A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 1 DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A. ADMINISTRAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 1 DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A. ADMINISTRAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 1 DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A. ADMINISTRAÇÃO – Construindo Vantagem Competitiva. Atlas. São Paulo:

2 A economia global A economia global A economia global está se tornando mais integrada. O comércio entre as nações tem aumentado progressivamente por conta das liberalizações do comércio mundial. O mundo atual é composto de três esferas de influência econômica: IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 2 EUA Europ a Ásia

3 Sobrevivência no mercado global A competição cresce à medida que o comércio é liberalizado. Os mais eficientes sobrevivem. Para obter sucesso nesse cenário competitivo, os administradores precisam estudar OPORTUNIDADES nos mercados existentes, aumentar a COMPETITIVIDADE de sua empresa. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 3 Países do mundo

4 A produção das multinacionais A produção das multinacionais As empresas multinacionais têm instalado suas unidades de fabricação, marketing e pesquisa em LUGARES no mundo onde as condições de custos e habilidades são mais favoráveis. Ou seja, a empresa pode ser americana, mas fabrica seu produto na China, ou Índia, ou México, ou … IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 4

5 Consequências da economia global 1 – O volume de comércio mundial tem crescido mais do que o volume da produção mundial. 2 – Os Investimentos Diretos Estrangeiros (IDE) estão desempenhando papel sempre crescente na economia global, à medida que empresas de todos os tamanhos investem em operações internacionais. 3 – As importações estão penetrando profundamente nas maiores economias mundiais. 4 – As empresas por todo o mundo estão tendo seus mercados domésticos sob ataque de concorrentes estrangeiros. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 5

6 O que significa tudo isso para o administrador? As OPORTUNIDADES são maiores porque o movimento em direção ao mercado livre abriu muitos mercados nacionais anteriormente protegidos. O potencial para exportação e para o Investimento Direto no Exterior tem crescido continuamente. O ambiente está mais complexo porque os administradores atuais têm de lidar com os desafios de se realizar negócios em países com culturas radicalmente diferentes e coordenar operações dispersas globalmente. O ambiente é mais competitivo porque, além dos concorrentes domésticos, o administrador tem de lidar com os concorrentes estrangeiros eficientes em custos. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 6

7 Estratégias de Internacionalização Estratégias de Internacionalização Ao analisarem a expansão global, os administradores devem decidir sobre os melhores meios de se entrar num mercado estrangeiro. Existem cinco maneiras básicas para se expandir no mercado internacional: (1) Exportação, (2) Licenciamento, (3) Franquias, (4) Joint Venture com uma empresa do país e (4) Subsidiária própria. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 7

8 (1) Exportação (1) Exportação VANTAGEM: economia de escala por evitar custos de fabricação em outros países. DESVANTAGENS: a) Pode não ser apropriado se os outros países oferecem baixos custos de locais para se fabricar o produto. b) Altos custos de transportes podem tornar a exportação antieconômica. c) Os países-alvos da exportação podem impor barreiras tarifárias IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 8 Suape

9 (2) Licenciamento (2) Licenciamento O licenciamento internacional é um arranjo pelo qual o licenciado em outro país compra os direitos de fabricação do produto da empresa em seu próprio país por uma taxa negociada (pagamentos de royalties baseados no número de unidades vendidas). VANTAGEM: o exportador não precisa arcar com os custos e riscos de abertura de um mercado estrangeiro. DESVANTAGEM: quando o exportador licencia sua capacitação tecnológica, o licenciador pode rapidamente assimilar a tecnolocia e utilizar para penetrar em outros mercados. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 9

10 (3) Franquias (3) Franquias O termo franchising é empregado no Brasil para designar a operação de um negócio com base em franquia. Em muitos aspectos, o franqueamento é similar ao licenciamento. Entretanto, o LICENCIAMENTO é utilizado por empresas industriais, o FRANQUEAMENTO é utilizado por empresas de serviços. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 10

11 (3) Franquias (3) Franquias No franchising uma empresa vende direitos limitados de utilização de seu nome de MARCA aos franqueados em troca de um PAGAMENTO de uma quantia inicial fixa e uma porcentagem do lucro dos franqueados. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 11

12 (3) Franquias (3) Franquias Entretanto, diferentemente da maioria dos acordos de licenciamento, o franqueado tem de se submeter a regras estritas sobre como deve conduzir seus negócios. VANTAGEM: igual à do licenciamento (custos e riscos). DESVANTAGEM: necessidade e dificuldade (pela distância) de fazer o controle de qualidade, para preservar o nome da marca da empresa. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 12 Franquias

13 (4) Joint Venture (4) Joint Venture Estabelecer uma Joint Venture (um acordo formal de negócios) com uma empresa em outro país é uma maneira dee se penetrar em um novo mercado. Joint Venture ou empreendimento conjunto é uma ASSOCIAÇÃO de empresas, não definitiva e com fins lucrativos, para explorar determinado(s) negócio(s), sem que nenhuma delas perca sua personalidade jurídica. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 13

14 (4) Joint Venture (4) Joint Venture A Joint Venture é um instrumento jurídico que estabelece as regras de relacionamento entre duas ou mais empresas, sem interferir na estrutura societária, restringindo-se aos aspectos operacionais. Normalmente é celebrada entre duas empresas visando a troca ou transferência de tecnologia, experiências e realização de operações de forma conjunta. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 14

15 (4) Vantagens e Desvantagens de uma JOINT VENTURE (4) Vantagens e Desvantagens de uma JOINT VENTURE VANTAGENS: (1) Conhecimento do parceiro sobre as condições competitivas, a cultura, a língua, os sistemas políticos e os sistemas de negócios do país-alvo. (2) Divisão dos custos e riscos de desenvolvimentos com o parceiro local. (3) As considerações políticas de muitos países tornam as joint ventures a única estratégia de internacionalização viável. DESVANTAGENS: (1) Como no caso do licenciamento, a empresa corre o risco de perder o controle sobre sua tecnologia para seu sócio. (2) Como o controle é compartilhado, a empresa pode perder controle sobre suas subsidiárias. De fato, há conflitos relativos a quem controla o que numa joint venture. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 15

16 (5) Subsidiária própria no exterior (5) Subsidiária própria no exterior VANTAGENS: (1) Quando as vantagens competitivas da empresa são baseadas em tecnologia, uma subsidiária própria reduz o risco de perder o controle. (2) Permite um controle rígido sobre as operações em outros países, o que é necessário se ela busca uma estratégica global. DESVANTAGENS: é o modo mais caro de entrar num mercado estrangeiro, pelos custos e riscos totais associados a iniciar operações no exterior. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 16

17 Escolha de administradores Escolha de administradores Ao estabelecer operações no exterior, os executivos dos escritórios centrais têm de fazer uma ESCOLHA entre enviar administradores do país de origem; utilizar administradores do país de destino; ou contratar administradores de um outro país. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 17

18 TENDÊNCIA: contratar administradores do país de destino Nos últimos anos, a utilização de administradores do país de origem tem declinado à medida que mais empresas utilizam pessoas nativas do país de destino. Esses empregados locais tendem a estar prontamente disponíveis; estão familiarizados com a cultura e a língua e geralmente custam menos porque eles não têm de ser deslocados. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 18

19 Habilidades da dministrador global Habilidades da dministrador global Tanto para o administrador do país de origem como para o cônjuge, é fundamental o AJUSTAMENTO de questões pessoais e sociais aos novos ambientes do país de destino. Esse ajustamento requer flexibilidade, estabilidade emocional, empatia com a cultura, habilidades de comunicação, disponibilidade de recursos, iniciativa e habilidades diplomáticas. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 19

20 ATRIBUTOS exigidos dos administradores no estrangeiro (1) Habilidade de aproveitar oportunidades estratégicas (2) Habilidade de administrar uma organização altamente descentralizada (3) Ter consciência das questões globais (4) Ter sensibilidade às questões de diversidade (5) Possuir competência interpessoal (6) Possuir habilidade de formar uma comunidade IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 20

21 Diferenças culturais Diferenças culturais As questões culturais representam o aspecto mais DIFÍCIL nos negócios internacionais, pois há profundas e duradouras diferenças entre as nações. Apesar de as pessoas em todos os lugares beberem Coca-Cola, vestirem jeans e dirigirem fords, elas continuam diferentes em suas culturas. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 21

22 Entendendo as questões culturais Como cada CULTURA tem suas próprias normas, costumes e expectativas de comportamento, o sucesso num ambiente internacional depende da habilidade da pessoa em entender a própria cultura e a dos outros e entender a própria cultura e a dos outros e reconhecer que mudanças abruptas encontrarão resistência. reconhecer que mudanças abruptas encontrarão resistência. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 22

23 CABEÇA GLOBAL – Habilidades exigidas de um profissional global (Você S/A, de julho/2010) 1. Vontade de aprender – entender diferentes culturas (aspectos históricos, geográficos, culturais, econômicos e políticos dos países em que sua empresa opera. 2. Capacidade de Comunicação – ter proficiência em outras línguas é essencial para quem quer ser cidadão do mundo. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 23

24 CABEÇA GLOBAL – Habilidades exigidas de um profissional global (Você S/A, de julho/2010) 3. Paixão por diversidade e espírito aventureiro – Só quem tem predisposição para conhecer novidades se dá bem numa carreira internacional. Ou seja, ter o capital psicológico de uma mente global. São habilidades desenvolvidas ao longo da vida, objetivando que o profissional tenha uma formação multicultural. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 24

25 CABEÇA GLOBAL – Habilidades exigidas de um profissional global (Você S/A, de julho/2010) 4. Capacidade de adaptação – Ter flexibilidade; adaptação a situações novas e inusitadas; ter jogo de cintura para lidar com situações difíceis. 5. Habilidade para engajar – Aptidão para criar relacionamentos e vínculos com pessoas de outras nacionalidades. Ver o mundo pelos olhos dos outros. Colocar-se na pele de pessoas que têm interesses diferentes dos seus. IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 25


Carregar ppt "IA_18_ADM. INTERNAC. _ Estratégias para Atuação Global 1 DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A. ADMINISTRAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google