.

8 ADBD ADBD Em seguida são traçadas as diagonais AD e BD e são traçadas as retas paralelas a AD e BD interceptando a reta r nos pontos F e G, respectivamente

9 FGD Desse modo transformou-se um pentágono irregular num triângulo escaleno FGD, de mesma área.

10 Observa-se que os triângulos ADE e ADF são congruentes pois têm a mesma base e mesma altura. Também são congruentes os triângulos BCD e BGD. Deste modo construiu-se um triângulo FDG com área equivalente à área do pentágono.

11 Segundo Passo: Transformar um triângulo escaleno num triângulo isósceles de mesma área.

12 Para transformar o triângulo escaleno FGD num triângulo isósceles com mesma área, traça-se uma paralela ao lado FG passando pelo vértice D e, a seguir, traça-se a mediatriz do lado FG do triângulo determinando os pontos H e I. Os triângulos escaleno e isósceles possuem áreas iguais.

13 A dificuldade que se apresenta é transformar um triângulo escaleno num triângulo equilátero. Essa transformação não pode ser feita diretamente, portanto vamos transformar o triângulo escaleno num retângulo.

14 Traça-se primeiramente o ponto médio M da altura FC do triângulo. Pelo ponto M traça-se uma reta s paralela à base AB do triângulo. A seguir, traçam-se retas paralelas à altura FC, passando por A e B, respectivamente, determinando os pontos E e D sobre a reta s.

15 Os triângulos MCG e BDG são congruentes pois possuem três ângulos iguais. Dois ângulos são opostos pelo vértice vértices, os ângulos por serem alternos internos e os outros dois pelo paralelismo entre seus lados. Do mesmo modo são congruentes os triângulos AEH e HMC.

16 Desse modo transformou-se o triângulo escaleno ABC no retângulo ABDE de mesma área.

17 Terceiro Passo: Transformar um retângulo num quadrado de mesma área.

18 A partir do retângulo ABCD, pode-se traçar um quadrado de área equivalente. Para isso vamos rebater o lado AD sobre a reta r, determinando o ponto E e determinamos o ponto O, ponto médio do segmento EB.Com centro em O e raio OE traça-se uma semicircunferência. Prolongando o lado AD determinamos o ponto F sobre a circunferência e traçamos o triângulo EFB.

19 Observamos que o vértice F está sobre a circunferência e, das relações métricas de um triângulo retângulo, pode-se concluir que AF x AF=EA x AB. Como a medida de AD é igual a medida de EA, pois é o raio da circunferência menor, a área do quadrado AFGH é equivalente à área do retângulo ABCD.

20 A construção realizada até o momento mostra que é possível transformar um pentágono irregular num quadrado de área equivalente. Este processo é denominado de Quadratura de Uma Figura Plana. Nosso propósito é mostrar que é possível transformar um polígono regular ou irregular num triângulo equilátero que é a figura plana regular com menor número de lados.

21 Quarto Passo: Transformar um quadrado num triângulo equilátero de mesma área.

22 Para transformar um quadrado num triângulo equilátero o primeiro passo consiste em construir um triângulo BFE equilátero.

23 A seguir determina-se o ponto G, ponto médio de FH, que corresponde a altura do triângulo BEF. Pelo ponto G traça- se uma reta s paralela à reta r, determinando o ponto J sobre o lado do quadrado. Traçando uma perpendicular à reta r, passando por E, determina-se o ponto I sobre s. O retângulo BEIJ é equivalente ao triângulo equilátero BEF.Com centro em B rebate-se o lado BJ sobre a reta r, determinando o ponto K.

24 A seguir determina-se o ponto médio L do segmento KE. A partir de L, traça-se uma semicircunferência passando pelos pontos K a E. Esta circunferência, ao interceptar o quadrado ABCD determina o ponto M. O segmento BM é o lado do quadrado BMNO, equivalente ao retângulo BEIJ de acordo com a construção realizada anteriormente.. A partir do ponto M traça-se o segmento MF.

25 Prolonga-se o segmento BF, e por C, traça-se uma semi-reta t, paralela ao segmento MF, encontrando o segmento BF no ponto P. Pelo ponto P, traça-se uma semi-reta s paralela ao lado EF do triângulo equilátero BEF, a qual intercepta a prolongação de AB no ponto Q. O triângulo BQP é eqüilátero e é semelhante ao triângulo BEF. O triângulo equilátero BQP é equivalente ao quadrado ABCD.

26 O triângulo BQP possui área equivalente ao quadrado ABCD.

27 Essa apresentação propiciou retomar a discussão sobre: - O conceito de quadratura das figuras planas; - A História da Matemática como uma estratégia para ensinar matemática; - A congruência de triângulos e suas propriedades. CONSIDERAÇÕES FINAIS

28 Este tipo de atividade propicia a compreensão do significado das transformações geométricas aplicadas a figuras planas mantendo áreas equivalentes; A utilização de um software de Geometria Dinâmica é de fundamental importância para visualização das construções realizadas. Pode-se concluir que:


Carregar ppt "Processo de Transformação de um Polígono Qualquer em um Triângulo Equilátero de Área Equivalente Centro Universitário Franciscano Curso de Mestrado Profissionalizante."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google